Posts Populares

#NowPlaying: Dark

Vamos darknizar um pouco nossas playlists?

Uma das séries de maior sucesso da empresa de streaming Netflix nesse ano de 2017 foi a tão misteriosa Dark. Já fizemos a nossa maratona de reviews, que você pode conferir clicando AQUI. A série de origem alemã entregou dez EPs com uma qualidade acima do esperado, e mostrou que veio para ficar. E não era para menos. O seriado aborda desde temas do dia a dia como traição, prostituição e romances adolescentes, até coisas bem mais complexas, como viagem no tempo. E acredite se quiser, está tudo conectado!

Mas uma das maiores qualidades dessa série foi com toda certeza a sonorização. Os barulhos e ruídos em cada cena ajudaram muito na dramatização e até mesmo no suspense que eles queriam passar. Mas além disso, a trilha sonora foi bem singular, trazendo algumas coisas dos anos 80, até sons da atualidade. E com uma certa linearidade entre os indies e alternativos, raramente vista em outras séries.

Mas chega de enrolação, vamos falar do que importa. Trouxemos algumas das nossas músicas favoritas da série, e também algumas que achamos importantes no contexto. “Ah, mas eu queria saber de todas!” Não seja por isso, no final colocaremos uma playlist com a lista completa da trilha sonora dessa série maravilhosa.

Apparat feat. Soap&Skin – “Goodbye”

E já começamos com esse hino que não é nada menos que a música de abertura da série. Essa música foi lançada em 2011 e tem uma pegada bem obscura (avá) que combina perfeitamente com a série, dando essa aura sombria para a abertura. Com certeza é uma das músicas para colocar em suas playlists indies e desfrutar quando bater aquela saudade da série.

Nena – “Irgendwie, Irgendwo, Irgendwann”

Como vocês devem saber, a série tem uma parte que se passa nos anos 80, e essa música é a amostra perfeita da imagem que a série nos passa da cidadezinha de Winden. De uma cantora alemã da época, a letra é algo que fala de amor, mas uma de suas passagens chama a atenção: “Na queda através do tempo e espaço/Acordado de um sonho/Apenas um breve momento/Depois retorna para a noite.” O que isso quer dizer? Absolutamente nada shaushaush mas quis compartilhar com vocês.

Agnes Obel – “Familiar”

Mais uma musiquinha indie. Dessa vez Dark trouxe uma música mais recente, lançada em 2016, mas com uma pegada totalmente perfeita. Lenta, profunda, a música em uma combinação com as cenas fortes e marcantes da série conseguem fazer com que o espectador se conecte e sinta as emoções e sensações de uma forma mais emblemática.

Fever Ray – “Keep The Streets Empty For Me”

A música nos foi introduzida no final do 4º episódio, enquanto Elisabeth estava desaparecida, e ela foi simplesmente perfeita para o momento, com essa carga emocional bem pesada. Se parar para observar, a música tem a mesma vibe de “Familiar”, porém com o instrumental mais destacado, o que vem condiz muito com o que nos foi apresentado pela série em outros momentos. Uma ótima aquisição para aqueles que não conheciam a música.

Soap&Skin – “Me And The Devil”

Outra música alternativa bem atual, Dark apostou mais uma vez na cantora que se autonomeia de Soap&Skin, que já estava presente na abertura. “Me and The Devil” puxa menos para o lado emotivo, e mais para uma sensação de mistério, de misticidade. Aliás, indico que vocês procurem mais sobre o trabalho dessa cantora austríaca, que é incrível!

A Flock Of Seagulls – “I Ran”

Com uma pegada mais animada que o habitual, Dark nos introduz algo um tanto antigo (e condizente com a época em que se passa), nos levando em uma viagem ao tão falado anos 80 com seus solos de guitarra e uma bateria bem destacada. É um dos grandes diferenciais na sequencia indie que a série nos apresentou.

Stomper feat. Lucy Tops – “Wishing Well”

E esse hino adaptado exclusivamente para a série não podia ficar de fora, não é mesmo? Os tambores ao fundo, os sussurros, a voz densa da cantora, criam um ambiente enigmático em nossa mente. Devo ressaltar que essa é a 1ª música desse(a) artista conhecido por Stomper, e adorei a vibe. Já Lucy Tops possui algumas músicas no spotify, mas nenhuma com mais de 1000 streams, e em uma pegada diferente da apresentada aqui, mas vale a pena dar uma conferida.

Dan Deacon – “When I Was Done Dying”

E a última música de hoje é uma que foi bem condizente com tudo que Dark trouxe de musicalidade: um indie/alternative bem atual. É perceptível que o instrumental dela é bem mais forte que o vocal, o que também é um ponto característico da série. Acredito que as músicas que compuseram sua trilha sonora foram um ponto chave para passar o drama da série, juntamente com a ótima atuação dos atores. Funcionou muito bem, e por isso vim aqui trazer esse pedacinho do que foi esse show de série original da nossa tão idolatrada Netflix.

Fico por aqui com esse #NowPlaying, mas não poderia deixar de colocar a playlist completa com todas as músicas que estiveram presentes na série. Aproveitem!

gostou da matéria? deixe um comentário!

João Pedro

Canceriano de 20 anos localizado no Mato Grosso. Fã de divas pop, porém viciado em muitas bandinhas indies também. Assisto séries e filmes em horário integral, e estudo Direito nas horas vagas.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu