Posts Populares

How To Get Away With Murder – S04E15 – Nobody Else is Dying [SEASON FINALE]

“Quem cava uma cova pro inimigo, cai nela.”

No final do episódio passado vimos que um carro tinha capotado e alguém morrido. Já sabíamos que o Denver tinha mexido no carro da Bonnie, então a apreensão foi geral. Conforme a legista listava todas as lesões do corpo, vemos flashs de todos lidando com a notícia. “Por que isso continua acontecendo com a gente?” Connor perguntou, e gente logo pensava: “Bonnie? Por que a Bonnie?” Annelise se encontra com Nate num estacionamento e pergunta se ele tem mais alguma informação, mas ele só sabe que acham que foi armado, mas isso todo mundo (a gente) já sabia. Até que alguém surge: Bonnie. Vivinha da Silva, amém. Mas alguém morreu e quem foi? O próprio, o Denver. Já dizia a sábia Gleici do BBB: “Quem cava uma cova pro inimigo, cai nela.”

Michaela e Asher entram em mais uma DR, o que já não aguentamos mais, pelo menos eu, só que Michaela precisa ouvir algumas coisas, porque ela tá completamente perdida em sua vida. É como se ela estivesse tentando ser algo que ela não é de verdade, a mulher forte, decidida, disposta a qualquer coisa pelo seu futuro brilhante sumiu completamente. A culpa é do Asher? Bem, eu não acho, porque, euzinha, o adoro e acho que ele sempre esteve lá pela Michaela disposto a apoiá-la independente de qual fosse sua decisão. Mas vocês lembram da season 1, quando a Michaela iria se casar com o Aiden porque o futuro dos dois seriam brilhante e não porque eles realmente se gostavam? Talvez essa seja a verdadeira Michaela, a que ela tentou esconder no fundo se sua mente, enquanto mantinha esse relacionamento com o Asher. Porque ele não tinha, aparentemente, o futuro brilhante que a sua “verdadeira eu” sempre desejou para o seu companheiro, não tinha nem um emprego naquele momento, então ela arrumou uma forma de estragar o único relacionamento bom que tinha na vida. E em prol de algo que ela nem sabe se vale a pena. Choices, né?

Os filhos da Annelise estão desesperados, porque acham que serão os próximos alvos do pai de Laurel, mas ela pede que eles fiquem calmos, pois Nate está procurando o HD e ela tem certeza que ele encontrará. Só que o próprio Jorge liga para Laurel no meio da reunião deles, querendo saber de Sandrine, a ex-mulher, que está sumida desde a noite anterior e Laurel foi a última a estar com ela. Jorge questiona, incessantemente, se ela fez algo com a mãe, usando o pequeno Christopher como moeda de troca. Laurel afirma categoricamente que não fez nada, apenas disse coisas ruins, tipo: “se mate”. Mas falar isso para alguém com problemas mentais não é a melhor coisa, né… Annelise monta um plano de conseguir o HD, entregar para Simon para que ele entregue ao FBI e assim conseguir a guarda o bebê de Laurel de volta. Só que nesse meio tempo o próprio FBI entra em contato, porque a Laurel foi a última a estar com Denver antes do acidente e eles querem conversar. Então ela aproveita para colocar uma sementinha na cabeça da investigadora sobre a parceira de Denver e Jorge, falando das doações ilegais para a campanha, porque assim, talvez, o FBI, comece a investigar por conta própria.

Nate tinha prometido que localizaria o HD e cumpre sua promessa. Estava num arquivo de um caso encerrado há dez anos, junto com o celular que Laurel deu a ele como troca para descobrir quem tinha matado o Wes. Ele entrega os dois para Annelise, só que ele encontrou outras coisinhas também. Conversando com Bonnie, Nate diz que haviam arquivos de cada um deles, com muitas informações. Ela parece preocupada, mas ele afirma que destruiu logo, o que faz com que ela fique mais tranquila. Bonnie pergunta se tinha algo sobre ele, que sorri e diz: “acho que sou muito entediante”.
Michaela fica responsável por “cuidar” de Simon, enquanto os outros estavam na busca pelo HD e depois pelas provas, mas nós sabemos que eles não se dão bem. A primeira vista, ela parece estar querendo ser simpática, mas Simon não cai muito na conversa dela. Só que ele não sabe é que a bad Michaela está de volta a cidade e ela tem um plano: deportá-lo. O tempo está correndo e eles precisam encontrar algum arquivo que prove as atividades ilegais de Jorge, mas Oliver disse que o FBI fez uma busca parecida usando uma força tarefa que demorou anos e eles tinham apenas minutos. Só que Annelise tem um plano: Tegan. Como advogada de Jorge, ela está ciente de todas as atividades ilegais de seu cliente e não apenas ciente, ela pode ser considerada cúmplice. Annelise diz que Jorge matou Denver e diz que isso não é um bom motivo para morrer, e realmente não é. Mas Tegan não está nada disposta a participar.

Frank foi até o hotel onde Sandrine estava, mas não encontrou nada. Então vai conversar com Laurel, para saber se ele está procurando algo que não vai encontrar. AKA, quer saber se ela não matou a própria mãe. Ela se faz de ofendida e diz que não, que ela não fez nada. Annelise pede então o telefone dela e liga para Jorge, dizendo que quer encontrá-lo. Ela leva o HD e um documento para ele assinar, desistindo da guarda do neto. Jorge está preocupado com Sandrine e diz que eles não conhecem Laurel, pra falar a verdade, eu também acho que não conheço. Ele acusa Annelise de roubar sua filha, mas ela diz que ele a perdeu há muito tempo e deixá-la longe do próprio filho não fará com que ela se aproxime. Que ele a acusa de tirar Laurel dele, mas ele, Jorge, tirou Wes dela. Ao menos Annelise não matou a Laurel, né?
Jorge assina e Laurel recebe a guarda de Christopher de volta. Ela vai até o hospital para buscá-lo junto com Frank e Jorge vai também, tentando uma aproximação, mas não tem nenhuma chance. Eles conversam rapidamente, mas Laurel não está disposta a nada com ele. Jorge pergunta, novamente, onde está Sandrine e ela simplesmente responde que não se importa, que está morta pra ela, assim como ele.
Laurel e Frank saem apressados do hospital e ligam para Annelise, dizendo que está na hora. Jorge saem tranquilamente, mas é abordado por vários agentes do FBI e é levado preso. E então descobrimos quem ajudou na prisão: Tegan. Realmente, não valia a pena morrer por isso.

Então, lembram da Bad Michaela? Ela voltou mesmo. Passando por cima das ordens de Annelise, ela segue com o plano de acionar o departamento de imigração e faz com que Simon seja levado para o hospital do Departamento de Segurança, para que de lá, seja mandado de volta para o Paquistão. Todos ficam chocados com a audácia feat maldade da moça, inclusive Annelise. E pra Annelise ficar chocada com algo você fez, miga, o negócio tem que estar bem feio, afinal ela ela já teve sangue frio de mandar o próprio namorado/amante pra cadeira acusado de matar seu marido. Elas tem uma conversa muito franca sobre a Michaela tentar ser a Annelise, mas Michaela responder que está apenas sendo ela mesma. Você não se transforma em filhote de Annelise, você nasce assim mesmo.
Annelise recebe uma ligação de Nate e já espera uma bomba, mas ele está ligando apenas para dar os parabéns. Ela venceu seu caso na Suprema Corte. Agora todos os réus sem direito a uma defesa de verdade tiveram uma vitória junto com ela. Parece um pequeno passo, mas é algo gigantesco, que poderia se refletir na vida real. E com Christopher em casa, ou na casa da Bonnie onde Laurel está morando agora com o Frank, tudo parece estar bem. Há aquele clima de series finale, na minha opinião, com ciclos se fechando e todos os personagens recebendo alguns finais. Como Asher indo morar no antigo apartamento de Wes e sendo convidado por Oliver para ser seu padrinho de casamento (EU AMO ESSA AMIZADE), Connor tentando uma reaplicação na faculdade de Direito, até mesmo Bonnie conseguindo dar uns passos no campo amoroso, com o promotor que assumiu o lugar do falecido Denver, Frank indo fazer sua matricula na faculdade, escondido por algum motivo, mas indo, e Annelise e Laurel curtindo um tempo com o bebê. Laurel preocupada por não saber o que fazer com ele e Annelise num momento de maternidade perdida.
Mas nada nessa série acaba bem, nem ela mesma, caso seja o caso de ser mesmo um series finale. Nate não jogou os arquivos fora, o danado, ele guardou tudo, de todo mundo! E não satisfeito, foi olhar, começando pelo de Bonnie, onde podemos ver que tem a ficha criminal e um exame de DNA, que dá compatível e tem uma anotação no canto da folha: “child alive?”. Laurel vai tomar banho e podemos ver uma série de arranhões em seu braço, e sua expressão demonstra que ela não sabe como os conseguiu. Já Frank olha de forma estranha para um rapaz que está fazendo a matricula também. Ele diz seu nome: Gabriel Maddox. Então Frank pega o telefone e liga pra alguém: “o filho dela está aqui.”

Então temos algumas coisas para pensar até setembro, caso a série seja renovada: o que/quem causou os arranhões no braço de Laurel? Será que foi Sandrine? Será que Laurel é realmente surtada como o pai afirma e matou a própria mãe? Por que o pai dela tinha tanta certeza que a filha fez algo contra a ex-mulher? Por que Nate guardou os arquivos? Será que ele planeja uma vingança por ter sido usado como laranja no caso do Sam? Será que ele quer saber os podres de todo mundo? Quem diabos é a ‘child alive’ no teste de DNA no arquivo da Bonnie? Quem é Gabriel Maddox? Vale lembrar que o filho de Annelise que nasceu morto teria cerca de 11 anos, por aí, porque ele nasceu quando o Wes já tinha uns 10/12 anos e o Wes morreu com 22 anos (segundo a internet, rs). Então quem diabos é Gabriel Maddox?

ps. Não aceito essa série acabar sem o casamento Coliver. Estou aqui há quatro anos pra isso.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Thais Pereira

Feminista, leonina com ascendente em gêmeos e lua em virgem, viciada em memes, em Friends e problematizar na internet. Formada em História da Arte, mas consciente que nunca vai trabalhar com isso na vida. Normalmente eu escrevo e falo mais do que deveria. Eu mesma, Thais Mello.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu