Posts Populares

Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. – S05E03 – A Life Spent

Aparentemente esse foi um episódio pra mostrar que são os Inumanos que vão servir como fiel da balança

Tem uma referência nesse episódio que pode ter passado meio batida, mas que é um dos pontos altos disso que a série tá tentando fazer nos últimos tempos. Quando o Coulson percebe que o livro do Virgil era basicamente um mapa de posições e que tinha um lugar que ele visitava, eles resolvem ir visitar esse lugar. Naturalmente eles não conseguem, mas no momento isso não é relevante. O relevante, o importante, é a citação ao número 616. Se você não tá muito por dentro do mundo Marvel, eis uma breve explicação: A Marvel tem vários universos, um multiverso, onde versões diferentes dos heróis existem e vivem suas vidas normalmente, tipo como rola na DC. E esse 616 é o universo onde a maioria das histórias acontecem, onde basicamente tudo que a gente lê e assiste se passa. E por que essa citação ao número é relevante? Porque, ao trazer esse número, eles podem estar reforçando a ideia dos multiversos, já trazida anteriormente com o Motorista Fantasma. Ou pode não significar nada, mas o otimismo nunca matou ninguém.

Outro aspecto, já que o episódio não é exatamente um dos mais movimentados, é essa coisa da ligação de MAoS com o Universo Cinematográfico Marvel. O Thanos na vindo, pronto pra destruir tudo. Era de se esperar, mesmo que por um breve momento, que a S.H.I.E.L.D. enviasse seus agentes pra tentar fazer algo de bom. Então, já que o próprio Joss Whedon ficou bem contrariado com a volta do Coulson, o melhor jeito de não misturar as duas coisas é deixar eles no espaço, no futuro. Porém, a ideia é que a série se mantenha naquela base de usar os pods de temporada, os blocos de mais ou menos 7 episódios. E a segunda parte de Guerra Infinita é só em 2019, então algo diferente vai ter que ser feito. Mas parando de falar sobre teorias e possibilidades, bora falar sobre o episódio em si.

Dá pra resumir esse episódio três em algumas palavras-chave: inumanos, Jemma e Tremor. Parece que a série recebeu mais grana, porque os efeitos da corrida da Ioiô ficaram bem melhores, mostrando o quão rápida ela realmente é. Inclusive ficou meio parecido com as corridas do Mercúrio nos filmes mais recentes dos X-Men. E falando em inumanos, surgiu uma outra guria com poderes na história. Aparentemente, todas as crianças lá passam pela terrigênese, pra ver quais tem o potencial de ser algo mais – o que só mostra o controle kree sobre aquelas pessoas. E essa criança tem poderes, mas não tem nenhum controle sobre eles. Só que ela precisa ter, caso contrário a família dela vai sofrer as consequências. E quem recebe a responsabilidade de ajudar ela? A Jemma. E num momento em que ela foi mais psicóloga do que um cientista tentando entender a biologia por trás dos poderes da guria, a Jemma conseguiu fazer com que a inumana tivesse um mínimo de controle das habilidades,

Enquanto a Daisy decide que vai ir resgatar a Simmons de qualquer jeito, o resto da equipe tá trabalhando pro Grill, já que tão devendo pra ele por ele ter colocado as Métricas no pessoal. Nesse lugar, ninguém confia em ninguém, e com total razão. O Coulson tá bem focado na ideia de sair de lá e quer seguir o caminho dos farelos de pão que o Virgil deixou. E isso leva eles pro espaço, mais precisamente pro setor 616 do que restou da Terra. E lá eles encontram uns sinais de rádio estranhos, mostrando que no fim das contas tem vida naqueles pedaços de pedra.

E a Daisy tá bem revoltada com a vida, querendo resolver a situação Jemma o mais rápido possível. E, pra ela, o jeito mais rápido é através da força bruta em um confronto com o líder kree. Mas ela não tá ali sozinha. E o Deke tenta lembrar ela disso. Por mais que a gente saiba que o Deke não é exatamente uma pessoa que pensa muito nos outros, ele tem medo da Daisy, ou melhor, da Tremor, porque afinal de contas foi ela quem destruiu o planeta em que ele deveria morar e tava num caminho de fazer o mesmo com o lar dele. E quando ela dá uma rajada sísmica no peito dele pra que ele saia do caminho dele, a gente vê no olhar dele que as coisas não vão acabar tão rápido assim.

O resto da equipe, depois da confusão com o funcionário do Grill na nave, volta e acabam achando um jeito de incriminar ele pelo lance que eles seriam acusados. De uma certa forma, é genial isso. Se livrar de um problema e ao mesmo tempo ganhar a confiança do inimigo é uma baita cartada.

Mas é o fim do episódio que guarda a maior reviravolta. A Daisy tá abrindo caminho até o subterrâneo da base, que é onde a ‘realeza’ kree mora, derrotando todo mundo que ela encontra no caminho, inicialmente sem usar os poderes e depois, percebendo que as coisas não seriam tão simples, usando as habilidades. E quando ela tá chegando perto, quase no QG dos caras, surgem duas paredes transparentes e um gás começa a sair da parede. Incapaz de usar os poderes, ela começa a cair, a desabar de sono, e quando tá quase desmaiada, ela começa a ouvir vozes, Vozes do Kasius, mas não só dele. De mais alguém, que foi a pessoa quem revelou que a Daisy estaria lá. E não é que o Deke realmente deu a de X9? Agora resta saber no que esse plano vai resultar.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Rafael Augusto

Um hiperativo que não sabe viver sem ler, escrever, ouvir música, ver séries e filmes, geralmente tudo ao mesmo tempo. Fã de ficção científica, suspense, Stephen King e histórias em quadrinhos.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu