Posts Populares

Gypsy – S01E08 – Marfa

“Quando você afasta alguém emocionalmente, é difícil reconquistar a confiança”

E mais uma peça vai surgindo do quebra-cabeça chamado Jean Holloway a.k.a Diane “Hart”. Sim, agora temos um sobrenome da segunda personalidade, ou quem sabe o principal, de nossa terapeuta misteriosa – afinal trabalhamos com nome e sobrenome. Só que dessa vez, temos como companhia Sidney que não está nem um pouco satisfeita em se expor e não saber quase nada de Jean/Diane.

Vamos logo para nossa review porque alguém resolveu chutar o pau da barraca neste episódio. Vamos lá?

O episódio inicia com Jean e Michael, o casal mais frio que shippamos, num evento da empresa de nosso advogado respeitador e ético. Por mais que os dois não estejam bem intimamente, existem protocolos diante à sociedade que precisam ser cumpridos, apesar de estarmos no século XXI – Fazer o que? Viver de aparências é uma questão cultural da maioria dos bens sucedidos. Não é verdade?

E como a política de boa vizinhança também é um momento propício para investigações, Jean coloca-o em prática assim que vê Alexis, a secretária que faz o tipo de todos. Uma despretensiosa conversa entre as duas é a chance de semear desconfianças que, por mais que elas não tenham acontecido, colaboram para uma tradicional discórdia. Nossa terapeuta descobre que algumas informações, até mesmo as simples, não são 100% compartilhadas por seu marido. Mas como Michael conhece a esposa que tem, corta logo a estratégia para evitar danos irreversíveis.

De volta ao lar, Jean e Michael estão sentados na pia da cozinha fumando um baseado. Sim, é interessante ver que ambos trazem para relação, algumas práticas que foram feitas recentemente – Michael com os amigos e Jean/Diane com Sidney. Os dois conversam de forma sadia e refletem sobre como seriam suas vidas se os dois não estivessem juntos. O casal tenta ter uma relação íntima, mas não conseguem ir adiante porque percebem que não estão conectados. Então a única solução é ir dormir.

Enquanto Michael está domindo, Jean/Diane está numa ligação com Sidney. A jovem inicia suas cobranças em não poder ter nossa escritora-fake dormindo com ela. Diante de tantas justificativas, a barista sedutora pede uma foto e pergunta o sobrenome de sua affair. Assim que tem seus dois pedidos atendidos, aparentemente despretensiosos, Sidney começa a pesquisar no site de buscas sobre “Diane Hart”, mas comprova que não há nenhum registro ou publicação de sua misteriosa paixão – aumentando mais a sua desconfiança. Só que desta vez, a barista sedutora é quem jogará as cartas – Sinto cheiro de treta no ar.

Na noite anterior, Jean Holloway a.k.a Diane Hart enviou à Sidney o endereço de seu apartamento, ao qual ela prometeu leva-la para conhece-lo. Desta forma, ela foi arrumá-lo para tirar todos os vestígios possíveis de sua personalidade de terapeuta. Neste momento, mais uma peça do quebra-cabeça é jogada. Descobrimos que aquele apartamento não é recente, uma vez que nos deparamos com a caixa de correio com a identificação “Diane Hart” – já temos a ideia que ela recebe correspondências há algum tempo com essa sua segunda personalidade.

Na terapia, sua paciente Claire conta à Jean que sua filha, Rebecca, está sabendo de suas melhorias e que estava gostando de seu progresso. Nossa terapeuta fica tranquila pela notícia, vendo que está dando certo sua intervenção na situação. Porém ela não contava que mãe e filha estavam dispostas a participarem de uma sessão juntas. Jean Holloway fica preocupada, uma vez que Rebecca a conhece como Diane e esse encontro seria uma catástrofe. Ela tenta fazer com Claire mude de ideia, mas sem sucesso. O único jeito é tentar resolver isso às escondidas, novamente.

Enquanto isso na empresa em que Michael trabalha, nosso advogado ético e respeitador é chamado para conversar com seu chefe. O seu superior afirma que há boatos na empresa que ele e Alexis, a secretária que é o tipo de todos, tiveram uma relação intima no Texas. Esse boato o deixa transtornado, uma vez que ele viu Alexis saindo do quarto de Scott. Michael confirma que não aconteceu nada e seu chefe acredita, mas nosso advogado fica pensativo e convicto de que algo deve ser feito para acabar com tal burburinho.

De volta ao consultório Jean é chamada para conversar pela amiga e colega de trabalho Larin Inamdar. Ela faz um feedback com nossa terapeuta sobre seu comportamento e pergunta se está tudo bem porque o seu comportamento está muito parecido com de seu ex marido, quando a estava traindo. Jean desconversa e diz que precisava rever as anotações antes da chegada de outro paciente, mas ao invés disso vai até a cafeteria para conversar com Sidney.

Jean/Diane e Sidney estão tendo seus momentos de casalzinho, nos fundos da cafeteria. Mais uma vez a barista sedutora afirma que continua não a encontrando na internet, nem em redes sociais. Nossa escritora-fake afirma que ela não gosta exposições e que não adianta que não irá encontrar nada, principalmente pelo fato dela ser uma jornalista freelancer. Fingindo que acredita, Sidney volta para seus momentos carinhosos e bate uma selfie delas duas se beijando, mas Jean/Diane exige que a mesma seja apagada de imediato. Sem entender a barista faz o que sua amada pede, porém aumenta mais sua desconfiança.

Michael vai tomar satisfações com Alexis sobre o boato entre os dois. A secretária que é o tipo de todos, afirma que ela não comentou com ninguém e não entende como surgiu a história. Muito aborrecido, nosso advogado ético e respeitador afirma que irá mudá-la de mesa e que o contato entre os dois será extremamente profissional – o negócio ficou pesado, né nom?

Enquanto isso, Jean encontra com Alisson, a paciente com problemas de drogas, e recebe a notícia que a garota estará abandonando a terapia de grupo, por não ter apoio de ninguém e precisar voltar a morar com seu namorado Tom. Para evitar que Alisson se entregue a este destino lamentável, Jean resolve deixá-la em seu apartamento secreto, até que ela consiga resolver a situação com a mãe de Alisson. A garota fica um pouco desconfiada ao chegar ao local, por não ter maiores informações, mas Jean pede para que Alisson confie nela.

De volta em casa, Jean encontra Michael jogando basquete na entrada e percebe que seu marido está incomodado com algo, porém ele não conta que é sobre o boato entre ele e Alexis.

Nossa terapeuta entra e começa a prepara um ficha de paciente, e adivinha de quem? Sim, de sua segunda personalidade “Diane Hart”. Nela continha um perfil completo que iam desde informações básicas, a sonhos e objetivos de realizações de seu personagem – sinistro não é mesmo? Mas ela é interrompida por sua filha, Dolly, que pede sua ajuda para decorar o texto da peça Peter Pan que fará na escola.  Jean ao mesmo tempo que ajuda a filha, observa atenta o desempenho e o perfil de Dolly. É perceptível sua preocupação nesta fase de descobertas de sua filha – confesso que é muito bonito o critério de Jean e de Michael em estarem atento a serem o suporte da filha nesta sua fase.

Uma outra peça do quebra-cabeça é apresentada para nós, desta vez sobre o paciente Sam. O jovem que não consegue se desligar de sua ex namorada, Sidney, tem uma visão um pouco estranha. Enquanto ele estava tendo uma relação íntima com Emily, o rapaz estava imaginando sua terapeuta junto com sua ex, numa cena totalmente sexy. Porém ele volta para si quando leva um tapa de Emily que afirmava que ele não estava olhando para ela. Será que Sam sabe do relacionamento de Jean/Diane com Sidney? Muito estranho essa imaginação fértil, né nom?

E não para por aí, Sam conta à Jean esse acontecimento – claro que sem a figura de Jean. Ele revela que Sidney o acostumou mal durante suas práticas sexuais. Sam conta que a barista sedutora tinha uma mania durante suas relações íntimas, fazer com que Sam a imaginasse com outros caras durante todo o ato sexual. No começo isso o incomodou, mas aos poucos isso acabou o satisfazendo. E após admitir isso a Jean, Sam percebe que a terapia estava passando dos limites da ajuda – sabe de nada inocente!

Após a terapia com Sam, Jean vai até a amiga Larin para conversar, afinal uma mentira para ser convincente precisa de outra mentira mais convincente. Então nossa terapeuta alega que seu casamento está passando por problemas. Ei que ela atribui todas as atitudes de sua segunda personalidade à Michael – uma jogada de mestre. Afinal para ganhar confiança de alguém, basta que você se assemelhe a outra pessoa. E neste caso, Jean contou uma história semelhante à de sua amiga divorciada – xeque-mate, né verdade?

Michael vai tirar satisfações com Scott, afinal ele quem dormiu com Alexis no Texas.  O colega de trabalho afirma que não foi ele o responsável pelo boato, mas que isso tudo surgiu quando todos da empresa perceberam que Alexis está apaixonada por Michael. Além disso, Scott afirma que Michael é o próprio culpado, por não colocar limites à Alexis no trabalho. Nosso advogado ético e respeitador fica pensativo com o que ouviu – coisa boa não vem por aí.

Alisson fica incomodada com o apartamento misterioso de Jean/Diane, então ela resolve investigar o espaço. Ela percebe que a cômoda do quarto estão com as gavetas trancadas. Após analisar o móvel, ela consegue encontrar a chave que estava escondida. Ao abrí-la, Alisson encontra uma caixa cheias de fitas k7 e algumas fotos. Intrigada com aquilo, a garota resolve escutá-las.

Jean/Diane volta à “Casa da Sinceridade” atrás de Rebecca, para tentar convencê-la a não irem à terapia juntas. Para seu espanto, ela descobre que Rebecca está pretendendo fugir e entregar uma carta de despedida. Nossa terapeuta tenta convencê-la a não entregar a carta e que viajasse para espairecer e retornasse para conversar com sua mãe, Claire. Mas Rebecca resiste porque ela diz que está grávida e não quer que ter contanto com o passado desagradável que teve com sua mãe. Como Jean/Diane não teve sucesso em fazer Rebecca mudar de ideia, ela antes de embora rouba a carta de Rebecca – Como dizem: quem tem limites é cartão de crédito.

Michel vai até a cafeteria “Toca de Coelho”, onde Sidney trabalha. Ele foi comprar um café para sua esposa Jean, principalmente por saber que ela frequenta aquele lugar. Michael é atendido por Sidney, os dois tem um papo descontraído. A barista sedutora entrega um panfleto de sua banda e o convida para participar do show. Educadamente, nosso advogado ético e respeitador pega e vai embora.

Sidney observa rapidamente ele indo embora e pega seu celular, a garota olha para selfie que ela conseguiu tirar dela beijando Jean/Diane e posta no Instagram – na realidade ela não tinha apagado e já deu para perceber que a situação ficou tensa. Lembra que comentei no início que alguém iria chutar o pau da barraca?

Michael chega com o café de Jean e sua esposa se surpreende ao ver a logo da sacola, “Toca de Coelho”. Ele foi até lá para conhecer o local que ela tanto admira eresolveu trazer o café. Michael também mostra o panfleto da banda de Sidney e disse que ele gostou de sua música. Jean fica sem ação. Além disso, Michael apresentou a música que ele encontrou no computador de Sidney em um vídeo do Youtube. Pelo visto aquilo foi uma mensagem entre linhas para sua esposa – o que ficou evidente que não foi uma coincidência.

Enquanto isso no apartamento que Alisson está hospedada, alguém bate na porta fortemente. A garota fica assustada e pergunta quem é? Não há nenhuma resposta, então ela olha no olho mágico e surge a dúvida: quem poderia ser? Seria seu namorado Tom que descobriu onde Alisson está hospedada? Seria Sidney, afinal Jean/Diane enviou a localização à barista. Só nos próximo episódios iremos descobrir.

Para finalizar o episódio, Jean recebe uma mensagem de texto de Claire, informando que sua filha Rebecca cancelou o encontro entre elas. Nossa terapeuta ainda está admirada com a atitude do marido e vai até o banheiro, onde ele está tomando banho. Ao chegar, ela entra no box, dá um tapa em Michael e diz para ele nunca mais ir até o café. Eles se beijam e tornam o banho mais quente.

O que podemos concluir com este episódio é que Jean e Michael vivem o casamento como um jogo da verdade. Quanto mais Michael se aproxima da verdade, Jean o compensa na cama – para desviar a atenção no assunto. É ficou bem evidente que de certa forma, os dois sabem os segredos um do outro, porém apenas não os mencionam. Pelo menos é o que tudo indica. Antes de finalizar, descobrimos que Jean usa seu segundo nome, Diane, há muito mais tempo. Comprovamos isso quando na aula de boxe seu parceiro afirma “Sempre me arrumando problemas Diane”.

 

Você também acha isso? Deixe seu comentário e vamos compartilhar nossas teorias. Vamos ver onde vai terminar isso.

 

Uma grande abraço e até a próxima Review.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Dandy Souza

Um libriano amante de um bom suspense casado com o belo terror psicológico, porque a vida precisa de emoções. Seu lema: "toda obra tem sua moral, então fique atento aos detalhes". Twitter: @dandysouza81


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu