Posts Populares

Panelaço: Séries Baseadas em Livros

Quem disse que livro e série não combinam?

Para os seriemaníacos e que também são amantes da literatura, resolvemos fazer um Panelaço para agradar a ambos, e trazer para vocês as melhores séries que foram baseadas em obras literárias. Temos uma grande quantidade de séries que se encaixam nessa categoria, por isso as séries escolhidas foram frutos de discussões entre os paneleiros e tiramos as nossas seis favoritas + menção honrosa. Devo adiantar que não foi fácil a seleção, mas espero que agrade a todos. Caso sinta falta de alguma série que você goste, e que foi baseada em algum livro, é só deixar seu comentário no final do post, ok? Então vamos para o que interessa!

Game of Thrones

Como falar de séries baseadas em livros e deixar essa obra prima de lado? Game of Thrones foi a série que surgiu baseada na sequência de livros chamada de As Crônicas de Gelo e Fogo, e seu nome se dá em razão do primeiro livro da série, A Guerra dos Tronos. A história se passa no reino de Westeros e narra a história de algumas famílias em seus conflitos, principalmente políticos. A premissa inicial é a chegada do inverno que acabaria trazendo uma antiga ameaça. O que se sabe é que em Westeros a passagem de uma estação para outra pode durar anos. Essa ameaça que eles tanto temem chama-se Os Outros, que nada mais são do que pessoas que morreram e voltaram a vida, em corpos brancos e olhos azuis, e que possuem desejo de atravessarem a gigante muralha de gelo que defende os reinos. Para quem não conhece, a série é famosa por ser impiedosa com personagens queridos pelo público, então se você tem coração fraco, esse não é o seriado correto pra você. Apesar de se iniciar completamente fiel aos livros, atualmente a série já está a frente do que foi escrito, apesar de tomar alguns caminhos diferentes em alguns momentos. Com os dias contados, Game Of Thrones terá apenas mais uma temporada, enquanto esperamos que o escritor George R. R. Martin lance mais dois livros para finalizar a saga.

Confira nossas reviews da série clicando aqui.

The Handmaid’s Tale

A série que varreu a maioria das premiações de 2017 nada mais é que uma adaptação do livro Os Contos da Aia, de Margaret Atwood. Apesar do livro ser de 1985, a premissa se encaixa exatamente pela fase que o mundo está passando: muitos homens de visão extremamente conservadora tomando o poder e tirando os (já poucos) direitos das mulheres. Na história, o antigo Estados Unidos, atual Gilead, passa a ser controlado por um governo teocrático, totalitário, fundamentalmente cristão e as mulheres perdem COMPLETAMENTE o seu espaço, servindo apenas como esposas, empregadas ou aias (que são utilizadas para a procriação). Apesar de surreal, o que mais me assusta é que essa “realidade” não seria difícil de chegar, levando em consideração os representantes que estão sendo eleitos mundo a fora. A série teve grande sucesso em sua primeira temporada, principalmente no quesito interpretação, e está com a sua segunda temporada próxima de ser lançada.

Confira nossas reviews da série clicando aqui.

The 100

Como não citar uma das séries de maior sucesso da CW? The 100 é uma série baseada em uma triologia: The 100 Os Escolhidos, Dia 21, De Volta, da autora Kass Morgan. N história a Terra acabou se tornando completamente inabitável depois de uma catástrofe nuclear. Os sobreviventes conseguiram fugir para o espaço, vivendo em uma estação especial chamada Colônia. Existem leis muito duras na Colônia com o objetivo de manter a raça humana viva, então os menores crimes são puníveis com a morte. Isso acontece com quase todos, porém aqueles que ainda não completaram 18 anos ficam no Confinamento esperando por um “rejulgamento” ao atingirem essa idade. Por alguma razão que não é explicada no início do livro, 100 desses jovens que estão em confinamento são enviados à Terra para determinar se o planeta é novamente habitável. Uma das maiores diferenças entre a série e o livro está nos personagens: personagens importantes como Finn, Atom e Jasper sequer são citados no primeiro livro, mas em compensação temos Glass e Graham, que são personagens importantes na história dos livros. No geral, o enredo se manteve fiel aos livros, tirando o fato de ter feito sucesso, e assim como Game of Thrones, acabou ultrapassando o que já estava escrito.

Confira nossas reviews da série clicando aqui.

Outlander

Uma das principais coisas que Outlander merece ser glorificada de pé, é pela excelente adaptação dos livros para a série. Eu, particularmente, ainda não li os livros, mas com certeza não demorarei muito para ler, principalmente porque todos que conheço que leram os livros e assistem a série, são só elogios, destacando o fato de como a série conseguiu modificar praticamente nada dos livros. É claro que alguns pequenos detalhes sempre são modificados para encaixar na TV e temos que levar em consideração justamente as plataformas usadas para gerar comparação. Já foram lançados 8 livros (o último ainda não saiu no Brasil) e a série concluiu sua 3ª temporada há alguns meses. A série/saga de livros é protagonizada por Claire Randall, que é uma enfermeira inglesa e atuou na Segunda Guerra Mundial há pouco tempo. Ela é casada com Frank Randall e os dois resolvem passar um período na Escócia após muito tempo longe por conta da guerra. Por meio de uma magia das bruxas, Claire acaba sem querer voltando 200 anos no tempo e conhece o maravilhoso escocês Jamie Fraser, com quem acaba vivendo uma belíssima história de amor. E isso não é nem metade do que a série tem a oferecer… Uma coisa muito interessante também é que ela aborda questões polêmicas atuais pelo olhar da época como o machismo e o racismo. Se você ainda não viu a série ou leu os livros e já se interessou só por essa breve sinopse, corre pra ver porque é muito mais maravilhoso que pode parecer. Perde tempo não, corre!

Texto por Caroline Azevedo
Confira nossas reviews da série clicando aqui.

American Gods

A premissa de American Gods, de uma forma muito simplificada, é a seguinte: e se deuses fossem reais e dependessem das nossas preces e oferendas pra se manterem poderosos? Essa ideia, por si só, já é o suficiente pra gente dar parabéns pro Neil Gaiman, mas a coisa vai além. Deuses não precisam ser aqueles das mitologias, que a gente conhece desde sempre, podem ser também objetos, pessoas, seres que a gente idolatra e dedica tanto tempo e esforço que acabam se tornando deuses. Ou seja, a internet é um deus, a televisão é um deus, Harry Potter é um deus. Tá, mais não para por aí. Os deuses antigos ainda existem e, obviamente, sentem que tão perdendo poder e relevância nesse mundo onde ninguém mais reza pra eles e resolvem que o jeito de voltar a ser importante é através de uma guerra contra os novos deuses. E, no meio disso tudo, tá um humano normal, que acabou de sair da cadeia e descobrir que a esposa traia ele com o melhor amigo. O livro é profundo, o livro é lindo, o livro é a obra-prima do Neil Gaiman e digo que vale a pena que todo mundo leia. A série também é linda, mas as discussões e histórias não são tão bem executadas como são no livro. Porém, a introdução de cada episódio é algo extra, que a gente não tinha tão desenvolvido no livro. Outra coisa que a gente precisa lembrar é que a primeira temporada só aborda uma parte pequena do livro, então ainda tem muita história a ser contada.

Texto por Rafael Augusto
Confira nossas reviews da série clicando aqui.

13 Reasons Why

Baseada no livro homônimo, escrito por Jay Asher, a série se tornou uma das melhores adaptações de livros em séries, carregando muito bem a mensagem que o escritor queria passar, apesar de fazer algumas modificações para deixar a série mais “vendível”. Os Treze Porquês conta a história de Hannah Baker, uma garota que suicidou-se, e deixou para trás 13 fitas contando os 13 principais motivos dela ter feito isso. Cada fita é relacionada a um acontecimento com alguma pessoa, e as fitas devem passar por todas essas pessoas, para elas saberem o que fizeram. A série, apesar de tudo, foi muito criticada, já que pode ser uma faca de dois gumes: abrir os olhos das pessoas que fazem o bullying; ou servir de gatilho para as pessoas com depressão. Com uma temporada de sucesso, a Netflix confirmou uma segunda temporada, mas ninguém sabe como será essa continuação, afinal, a primeira temporada abordou o livro inteiro já. E ai, também estão curiosos?

Confira nossas reviews da série clicando aqui.

Menção Honrosa: Orange Is The New Black

Como menção honrosa resolvemos escolher um livro que na verdade era uma biografia, e acabou virando série. Nesse sentido, nada melhor que escolher Orange is The New Black, baseada no livro homônimo com as memórias da autora Piper Kerman. A história retrata a prisão de Piper, uma branca, classe média, com a vida toda feita, que é acusada de ser cúmplice de uma traficante, algo que aconteceu 10 anos antes. Seu mundo então vira de cabeça para baixo. O livro é bem mais maduro e um tanto mais dramático que a série, já que eles resolveram arriscar em algo mais de humor do que levar o livro a risca. Em relação aos personagens, a maioria são os mesmo, com exceção de alguns (alguns tem no livro e não tem na série, e vice-versa). Assim como outras séries, o livro é bem curto, são realmente apenas algumas passagens, enquanto a série foi bem mais a frente do que a autora tinha escrito (o que o capitalismo não faz, não é mesmo), mas nem por isso a série deixa de ser amável e incrível. Vale a pena assistir.

Confira nossas reviews da série clicando aqui.

Por enquanto é isso pessoal! Quem sabe, não venha por aí um parte 2 com as séries que faltaram, não é mesmo? HAHAHAHAHAH Lembrando que as opiniões aqui são completamente pessoais e parciais. Caso não tenha concordado com algo, baixa deixar seu comentário aqui em baixo, que responderemos assim que possível. Quais séries vocês acharam que faltou? Quais da lista vocês mais gostam? Qual destes livros vocês já leram? Vamos ver se vocês são leitores assíduos!

Até a próxima.

gostou da matéria? deixe um comentário!

João Pedro

Canceriano de 20 anos localizado no Mato Grosso. Fã de divas pop, porém viciado em muitas bandinhas indies também. Assisto séries e filmes em horário integral, e estudo Direito nas horas vagas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu