Posts Populares

RuPaul’s Drag Race – S09E05 – Reality Star: The Musical

Começaram os preparativos para a S10

Tivemos uma excelente semana em RuPauls. A melhor da season até o momento pode-se dizer. Com direito a tudo que gostamos. Teve terapia, problematização, drama e choque. Por partes.

Depois da controversa eliminação de Charlie, seguimos sem delongas, como Trinity bem quer. O ship dos sonhos quase rolou:

Meu mini-challenge está vivo. Amén! Biblioteca e Pupptes são sagrados para o fãs. Mas não agora, esse era para as queens tirarem uma selfie sexy com o Pit Crew, que também está de volta para a alegria de muitas. Nada excepcional. Pepper Mint ou Miss Columbia Sorriso Valentina foram as melhoras, só que Ru declara Alexis campeã.

Os motivos são óbvios e vão além de uma boa selfie. Quem ganhar o mini, designa os papeis do maxi challenge, que é um musical sobre as Kardashian. Musical. Além de um dos melhores desafios, Brodway é o forte de Alexis, que anda muito apagada desde o começo da competição entre seus safe. Essa é sua chance de brilhar. Seu teste. Só não se destaca se não quiser. Ou se não for boa o suficiente mesmo.

Nina deixa sua escolha mais que clara: papa video-clipe Blac Chyna. Numa vibe Shangela estratégia de sabotagem, Alexis nega as investidas e dá o papel a Shea, já sabendo como a personalidade de Nina é, e como isso se voltará para a cabeça e desempenho de Brown.

Em nóia de perseguição constante, Nina reage infantil, ódio indisfarçável. E isso passa para os ensaios. Ela podia ter virado o jogo a seu favor, mostrando desenvoltura, maleabilidade e talento diante uma adversidade, que é o que Ru ama. Ao invés ela fica de carão, inconformada e na defensiva, afastando todos com sua negatividade. Imagina trabalhar com uma pessoa assim! Por mais que na hora ela faça seu serviço bem, como dito por Eureka no U, esse tipo de atitude só mostra insegurança e fraqueza. Assim cada vez mais Miss Cosplay se afasta do prêmio. Só um virada muito grande de postura pode lhe trazer de volta as chances daquela primeira impressão.

Obrigado Alexis por não ter cedido ao papel Miss Simpatia que nem Alaska fez e ter colocado Nina para confrontar um Não, que temos de dar de cara todos os dias na vida real, os crush e empregos que o digam.

No workroom, temos a preparação do que esta por vir no fim do episódio. Comentários sobre a situação da perna de Eureka, aleijada desde a pirueta no segundo desafio, e Trinity mostrando suporte e admiração a “rival”. Muito bem solicíto o momento, não?

O pedido de desculpa de Eureka a Sasha e Valentina vem em boa hora, e aqui não estou desconfiando da maturidade de Eureka. Até o memento ela tem se posicionado bem nos atraques, pecando por não ficar calada mais frequentemente, se mostrando bastante evoluída. Ajudou Nina e Farrah na costura quando elas precisaram. Bianca’s Legacy.

Daí saiu aqueles momentos desabafo problematização de workroom sobre distúrbios alimentares, ou como colocado por Sasha: Terapia de Grupo. Entendo a posição de Eureka, que como gorda apedrejada pela sociedade deve sentir enjoo do white guy problem “é difícil ser magra, não consigo comer”. Só que, o mal que atinge Eureka da gordofobia, é o mesmo que atinge as anoréxicas, só que em sentido oposto. Tudo é resultado da mesma fonte. Istagram. Quer dizer. A busca de um padrão ideal inalcançável. ABNT. Tem que ser magra. As redes sociais aumentam essa pressão e isso fode com a cabeça das pessoas de um jeito que sequer imaginamos. Tira-se pelo número de doentes por academia queens que sofrem com o problema. 1/4 do total. Como bem frisado por Valentina, não é um problema exclusivo das mulheres. Homens também sofrem. Muito. Gays mais ainda. Checa só o Grindr com seus tanquinhos para ver. Agora pode chorar.

É difícil ser gorda Eureka, eu imagino, mas ser magra também o é.

A edição dessa vez acertou e não cortou nenhuma queen em seu preparamento. Os últimos ep foram bem problemáticos e fico feliz por termos visto o ensaio de todas.

De memoráveis musicais, vide Rusical e  team Chichi em Bitch Perfect, paramos num sobre os Kardashina, de gosto e temática duvidosa. Exige das queen além de perfomance e acting, uma incorporação de celebridades. Só não sei se estou interessado no tema. É aquela ditado: Stop making stupid people famous.

Não posso julgar a qualidade do musical pois não conheço os personagens e história (só o principal: sex tape, Blac Chyna revidando o macho roubado). Ruim não foi, apenas vazio e sem graça como os Kardashian.

Todas foram na média, com bom desempenho, uma participação valendo todo o musical. Vamos aos top e bottom:

– Cynthia Lee Fontaine: Errou a letra no meio de suas abridas de boca, maiores e mais constantes que as de Aja. Erro crasso de lip sync. Seu visual foi ok, vimos piores vindo dela. Gosto muito da pessoa de Lee, mas é daquelas participantes sem destaque, que tá só cumprindo tabela, perto de sair e tentando escapar o máximo que pode. Que nem a próxima do ranking.

 

– Farrah: Morta, morta no musical. A mulher nem se esforçou para fazer algo animado e cativante. Acha que é Valentina e fica só fazendo a bonita sorrindo. Uma ao lado da outra não resta dúvidas de quem é a melhor. E a mais bonita. No musical foi a pior, só está na frente de Lee pois tava um tiquinho melhor e mais alegre no look, apesar desse triângulo horroroso percorrendo seu minusculo corpo doer na vista.

 

– Eureka: Realmente não havia como julgar ou cobrar dela nessa situação. Mesmo assim a bicha levou tudo no bom humor, na maior, sem reclamar, fazer a vítima ou jogar o card impossibilitada. Aprende aqui Nina. Isso é lindo de ver. Plus, seu look apesar de exagerado, estava ótimo assim como a make. Não fez muito, mas tava de atestado e pode passar na prova.

– Nina Bonina Brown: Look bem executado como sempre, mas menos refrescante que os anteriores. O fator surpresa de Nina tem que continuar afiado. Deixar as expectativas lá em cima gera frustração quando vemos apenas o bonito normal. No vídeo não foi ruim, esteve na média das demais. O que prejudicou aqui foi a má atitude nos ensaios com Todrick Hall.

 

– PepperMint: Estava louca dentro do personagem, sua Brit foi divertida e comprometida. Mas precisamos falar dessa caracterização. Que negocio horroroso. Mirou na Brit era Gimme More e deixou a silhueta toda fora de forma, parecendo dois pneus. Péssimo. Assim como todos os seus looks até então. Eu e Michele desistimos de esperar fashion de Pepper ou qualquer outra coisa que não seja essa saia rosa. Se ajuda. Queima ela. Look da sua próxima runway abaixo:

 

– Alexis Michele: Mostrou que dá conta e tem talento no atuação. Soube pegar a oportunidade e brilhar. Ganhou o primeiro high. Mas será que foi suficiente para compra-la? Valeu a espera? Ou não fez mais que obrigação? Seu look estava básico, disponível no shopping mais próximo. E ao contrário do exagero que disse no U, não acho que tenha perdido a vitória unicamente pelo look. Quem sabe se tivesse dado o Blac Chyna para outra pessoa…

– Shea Coulee: Roubou a cena das Kardashian no musical, como a personagem exigia, e ahasou nos passos. Tudo no ponto e tempo certo. Para completar zerou a runway indiscutivelmente. Melhor da noite.  Rainha que só vem crescendo na competição. Desde o segundo episódio demarcou território e só faz ocupar mais. Vem segundo win seguido que tá pouco. Ficou tão feliz que elogiou Ru divinamente, sem soar falsa ou babona puxa saco. Foi espontânea, alegre e original.

 

Cynthia e Farrah pararam merecidamente no bottom. Dublaram Woman Up, música desconhecida da convidada especial Meghan Trainer (exagerado mas gostei do pijama unicórnio, por que não sair assim na rua?).

Ficou evidente que Cynthia não é boa de lip-sync. Amo de coração, pessoa maravilhosa, quero ver mais dela, só que não ia dar. Farrah foi melhor, estava mais bonita e no clima da música.

Se fosse para ficar, acho que Ru ia de Farrah. Se fosse. Pois como vimos, tivemos uma ceninha da produção chegando na hora da anúncio para dizer algo a Ru, que se levanta e sai por um momento. Vamos fingir que o veredicto do médico chegou naquele exato momento para mudar tudo e ninguém sabia de ante mão desse twist. A saída na S1 com Ongina e Bebe foi mais convincente. Ignorando esse detalhe.

Todas gagging. Queixo no chão. Como assim, que foi isso Brasil. Que que tá acontecendo. Socorro. Eu to tremendo Rosana.

Achei que ia ser double shantay ou sashay. Quando chamou Eureka para frente só lembrei da William (saudades) sendo expulsa, e aí veio a cabeça a lista do Reddit. Eureka saiu da competição por motivos de saúde física, primeira na história a ser eliminada sem dublar, e para não ser injusto ou evitar um processo quem sabe haha, Ru deixou uma vaga aberta na próxima temporada para ela.

Decisão acertada. Não prejudica ninguém e cria o arco de uma temp que ainda nem começou (anciosos?), novidade para a história do show,que pelo formato, não permite esse tipo de artifício.

Pode ser frustrante para Eureka não ir até o fim nessa, agora que ela está no ritmo, mas é uma baita vantagem se ela souber usar. Viu como era o jogo, como se saiu nas câmeras (isso é o que importa) e pode aplicar para quando voltar. Aprender com os erros e realçar os acertos. Tá na hora de uma big girl ganhar, e Eureka tem nível fashion, talento e confiança para isso se quiser.

No Untucked tivemos uma conversa franca das garotas sobre Nina, enquanto a mesma não estava. Bons pontos levantados, e destaco o de valentina, que preferiu olhar para uma qualidade de Nina, vunerabilidade, no lugar de um defeito, como as outras estavam fazendo. Ela parece ter uma pesada bagagem sobre si e isso fica evidente em suas atitudes e isolamento das outras garotas. Sempre sozinha no canto, aqui não dispensou caretas e contrariação. Espero que ela possa superar tudo isso, no estilo TKB. Mas se não quiser ou puder, não reclamo do drama. Algumas pessoas crescem fudidas e certos demônios jamais se vão. Resta abraça-los e aceita-los.

Farrah frágil, quebrada, chorona. Se recompoe mulher. Força.Olha a postura contida da Cyntia mesmo sabendo que vai sair. Valentina (note para destacar o look, make, sobrancelhas, colar, unhas, sapatos e tudo mais em sua Alaska runway) deu uma força para a sofrida, o que foi lindo de ver, só não mais que:

Shea, criadora da militância, no Formation com a Nina. Falou abertamente de parceira a parceira, olhou nos olhos, motivou, emocionou. “Eu acredito em você.” As vezes tudo que Nina precisava ouvir. Essa é a diferença de uma vencedora e um 4/5 lugar.

E aí, gostaram do twist? Ou melhor seria trazer a Shangela uma terceira vez?

Próxima semana temos o aguardado SnatchGame e a separação entre as talentosas e as enrolonas. Quem leva? Quem sai? PepperMint? Alexis? Confere? Até lá para ver 😉

Está no ar o 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós, paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Bruno D Rangel

    Pelo tema ser Kardashians (que pra mim também é um tema desconhecido) achei que algum dos jurados, ou quem sabe dois, poderiam ser da família, como já estiveram em outras temporadas.

    Nina parece muito destruída e apesar de gostar dela, acredito que vai ser como Max: no primeiro lipsync vaza.

    E o teatrinho da produção avisando bem na hora do sashay/shantay foi engraçado kkkkk

    Só uma dica: faz uma revisão no texto porque tá cheio de erros de português e concordância.

Robson Abrantes

Engenheiro civil na semana, escritor wannabe nas horas vagas e sonhador integralmente. Nem de exatas nem de humanas, renascentista. Reinventando-se desde 92. Inconformista. Cinéfilo. Cosmopolitan. Shitalker. Teve seu 1º contato com o mundo das séries nas madrugadas do SBT, vício que não conseguiu largar desde então.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu