Posts Populares

Especial: Big Little Lies – O Veredito (Sem Spoilers)

Muitos prêmios, mas e aí?

Se você é um seriador daqueles que tá ligado nas séries do momento, com certeza já ouviu falar de Big Little Lies, minissérie da HBO baseada no livro homônimo de Liane Moriarty. Big Little Lies foi uma das grandes vencedoras do Emmy 2017, levando pra casa nada menos que 5 Emmys, incluindo Melhor Direção em Minissérie, Melhor Atriz em Minissérie e ainda Melhor Minissérie. Então, vamos falar um pouquinho sobre a série em si.

A arco principal da série gira em torno de 3 amigas, mães, que moram em Monterey, na Califórnia. Jane, Celeste e Madeline são mulheres fortes que têm que enfrentar toda uma sociedade local, que julga suas ações, além de ter que lidar com seus problemas pessoais. A série trata temas como bullying infantil, violência doméstica, estupro, dentre outros, o que nos leva até o próximo tópico. Antes, você pode conferir o trailer da série abaixo.

Com 7 episódios de cerca de 50 minutos cada, Big Little Lies traz uma mensagem muito direta pra seu público: as aparências enganam. E isso pode ser baseado nas nossas 3 protagonistas, uma vez que todas sofrem mais do que aparentam. Embora essa mensagem seja muito presente ao longo de toda a série, não pode-se deixar de destacar a falta de habilidade na construção de certos personagens. Jane e Celeste são exemplos claros da falta de zelo dos roteiristas.

Primeiro que não sabemos nada do passado de Jane, exceto o que ela confidencia para suas amigas, que é muito pouco. Fica difícil entender a personagem, seu sofrimento, suas dificuldades, suas motivações. O mesmo ocorre com Celeste. Apesar do problema principal que cerca a personagem, em diversos momentos vemos ela declarando que já tentou buscar ajuda junto com Perry, mas por que ela apenas escutou os apelos de uma terapeuta que acabara de conhecer? Mais uma vez, sinto falta do passado da personagem, da presença de sua família, assim como a de Perry, pra justificar todo o arco presente nesse núcleo. Infelizmente, tivemos muitos trechos dos episódios em que vimos coisas irrelevantes, enquanto todas essas dúvidas poderiam ter sido sanadas em alguns diálogos, se bem construídos.

Mas nem tudo são erros. A direção da série é maravilhosa, com enquadramentos de tirar o fôlego e uma fotografia magnífica, que faz jus à beleza real de Monterey. E o que falar do elenco? Nicole Kidman, Reese Whiterspoon e Shailene Woodley dão vida à Celeste, Madeline e Jane, respectivamente. Sem falar nos maravilhosos Alexander Skarsgård e Laura Dern, que também levaram uma estatueta do Emmy pra casa como ator e atriz coadjuvante. Todo esse elenco poderia ser um desastre, mas a direção ótima de Jean-Marc Vallée soube coordená-los e nos levar a um resultado muito satisfatório.

Imagem relacionada

Falando especificamente de alguns atores, gostaria de dar destaque pra Reese Whiterspoon e sua Madeline, que fizeram um trabalho incrível de conectar todos os núcleos da série. Impossível não dizer que Reese deu o sangue por Madeline, principalmente a esta altura de sua carreira, quando temos a atriz mais madura e levando tudo isso para a personagem, com seus dilemas pessoais, seus problemas familiares e, acima de tudo, sua hipocrisia. Tire um fim-de-semana pra ver a série e me diga se Madeline não é uma mulher hipócrita. Apesar de ser uma das líderes comunitárias de Monterey e dar pitaco na vida de todos, Madeline não sabe lidar da mesma forma com os problemas de sua vida e de sua família, levando-a a uma incoerência que fica nas entrelinhas de certos diálogos durante a temporada.

Resultado de imagem para big little lies madeline gif

Uma das surpresas da série foi a atriz Shailene Woodley, que dá vida a Jane, mas é mais conhecida por seus papéis nos filmes da Saga Divergente, em A Culpa é das Estrelas, e no filme Os Descendentes. Sinceramente, essa Shailene mostrou uma maturidade muito grande pra dar vida a sua personagem do que nos filmes citados. É fácil fazer uma personagem caricata, que tem marcas e fantasmas do seu passado, e transborda isso no seu dia-a-dia. Mas aí vem Shailene e mostra uma Jane que mostra nos detalhes o quanto ela é atormentada pelos acontecimentos de sua vida, de forma sutil, sem tornar-se forçado ou caricato. E foi nisso que Shailene me surpreendeu.

Resultado de imagem para big little lies jane gif

Por fim, a vencedora do prêmio de Melhor Atriz, Nicole Kidman, fez um trabalho irregular. Sou fã da atriz, mas preciso declarar que o roteiro que Nicole recebeu foi o que deu a ela este prêmio, e não sua atuação. O crescimento da personagem na série é notório, uma vez que Celeste começa a encarar seus problemas, mas não podemos deixar de destacar a falta de expressão de Nicole em certos momentos e cenas. Apesar disso, também temos momentos marcantes da atriz na pele de Celeste, mas que vão no caminho contrário do que disse sobre Shailene, uma vez que Nicole deixa os detalhes e nuances da sua personagem em segundo plano. Ela tem crédito, o prêmio foi merecido, mas poderíamos ter tido uma atuação superior aqui, ainda mais conhecendo Nicole como conhecemos.

Resultado de imagem para big little lies celeste gif

Os demais personagens fazem um trabalho muito legal, dando consistência para a série, com destaque para as crianças que interpretam Ziggy, Chloe e Amabella, muito expressivos e maravilhosos. Agora, não posso deixar de elogiar a atuação marcante de Alexander Skarsgård. Já o conhecia de True Blood, mas aqui ele fez um trabalho primoroso, trazendo à tona um personagem doente, nojento, e que grita a mensagem da série: as aparências enganam. Arrasou e mereceu seu Emmy.

Resultado de imagem para big little lies perry gif

Falando do roteiro da série, eu gostei. Tenho ressalvas, porém, como um todo, foi muito bom. Alguns episódios tivemos trechos dispensáveis, que pouco complementavam pro desfecho da temporada. Aliás, toda a construção dos depoimentos ao longo dos episódios, achei interessante, pois nos dava visões diferentes dos membros da comunidade sobre os personagens em destaque. O desfecho eu também gostei, apesar de discordar da escolha de personagens para ter papel importante nesse desfecho. Uma coisa é certa, o ocorrido serviu pra unir as personagens principais da série, e mostrou a força e poder feminino no que diz respeito a apoio e tomada de decisões importantes, mesmo que em momentos cruciais e que podem levar a consequências irreversíveis.

Antes de encerrar minha análise, não posso deixar de elogiar a trilha sonora da série. Comandada principalmente por Chloe, a série traz músicas maravilhosas de artistas como Alabama Shakes, Otis Redding, Fleetwood Mac, Frank Ocean e até Elvis Presley. A playlista completa e maravilhosa você acessa clicando AQUI.

Pra finalizar, minha dica é: ASSISTA BIG LITTLE LIES. Por mais que eu tenha tirado minhas conclusões, a série é bem gostosinha de assistir, o elenco é maravilhoso, e você vai poder tirar suas próprias conclusões. Os temas tradados pela série tocam as pessoas de forma diferente, e por isso não cabe a mim dizer como você deve reagir a cada momento da série. Apenas assista, aproveite a experiência, e, assim como eu, torça pra HBO não forçar a barra com uma segunda temporada. Apesar de querer muito, vamos deixar essa maravilha assim como está, que está muito bom.

“Minha vida não é perfeita, Madeline. Coisas ruins acontecem comigo. ”

Celeste Wright

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Nem tão complicado demais, mas nem tão simples assim: quebra-galho, colunista e seriador. Dificilmente atualiza o Banco de Séries, mas adora gongar as séries amadas pelo público. @gersonelesbao


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu