21 de fevereiro de 2016
LOVE – S01E02 – One Long Day

Que comece a aventura…

Entramos no que interessa agora: Mickey e Gus se conhecem por acaso e começam a construir essa história de amor nada idealizada. Brincando com os estereótipos dos filmes e músicas que nos vendem essa ilusão de amor romântico e bonitinho, o episódio nos presenteia com cenas mais ‘digeríveis’ do que aquelas cruas e frustrantes do primeiro episódio.

A química do casal protagonista já esta bem visível logo nas primeiros momentos. Após um pequeno momento estranho entre os dois – aquele vácuo de ‘pra onde essa conversa vai ir’ – os dois se soltam e resolvem aproveitar o dia de folga juntos. Interessante ver a contradição dos personagens – Mickey bem descolada e espontânea, e Gus todo correto e bonzinho. Isso pode soar bem clichê, já vimos em milhões de filmes e série a garota legal se apaixonar pelo nerd, mas aqui eles são unidos pelo fato de serem ambos losers – principalmente na vida amorosa.

A decisão de fumar umazinha no carro desencadeia uma série de situações super interessantes para os personagens – a larica, as alucinações (o cara asiático foi demais), a perda do controle do real para Gus e nos leva a casa de Natalie. E nessas situações a química e o relacionamento dos dois vai evoluindo, um podendo tocar as feridas do outro e perceber o quão parecidos eles são, e nos ganhamos boas cenas dos ótimos atores – especialmente Gillian Jacobs, que deita e rola nas cenas de humor. Sua personagem aparenta ter tudo sob controle, quando na verdade esta em meio a uma bagunça pelas mudanças que esta passando.

A discussão de Gus com Natalie foi bastante forte para Gus, que agora descobre que a ex mentiu para que ele terminasse com ela, por pura pena de quebrar o coração puro dele e ter o próprio se arrastando por ela mais tarde. Novamente, podemos ver o comodismo de Gus nesse relacionamento antigo, sempre se sujeitando a comprar tapetes azuis para alguém que nem se importa com os extras dos blu-rays. E novamente vemos Gus perder a linha e extrapolar sua raiva acumulada de forma cômica e factível.

A sequência de Gus jogando os filmes pela janela do carro comentando a dura realidade como eles deveriam ser foi um alivio muito bom no episódio – a melhor cena, o ponto alto. “Cars 2 was a piece of crap”, “Homeland season 3. Very confusing”. Mickey brilha nas tiradas e na dose de humor e a química entre eles só aumenta – principalmente na sequência, onde ela coloca ele pra dormir e abre seu coração, mostrando que um entende o outro e que eles se conhecer foi bom para ambos. No final, Mickey ainda tem um tempinho para refletir com sua nova roomate que Gus conseguiu tocar ela de alguma fora. O coelhinho roubado de Natalie foi uma boa metáfora para Mickey se apropriar daquilo que a ex não soube valorizar – o coração bom de Gus.

Foi um episódio muito bom, bem acima da qualidade do primeiro. E agora que eles já se conhecem e Gus tem o telefone de Mickey, naturalmente teremos muito mais desse casal de weirdos nos próximos episódios! Ate lá!!

Amei: como não amar a cena do corpo ensanguentado? Eu quase dei um pulo e pensei que iriam levá-los a uma delegacia, seria uma bela forma de começar um namoro para um casal como esse não acham?

A fotografia do episódio melhorou consideravelmente – principalmente nas cenas deles caminhando da direita para esquerda, indo em direção oposta ao que a maioria dos casais iria, indicando que o que eles estão criando e algo único.

Faltou amor: a tradicional menina cool que ensina o nerd a fumar já esta batido. Apesar de funcionar bem entre os dois, fico com a sensação de mais do mesmo.

Fernando Zingler
Fernando Zingler

Gaúcho, engenheiro, mestre em Engenharia de Transportes. Ama Zelda, Pokemon e vôlei, e é apaixonado por séries e músicas em geral. No Panela, assim como na vida, fala coisas aleatórias sobre comedias românticas, tipo Modern Family e LOVE, e eventualmente participa da cobertura do The Voice.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: