Posts Populares

American Gods – S01E03 – Head Full of Snow

“Então é assim que o mundo funciona: as coisas ou são reais, ou são fantasia.”

Cada vez mais fico convicto que American Gods chegou para se consagrar. A cada novo episódio, um grito é dado com a ousadia da série.

E quem pensou que esse terceiro episódio seria uma simples apresentação de outros deuses, se enganou. A cena de sexo gay mais explícita apresentada na televisão surpreendeu a todos e repercutiu bastante na internet.

Diante de tudo que aconteceu até o episódio de hoje eu pergunto: você está prestando atenção em todos os detalhes?

Então segure sua resposta que lá no final conversaremos sobre ela e sobre um pequeno detalhe. Combinado?

Então vamos a nossa review.

Em algum lugar dos Estados Unidos, um homem visita uma senhora para avisá-la de sua morte e que ela precisa acompanhá-lo para realizar seu julgamento. Trata-se de Anubis, um deus egípcio que está relacionado com a vida após a morte. Para realizar o processo de passagem é necessário subir uma longa escada até seu o topo. O local é semelhante a um deserto do Egito. Ao chegarem, Anubis retira o coração da senhora e coloca-o numa balança, para avaliar se ela foi uma pessoa boa. Após a comprovação de sua bondade, ela atravessa um dos portões apresentados para finalizar o ritual.

De volta ao nosso protagonista jurado de morte por CZernobog. Shadow sonha com uma das irmãs Zoraya, Polunochnaya – a que estava dormindo durante o dia. Ela tem a missão de observar o céu durante a noite para proteger o mundo de algo que está acorrentado nas estrelas.

Zoraya Polunochnaya lê o futuro de Shadow e promete ajudá-lo com a dívida com CZernobog, desde que ele a beije. Sem muita escolha o desejo da garota é realizado que em seguida entrega uma moeda da sorte e pede para que ele não a perca.

Ao acordar, Shadow vai até Czernobog e propõe uma nova partida de damas com os mesmo termos. Caso ganhasse ele deveria acompanhar Wednesday até Wisconsin, tendo o desafio aceito. Confiante e ciente das artimanhas do competidor, desta vez Shadow ganha. Porém CZernobog informa que após concluir a tarefa de Wednesday, ele iria estourar os miolos de nosso protagonista – Infelizmente não teve como te ajudar Shadow.

Em algum lugar dos Estados Unidos, conhecemos Salim, um árabe que trabalha como vendedor ambulante. Depois de uma visita mal sucedida a um cliente, ele pega um táxi para retornar ao hotel onde está hospedado. Ao identificar que o taxista também é árabe, os dois começam a conversar sobre suas rotinas difíceis nos Estados Unidos. Devido forte chuva durante o trajeto, os dois pegam um engarrafamento e Salim percebe que o rapaz está dormindo. Ao tocá-lo para acordá-lo, Salim nota que labaredas de fogo estão saindo dos olhos do taxista. Por que?

O taxista é um Ifrit, trata-se de uma classe de Jinn – uma criatura da mitologia árabe famosa pela astúcia e o poder. Salim demonstra ser conhecedor de sua história e percebe que o rapaz fica aborrecido pelo seu povo ser apenas reconhecido por realizarem desejos. Após o desabafo, Salim o trata de forma igual e ao tocá-o novamente, os dois sentem-se atraídos. Por que?

Você pensa que os seres mitológicos não gostam de aliviar suas tensões em um encontro casual? O toque de Salim foi um convite friamente calculado para saciar seus desejos sexuais – inclusive foi muito bem saciado. Isso mesmo, foi uma cena carregada de nudes, sensualidade e erotismo. Foi a maior cena gay da história dizendo para todos: já que é para tombar, tombei.

Após essas pequenas doses de erotismo, Salim acorda e percebe estar sozinho no quarto. O seu amante casual sumiu deixando suas roupas e documentos. E o que ele faz? Assume a vida do taxista.

A sorte de Mad Sweeney não está muito boa, ou melhor, foi perdida. Depois de seus firmamentos não estarem se concretizando, ele descobre que tudo isso se deve por ele não estar com sua moeda da sorte. E o que aconteceu? Ele entregou a Shadow no bar por engano. Enfurecido por ter cometido tal erro, Mad Sweeney vai atrás de nosso protagonista para tentar recuperá-la. Porém o trajeto deverá ser realizado a pé.

Em Chicago, Shadow é comunicado por Wednesday que a missão do dia é roubar um banco. Percebendo a preocupação do ex-presidiário, Wednesday propõe que caso saiam ilesos do assalto, Shadow deveria confiar nele fortemente. Mais uma vez um acordo é firmado e desta vez o senhor estranho pede para que o nosso protagonista pense fortemente em neve. Sem entender, Shadow faz o que Wednesday pede e se espanta quando vê que conseguiu fazer nevar.

O roubo ao banco dá certo e Shadow pede explicações do que aconteceu, porém é interrompido por Mad Sweeney atrás de sua moeda da sorte. Após uma leve tensão, Shadow informa que a jogou no túmulo de sua esposa. Sem pensar, o duende vai até o cemitério e começa a exumar a sepultura de Laura e adivinha? Ele encontra o caixão vazio e perfurado pela sua moeda.

O que aconteceu com o corpo da Laura? Essa resposta só teremos semana que vem.

Só nos resta inserir em nosso portfólio das evidências, as informações do episódio de hoje e a cena de Shadow se deparando com Laura vivinha da Silva no quarto do hotel onde ele está hospedado – Que tal?

Lembra que no início perguntei se você estava atento aos detalhes de American Gods? Então você lembra dos sonhos que Shadow teve no primeiro episódio? Não? Então vou refrescar sua memória.

No primeiro episódio Shadow teve dois sonhos no vale dos esqueletos. O primeiro ele via uma corda com nó para enforcamento – o que aconteceu com os capangas do Technical Boy. E no segundo viu um búfalo com chamas de fogo saindo pelos olhos dizendo: confia!. Você se atentou que as chamas que saem dos olhos pertence a um Ifrit? O que será que um Jinn fará na vida de Shadow?

Vamos ver o que os deuses estão reservando para nós nos próximos episódios. Me conte nos comentários embaixo quais suas teorias, estou curioso para saber

Um forte abraço e até a próxima review.

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Paulo Adriano Rocha

    Que bom ver que alguém tá fazendo review dessa série aqui. É uma das maiores surpresas do momento. Que produção acertada. Essas cenas de abertura são INCRÍVEIS. E essa de hoje foi uma sensibilidade e tanto. Depois de duas cenas tratando da morte violenta, tivemos uma morte tranquila e cheia de sentimentos. Só não entendi a do gato, já que Anúbis é um cachorro, lobo ou coisa do tipo.

    Agora, por que esse povo estraga tanta comida, heim? Pow, a comida da mulher lá tava pronta e ninguém comeu e os outros dois tão lá no restaurante com uma infinidade de comida (e eu aqui cheio de fome) pra um comer quase nada e o outro dizer que não quer comer… #Xatiado
    Parabéns pelas reviews.

    • Danilo Souza

      Olá Paulo Adriano, tudo bem?
      Que bom que você gostou da review. Realmente temos que dá os parabéns à produção de American Gods que vem com uma surpresa a cada episódio. Achei bem poética a cena de Anubis e muito bonita a justificativa de sua presença ali com a senhora.
      E quanto a comida…? Nossa, confesso que fiquei com água na boca de comer aquele jantar que ela estava preparando. hehehe…
      Quanto ao gato, eu entendi que ele pertencia a senhora, mas irei pesquisar para confirmar, tá ok?
      Continue acompanhando com agente American Gods. Um grande abraço.

Dandy Souza

Um libriano amante de um bom suspense casado com o belo terror psicológico, porque a vida precisa de emoções. Seu lema: "toda obra tem sua moral, então fique atento aos detalhes". Twitter: @dandysouza81


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu