18 de dezembro de 2015
Quantico – S01E11 – Inside

Com direito a mais uma Bomba!

Chegamos ao último episódio de Quantico, achando que finalmente iria nos revelar o verdadeiro terrorista, para deixar um gancho de outro mundo para o restante da temporada, então esse episódio obviamente as expectativas estavam bem maiores. Então vamos conferir se realmente isso aconteceu.

Durante a Quantico

Que incrível, pois é natal na Quantico, melhor dizendo é virada de ano, achei muito legal a sacada dos produtores em fazer algo meio festa de final de ano dentro da Quantico, nem que seja temporário, pois todos teriam folga para comemorar a virada do jeito que bem entenderem, pois teriam “folga”. Uma coisa bem intrigante dessa série é isso do filho da Miranda, e as vezes podemos pensar que ele é o terrorista, por isso que a mãe defende tanto a Alex. Coloquei Folga anteriormente, porque eles não tiveram uma folga propriamente dita, pois eles teriam que tentar descobrir alguma nova pista de casos abertos da FBI.

365799.jpg

Amei àquela hora em que a Nimah, a Alex, a Shelby e a Natalie se encontram e descobrem que todas mentiram que iriam passar as festas com alguém, e então invés de decidirem beber juntas, a Alex propõe elas descobrirem os casos mais sem solução do FBI e isso foi uma das melhores coisas que já aconteceu, pois elas trabalhando juntas, treinando juntas e bebendo juntas foi demais e inclusive, vimos que a Alex não esquecia o Ryan e teve ajuda até da Natalie para ligar para ele, mas ao ouvir uma voz feminina ela desligou. A Nimah conversando com a Miranda foi demais, mas o que intriga é que todo mundo sabe um pouco do filho da Miranda, menos nós. Quando Caleb chegou “ordenando” a ida da Shelby na festa da família dele, eu pensei que iria acabar com a alegria das meninas, mas Shelby disse que só iria se elas fossem juntas.

Aquela saída das meninas sem Nimah, não foi bem explicada, mas o jantar ao entrarem deu para perceber que seria bem bafo, amei a Alex encontrando uma mulher, e na hora pensei que rolaria briga de aranha, o Caleb ao apresentar a Shelby para sua mãe, viu que tinha algo diferente com ela. A Natalie decidiu não largar o serviço e estava meio que investigando as coisas. Quando o pai do Caleb aparece sempre sinto suspeita no ar, até mesmo quando ele elogia o filho. Quando a Natalie aconselhou a Alex ligar para o Ryan, foi muito engraçado, pois ela acabou encontrando com ele na festa, dando de cara com ele a mulher que a Alex conheceu antes.

365831.jpg

A Alex ao perguntar o Ryan da mulher, ele fala que é a ex mulher dele e que eles trabalham infiltrados como casal e eles acabam se beijando no banheiro. Os diálogos da Nimah e da Miranda nesse episódio foram demais, e adorei quando a Nimah fala do preconceito americano contra os mulçumanos/árabes, desde o 11 de setembro. A conversa da Clarie (mãe do Caleb) e a Shelby parecia daquelas pessoas que se “gostam”, mas sinto que o Caleb tem bom coração mesmo, como disse sua mãe.

Que genial aquela conversa da Alex com o Liam, que basicamente foi “depois do FBI não se deve confiar em alguém, mas toda regra tem exceção”. O Caleb tomou uma titude um pouco questionável, pois ele decidiu deixar para a virada do ano mais uma crise entre seus pais, porque a mãe dele seria candidata a vice-presidente e o pai não sabia. Que mulher incrível é essa ex do Ryan, e que lição de moral ela deu para a Alex, para ela não perder o Ryan, onde ela deve se entregar, pois obviamente ambos se amam.

Depois da virada do ano, a Alex sai com o Liam, para que eles irem para Quantico, e ao chegarem na porta ela pergunta dos casos não selecionados, e ele responde, que mesmo tendo os melhores, eles perdem, então a Alex, pede seu professor para irem para outro local, pois ela quer aprender algo com ele. Que forte aquele fim de relacionamento da Shelby e do Caleb, ela foi tão dura com ele, que fiquei com pena dele. Outra cena emocionante foi a Miranda encontrando seu filho Charlie, todo regaçado, de tanto apanhar.

Pós Atentado

Queria saber mais disso obscuro que está rondando esse plano do FBI com a Alex, principalmente pelo Liam, mas eles pareciam bem engajados em descobrir algum rastro da convenção democrata (queria saber da convenção republicana). Achei bem loucura a Alex colocar o Elias como seu advogado, pois naquela hora que ele apareceu eu senti que ele estava armando algo, mas essa série é tão louca, que o que parece não é, ainda mais com ele botando uma suposta suspeita no Simon e aumentam ainda mais as suspeitas quando eles vão até o apartamento do Simon e chamam algumas coisas bem suspeitas para o próximo atentado.

Quando acham o Simon, ele estava preso segurando um dispositivo que poderia destruir tudo e ele tentou convencer que não foi ele e que estavam tentando acusar ele como fizeram com a Alex.  O Simon usando toda a sua esperteza conseguiu reverter o jogo e colocar o Elias como suspeito, e tenho certeza que não fui o único que o coração parou com aquela contagem regressiva do Simon. A história do Elias foi bem convincente para mim, onde ele ajudou a colocar a Alex nos escombros e o resto da história em tentar incriminar o Simon para proteger o hotel.

365830.jpg

A Alex e sua equipe pensando bem conseguem juntamente com o Elias e Simon acharem o local da bomba, e que estava com muito diesel perto. Quando as garotas vão levar o Elias para o centro de comando ele decide pular do prédio, cometendo um suicídio. Nossa, sempre quando vejo bombas disparadas fico tenso, e aquela bomba me deixou mais tenso. O Simon na hora que ele pede desculpas a Alex, me deixou bem confuso, se é ou não o terrorista.  E que babadão foi aquele da Senadora Clarie ameaçando a Shelby por ter destruído a vida do filho.

Amei a contagem de como foi feita da bomba, pois misturaram a cena da contagem de virada do ano, com a da Bomba. Quando confirmam que a bomba foi desarmada, a Alex conta para o Simon soltar o dispositivo pois a bomba tinha sido desarmada, e ao soltar, se houve uma explosão. Eles agora decidiram colocar a culpa no Caleb, mostrando aquela cena dele na estação.  A Explosão que ouvimos, foi no centro de comando do FBI, passado com essa série, e não sei mais nada de nada.

365834.jpg

Sim, fomos feitos de trouxa, e não nos trouxe o verdadeiro terrorista, e sim, só mais um suspeito, mas já estou e saco cheio disso de toda semana colocar um como suspeita e na outra ele deixa de ser suspeita, mas amei as mulheres trabalhando juntos, e deixou um gancho, pois como eles trabalharam sem o centro de comando e quem estava dentro dele na hora da explosão, então aí um bom gancho para refletir até março.

Então é isso, antes de mais nada um feliz natal e um feliz ano novo amigos, boa sorte e até a próxima.

Phelipe
Phelipe

Bacharel em Direito, Cruzeirense, polêmico quando deve ser, além de muito confuso, autêntico e um pouco louco. Começou o seu amor por série com Prision Break e depois disso virou vício.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: