Posts Populares

Grey’s Anatomy – S14E18 – Hold Back The River

Frustrações por todo lado.

O principal acontecimento dessa semana foi a nova chegada de Ollie, sponsor (companheira de sobriedade) do Richard ao Grey Sloan. Ela já havia ido ao Hospital há vários anos, mas agora está com novos problemas de saúde e, dessa vez, não está interessada em novas maneiras de ser salva. O DNR (não ressuscite, em inglês) sempre mexe muito com os médicos, porque como a Meredith disse no seu discurso desse episódio, os médicos se esforçam todos os dias, o dia todo, para lutar contra a correnteza da natureza e impedir a quase qualquer custo que as pessoas morram. Nem imagino como deve ser difícil para uma pessoa ter que ver um parente ou amigo próximo não querer nenhuma medida extraordinária para que sua vida seja salva, porque com certeza deve dar aquela sensação de que você não fez tudo que podia para o bem do seu ente querido.

No caso do Richard, tudo se complica mais porque a Ollie vem acompanhando o Richard há mais de 20 anos, ajudando a impedir que ele saia dos trilhos e volte a beber, então esse com certeza vai ser um teste à resiliência e força de vontade dele caso ela realmente venha a falecer (que é, inclusive, o que ela mesma quer).

O caso da Kimmie nunca me tocou muito porque acho a personagem muito chatinha, mas a tristeza e empenho do Karev pra salvar a menina são bastante comoventes. Novamente ele quase agrediu uma pessoa (o Koracick) porque não sabe lidar bem com seus sentimentos, o que é inadmissível, mas todos sabemos como é difícil deixar de cometer erros que cometemos literalmente a vida toda. Achei, inclusive, muito sensata a atitude do Tom e da Amelia de não tentar o procedimento que fizeram no Noah (menininho que sofria, pelo que entendi, de pequenas convulsões cerebrais que causavam uma risada incontrolável e degeneravam o cérebro toda vez que aconteciam) na Kimmie, porque o caso dela é muito mais avançado e complicado, e a probabilidade de que eles acabem fritando o cérebro dela sem querer com o laser é enorme. Melhor ela aproveitar o resto de vida que tem e, infelizmente, deixar a natureza seguir o seu curso em vez de causar mais sofrimento.

April voltou ao normal, senhoras e senhores! AMÉM (LITERALMENTE)! Achei muito bonito ela se desculpar com as pessoas que ela pode ter machucado enquanto estava passando por seu momento difícil, e retomando sua vida como antes. Porém, acho uma inconsistência da série que ela tenha falado com a Maggie e causado todo aquele rebuliço sobre “atacar” o Jackson, sendo que todos sabem que esse hospital é um terreno mais do que fértil pra fofocas. Vocês acham mesmo que, com a Maggie e o Jackson se pegando por todos os lados, inclusive elevadores, e com o Richard e a Catherine sabendo sobre isso e conversando sobre o assunto nas salas de cirurgia, etc., que a esse ponto TODOS os funcionários não estariam sabendo desse namoro? É ÓBVIO que estariam, nós lidamos com rumores espalhados pelo hospital desde literalmente a primeira temporada. Mas continuando, como o ser humano iluminado que é, acredito que a Maggie vai superar com facilidade o fato do Jackson não ter contado a ela sobre o incidente com a April considerando que não houve um sentimento correspondido.

Continuo tendo zero por cento de sentimento sobre toda essa questão da Meredith com o polímero e a Marie Cerone, mas fico feliz que tenham conseguido manter um dos ratos vivos porque isso indica que esse plot chato do concurso está mais próximo de terminar. Mas seria interessante se consequissem usar a ideia dos mini-fígados para salvar a Ollie (caso ela queira, claro).

Alguém mais ficou angustiado com a história do médico que dava quimioterapia para mulheres que não precisavam disso????? Que absurdo! Com certeza já devem ter feito alguma coisa desse tipo no mundo, mas mesmo assim me deixou bastante chocada. Quando ele fez o ultrassom na Arizona e apareceu a massa no seio dela, já logo pensei: “PRONTO, é HOJE que introduzem que ela vai morrer de câncer e por isso vai sair da série”. Já comecei a chorar no mesmo momento, mas ainda bem que era mentira daquele charlatão. Fora o SUSTO que tomei quando o Owen foi pra cima do homem e a polícia chegou, mas felizmente tinha sido ele mesmo que tinha chamado. (Vocês também acharam que o médico fajuto parece o João Dória ou é coisa da minha cabeça?)

E sobre a Teddy não querendo mais saber do Owen: ESTÁ CERTÍSSIMA ELA. Sem mais.

O episódio foi muito bom? Não. Não vi grandes avanços em termos de plot, e essa temporada está sendo a que está com a nota mais baixa no meu Banco de Séries. Pra vocês terem como parâmetro, atualmente a minha nota para essa temporada está em 8,97 (o que pra mim é uma nota baixíssima), e a temporada que eu avaliei melhor foi a 11ª, com média 9,58. Mas a vida tem que seguir, né, mores? Confesso que não vejo a hora de chegar nos episódios finais da temporada para alguns desses plots mais chatos terminarem e os personagens acharem um rumo na vida, porque isso não está tendo.

Segue a promo do próximo episódio, “Beautiful Dreamer”, em que um dos interns vai ter um problema com a imigração, ou seja, mais um episódio #militudo do jeito que a gente gosta:

gostou da matéria? deixe um comentário!

Isabella Oliveira

O que eu queria mesmo era ser uma blogueirinha recebedora de mimos, mas enquanto esse sonho não se realiza eu estudo Direito na PUC-SP. Eu diria que minha autoestima é muito alta, mas aí diriam que é porque sou leonina e eu não acredito em signos. Também já me disseram que não acreditar em signos é coisa de leonino. @causeshxsdead no Twitter.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu