Posts Populares

Feud – S01E06 – Hagsploitation

Hum…

Depois de um episódio tão denso e cheio de emoções marcantes e memoráveis, tivemos um sexto episódio muito abaixo das minhas expectativas e que não agregou em muito para a história. Ele funcionou como uma especie de aqui se faz, aqui se paga, entendem? Ele serviu mais para mostrar um fracasso mútuo entre personagens tão importantes como Aldrich, Davis, Crawford e Warner. Eu não sei se vocês sabem, mas Baby Jane um filme, tão despretensioso e que tinha como objetivo alavancar a carreira de duas estrelas decadentes foi muito além disso, What Ever Happened to Baby Jane? contribuiu para a criação de um subgênero muito popular nos anos 60. O “psycho-biddy”, expressão pela qual  se caracterizava por retratar mulheres mais velhas atravessando surtos psicóticos ou em perigo iminente, sob a ameaça de algum mal. Esse gênero abriu o caminho para atrizes que brilharam no auge de suas carreiras como mocinhas e já não tinham a mesma facilidade de encontrar bons papéis depois dos 40. Grandes estrelas da Era de Ouro tiveram, em tais filmes de suspense/terror, seus últimos papéis de protagonistas. Depois de Baby Jane tivemos filmes como: a Maldade na Alma, Almas Mortas, A Dama Enjaulada, Fanatismo Macabro , Nas Garras Do Ódio, Espetáculo de Sangue, A Mansão dos Desaparecidos e Obsessão Sinistra. (Obrigado Wikipédia pela ajuda. Kkkk’) 

Talvez Bette e Joan não percebessem a real importância que Baby Jane teve, elas estavam tão focadas com o desejo de voltarem as suas épocas de ouro que não viram o momento histórico que estavam ocorrendo bem debaixo de seus olhos. Se elas tivessem colocado o orgulho ferido de lado, perceberiam que Baby Jane era a melhor forma de encerrar a carreira; “duas atrizes icônicas criam um novo gênero e abrem portas para outras atrizes”. Realmente essa séria uma ótima forma de se encerrar uma carreira se elas quisessem parar por ai, Joan e Bette nunca quiseram parar, elas queriam alimentar aquilo que era o combustível, a vida delas, elas não foram ensinadas a fazerem outra coisa, os filmes, o glamour, o reconhecimento, tudo isso era  o que mantinham essa duas na linha, sem isso Joan se tornava uma alcoólatra com sérios distúrbios emocionais e Bette uma senhora amargurada que afasta tudo e todos. Por essa razão eu entendo o motivo de Joan ter feito um filme tão secundário como aquele e de Bette mergulhar na televisão. Quando Aldrich surgiu com um novo Baby Jane para elas, de inicio até as próprias sabiam que o efeito não seria o mesmo e que talvez nem prendessem mais tanto a atenção das pessoas assim, mas, se ainda existia esperança e a chance delas voltarem a brilhar, porque não?

Joan foi o principal destaque dese episódio com alguns segredos revelados como a aparição de seu irmão a chantagem de uma suposto filme pornô que até então naquela época era uma interrogação se ela teria feito ou não, mas para mim o destaque mesmo ficou para a atuação impecável da Jessica naquela cena em que ela se descontrola e atira um vaso em Mamacita, a forma como ela conseguiu passar o descontrole de Joan e também a reação da mamacita, tudo foi muito bem feito e de uma forma muito magnifica.

Joan sabia que Oscar nenhum iria curar a sua frustração e no fundo ela sabe que sua vingança contra Bette não agregou em nada para a resolução de seu verdadeiro problema. Talvez o que Joan queria com esse segundo filme era reescrever uma história que poderia ter sido totalmente diferente se ela tivesse deixado de lado o seu egocentrismo e seu drama exagerado. Se ela tivesse sido um pouco mais realista, perceberia que seu maior erro foi ter se deixado ser engolida por Bette. O episódio acaba mostrando uma Joan mais consciente aparentemente e que aceitou a sua condição e sabe que talvez aquela seja sua última chance de fazer que algo realmente dê certo para ela.

Esse foi um episódio relativamente fraco, porém, tocou em aspectos importantes como por exemplo a vida amorosa de Aldrich totalmente defasada com sua esposa ou a pisada bonita que ele da em Warner. Acho que Feud chegou em determinado ponto que já não haverá mais grandes surpresas, mas fatos que ajudarão a amarrar a história de uma forma justa e coerente.

Está no ar o 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Eduardo

    Depois do 5o ep (o Oscar), daqui pra frente só veremos mais do triste fim de todos os envolvidos com Baby Jane. E como todos praticamente continuaram no mesmo lugar: Bette e Joan decadentes, Bob fracassando outra vez (o filme com Sinatra), Pauline ainda assistente, Jack e sua estupidez, Hedda oportunista até o alfinete do chapéu, a equipe tentando refazer Baby Jane… A única que evoluiu foi Mamacita, que esculacha Joan depois de ser atacada; ela é uma “serva” porque quer (tem sua própria agenda), não é uma vítima do contexto. E vai deixar isso bem claro daqui pra frente.
    E acho que teremos Catherine Zeta Jones novamente – ela substituiu Joan em “Charlotte”. Estou surpreso com CZJ, queria vê-la em ACS ou Feud 2.

    • Dam Souza

      Siiiim CZJ mesmo com pouco espaço roubou a cena, assim como Mamacita né? Aquela é digna de aplausos, ela provou que está com a Joan por piedade, mas se ela quiser ir embora ela vai sem olhar para trás.
      Edu (Posso te chamar assim?) Tu já pensou em ser um reviewer? Eu acho seus comentários tão coerentes sabia?

      • Eduardo

        Valeu, Dam. Também estou curtindo as tuas reviews de Feud.
        Quanto a ser um “colega de trabalho”, quem sabe?

        • Dam Souza

          Pense no caso e me procura ta? rsrsrsrsrsrs

Dam Souza

Baiano que tem caruru e vatapá no sangue, aquele que é o canto da cidade e só discute com quem entende de Inês Brasil.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu