Posts Populares

Panelaço: Melhores Séries Infantis

Qual foi a série que mais marcou a sua infância?

Todo mundo tem aquela série que marcou a sua infância de uma forma única. Aquele programa que você mal podia esperar para assistir na hora do almoço antes de ir pra escola ou logo depois de acordar. Tem séries que por mais que passe o tempo, nunca serão esquecidas e serão sempre lembradas da forma mais gostosa possível. Listamos algumas dessas pra vocês. Preparados para a sessão nostalgia?

 

Família Dinossauro (SBT/Band/Globo :1991/1994)

Como esquecer de bordões como “Não é a mamãe!” ou “Querida, cheguei!” tão maravilhosamente representados nessa série que foi Família Dinossauros? Apesar de ser uma série infantil, Família Dinossauros fazia diversas críticas bem-humoradas aos costumes da classe média dos Estados Unidos e da visão patrão-empregado ao longo dos anos que ficou no ar. A série é americana e foi exibida pela primeira vez no Brasil no ano de 1992 e se encerrou em 1994, mas mesmo tendo seu encerramento oficial aqui no país em 1995, continuou tendo várias reexibições ao longo dos anos. As personagens principais que integravam a família Silva Sauro eram: Dino, Fran, Charlene, Bob, Zilda e Baby. A série conta a história da família Silva Sauro, uma família de dinossauros, que vive em uma sociedade dominada pelos grandes répteis e os humanos são animais selvagens e ameaçadores. Como não amar?

(Texto por Caroline Azevedo)

TV Colosso (Rede Globo: 1993/1997)

Um programa desses, bicho! TV Colosso foi um programa infantil originalmente brasileiro que ficou no ar de 1993 a 1997. Eu tinha apenas 5 anos de idade e mal podia esperar a hora para dançar junto com a abertura do programa e enaltecer a estrela do programa, Priscila. O programa nada mais era que cães (bonecos) simulando uma emissora de TV com direito a todas as personagens dentro dela, além de diversos tipos de programas exibidos na tal TV Colosso. A protagonista, Priscila, era uma sheepdog e tínhamos também como destaque o operador Borges, que era um bulldog. Além disso, a TV Colosso também exibia diversos desenhos animados durante a sua “programação”. TV Colosso é uma daquelas séries que deixa saudade até hoje entre as crianças da época.

(Texto por Caroline Azevedo)

Power Rangers (Globo/Band: 1993/Atualmente)

GO GO POWER RANGERS!

Imagina que loucura se cinco jovens aleatórios fossem escolhidos para ganhar grandes poderes para defender o mundo de ataques de alienígenas, que querem destruir a Terra. Essa é a premissa de Power Rangers e não é muito absurdo, se levarmos em consideração o sucesso que a série fez. Quem nunca brincou que era um Power Ranger quando era pequeno, não teve infância, certo? Crescemos ouvindo que era “hora de morfar”, os “ai ai ai ai ai” do Alpha e disputando para decidir quem seria o vermelho e a rosa (bem heteronormativo). O sucesso foi tamanho, que a série inicial, a Mighty Morphin, durou três temporadas e ganhou dois filmes. E depois dela, ainda tivemos mais 22 temporadas se estendendo até 2018 e com mais uma programada para fevereiro de 2019. É claro que muito da essência original de Power Ranger pode ter se perdido pelo caminho, mas personagens icônicos como o Jason e Kimberly estão marcados na nossa memória até hoje, tanto que fizeram um pequeno cameo no filme que fizeram em 2017.

(Texto por Thais Pereira)

Castelo Rá Tim Bum (TV Cultura: 1994/1997)

Mais um daqueles programas inesquecíveis e que até hoje deixa resquícios de saudade. Castelo Rá Tim Bum foi uma série educativa e originalmente produzida pela TV Cultura que teve sua primeira exibição no ano de 1994 e ficou no ar até 1997. A história foca em Nino, um garoto de 300 anos e aprendiz de feiticeiro que vive com seu tio, o Dr. Victor, um feiticeiro e cientista, e com sua tia-avó Morgana, uma feiticeira de 6.000 anos de idade. Os três moram em um castelo na cidade de São Paulo. Nino conta com seus amigos animais sobrenaturais e acaba trazendo ao castelo através de um feitiço, três crianças que tinham acabado de sair da escola. A partir daí, várias aventuras e histórias se desenrolam com essas e muitas outras personagens como o Etelvaldo, Penélope, Dr Abobrinha e mais.
Castelo Rá Tim Bum foi um programa tão marcante na infância de muitas pessoas, que quando completou 20 anos da estréia do programa, foi realizada um exposição recriando o Castelo para que os visitantes se sentissem como parte de todo aquele universo que viveram de longe por tantos anos.

(Texto por Caroline Azevedo)

Caça Talentos (Rede Globo: (1996/1998)

AVALANCHEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE.

Angélica pode estar na geladeira da Globo agora, mas a sua estreia foi incrível. Além de um programa matinal, ela tinha uma série para chamar de sua e que é lembrada com carinho até hoje. Caça Talentos conta da história de Bela, uma jovem que perdeu os pais no acidente e foi criada por duas fadas num mundo mágico. Quando cresceu e descobriu suas origens, ela resolve vir ao mundo real e procurar mais sobre sua história, mas acaba se envolvendo com Artur, o dono de uma produtora de tv. Então Bela decide ficar um tempo indo e vindo entre os mundos, enquanto decide qual escolher, porém ela não pode deixar que seu envolvimento com Artur vá “longe demais”, pois um beijo fará com que seus poderes desapareçam e a deixará presa no mundo real para sempre.
Caça Talentos reuniu muita gente boa, a começar por Claudia Rodrigues e Ana Furtado, em seu primeiro papel na tv. Sua personagem roubava a cena sempre que tinha chance, não me espanta o espaço que ela conseguiu depois disso. Depois de um pouco mais de 450 episódios e quatro temporadas, a série chegou ao fim com a decisão de Bela em continuar fada e manter apenas uma amizade com Artur. Até porque, né, prioridades…
POR MERLIN!

(Texto por Thais Pereira)

Sítio do Pica Pau Amarelo (Rede Globo: 2001/2007)

Quando aparecia a contagem regressiva na tv e a musiquinha começava a tocar, a gente já sabia que era hora de sentar para assistir ao Sítio. Ver todas as junções dos mitos brasileiros ganhando vida, com mais algumas fábulas de Monteiro Lobato era muito enriquecedor para a nossa infância. Mas ainda mais gratificante era ver as atuações de Dhu Moraes, João Acaibe, Nicette Bruno/Suely Franco e ver o crescimento de Isabelle Drummond como pessoa e como atriz. Fora a trilha sonora, que era um show a parte, as novas versões de músicas já consagradas e conhecidas ficaram em nossa memória, porque eu, por exemplo, ainda lembro claramente da Ivete cantando o tema da Narizinho, a Cassia Eller cantando o da Cuca e Zeca Pagodinho cantando o tema da Tia Anastácia. Ainda tinham os especiais de Natal, que reuniam um time grande de atores consagrados para fazer participações especiais. Foram mais de 1.150 capítulos ao longo das sete temporadas que a série teve em sua segunda versão.

(Texto por Thais Pereira)

Menção Honrosa: Disney Club/Tv Cruj (SBT: 1997/2003)

Ah, que saudade do meu, do seu, do nosso COMITÊ REVOLUCIONÁRIO ULTRA JOVEM.

Disney Club é um programa de desenho/série de tv que foi ar no SBT entre os anos de 1997 e 2003 e fez um sucesso absurdo. Lembro bem de assistir todos os dias, porque além de achar o Juca/Caju uma gracinha (#CrushDaInfância). passava muitos desenhos que eu gostava: Marsupilami, A Turma do Pateta, Hércules, Os Super Patos (!!!) e Hora do Recreio. A série foi sofrendo alterações ao longo do tempo, tanto no elenco, quanto na história, chegando até a mudar de nome, de Disney Club, mudou para Disney Cruj. Mas o fato é que a minha geração, ou seja, a galera nascida no início dos anos 90, teve o caráter formado pelos desenhos que passavam nosso comitê e não podia deixar de encerrar uma transmissão sem o famosso: CRUJ, CRUJ, CRUJ, TCHAU.

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Thais Pereira

Feminista, leonina com ascendente em gêmeos e lua em virgem, viciada em memes, em Friends e problematizar na internet. Formada em História da Arte, mas consciente que nunca vai trabalhar com isso na vida. Normalmente eu escrevo e falo mais do que deveria. Eu mesma, Thais Mello.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu