Posts Populares

Jessica Jones – S02E01 – AKA Start at The Beginning [SEASON PREMIERE]

Às vezes não basta abrir uma porta, precisa escancarar!

Jessica Jones está de volta, investigando e bebendo, como sabe fazer melhor do que qualquer um. Ela segue se sentindo culpada pela morte de Killgrave. Talvez culpada não seja a palavra correta, mas há aquele peso que é ser responsável pela morte de alguém, independente de quem seja. E é isso que separa as pessoas boas das ruins, provavelmente, enquanto eles matam sem nenhum peso na consciência, se é que eles tem, as pessoas boas sentem o feito e carregam a culpa, afinal, era uma vida e ninguém deve ser responsável por decidir quando ela deve acabar. E Jessica, ao seu jeito, também sente. Ela não gosta de carregar o título de heroína ou de vigilante. Mas gosta menos ainda de ser conhecida como uma assassina.

Trish quer ajudar a amiga a seguir com a vida, mas pra isso ela acha que necessário que ela encontre respostas para o que aconteceu em seu passado, logo após o acidente que matou os pais e o irmão de Jessica. Ela consegue a a ficha do hospital, mas há informações faltando, como de 20 dias da vida de dela tivessem sido perdidos. Só que Jessica não quer mergulhar nessa história novamente, pois sempre que se envolve, acaba mal de novo. Ela não sabe lidar com a perda, lidar com o fato que todos se foram e ela não. O que é compreensível, porque quando alguém morre, é sempre mais difícil pra quem fica, agora imagina quando quase toda a família se vai de uma única vez e apenas um sobrevive. Como essa pessoa será forte para continuar? De onde vai conseguir reunir forças?
Malcolm continua trabalhando junto com a vizinha, agora como um assessor, aprendiz de investigador, faz tudo e, acima de tudo, um amigo. É possível ver que ele sente muito carinho e tem uma gratidão gigantesca por Jessica e isso se reflete em todas as suas atitudes, desde a organização de sua agenda, atendimento a possíveis clientes, como o suporte emocional (ou a tentativa de) em algumas crises. Jessica não é do tipo de dá abertura para amigos, mas ela é muito sortuda por ter Malcolm e Trish por perto, porque eles, realmente, se importam com ela.

Só que nem tudo são flores para Jessica, pois agora ela tem um novo concorrente, Pryce Cheng, que quer incorporar sua empresa de investigações por puro medo da concorrência e acaba por roubar clientes de Jessica no processo. Ela, é claro, não deixa isso barato e vai até ele para tirar satisfações, além de pagar na mesma moeda. Mas Cheng está com sangue nos olhos e quer que Jessica pague não apenas pelos danos causados em seu escritório e pelo seu corpo. Ele quer acabar com ela. Bem, ele pode tentar, né? Mas ele não é bobo e vai até alguém que sabe como ajudá-lo, ela mesma, Jeri Hogarth, que parece adorar a ideia de processar Jessica. Só que ela sabe bem com quem está se metendo, certo?
E por falar em Jeri, as coisas não parecem muito boas pra ela não. Sim, ela ganhou um prêmio pelo seu trabalho como advogada, mas sua empresa está sendo investigada, ela está sendo processada por assédio sexual e, para piorar, tem algo errado que não está certo com a sua saúde. Enfim, não foi uma boa semana para Jeri Hogarth.

Tentando ajudar pessoas, Jessica ouve o caso de um rapaz que diz que é muito rápido e que tem pessoas atrás dele. Ele se autodenomina “Ciclone”. Ninguém dá muito crédito para o menino, mas tudo fica estranho quando ele aparece novamente com uma arma, dizendo que ela precisa protegê-lo, que criaram um monstro, no mesmo lugar onde criaram eles. E, gente, ele é muito rápido mesmo. Jessica tenta acalmá-lo, mas ele foge e acaba morrendo “num acidente”, que foi muita coincidência para ser real. Jessica e Malcolm olham a mochila dele e descobrem que ele tomava um remédio muito forte, mas que não tinha procedência ou nome do médico na embalagem, apenas uma empresa. Numa breve pesquisa, eles localizam o lugar: “Industrial Garments & Handling” aka IGH, a mesma organização que Jessica sabe que está por trás de sua transformação e de seus poderes. Ela invade o prédio e se depara com uma série de salas vazias e abandonadas, uma enxurrada de memórias toma a sua mente, sem que ela consiga controlar.

Com a certeza que ela e Ciclone vieram do mesmo lugar, por obra das mesmas pessoas e com afirmação de que eles “criaram um monstro”, Jessica não pode fechar a porta do seu passado e voltar a ignorá-lo. Ela vai precisar abrir essa porta e com vontade.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Thais Pereira

Feminista, leonina com ascendente em gêmeos e lua em virgem, viciada em memes, em Friends e problematizar na internet. Formada em História da Arte, mas consciente que nunca vai trabalhar com isso na vida. Normalmente eu escrevo e falo mais do que deveria. Eu mesma, Thais Mello.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu