13 de janeiro de 2015
Looking – Recap 1ª Temporada

Comecei a assistir Looking porque é o tipo de série que gosto de acompanhar: 20 e tantos minutos, foco em poucos personagens, situações do cotidiano, e acima de tudo, fala sobre relacionamentos. Lembro que pelo trailer inicial gostei da dinâmica apresentada dos amigos/amores, da trilha sonora e dos diálogos em si (“Instagram filters have ruined everything!”). Vi a série com um potencial para mostrar uma naturalidade nos relacionamentos gays e o selo da qualidade da HBO que já havia me conquistador outras vezes. Do elenco, só conhecia Jonathan Groff mesmo, e achei isso o máximo, pois gosto de me aventurar a conhecer e admirar novos trabalhos. De cara, Ritchie (Raúl Castillo) me chamou a atenção por ser o interesse amoroso do protagonista logo no trailer, e decidi que ia me encantar de cara com ele (dito e feito).

A primeira temporada tem apenas 8 episódios, o que a torna muito fácil de acompanhar. Os primeiros episódios são meio estranhos, como é de se esperar, pois apresentam os personagens, mas pouco da trama. Impossível não se apaixonar pelo Patty, esse goofy que só da mancada nos relacionamentos e nunca vai pra frente com um pra chamar de seu. Augustin começa interessante, tomando um grande passo com seu namorado ao se mudar para a casa dele, e um passo maior ainda ao trazer uma nova perspectiva sobre seu relacionamento – trama que achei que teria um grande potencial no decorrer da season. Dom sempre me pareceu bastante apagado, quase que um cliché (quase 40 anos, trabalhando num emprego que para ele deveria ser um tapa-buraco, procurando sexo acima de tudo), e não simpatizei muito com suas tramas iniciais.

Mas a temporada foi passando e só consegui gostar de Looking mesmo no episódio 1×05 – Looking for the future. Não que os outros episódios foram ruins, não mesmo. Foram legais, começaram a envolver o telespectador na história propriamente e sempre muito bem acabados e com trilha sonora leve e divertida. Mas Looking for the future foi aquilo que eu esperava da série: natural, duas pessoas se conhecendo e se apaixonando, diálogos constrangedores e ao mesmo tempo bastante intimistas entre duas pessoas de alma aberta pra um relacionamento novo. O tipo de date que é o ideal pra mim.

Looking

A partir daí, a trama tomou fôlego e se saiu muito bem ao desenvolver suas tramas. Patty conhecendo Ritchie e se apaixonando, se permitindo a não se levar tao a sério e colocar tanta pressão nos relacionamentos, ao mesmo tempo que começa um flerte inevitável com seu chefe (pausa para a cena de Patty sensualizando num TORPEDO); Augustin se tornando um chato, mala, insuportável contratando garotos de programa por “arte”, basicamente um desperdício da história que poderia ser contada com o personagem; Dom crescendo muito no meu conceito ao ir atrás de seus sonhos de abrir um restaurante, mas sem deixar aquele perfil “sexo por sexo” de lado (vide aplicativos, saunas, encontros rápidos…).

Destaque para os dois últimos episódios, Looking for a Plus-One, onde o casamento da irmã de Patty se torna um verdadeiro drama mexicano (mas dos bons), e finalmente percebemos boa evolução e explicação para o comportamento do protagonista, além de ver Dom seguindo com seu relacionamento com Lynn e dando cara ao seu restaurante. A Season Finale com a abertura do restaurante e o fim do relacionamento de Agustin (a cena dele no metrô vale muito!!) também é um episódio espetacular e muito bem amarrado, com um diálogo de cortar o coração entre Patty e Ritchie.

De toda primeira temporada, Patrick foi de longe o melhor personagem. Super carismático, o cara encanta pela fragilidade de sua personalidade ao dar mancada atrás de mancada, sua insegurança em relação aos outros e pelo seu coração puro e bom. A trama com sua família foi uma ótima jogada para explicar mais de seu comportamento e seu relacionamento com Ritchie é muito espontâneo e consigo torcer por eles sem esforço. A dinâmica com Kevin também ficou muito boa, e acho super necessário para dar continuidade a história, e espero poder acompanhar mais do desdobramento das encrencas dos dois quando o caso for revelado na segunda temporada.

Dom tem em suas mãos um personagem bem construído e que vem mudando para melhor com o passar do tempo. Seu envolvimento com Lynn certamente tem o efeito desejado e acho que pode render um bom trabalho para o que vem por aí. Vale ressaltar a amizade com Doris, que é super divertida, e inclusive ela pode ter um destaque maior nos próximos episódios! Agustin não vou comentar porque… chato! Se seu ex não voltar junto na S02 já será uma grande vitória para Looking.

O final da primeira temporada foi muito bom, mas ainda deixa o sentimento de que poderia ser mais – esperamos ansiosos por uma segunda temporada mais. Não foi um grande fenômeno de audiência e repercursão (pelo menos não que eu tenha acompanhado), mas é uma série que recomendaria pela simplicidade de se assistir e a beleza de alguns diálogos, momentos e citações que existem em cada episódio. Separei os meus favoritos, por episódio, para quem quiser acompanhar.

S01E01 – Looking for Now

“Work is love manifest.”

I think, actually, the quote is, “Work is love made visible.”

Get out. You did not just correct my pretentious Gibran misquotation.

“I am sorry you had a bad date. They won’t all be bad.”

S01E02 – Looking for Uncut

“I can’t be a racist. I’m Latino.”

“Why is he taking a shower? What did you do to him? Am I gonna have to buy Clorox again?”

S01E03 – Looking at Your Browser History

“But commitment looks good on you.”

S01E04 – Looking for $220/Hour

“Intimacy is me in that bathroom, smelling your shit.”

S01E05 – Looking for the Future

This is sort of like when Ross took Rachel on their date.

Oh my God, it totally is.

I want to be Ross.

You mean Rachel?

No, you’re the one that’s crazy into hair, and I’m the geek.

Yeah, but I thought she’s kind of like the boss, which is kind of like the top.

“Pato, it’s fine.”

S01E06 – Looking in the Mirror

Boyfriend? Who said I was your boyfriend?

Oh God. I’m sorry. I didn’t mean to…

Now I got me a boyfriend and shit. And a wasp, too. Score!

S01E07 – Looking for a Plus-One

“You know you say “totally” a lot when you get nervous?”

“Everyone I’m ever with, every guy I’ve ever been on a date with, I judge him based on what

you’re gonna think of him. And it’s really fucking me up.”

“It’s legal now in Colorado.”

“I’m a nice drunk.”

S01E08 – Looking Glass

“You’ll never gonna be an artist. And if you ever do follow through with something, it’s gonna be mediocre at best.”

“It takes all of my willpower not to lunge and kiss the fucking shit out of you. And I can’t seem to stop thinking about you, and it’s becoming a real fucking problem.”

“My pride is something that I’m working through. It makes me see things all twisted, and I just had to go and shake it off. I know that I’m extra sensitive about where I’m from, and that’s my own thing. And you have your own issues about it.”

“Pato, I am this close to falling in love with you. But I’m not gonna do that to myself if you’re not ready. nd I don’t think you’re ready.”

Para saber mais sobre Looking, não perca as reviews da 2ª temporada, em breve, aqui no Panelas! Até a próxima!

Fernando

Fernando Zingler
Fernando Zingler

Gaúcho, engenheiro, mestre em Engenharia de Transportes. Ama Zelda, Pokemon e vôlei, e é apaixonado por séries e músicas em geral. No Panela, assim como na vida, fala coisas aleatórias sobre comedias românticas, tipo Modern Family e LOVE, e eventualmente participa da cobertura do The Voice.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: