Posts Populares

Grey’s Anatomy – S14E12 – Harder, Better, Faster, Stronger

Bem, amigos da rede ABC! Quem mais aposta que a Kepner vai ter um mental breakdown antes do final da temporada?

Começamos o episódio desta semana com a Kepner expulsando o Vik (intern que ela está secretamente pegando) da cama de manhã, e tivemos a indicação de que eles estiveram ocupadíssimos durante a noite/madrugada. Go, Kepner! Porém, essa nova atitude dela provavelmente vai ser seguida de um breakdown, porque comportamentos destrutivos a gente já enxerga de loooonge nessa série. Nenhuma novidade aqui.

April tem bastante bom gosto!

Quanto ao plot principal dessa semana, o concurso dos cirurgiões, eu estou amando tudo, menos a paciente do Karev e da Amelia (Kimmie). Talvez eu esteja sendo muito sem-coração, mas desde o momento em que aquela menina começou a querer se aparecer no corredor cantando já odiei. Isso aqui não é o The Voice Versão Chata. A cirurgia para o concurso que os médicos acabam inventando é uma forma de ultrassom guiada por ressonância magnética que verifica a “frequência” de um tumor para que os cirurgiões possam usar uma frequência igual de ultrassom para poder eliminar o tumor sem cortar o cérebro. Amamos! O que estraga é esse plot RUIM do casalzinho Andrew e Sam. Os dois são péssimos atores, com personagens chatíssimos e irrelevantes, e podiam sair da série juntos para serem felizes para sempre em outro hospital (perdoem a amargura).

O paciente da Meredith, Harry, por outro lado, era um amorzinho. Fiquei bem triste que ele pôde inspirar parte da ideia da Mer para o concurso (basicamente, fazer com que pequenos fígados possam crescer dentro do paciente para que eles substituam o fígado original, que parou de funcionar), mas não viveu o suficiente pra ela poder contar a ele o quanto ele potencialmente ajudou a salvar vidas de pessoas como ele e o Richard: pessoas que tiveram a coragem de enfrentar um vício.

Jackson, Catherine e a Dra. Michelle Velez se juntando pra fazer aquela cirurgia tão relevante para a comunidade trans hoje quase me trouxeram lágrimas de orgulho dessa família. Gosto de Grey’s assim, bem #militante. Pra quem não lembra, a cirurgia consiste em usar o tecido do peritônio (um tecido que reveste os órgãos internos) para melhorar a já existente vaginoplastia, pois o peritônio é um tecido que se autoregenera, é elástico e também possui capacidade de se autolubrificar, sendo assim o tecido perfeito para moldar ou reparar vaginas. Sim, temos dois personagens trans na série ao mesmo tempo, um homem e uma mulher. Estou me tremendo toda de alegria!

A ideia da Bailey (que quase fez com que ela fosse acusada de assédio sexual), é de um dispositivo que facilita hidrocolonoscopias, que são dolorosas e inconvenientes para pacientes, e que também, com o tempo, acabam afetando os médicos, que têm que ficar em posições desconfortáveis para fazer o procedimento.

Maggie e Richard dançando e tendo ideias juntos foi a coisa mais linda. Maggie, eu te venero. A ideia dela para o concurso é uma forma de carregar aqueles dispositivos de coração (LVADs) através da pele, em vez dos cabos normais que são utilizados hoje, e causam diversas inconveniências. E a do Richard é uma espécie de caneta-varinha que é capaz de identificar durante uma cirurgia qual é o tecido saudável e qual é o tecido tumoroso (essa é uma das minhas favoritas pra ganhar a competição, tomara que dê certo!). Felizmente o novo namorado da Maggie é muito legal, mas acho que eles não vão durar juntos porque Jackson Avery é Jackson Avery.

Enquanto isso, Arizona continua triste devido à sua paciente que morreu no penúltimo episódio (a esposa do ex-noivo da April, Karin). Muito complicado que ela ficou discutindo o caso com a Kepner, que também estava se sentindo super mal por se sentir culpada, mas em nenhum momento se preocupou com o quanto ela estava sofrendo. Porém, todos esses questionamentos foram frutíferos, e a Arizona começou a pensar em um procedimento que salve a vida de diversas mães que morrem durante ou logo após o parto por complicações curáveis. E ela vai fazer isso na companhia da Carina, nossa italiana favorita. Espero que elas não terminem e acabem com um projeto incrível desses!

E o Owen, como sempre, só se lasca nessa série: não levou seu projeto sobre coagulação adiante porque precisaria de um polímero patenteado, e a Carina claramente já cansou dele e decidiu voltar pra Robbins. Um personagem mais sofredor que esse, bixo? E mais vergonha que o Owen, só a Dahlia passou (aquela intern que usa um hijab). Eu, pessoalmente, entendo completamente ela dizendo pro Jackson que ele é lindo sem querer.

E eu fiquei tristíssima que uma das ideias mais legais, a da Amelia e do Alex, não foi selecionada pro concurso, sendo que provavelmente a ideia muito menos interessante/importante da Bailey foi. Mas já estou ansiosa pra saber como a Meredith vai desenvolver a ideia dela considerando que tudo baseia-se em uma patente caríssima. A patente é de um europeu, e eu logo imaginei Cristina Yang ressurgindo das cinzas pra ajudar no projeto, já que ela trabalha atualmente naquele continente. Mas resta aceitar que não vai acontecer.

 

Esse episódio não foi um dos melhores, mas foi importante pra dar fundamento a todo o resto que ainda vai acontecer nessa temporada. Até a próxima resenha, e fiquem com a promo do próximo episódio abaixo, que vai estrear dia 01 de março de 2018 (o episódio em que vai ser introduzida a trama do novo programa da Shondaland sobre os bombeiros!) 😉

gostou da matéria? deixe um comentário!

Isabella Oliveira

Poderia estar matando ou roubando, mas provavelmente levaria pouquíssimo jeito para a coisa, daí eu faço Direito. Só peço humildemente que vocês me xinguem/discordem de mim no post do PDS e não na divulgação do Facebook, porque lá eu esqueço de responder :) @brockhxmptxn no Twitter.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu