Todas as peças do quebra-cabeça têm uma função.

Já estamos no terceiro episódio da temporada, e ainda estamos no processo de construção e apresentação do Cartel de Cali. Dessa vez, fomos apresentados à Franklin Jurado, responsável pela lavagem de dinheiro do cartel nos paraísos fiscais do Caribe. Apesar da importância do personagem, tivemos apenas uma breve apresentação do que ele representa pra organização criminosa, e da sua vida particular, incluindo sua esposa americana Christina, que pode vir a se tornar instrumento de chantagem, como a maioria das esposas dessa série.

Tivemos 3 núcleos de acontecimentos importantes nesse episódio. O primeiro foi uma operação liderada por Feistl e Daniel, novos agentes da DEA em Cali, que estavam buscando novas informações sobre o Cartel, juntamente com a polícia. Mal sabiam que os policiais de Cali são todos corruptos. Fato é que eles conseguiram chegar no escritório de Pallomari, o contador dos irmãos Rodriguez. Salcedo bem que tentou alertar Pallomari, mas no fim das contas os agentes conseguiram levar alguns documentos. Por sorte, nada que afetasse muito o Cartel. O principal mesmo, pra mim, foi a sequência de Salcedo salvando o dia, mas quase sucumbindo ao DEA.

O segundo acontecimento envolveu o agente Peña. Ele estavam na cola de Jurado, mas foi parado pelo chefe da CIA, que o obrigou a fazer uma tour pela selva, juntamente com 2 senadores americanos que poderiam vir a financiar as operações na Colômbia. Acontece que era tudo armado pelo chefe da CIA. Um teatro no meio da floresta colombiana, apenas pra mostrar que eles não estão lá só pelas mulheres e pela bebida. Peña saiu cuspindo fogo, não por menos.

No terceiro acontecimento temos Pacho recebendo Amado Fuentes, o rei dos céus na Colômbia, responsável pelo transporte de droga e dinheiro dos cartéis. Na verdade, foi apenas pra mostrar uma proposta que Pacho recebeu de Amado, para largar o Cartel de Cali e fundar um novo com ele. Não podemos dizer que ele não ficou tentado, principalmente em uma conversa com seu irmão. Mas por enquanto, nenhuma decisão tomada.

Por fim, outras pequenas coisas aconteceram, como a apresentação do advogado americano do Cartel de Cali, e Maria Salazar sucumbindo à pressão de Miguel Rodriguez para aceitar alguns mimos, tudo em troca de sabemos o quê. O fim do episódio é que guardou o que queríamos mesmo: Feistl e Daniel, que deveriam partir de volta pra Bogotá, na verdade seguiram Pallomari até o esconderijo de Gilberto Rodriguez, e imediatamente contataram Peña. Sem perder tempo, Peña foi até o Coronel Martinez, em busca de alguma autoridade de confiança para capturar um dos líderes do Cartel de Cali.

Gerson Elesbão
Gerson Elesbão

Nem tão complicado demais, mas nem tão simples assim: quebra-galho, colunista e seriador. Dificilmente atualiza o Banco de Séries, mas adora gongar as séries amadas pelo público. @gersonelesbao
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: