Panela de Séries » Arquivos Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D. - S05E18 - All Roads Lead... - Panela de Séries

Posts Populares

Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. – S05E18 – All Roads Lead…

Um morte inesperada, mas que, apesar de tudo, não deixa de ser fruto da vingança.

A lavagem cerebral no Talbot vem funcionando, já que ele tá indo atrás do Coulson e fica repetindo uns mantras, provavelmente pra se manter concentrado. E quando ele tá na sala central, procurando seu alvo nas câmeras, o Mack aparece, querendo entender porquê ele tá ali e como ele anda. Apesar da hipnose, ele ainda consegue produzir uma resposta honesta, então o Mack compra a história dele.

Lá na base não tão secreta, a Ruby tá brincando com a Jemma enquanto o Fitz tá consertando a máquina que vai transformar ela na Destruidora de Mundos. No início, a Simmons tá presa, mas o Fitz precisa dela pra acelerar o processo, já que eles sempre trabalharam como um dupla, então ela é liberada. Um momento muito fofo é que a Ruby shippa deles, dizendo isso abertamente. E eles tomam a decisão de continuar trabalhando pra ver até onde essa teoria muito louca deles vai, mesmo sendo ameaçados a todo momento. Enquanto isso, no Quinjet, tudo que a Ioiô faz é sofrer e gemer de dor.

A base da Hidra foi descoberta, então a equipe tá montando um plano pra ir lá e atacar com tudo pra recapturar o gravitonium – que eles não fazem ideia que já foi tirado de lá. A Daisy, liderando tudo, decide que o Coulson vai ficar pra trás, assim como o Mack e o Deke (que tá usando perfume e tá todo se atirando pra Daisy e o Mack tá cada vez mais confuso com isso).

E, nesse meio tempo, o Creel tá enlouquecendo cada vez mais com o gravitonium e as mentes dentro da mente dele. Ou seja, a Hale tá querendo cada vez mais que a Ruby não chegue nem perto do negócio.

Aí, a invasão da base acontece. O cena é muito bonita, inclusive. O Zephyr lança um míssil e a Daisy e a May tão naquele compartimento que usam pra controlar pessoas com poderes, mas que serve muito bem como uma espécie de pod que vai nos lugares onde a chegada é complicada. O míssil atinge o chão, abrindo espaço pra elas entrarem com tudo, já batendo em todo mundo no caminho. A May batendo porque tá querendo descontar a raiva que sente da incapacidade do Coulson não falar sobre os sentimentos, inclusive (coisa que ele até percebeu). Mas, chegando lá, a Hale se entrega, dizendo que não tem tempo pra lutas, já que a Ruby levou o gravitonium e tá no mesmo lugar que a máquina que vai criar a Destruidora de Mundos e os cientistas da S.H.I.E.L.D. Ou seja, todo mundo precisa se unir ali pra evitar o pior.

Daí começa a dar tudo errado. No quarto da Robin e da mãe dela, o Talbot tá dando uma olhada nos desenhos que a guria fez, tentando entender o que eles querem dizer, além de saber mais sobre a habilidade dela. Ele começa a perguntar sobre alguns desenhos, sobre quando eles vão acontecer, e o desenho do fim do mundo tem a resposta de “logo”. Aí, ele começa a falar que têm pessoas que vão gostar de conhecer ela, e a mãe da Robin sente que tem algo errado. Mas é meio tarde demais e o Talbot deixa ela inconsciente, na frente da filha. E quando diz que ela vai com ele, a Robin diz que já sabia.

Depois de mais uma ameaça e de um beijo caloroso, a Ruby entra na máquina e começa o processo da infusão. Só que, assim que começa, ela já começa a gritar e sentir dor, pedindo pro Alex parar. Ele começa a dar uma surtada típica de adolescente apaixonado mas a Hale, a May e  Daisy chegam e o Fitz consegue parar o processo em 8%. Mas já é o suficiente pra fazer ela flutuar E pra fazer ela, em um gesto, esmagar a cabeça do Alex. E os efeitos de ter as vozes dentro da cabeça, que a gente viu no Creel, também tão bem presentes nela.

E, ao mesmo tempo que isso tudo acontece, o Coulson, o Mack e o Deke descobrem o que o Talbot fez e vão atrás dele e da Robin, encontrando os dois no hangar, tentando ir embora. Aí começa um diálogo entre eles, com o diretor tentando convencer o general de que ele tá sob lavagem cerebral e que aquilo não é certo, mas as coisas não tão dando muito certo. A cena fica indo de um lado pro outro mantendo a tensão. Na base, a Hale e a Daisy tentam controlar a Ruby, que tá cada vez mais próxima de ceder pras vozes na cabeça dela. Aí, a Ioiô volta do Quinjet, e quando ela vê que a May tá lá e dizem que a situação tá sendo resolvida, ela percebe que é a Daisy quem tá resolvendo e decide ir atrás. No Farol, o Talbot tá com arma apontada pra cabeça dele, dizendo que é o único jeito, já que ele não pode mais confiar na mente dele. O Coulson consegue usar o próprio papo da Hidra pra fazer ele desistir disso, e o Mack surge pra dar um tiro com o tranquilizante. A Ruby tá muito próxima de perder o controle, quase matando a Daisy no processo, mas ouvindo as palavras da mãe e fazendo o possível pra lutar contra as vozes. Mas a Ioiô chega lá e, tomada por algum tipo de loucura, percebe que a Ruby tá se tornando a Destruidora de Mundos e resolve tomar uma atitude muito drástica: matar a Ruby, usando a própria arma dela contra ela mesma. Mas o gravitonium ainda vive e acontece uma pequena explosão. O resto da equipe chega lá e vê a cena e descobrem que a Hale conseguiu fugir no meio disso tudo. E, quando a Daisy diz que ela matou a Ruby, a Ioiô diz que acabou de salvar o mundo.

E a Hale foi lá falar com os aliens dizendo que, resumidamente, ela sabe onde tá o gravitonium e que ele pode matar todo mundo da S.H.I.E.LD. pra conseguir.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Rafael Augusto

Um hiperativo que não sabe viver sem ler, escrever, ouvir música, ver séries e filmes, geralmente tudo ao mesmo tempo. Fã de ficção científica, suspense, Stephen King e histórias em quadrinhos.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu