Posts Populares

Dear White People – S01E03 – Chapter III

Tudo que é bom tem seus momentos não tão bons…

Dear White People, o paneleiro Andy está de volta para falar com vocês um pouco mais sobre essa série, que apesar de ter o nome “Dear White People” foi completamente feita e pensada no meu povo, The Amazing Black People.

Desculpem os trocadinhos, eu adoro a ironia presente no nome dessa série. Bom, sem mais enrolação, vamos direto ao ponto…

O episódio 3 de Dear White People continua seguindo seu formato de um protagonista por episódio, que dessa vez é o gostoso  do Troy. Logo no início do episódio notamos que ele está concorrendo a presidência do campus e é filho do reitor da universidade, esse que é extremamente abusivo e rígido com o filho, querendo tornar Troy o primeiro presidente estudantil negro a todo custo.

Em meio a tudo isso, descobrimos um pouco da relação de Troy e o pai desde a infância e até mesmo que Troy e Sam já namoraram. Faltando pouco tempo para eleição, o reitor obriga Troy a fazer sua campanha pelo campus, conversando com todos os grupos de alunos e ele se sai muito bem com isso, nada mal para quem cresceu como ele cresceu, não é mesmo?

Logo o conflito de Troy é posto no episódio, será que ele é quem é, por gostar de ser assim ou por pura pressão do pai? Bom, eu vou falar sobre isso mais a frente. Como se não fosse pouco, os brancos da série lançam a capa de uma revista com conteúdo extremamente racista e isso se torna pauta na associação dos negros do campus, o que gera um conflito entre Troy e Sam, que tenta mostrar as falhas de Troy aos colegas, mas ele da um ponto bem interessante a ela, é melhor votar nele no que nos caras brancos que estão concorrendo contra ele, sorry Sam, mas eu não pensaria duas vezes antes de votar no Troy.

Bom, parece que nem mesmo o Troy pensa como eu, já que ele mesmo votou em um dos caras brancos, nesse momento eu passei a ter certeza que ele não está tão interessado nos planos que o pai dele tem para ele. Depois disso fomos introduzidos a professora de estudos afro-americanos e coordenadora, que também é lésbica! SQN, eu tinha notado que a professora olhava diferente para Troy e ainda enrola a namorada com o casamento.

Não demorou tanto para descobrirmos que Troy e ela tem um caso e é isso, ela é bissexual. Mas o que achei realmente interessante na relação dos dois foi o dialogo, ela parece ser a única pessoa que Troy realmente se abre, não é atoa, ela é mais velha que ele e, além de química sexual, rola um tanto de maternidade na relação de ambos e foi ai que eu notei que talvez minhas opiniões sobre se ele gosta ou não da ideia de ser presidente acadêmico, não é por ser uma coisa imposta pelo pai dele, mas por ser algo que ele não se vê na altura, e irmãs e irmãos, é muito fácil, nós, negros, cairmos na ideia ultrapassada que a sociedade impõe sobre a gente de que não somos capazes de sermos os melhores no que queremos ser, esse foi o ponto alto do ep pra mim, quando ele fala a sua amante que gosta de fazer o que faz e ela mostra a ele que ele está se pondo para baixo e não deveria fazer isso.

Um pouco antes de descobrirmos do caso amoroso secreto de Troy, ele encontra com um amigo de infância e branco, que por acaso é o mesmo que publicou a capa da revista racista, eu revi a cena dos dois, mas não lembro do nome desse carinha e o motivo de eu estar querendo saber o nome do carinha, é que um ponto desse episódio ficou bastante vago para mim. No final do ep Troy recebe uma imagem de um tal de Kurt o chantageando com a foto dele e da professora, mas eu não sei se esse Kurt é o mesmo amigo de infância escroto dele, que pede a ele um cargo social. Talvez isso pudesse ficar mais explicito na série ou talvez eu seja muito desligado mesmo.

Bom, eu acredito que esse tenha sido um episódio de nível mais baixo que os dois primeiros, o Troy é gato, mas a história dele parece batida, já vimos isso em outras séries, quando você se propõe a dedicar um episódio para determinado personagem, é interessante ficar atento para não cair em clichês.

Gostaria de destacar a raiva que possui os alunos brancos desse colégio e como ela é real na nossa sociedade, é incrível como quando negros ou qualquer outra minoria decide não se calar mais diante do sistema cíclico que os oprime, deixa o opressor raivoso. E eu lhes digo irmãos e irmãs que leem esse post, isso não é oprimido querendo se tornar opressor, é oprimido cansado de ser maltratado pela sociedade, não, não devemos nos calar e pior ainda, minhas caras gente branca, vocês não devem querer nos calar agora que nós temos poder de voz, vocês fizeram isso por anos, não tentem cometer o mesmo erro novamente, dessa vez a gente não vai permitir. Eu sei que é muito difícil reconhecer nossos privilégios, mas eles existem e a existência deles contribui para um sistema falido e racista, portanto, escute e tente entender o mínimo.

Chega a ser irônico o boicote que os brancos tentaram dar na série quando o trailer saiu, pois é justamente sobre esse tipo de comportamento que a série fala e por isso ela é tão importante.

É isso, um grande beijo e até a próxima!

Está no ar o 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Andy

19 anos, pernambucano da peste, estudante de Radio, TV e Internet da UFPB. Sagitariano com asc e vênus em aquario, lua em câncer! Signo importa sim! Amante e consumidor massivo de cultura pop, além de problematizadora. Amém Rihanna, amém Katy Perry! Bjxxx de luxx


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu