Posts Populares

American Idol – S16E18 – Performance Finals

Finaleira em galera…

Olá pessoal, estamos aqui com a grande final do American Idol. Após uma temporada interessante, com ótimos candidatos e performances bem consistentes, temos o nosso top 3 formado por Caleb Lee, Gabby Barrett e Maddie Poppe. Os três concorrentes tiveram jornadas bem consistentes, com performances boas e que com toda certeza fizeram por merecer essa final. Para falar a verdade, pessoalmente para mim esse não era o top 3 ideal, mas de toda forma acho essa final muito digna, tendo em vista que os três sempre foram bem na competição, fora que eu gosto deles, então… kkkkk. Bom pessoal, indo agora para o que interessa, contarei com a ajuda das maravilhosas Luana e Tati para comentarem comigo essa final, então sem mais delongas, vamos aos vídeos. 😀

Caleb Lee Hutchinson – “Johnny Cash Heart” (Original Song)

Rick: Caleb para mim sempre foi muito consistente, sua voz se destaca muito dos demais e eu sempre afirmei isso, entretanto, há músicas que ressaltam essa parte da sua voz, e com isso vem só aplausos, mas infelizmente não foi isso que aconteceu aqui. A música é bonitinha, mas sua voz ficou em uma linearidade que nem seu timbre único conseguiu salvar. Achei sua interpretação meio estranha, meio “boneco de cera” (Sawyer feelings) e isso me desagradou muito. Infelizmente Caleb poderia ter feito bem mais, e digo isso avaliando também pelo estúdio da sua canção, que ficou igualmente linear. Essa música não tem cara de sucesso e acho que todos nós concordamos nisso né?

Tati: Olha, quando vi o estúdio, eu tinha gostado muuuuuuuuuuuito mais. Mas aqui me soou um pouco linear e acabei ficando entediada no meio da apresentação. Já falei aqui o quanto amo Caleb, mas não vou fingir que está tudo maravilhoso, quando não está e essa apresentação é exemplo disso. Vocalmente muito boa, como sempre, mas nada além disso. Sobre a música em si, achei um hino e muito bem construída pra ele, mas vamos colocar um pouco mais de vida aí, migo. Você é capaz.

Luana: Misericórdia, coitado. Caleb já entrou errado na música, e eu confesso que fiquei bem triste, pq já tinha ouvido o estúdio quando saiu e tinha curtido muito a música, tinha altas expectativas pra essa performance ao vivo, viu. Não chegou a ser um desastre, mas tudo ficou tão tenso desde que ele errou e sinto que ele mesmo ficou um pouco abalado. Poderia ter sido melhor? Muito melhor, mas não foi… Então é isso aí, shit happens.

Gabby Barrett – “Rivers Deep” (Original Song)

Rick: Isso sim cheira a sucesso! Eu amei muito a performance da Gabby, achei ela super segura e bem contente cantando sua própria música. Além disso, que música em… Eu adorei muito, achei muito a cara das músicas countrys de agora – vibes Maren Morris. Foi uma performance super segura, e que fez muito jus a toda a trajetória de Gabby no programa, ou seja, um encerramento da melhor maneira possível. Acho que com isso, ela deixou claro qual o tipo de música/estilo ela quer segui, o que mostra que de fato ela evoluiu bastante no programa, já que no início ela recebia muita crítica por parecer não ter uma identidade. Parabéns Gabby, tu arrasou molier!

Tati: Ai, ta aí o contrário do Caleb. Não tinha gostado tanto do estúdio da Gabby e no ao vivo foi funcionou MUITO MAIS. Primeiro que ela arrasa no palco, né? Segundo que parece que essa música era dela há anos. Achei diferente de tudo que ela já fez e esperava algo muito mais no estilo de Last Name, mas ela conseguiu tirar leite de pedra com uma música que não é à altura dela. Não foi melhor apresentação dela até aqui, mas foi legal.

Luana: Nossa, achei demais que essa performance evidenciou tudo de pior na voz da Gabby. Essa menina é uma puta vocalista, especialmente quando tem a chance de sair do country e explorar outros gêneros como o soul/R&B e dessa vez ela recebeu uma canção bem pop, logo, eu tinha minhas expectativas. Mas vou dizer algo aqui… Pra mim está claríssimo que faltou preparação, ensaio mesmo, nessa primeira rodada. Sei que muita gente acha legal o programa levar os finalistas pra suas cidades natais pra shows e entrevistas nessa última semana, mas isso é uma grande bosta. E sabem por que? Porque eles têm nada menos que TRÊS performances para preparar para a final, e cadê o tempo de ensaiar propriamente cada uma delas? Não tem. E depois não adianta juradinho vir reclamar “ai, essa rodada foi um desastre”, porque CLARO QUE FOI, eles mal tiveram tempo pra se preparar pra SEMANA MAIS CRUCIAL da competição e a culpa é de quem? É, né.

Maddie Poppe – Going Going Gone (Original Song)

Rick: Pelos estúdios das canções originais, eu havia ficado bastante na dúvida sobre qual foi a minha preferida, já que amo tudo (ou quase) que a rainha Maddie faz, e eu adorei muito a da Gabby. Com isso, decidi esperar as performances para eu dar meu veredito, e bem… Para mim Gabby ganhou essa, mas olha, foi por bem pouco viu. Eu super achei a performance de Maddie muito boa, e vejo sua canção original muito inspirada em Gone Gone Gone do Phillip Phillips, aliás, até o estilo dos dois eu vejo como bem parecido. A performance foi muito lindinha, super correta e Maddie estava tão confortável mostrando o seu trabalho que me deixou encantado. Para mim isso só mostra o quão única e encantadora essa moça é, e com isso desejo muito sucesso para ela (quero vários hinos e álbuns para a gente apreciar). <3

Tati: Country ficaram um pouco a Maddie ou foi impressão minha? Felizmente minha bebê original deixa tudo do jeitinho dela e eu vi a identidade da Maddie nessa música, apesar de não ser tão a cara dela. Eu gostei muito, apesar de também ter achado um pouquinho linear, mas acho que isso deva ao próprio arranjo. Eu gostei muito da vibe da letra e Maddie conseguiu passar isso de um jeito bem fofo e leve. Foi mediano também, mas esse primeiro round não foi grandes coisas, né?

Luana: Maddie é um anjo, né gente?! E eu já decidi aceitar que essa primeira rodada não teria salvação, não teve preparação de acordo, gente. Mas enfim, tirando o fato de tudo ter sido quase que improvisado para todos os 3, Maddie foi a que melhor conseguiu desenrolar sua música. A batidinha é bem gostosinha e casou bem com a personalidade dela, bem leve. Passou longe de ser um dos highlights da jornada da Maddie, e tá na cara que isso é um descarte lá de 2013, mas foi a melhor dos três e merece créditos por isso.

Caleb Lee Hutchinson – “Don’t Close Your Eyes” (Keith Whitley) – Reprise –

Rick: Viram como uma música faz toda a diferença? Reprisar essa canção que valorizou muito o timbre tão bonito do Caleb foi muito esperto, e a falta dessa suavidade que mescla com sua voz, para mim foi o que acabou sendo ruim na performance anterior. A parte onde não há banda, e sim só sua voz e o violão foram as melhores e mais belas partes da apresentação, ele estava tão confiante quanto antes e também achei que sua interpretação foi bem mais singela. Enfim, foi um performance muito boa e agora sim o Caleb se recuperou nessa final. Obs: Ele geralmente arrasa em canções desse estilo, mas acho o timbre de voz dele daria para cantar uns rock show também, vocês não acham? hahahaha

Tati: Ai, gente! Eu não dou conta do Caleb! Ele TODA semana que tem duas músicas me faz criticar na primeira, mas me faz vir totalmente rendida na segunda, pois ele sempre faz melhor. Don’t Close your eyes está bem longe de ser algo tão emocional quanto “When Doves Cry”, mas foi uma apresentação muito lindinha e deu pra perceber que ele estava bastante conectado com o que estava cantando. Essa música é linda e combina demais com o timbre maravilhoso dele.

Luana: Que diferença, né mores! Claramente, Caleb estava bem mais confortável com essa canção e conseguiu interpretá-la de uma forma muito bonita. É um clássico country, uma ótima escolha pra reprisar e ele se saiu muito bem em todo o resto. Eu curti muito e me fez lembrar do porque eu gosto tanto dele, o timbre é muito lindo mesmo, ainda que ele não seja o melhor vocalista dessa finale. Eu adorei sim!

Gabby Barret – “Little Red Wagon” (Miranda Lambert) – Reprise –

Rick: Olha, primeiro eu preciso dizer que estou chocado com a rejeição que essa performance está sofrendo. Uma performance repleta de atitude e bons vocais, e recebendo hate dizendo que não foi nada original… Como entender isso? Para mim é o velho caso do machismo velado das pessoas, pois olha, para mim não há nada para se criticar aqui. Ela pode até parecer uma “cópia” de alguém, seja Carrie, Miranda ou whatever, mas que ela mandou muito bem nessa performance (COPIANDO OU NÃO) isso é inegável. Felizmente estou aqui para enaltecê-la e dizer que amei muito todo o poder, confiança e alegria que Gabby passou durante essa apresentação/reprise, sua interpretação foi muito bacana e levantou muito o meu astral. Mesmo sabendo que haviam músicas melhores para ela reprisar, Gabby não passou nem perto de ter feito feio, e foi muito bem em todo o contexto.

Tati: Eu queria muito essa reprise, mas não foi eu que pedi essa minissaia que, na minha opinião, deixou a Gabby muito contida. Eu adoro quando Gabby anda pelo palco, super à vontade, linda e dona do palco e isso não aconteceu aqui da forma como deveria. Me dói falar isso, mas é impossível não comparar com a primeira apresentação, que foi um pisão. È final, minha gente! As escolhas devem ser mais inteligentes e se você vai reprisar algo, eu acho que isso deve ser, no mínimo, na mesma qualidade. Não foi ruim, mas fiquei esperando mais, pois Gabby pode muito mais.

Luana: Gabby, por que se matou?! No papel essa já era uma PÉSSIMA escolha de reprise, mas no palco… Nossa, que grande desastre. Eu fiquei me perguntando se ela estava bêbada ou com algum tipo de dor?! Nossa, gente. Não consegui entrar nessa performance não, viu. Ela cantou notas incríveis, isso é verdade, mas todo o resto foi difícil demais de engolir. Gabby já vai em sua 2ª performance, e o acumulado não tá bom não, viu. O 3º lugar vem, eu tô chorando.

Maddie Poppe – “Don’t Ever Let Your Children Grow Up” (Original Song) – Reprise –

Rick: Ai meu Deus, que coisa mais linda!!! Primeiro que essa música é um hino, e eu amei que Maddie trouxe ela de volta. Segundo que dessa vez foi tudo ainda mais belo esse cenário bem simples, mas maravilhoso, e que combinou muito com a vibe da canção, e a interpretação da Maddie, ainda mais conectada e mais segura de si… Enfim, essa jovem é uma artista e tanto, é uma pessoa original e que merece muito fazer sucesso, pois hoje em dia o mercado está devendo muito pessoas de sucesso que fazem esse estilo da Maddie. Essa performance para mim confirmou que Maddie pode ser sim a campeã, e estou torcendo muito para que isso aconteça.

Tati: Foi com essa música que Maddie me ganhou de vez e eu estou muito feliz que ela escolheu essa canção pra reprisar. Essa letra é maravilhosa, incrível e representa muito bem a artista original que temos no palco. Eu amei a singularidade dessa apresentação e achei Maddie tão angelical. Sem dúvidas, a apresentação que mais me tocou até o momento. Foi daquelas apresentações que só me faz querer fechar os olhos e imaginar o quanto a vida pode ser mais bonitinha com anjinhos como Maddie.

Luana: E tem estratégia melhor numa semana extremamente agitada e com pouco tempo pra ensaiar, do que optar por reprisar uma original sua? Ainda mais quando é algo tão lindo e tocante quanto “Don’t Ever Let Your Children Grow Up”! Foi tudo tão lindo e tão simples, perfeito na medida certa, sabe?! Maddie foi a menos pior na primeira rodada, e simplesmente a melhor nessa segunda. Muito feliz pela minha anjinha, espero que suas chances de vitória tenham escalado montanhas depois desse combo, viu? Merece demais!

Caleb Lee Hutchinson – “Folson Prison Blues” (Johnny Cash)

Rick: Apesar de não ser exatamente o que eu estava querendo que o Caleb fizesse, foi bem divertido de assistir essa performance. Para mim ele saiu minimamente da zona de conforto dele, e fez um bom trabalho pegando uma canção mais agitadinha e colocando sua voz forte e grossa nos momentos certos. A canção também faz bastante o estilo dele (até porque é do Johnny Cash, parece familiar não é mesmo? hahaha), e ele conseguiu masterizar sua performance para ficar com sua cara. Fazendo somente uma criticazinha, acho que nessa canção seria melhor se Caleb tivesse ficado sem o violão, e assim ele poderia se jogar mais no público e dar um up ainda maior para a apresentação.

Tati: Morta que eu esperava algo ruim com essa música e fiquei surpreendida, pois foi algo mais divertido do que eu pensava. Assim… divertida na medida no possível, né? Pois até quando o Caleb tenta se soltar, o bichinho parece preso em algo, tadinho! Ele precisa urgentemente melhorar a simpatia dele no palco, sorrir um pouco mais. Não precisa ser nenhuma Gabby da vida, mas ele poderia ter se entregado mais nesse sentido. Mas mesmo assim, ele se esforçou e eu sei que isso é difícil pra ele, então eu aprecio mesmo. Preciso falar também que, em termos vocais, ele foi muuuuuuuuuuuuito bem! Amei como ele projetou sua voz nas partes mais graves.

Luana: Porque uma conoration song sobre Johnny Cash não era suficiente, Caleb decidiu que seu cover seria uma música do próprio também, haha! Mas olha, eu gostei demais, viu?! Pra mim foi FACILMENTE a melhor performance do combo do Caleb, e olha que a sua segunda já havia sido muito boa. Se não tivesse sido aquele erro da primeira rodada, Caleb estaria em uma posição bem melhor pra essa finale. Mas mesmo assim, eu acho de verdade que essa performance mostrou com todas as letras o porquê dele estar nessa finale. Ele é básico? Geralmente sim, mas quando momentos como esse acontecem, ele consegue demais destacar toda a nata de sua voz e de seu timbre forte e sai essas notas lindas e rasgadas aí óh… Reizinho!

Gabby Barrett – “Don’t Stop Believe” – (Journey)

Rick: MEU GLEE ESTA VIVOOOOOO!!! Amei a homenagem aos nove anos de estreia do Glee, Gabby hahahaha. Brincadeiras a parte, preciso dizer que essa foi sua performance da final que menos curti, apesar de novamente ela ter mandado muito bem na presença de palco e na voz, mas para mim a canção não combinou muito com seu timbre. Para mim, essa era a hora de fazer algo na linha de Ain’t No Way… Ela poderia ter trago um soul bem voltado para o country, como Once da Maren Morris, ou até mesmo algo mais ‘ousado’ como Girl On Fire, enfim, não foi de todo ruim, só não me cativou tanto como as suas performances anteriores, e acho que nessa aqui ela poderia ter feito muito mais.

Tati: Eu adoro essa música e não é pouco e que bom que ela caiu com a pessoa certa. Gabby pegou a essência da música, misturou com sua energia maravilhosa e pronto: entregou uma coisa linda de se assistir, que me deixou sorrindo do início ao fim. Amei a construção da apresentação e o momento que ela foi bater cabelo com o guitarrista. Coisa mais gostosa de se ouvir e uma das apresentações mais agradáveis da noite.

Luinha: Bixa, tu tava louquíssima na hora da seleção dessas músicas, foi?! Quando vi isso no papel, pensei “bom, ela deve ter preparado algo arrasador, porque isso é bem fora da caixinha”, mas eu não poderia estar mais errada. Gabby se auto sabotou demais e ela tem que ficar mais do que feliz de ficar em 3º lugar depois do desastre que foi esse combo de hoje. Eu fiquei esperando a música criar um “momento”, algo que justificasse a songchoice perdida… Mas não teve nada, foi só uma songchoice drogada no meio de um combo preguiçoso e totalmente equivocado mesmo. Gabby perdidíssima nessa finale, nem ela deve saber mais que tipo de artista ela é. Trágico.

Maddie Poppe – “Landslide” (Fleetwood Mac)

Rick: Os refrescos vieram <3 Maddie, muito obrigado por existir mulher, tu é muito maravilhosa e eu só tenho a agradecer por performances como essa. Essa apresentação foi exatamente a demonstração que Maddie provou ser durante toda a temporada, além de ter sido belíssima e muito simples, algo que já é a marca dela. Arrisco a dizer que essa foi uma das versões em reality dessa canção que eu mais gostei, achei que Maddie fez muito bem em sua voz, com inflexões lindíssimas e que combinaram muito com esse hino. Estou apostando todas as minhas fichas nessa moça para ganhar, e felizmente posso dizer que torci para ela desde o inicio, e por isso posso afirmar que ela merece muito ganhar, já que acompanhando sua trajetória de pertinho vemos que ela fez muito por merecer. VAI MADDIEEEEE #TeamMaddie.

Tati: Como eu esperei por essa performance e como eu estou grata que todas as minhas expectativas foram mais do que superadas. Que coisa mais maravilhosa foi essa, gente? Algo totalmente a cara da Maddie e diferente de tantas abordagens que a gente já viu por aí. O timbre dela me soou tão puro, assim como sua própria entrega, não é minha versão favorita dessa música, mas foi algo muito original e estou feliz com isso.

Luana: Campeã faz assim, né mores?! Essa não é só a melhor performance da noite, todas as 3 performances da Maddie foram as melhores de suas respectivas etapas hoje. Pra mim esses combos acabaram por deixar claríssimo a posição merecida por cada um dos três finalistas, e não há a menor dúvida que o prêmio máximo tem que cair nas mãos dessa princesinha aqui! Caleb mandou MUITO bem também, mas acho que a diferença entre os dois veio lá na primeira rodada, quando Caleb entrou errado e Maddie entregou o melhor que pôde com o que tinha. Caleb vencer não seria de todo injusto, mas só deixaria claro pra mim que o domínio country americano é muito pesado mesmo. Maddie merece vencer, e não só por essa performance, ou pelo combo de hoje… Merece por toda sua jornada e pelas constantes vezes que ela foi destaque nos episódios e brilhou mesmo com temas impostos, e até fazendo funcionar alguns bem fora de sua “lane”, como “Prince” e “Carrie”. Ela foi muito sábia e conhece sua voz com a palma de sua mão, por isso essa princesinha merece ser coroada, gente! Nem sempre a melhor voz vence, porque o que conta muito mais é o pacote completo, quem se conhece melhor, quem sabe se virar melhor com o que lhe é oferecido, quem é criativo o suficiente pra encontrar formas de se destacar numa competição tão acirrada. E acho que nessa caso, estamos falando da Maddie mesmo, né?

Aproveitando a linha de músicas originais que tivemos nesse programa, tivemos alguns retornantes para se apresentar hoje; Harper Grace com sua original “Yard Sale”; Jonny Breens (AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA MEU JONNY, EU ESTOU CHORANDO COM A PERFORMANCE DELE AAAAAAAAAAAAAAAAA CRUSH, VOLTA PARA MIM <3 <3 <3 ) com sua original “Blue Jeans”; Michelle Sussett com “Im a Dreamer” e Catie Turner (AAAAAAAAAAAAA CATIEEEEEEEEE <3 ) com a icônica “21st Century Machine”, deem uma conferida no vídeo, vale muito a pena.

E assim chegamos ao final da nossa review pessoal. O que acharam dessa final? Eu sinceramente achei que poderia ter sido melhor, mas ela não foi tão ruim assim, gostei de mais da metade das performances, então acho que o saldo foi positivo hahaha. Avaliando pelas apresentações de hoje, eu daria o terceiro lugar para o Caleb, pois acho que ele foi bem regular, mas poderia ter ousado um pouquinho mais, em segundo a Gabby, pois acho que na original e na reprise ela arrasou muito, com bastante atitude e vocais excelentes, mas pecou um pouco na terceira, e como ganhadora, minha querida e maravilhosa Maddie, que se mostrou ser uma artista muito original em suas três apresentações, além de ter uma voz incrível. Claro que essa é somente a minha opinião, mas qual é a sua? Deixem aqui nos comentários sua opinião sobre as performances e digam também quem vocês acham que irá ganhar essa edição. Deixarei abaixo as enquetes para vocês votarem nas apresentações de hoje, e finalizo aqui com agradecendo a toda a equipe do Idol e aos comentaristas de fora pela força que vocês deram nas reviews, obrigado seus lindos <3 Obrigado também a você que está sempre aqui com a gente acompanhando o programa. Nos vemos amanha para o grande resultado, até mais. 😀

 




gostou da matéria? deixe um comentário!

Ricardo Souza

Tem gente que diz que sou um amorzinho, eu digo que sou um trouxa. Viciado em maratonar séries e ficar na bad depois de assistir tudo em um dia. Amo muito música indie, quando quiser me chamar pra ouvir Florence já sabe onde procurar. Mineiro do interior que não puxa o 'r' quando fala, mas adora um pão de queijo.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu