Posts Populares

Bates Motel – S05E10 – The Cord [Series Finale]

Uma mistura do passado com presente, acenos do futuro, uma despedida épica foi realizada.

Bates Motel foi um daqueles dramas que não chamava muita atenção, teve seus fãs aumentando com o tempo aos poucos, no inicio alguns fãs do cinema e do filme Psicose vieram pela curiosidade, outros pela maravilhosa Vera Farmiga e alguns outros curiosos e viciados em séries como eu vieram porque a série tinha tudo para ser um sucesso. Bates Motel ao longo de 5 anos apresentou a construção de um personagem altamente complexo chamado Norman Bates vivido por Freddie Highmore e vivido também pela maravilhosa Vera Farmiga. Afinal quando você ouvir um Mother com aquele sotaque característico americano não será mais a mesma coisa.

Vamos relembrar as mortes que tivemos até agora?

Foram 50 episódios e várias mortes pesadas, diálogos marcantes e a construção do Psicopata mais famoso de todos os tempos foi feita. O episódio final aguardava o inevitável, o que aconteceria com Norman Bates? Morte com uma injeção letal? Ficaria internado em um prisão para detentos insanos? Fugiria? Seria morto por Romero? Restava aos produtores e diretores fugirem do óbvio e entregarem algo singelo e épico e isso que foi feito.

Logo nos 10 primeiros minutos tivemos a resolução de duas coisas muito importantes durante nossa jornada, a primeira foi a de Romero, finalmente ele se despediu de sua amada, a cena onde ele já que estava louco abraça o cadáver dela congelado é incrível, naquele momento já sabíamos o que estava por vir, uma reviravolta onde Norman mataria o padrasto, foi dito e feito.

Romero foi a última vítima de Norman!

O curioso vem logo na sequência, depois que Romero acusa Norman de ter matado a sua própria mãe vemos a despedida de seu outro lado, se é assim que podemos ver. Vejo esse momento como a passagem total do Norman que batalhava entre a lucidez e a Psicose para o seu lado apenas Psicopático. Norman está entregue totalmente a sua doença e as cenas seguintes forma de uma delicadeza incrível, afinal revivemos muito do piloto da série e de momentos de ternura entre Norman e Norma e sua chegada a pequena White Pine Bay.

O jogo de luzes utilizado com cores quentes para o passado feliz e um jogo de cores frias para o presente triste foi brilhante e contrastou demais em todas as cenas. Norman retorna ao Bates Motel, afinal foi onde nossa jornada começou e prepara um último jantar, veste sua mãe e ele realmente está mais insano do que nunca, e gente o que foram as expressões de Freddie Highmore? Norman parecia meio abobalhado e perigoso ao mesmo tempo, foi diferente de tudo o que ele tinha feito até aqui.

Ele resolve abrir o hotel mais uma vez, afasta todas aquelas faixas de cena de crime e curiosamente uma mulher com duas crianças aparecem para se hospedar no hotel mais perigoso de todo os Estados Unidos. Outra grande coincidência ela tinha um filho que se chamava Dylan.

Por falar em Dylan, podemos dizer que ele também cresceu demais como a série, tanto como personagem como ator, Max Thieriot virou um monstro atuando nesse season finale, ele estava profundamente abalado e sabia que seu irmão teria um fim trágico de uma forma ou de outra, quando vi ele comprando aquela arma eu já imaginei o que estaria por vir, mas pensei, será que ele seria capaz? Vimos um Dylan forte em muitos momentos da série, um Dylan capaz de matar, mas seria ele capaz de matar seu irmão, afinal ele ama ele e isso está muito claro.

Norman convidou o irmão para o jantar e após uma emocionante conversa com Emma, Dylan vai até o motel ao encontro de seu fim como parte da família Bates, afinal ali está seu último familiar. Ele despacha toda aquela família que caiu por ali por acaso e dei graças a deus, não queria ver aquelas crianças como vítimas de Norman e se dirige a casa e….

… fiquei chocado e enojado ao mesmo tempo, ver Norma ali como um zumbi digno de Game Of Thrones foi pesado, foi cruel, foi doloroso e a forma como ele reage é totalmente compreensível. Dylan sabia que seu irmão ali não teria mais chance de ser feliz e o seu discurso sobre o que ele queria foi de arrepiar, ele queria apenas que tudo fosse diferente, que Norman fosse feliz, que todos pudessem conhecer sua filha, sim meus amigos, esse moço de 24 anos que aqui escreve quase chorou de leve, mas não chorei!

O desfecho estava dado, mas do que se defender naquela cena, foi como se Dylan desse aquele tiro para libertar Norman e ele finalmente pudesse ser feliz encontrando-se com Norma seja em que mundo for, ele estava sofrendo e não suportava mais, por alguns momentos pensei que Norman fosse se matar com aquela faca, mas o que era necessário e correto ocorrer aconteceu, e assim encerrou-se o ciclo de Norman Bates,

Norman morreu na mão da última pessoa que se importou com ele, que lembrava dele como um humano e não como um serial killer em massa, ele teve seu final e acredito que a série acertou demais em fazer isso. Fora isso vimos os finais onde o Motel foi vendido quase de graça e novos donos assumiram. Dylan e Emma acertaram os ponteiros e vivem juntos e felizes com uma filha linda que me lembra em muito Norma.

E foi isso meus amigos! Encerro aqui esse ciclo de reviews de Bates Motel, uma série incrível e que acertou em cheio em praticamente tudo e fez uma última temporada de alto nível. Elogio aqui mais uma vez os atores que merecem EMMY, os produtores e até as pessoas que escolhem a trilha sonora que arrasou demais nesse final! Espero que tenham curtido o review e espero ainda mais que tenham amado esse final como eu! Até mais pessoal!

Está no ar o 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Bruno D Rangel

    Não consigo me lembrar de algum episódio que tenha sido ruim em toda a série. Foi um desfecho ótimo. Fiquei feliz de Norman ter morrido, feliz com destaque que Dylan teve no final (na primeira metade da temporada ele praticamente não apareceu) e feliz com o tudo o que aconteceu.

    De todas as potenciais vítimas de Norman, apenas Romero morreu. Madeleine, Dylan, Emma e a Xerife Greene sobreviveram e isso foi bom. A morte de Chick foi totalmente esquecida e o livro e as gravações serviram pra nada (achei que seriam utilizados). O Remo aparecer no final também achei um pouco aleatório, servindo apenas para mostrar como andavam os negócios da cidade, mas não prejudicou nada.

    Duas cenas maravilhosas (a despedida de Norma e o reencontro de mãe e filho) para fechar com chave de ouro a temporada e a série. Sentirei saudades de Bates Motel.

    • Lindomar Albuquerque

      Oi Bruno, realmente acho que a única falha foi não falar o que aconteceu com aquelas fitas e o livro escrito por Chick, afinal o corpo dele ficou ali após a saída de Romero, mas aparentemente ninguém encontrou então ficou essa pequena falha que podemos perdoar dado a qualidade da série hahaha!

      Concordo totalmente sobre o que vc falou do Remo, pra ser sincero essa cena teve zero importância pra mim tanto que esqueci de colocar na review hahahahaa!

      E sim, Dylan teve um destaque merecido nesse finale, ele merecia esse momento!

Lindomar Albuquerque

Canceriano com ascendente em Sagitário, ou seja UMA ÓTIMA PESSOA! Atualmente um louco que faz Doutorado e que já se formou em Química. Viciado em The Voice, séries e Indie Rock. Gosta de gastar o tempo que não tem para escrever sobre The Voice, The Flash, Bates Motel, Orphan Black, The Vampire Diaries e Westworld.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu