Posts Populares

Dark – S01E04 – Double Lives

Quantas pontas soltas essa série ainda pode deixar?

Dark entrega um episódio com um foco muito grande na família Doppler, onde Charlotte começa a desvendar o mistério por trás da noite do desaparecimento de Mikkel, temos descobertas importantes sobre Peter, e um possível casal teen para ser shipado ai. Mas além disso, nenhuma peça do quebra-cabeças espalhado pela série começou a se encaixar. Na verdade, fez foi bagunçar ainda mais minha mente. Sem mais delongas, vamos para a review.

O episódio se inicia com a introdução de uma nova personagem: Elisabeth, a filha surda-muda de Charlotte. No início não dei muito por ela, mas nas cenas posteriores ela vem a se mostrar como uma personagem importante para a trama. Logo mais volto a tocar neste assunto. Descobrimos logo no início que Charlotte, e seu marido Peter, não dormem no mesmo quarto, o que me deixou com uma pulga atrás da orelha para descobrir o motivo. De toda forma, ambos ainda parecem se tratar com muito respeito, como marido e mulher mesmo.

Peter foi visitar seu pai no asilo, que ficava repetindo algumas frases desconexas e que não fazem sentido para nós (ainda). “Preciso falar com ele. Preciso falar com ele. Isso precisa parar”. Não consigo nem mesmo criar qualquer teoria em cima disso ainda, e pelo jeito nem seu filho sabe do que se trata. Enquanto isso, Charlotte leva Elli para o colégio, quando parou para pegar o cartão de memória de uma câmera que registra vida selvagem perto da estrada. Imagino eu que para conferir o horário do desaparecimento com o horário em que os pássaros morreram, para ver se tem alguma correlação.

Quando chega na delegacia e conecta o cartão no computador, Charlotte procura pelo horário do desaparecimento nas câmeras, e logo encontra um carro que passou no local aproximadamente em horário parecido, e, após conferir a placa, para a surpresa, tanto dela quanto nossa, era o carro de seu marido. Na cena seguinte vemos Peter batendo uma quantidade de terra vermelha acumulada no carpete do carro, e pelo visto, a mesma terra encontrada próxima ao corpo da criança morta. A série ta tentando vender ele como um possível suspeito, e por estar tão óbvio, acredito que ele não tenha nenhuma relação, talvez apenas estava no lugar errado na hora errada.

Charlotte ligou para ele no mesmo instante, perguntando sobre uma ligação ele tinha feito no dia do desaparecimento e que ela não tinha atendido. Ela ainda perguntou se ele ficou no serviço e até que horas, e ele respondeu que ficou até por volta das 22:00. Alguém foi pego na mentira, e só confirma minha ideia da série querer vender ele como um culpado.

Tão confusa quanto a gente, a policial procurou um travesti que faz programa, perguntando se o seu marido esteve lá na segunda-feira, e, depois de algumas colocações ousadas em uma tentativa de magoar a mulher, ele acabou por confessar que fazia um ano que Peter não ia lá. E agora eu volto lá no início, quando eles saíram de quartos diferente: será que foi por causa de uma traição? Será que Peter é gay, mas não assume por morar em uma cidade pequena? Altas teorias sobre esse relacionamento surgiram na minha cabeça.

Jonas, que encontrou os mapas, vai até as cavernas para tentar encontrar o “Onde fica o cruzamento?”, porém sem sucesso. Quando sai, encontra um pequeno pedaço de corda vermelha no guidão da sua bicicleta. Posso estar louco, mas me pareceu o formato de uma corda de se enforcar, em miniatura, e se for, é bem pesado, já que foi assim que o pai do garoto se matou.

Charlotte vai até uma casa que possui o sobrenome da família na fechadura, procurando por alguma pista, e logo de cara encontra a tão comentada terra vermelha. Ela abre a casa, mas não descobre nada, e vai então até uma espécie de porão na lateral do imóvel. O clima tenso me fez pensar por um segundo que ela encontraria aquele quarto azul nesse porão, mas antes que ela pudesse investigar mais, seu telefone tocou, e ela foi obrigada a ir até a Usina buscar Ulrich que tentou invadir as terras da empresa para procurar por seu filho.

Franziska foi até a floresta buscar um envelope que estava escondido. O que ela não contava é que estava sendo seguida por Magnus. Ela então volta para a escola, e, após um ensaio de ginastica, Magnus a coloca contra a parede, questionando como ela conseguiu aquele dinheiro (que estava no envelope), acusando-a de traficar. E é então que ela revela que está querendo ir embora da cidade, dizendo para ele que seu pai na verdade é gay, nos dando então aquela informação que questionei lá no inicio da review. Ela e Magnus começam a se pegar, como todos já imaginavam, afinal, a tensão sexual entre os dois ficou clara desde o primeiro episódio.

Charlotte pediu para Peter ir buscar a Elisabeth na escola, já que ela não poderia, mas a embuste da garota foi embora antes de alguém chegar. Só série mesmo, onde crianças tão desaparecendo, e a sonsa vai embora pra casa andando sozinha perto da floresta. Paciência né? Ao mesmo tempo que mostra a Elli saindo da escola, mostra Helge fugindo do asilo, e mil teorias já começam a passar pela minha cabeça. Esse velho sabe de muita coisa.

E como já era de se esperar, a garotinha sumiu. O pais começaram então uma busca incessante pela filha, e enquanto fazia o possível caminho dela para casa, Charlotte encontrou o gorro dela perdido na floresta, próximo à estrada. Temos então uma sequência de cenas soltas: Ulrich chegando em casa; alguém entrando na casa antiga com o sobrenome Doppler; Helge surgindo do meio da floresta e encontrando os policiais (que já estão procurando pela Elli, que eficiência né?).

E do nada, surge a garota novamente, como se nada tivesse acontecido. Disse que conheceu uma pessoa no meio do caminho chamado Noah, e que deu um relógio de bolso de presente para ela, dizendo que pertencia a mãe dela.

Na sequencia final do episódio temos o cara de capuz invadindo o quarto de Jonas e fazendo alguma coisa com os mapas, e voltando-os para o lugar onde estavam. Helge citando o nome de Noah também, falando que ele tem que parar. E Yasin, um colega de Elli da escola, que também é surdo-mudo, sendo parado por alguém no meio da floresta (QUE QUE ESSA CRIANÇA TAVA FAZENDO SOZINHA NA FLORESTA), e a pessoa fala que Noah o mandou.

E temos então outro episódio que deixa mais perguntas do que respostas. Qual o envolvimento de Peter (e a casa) com tudo isso? Quem é Noah? Por que Helge tem que pará-lo? Quem é a pessoa debaixo do capuz? O que ela escreveu no mapa de Jonas? E a mais importante (para mim) CADE A CARTA DO PRIMEIRO EPISÓDIO???

Ficamos por aqui com mais uma review dessa série que só da nós na nossa mente, e espero por soluções em breve. Mas, enquanto isso, fique ligado no nosso site, que logo logo teremos a review do próximo episódio. Até mais.

gostou da matéria? deixe um comentário!

João Pedro

Canceriano de 20 anos localizado no Mato Grosso. Fã de divas pop, porém viciado em muitas bandinhas indies também. Assisto séries e filmes em horário integral, e estudo Direito nas horas vagas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu