E Matt começa a dar passos cada vez mais largos rumo ao herói que sabemos que ele irá se tornar…

Com a Vanessa entre a vida e a morte, e a Karen confrontando Matt sobre o que ele Foggy estão escondendo, e o Foggy “na cama  com uma loiraça”,  o episódio começa relativamente em um ritmo lento…mas melhora.

No hospital vemos um Wilson Fisk tenso e em choque, devido aos acontecimentos do episódio anterior envolvendo a sua amada, enquanto Leland questiona Wesley sobre a capacidade de Liderar a organização.  Além disso, Leland tenta manipula-lo a acreditar que os culpados pelo atentado a vida de Vanessa é culpa dos japoneses.

De volta ao apartamento de Matt, temos agora o retorno da Claire, que enquanto trata seus ferimentos, dá um sermão quanto as atividades extras do vigilante. Eu particularmente acho que a química entre os dois funciona muito bem, ok, ela não é nenhuma Elektra , mas ainda sim curto a forma como os diálogos entre os dois fluem.1

Confuso, e com algum tipo de crise existencial Fisk passa então a desabafar e demonstrar um pouco dos seus medos a Wesley. Nesse momento percebemos o quanto os seus sentimentos por Vanessa podem tirar o seu foco. Vemos também a satisfação Wesley, pela forma como o seu chefe parece confiar nele.

Em busca de informações sobre a “armadura” que Fisk usava durante o seu ultimo embate, Matt enfrenta alguns obstáculos, e algumas lutas nas ruas de Hell’s Kitchen, até chegar a Melvin Potter (o vilão Gladiator nas HQs), e ter mais uma boa luta e novamente bem coreografada. Melvin parece desesperado com a presença de Matt na sua “lojinha”, isso por estar sendo chantageado por Fisk. Temos então mais um passo a frente rumo ao herói que esperamos ver até o fim da temporada. Vai dizer que você não está morrendo de vontade de ver logo Matt com a roupa do Demolidor?!

Karen está sendo atingida pelas desavenças ente Matt e Foggy, e mais uma vez recorre a Bem, novamente vejo nele algum tipo de figura paterna para ela, e essa relação entre os dois parece evoluir mais a cada episódio. Após a cena “pai e filha”, somos surpreendidos com Wesley sequestrando a loirinha, por ela ter ido visitar a mãe de Fisk. Confrontando Karen, Wesley faz ameaças e a confronta, ao mesmo tempo em que faz um marketing positivo de Fisk dizendo coisa do tipo “ele ama esta cidade tanto quanto a mãe” (hein?), e tentando convence-la a abandonar as investigações, além de convencer os seus amigos a desistirem também. Nesse momento, Karen toma uma atitude surpreendente que deve abalar muito a sua vida de agora em diante.

3

Entre altos e baixos, The Path of the Righteous, segue um ritmo mais lento, mas que vai melhorando no decorrer do episódio, e tem um final surpreendente. Confesso que não esperava a morte de Wesley, sempre achei ele (um puxa saco) com um bom potencial, na minha cabeça em algum momento ele iria se revelar um grande vilão e surpreender a todos, bem não foi o que aconteceu. O episódio também serve também para preparar o terreno para a season finale, é como se esse fosse o “começo do fim da temporada”.

leandro

Leandro Andrade
Leandro Andrade

Formado em Produção Áudio Visual e viciado em séries, Leandro é DCnauta de carteirinha, além de fã de lambada e cantor de karaokê de buteco nas horas vagas. E ainda tentando achar uma maneira de ficar rico.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: