Posts Populares

Panelaço: Melhores Minisséries Brasileiras

Se tem uma coisa que o brasileiro sabe fazer além de novela, é minissérie.

Foi super difícil fazer uma lista com as melhores minisséries brasileiras, porque me dei conta que eu me tornei a seriadora que sou hoje em dia, principalmente, por conta das minisséries da Globo que sempre assisti desde criança até hoje em dia. E vamos combinar que atualmente o conteúdo tem ficado cada vez melhor, roteiros, direção, fotografia, etc. Separei as que foram marcantes não só na época, mas que continuam sendo até hoje como maiores sucessos da Rede Globo e, claro, as que mais me marcaram também. Vamos dar uma olhada?

6º lugar – Amores Roubados

Amores Roubados foi ao ar no ano de 2014 econta a história de Leandro, um jovem nascido no sertão do Recife, mas criado em São Paulo pela mãe Carolina Dantas. Mais velho, ele retorna à sua cidade natal como sommelier, onde se envolve com três mulheres: Celeste, Isabel e Antônia. Leandro e Antônia se apaixonam e a partir daí, a história fica cada vez mais tensa e até trágica.
Essa foi uma minissérie que me pegou já no primeiro capítulo e a cada um que passava, eu ficava cada vez mais intrigada e apegada. O final foi um dos mais intensos e marcantes e dividiu muitas opiniões. Não tinha como deixá-la de fora dessa lista.

5º lugar – As Cariocas

As Cariocas foi uma série de 2010 e a cada episódio contava a história de uma mulher diferente, totalizando 10 mulheres que moravam em um bairro diferente do Rio de Janeiro. O elenco da série era de peso contando com Adriana Esteves, Deborah Secco, Alinne Moraes, entre outras. A série passeava entre o humor, o drama e o romance e foi um grande sucesso de audiência da época, originando uma outra série “As Brasileiras” que foi ótima, mas não conseguiu uma audiência tão alta quanto a série original. Lembro bem de ficar em cólicas toda terça-feira para saber qual era a história de vez e o final sempre me pegava de surpresa e hoje me dou conta que o que eu mais gostava na série era o fato de serem mulheres poderosas e protagonizando papéis geralmente dados a homens, coisa que na época era muito mais raro do que hoje.

4º lugar – Presença de Anita

Presença de Anita estreou em 2001 e contava a história de Anita, uma ninfeta que acaba tendo um caso com o pai de uma das suas amigas e desperta a paixão no seu vizinho adolescente. A partir daí, ela forma um triângulo amoroso com os dois e acontecem vários plot twists, inclusive porque Nando (o pai da amiga) é casado com Lúcia Helena e ela convive diariamente com a família. Eu fiquei bem chocada com essa história na época porque é um baque na família tradicional brasileira e eu ainda era nova, mas hoje em dia eu percebo o quão real uma história dessas é e mostra justamente o quanto homens são estimulados a verem as meninas desde cedo como objeto sexual. Hoje em dia teria como tecer diversas críticas baseadas na série, vale a reflexão.

3º lugar – Hilda Furacão

Uma das minhas séries preferidas de todos os tempos. Hilda Furacão foi exibida em 1998 e foi baseada em um livro que contava a história real de juventude da prostituta Hilda Maia Valentim, mais conhecida na zona boêmia de Belo Horizonte como Hilda Furacão. A série aborda temas como prostituição, celibato, religiosidade, família e política. É bem interessante assistir essa série atualmente e ver como que a prostituição era encarada há décadas e décadas atrás, como o acesso à notícia mudou, mas como muitas visões e interpretações ainda permanecem da mesma forma.

2º lugar – Justiça

Que série, meus amigos! Ela está em vários especiais nossos porque merece aplausos de pé. Justiça foi exibida em 2016 e a cada dia da semana contava a história das 4 personagens principais que tinha na série e que tiverem o seu destino selado em uma mesma noite no Recife. As personagens eram Vicente, Rose, Maurício e Fátima que acabaram presos por seus crimes ou supostos crimes. A série abordou de maneira belíssima o racismo, eutanásia, a vingança, o machismo e o feminicídio, temas tão falados e debatidos hoje em dia. Uma verdadeira obra-prima que só não ficou na liderança porque resolvi reverenciar uma outra série nesse Panelaço 😛

1º lugar – A Casa das Sete Mulheres

A Casa das Sete Mulheres foi a primeira série brasileira pela qual me apaixonei e assisti do começo ao fim sem perder um capítulo. Por mais que Presença de Anita e Hilda Furacão estejam na lista, como eu era muito nova na época que foram lançadas, só assisti no reprise, mas A Casa eu assisti “ao vivaço” e vibrando a cada episódio, por isso e porque ao meu ver foi uma das maiores obras primas produzidas pela Globo até hoje, ela ficou com o 1º lugar. A série se passava na Revolução Farroupilha no ano de 1835 e o foco não era somente a guerra, eram essas 7 mulheres que viviam os reflexos dessa guerra em suas vidas. Hoje em dia também percebo que foi tão importante pra mim justamente porque quem estava no papel de destaque eram as mulheres e cada uma delas mostrava a sua força em determinado momento e de determinada forma. As mulheres eram Manuela, Caetana, Rosário, Perpétua, Mariana, Maria e Dona Joaquina. Se vocês nunca viram esse hino de série, terminem de ler aqui e assistam já!

 

MENÇÃO HONROSA: Dupla Identidade

Dupla Identidade entrou como Menção Honrosa porque merecia estar nesse Panelaço. A série foi exibida no ano de 2014 e contava a história de Edu, um serial killer que assassinava mulheres sem, praticamente, deixar rastros, De dia ele era o bom moço que trabalhava com o senador e tinha uma namorada apaixonada e à noite, Edu mostrava o seu outro lado. Enquanto a polícia investiga a fundo os casos do serial killer, Edu prova que aquele ditado “O inimigo mora ao lado” é mais real do que se imagina. Uma outra grande produção da Globo que deixou muitas pessoas querendo uma 2ª temporada da série, mas a criadora (Glória Perez) descartou para tristeza de muitos.

—————-

E aí, gostaram? Conhecem todas essas séries? Se não conhecem, deu vontade de assistir? Quais séries você colocaria, manteria ou tiraria? Deixa sua opinião nos comentários abaixo e bora trocar figurinha 😉

gostou da matéria? deixe um comentário!

Caroline Azevedo

Seriadora de carteirinha. Shipper de plantão. Friendsmaníaca. Viciada em música. Feminista. Meu sonho é ser uma Sense8 e me dividir em várias partes para conhecer esse mundão afora, tudo ao mesmo tempo, agora.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu