Posts Populares

Dear White People – S02E06 – Chapter VI

“AltIvyW” é descoberto, e não é ninguém que imaginávamos.

No segundo episódio sobre o Lionel nessa temporada, descobrimos que ele tem uma semi-obsessão por sociedades secretas desde que entrou na Universidade, e que vê pistas delas em todos os lugares. Ele acredita que essas sociedades estão por trás do atual caos na Winchester, causado em parte pelo troll racista denominado “AltIvyW”.

Os trolls vêm para a vida real quando penduram uma banana na porta da Sam escrita “vadia” (“bitch”). Achei muito legal que quase todos os personagens ficaram com a dúvida de se esse “bitch” seria de forma ofensiva ou “biiiitch”, de forma respeitosa. Como veio acompanhada de um símbolo racista, porém, não há dúvidas do que a pessoa quis dizer com “bitch”.

Foi muito bom ver Brooke e Lionel finalmente tentando colocar as diferenças de lado por um bem maior, que é investigar e descobrir quem é o troll para publicarem no The New Independent, novo jornal que eles pretendem criar depois que o Independent foi fechado. Brooke teve, então, a ideia de descobrir quem capturou a Sorbet e deixou aquela mensagem com letras recortadas para chegar ao troll, o que eu achei totalmente sem noção, para falar a verdade. Conforme descobrimos pouco tempo depois, literalmente qualquer um poderia ter sequestrado a cachorrinha, porque todo mundo meio que detesta a Kelsey ou gostaria de fazer isso como forma de zoação, que foi o que o Al fez. Nem tudo que atinge pessoas negras é um crime de ódio, as vezes é só um crime comum mesmo.

Já a ideia do Wesley (novo crush do Lionel), por outro lado, de hackear o perfil do AltIvyW, foi ótima. Mas apesar da boa vontade do Reggie de ajudar, acabou não dando certo. No fim, o Lionel acabou descobrindo a identidade do racista pelo meio mais comum possível: viu no computador do Silvio. GENTE??!??!?!?!??!

Eu confesso que desconfiei de que poderia ser ele desde que o Lionel quis criar o The New Independent e ele começou a ignorar todas as ótimas ideias de investigar o troll ou cobrir o descontentamento dos negros do campus. Porém, descartei essa ideia porque ele mesmo se autodeclara um mexicano-italiano gay, ou seja, tanto uma pessoa de cor quanto uma pessoa LGBTQ, o que na minha cabeça faz com que não faça sentido ser preconceituoso porque essas pessoas sentem na pele o preconceito todos os dias, certo? Errado.

Me lembrou muito o posicionamento do Kanye West (rapper negro) recentemente, apoiando o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o Chance The Rapper (outro rapper negro) apoiando o Kanye, dizendo que “pessoas negras não têm que ser democratas” (partido oposto ao do Trump). Concordo com isso, pessoas negras podem ser o que quiserem, mas entre ser, talvez, republicano em termos econômicos ou até sociais, e ser pró-Trump, existe um abismo enorme, considerando que o próprio partido não gosta muito do cara, que é abertamente misógino, racista, entre outros adjetivos.

Mas voltando à série, os motivos que o Silvio apresentou foram basicamente três: que quando ele começou com aquele Twitter falando algumas “verdades”, ele começou a receber mais likes do que qualquer coisa que ele postava no Independent; que ele ser gay e de ascendência mexicana não quer dizer que ele tem que ser de esquerda; e “liberdade de expressão”. Claro que, pra ele, liberdade de expressão quer dizer poder ofender os outros e chamá-los de macacos, como se agredir as pessoas que pensam diferente de você fosse a mais pura forma de democracia.

Me fez sentir saudades dos tempos em que lutávamos contra a Pastiche. Pelo menos eles tinham alguns limites e sabiam que eram problemáticos.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Isabella Oliveira

Poderia estar matando ou roubando, mas provavelmente levaria pouquíssimo jeito para a coisa, daí eu faço Direito. @brockhxmptxn no Twitter.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu