Posts Populares

The Punisher – S01E08 – Cold Steel

“Você não tem nada além de guerra dentro de você”

Um dos motivos que me chamam atenção em “The Punisher” é a capacidade de analisar o psicológico de seus personagens – muitas delas conturbadas. Porque não basta você ser um simples espectador, mas um entendedor de todo o contexto. E nada mais justo que você entrar nestas mentes e se perguntar: “e se fosse comigo?”. Um ponto positivo neste episódio denominado como “Aço Resfriado” (tradução para o português), foi a abordagem do assunto culpa.

E aqui a tivemos abordada em diversos aspectos, e dentro da perspectiva de que “toda escolha tem suas consequências”. Assim como o indivíduo tem suas particularidades, também tem sua forma peculiar de encarar a culpa. Ficou claro que não podemos apontar o dedo, sem conhecer o real contexto.

Bem, chega de delongas e vamos a nossa review. #partiu

Toda escolha tem sua consequência e a vida é uma caixinha de surpresa. Confesso que tenho pena de quem faz escolhas erradas perto de Billy Russo. Que diria que a sua mãe que o abandonou criança e hoje paga muito caro por seu passo errado? Fazer o que? Afinal estamos na terra em que a justiça é para ser feita com as próprias mãos. Eis que Billy está cuidando disso, a sua maneira. Confesso que no início Ben Barnes me surpreendeu com esse perfil doentio – no início ele não me convenceu, mas depois que vi seu sorriso e seu olhar sádico, o rapaz me provou o seu nível de maldade – inclusive fiquei até com dó de sua mãe. E você?

Enquanto para alguns, família é um símbolo de desgosto, para outros é a sua fortaleza, principalmente a David Lieberman. E o que dizer quando os monitores de sua casa, não estão funcionando? O desespero bate e o sentimento de culpa toma conta, em ter colocado sua família dentro dessa situação. Só resta Frank Castle verificar e resolver o que tem que ser resolvido. Ele resolve, apesar de machucar profundamente David. Além da vida ser feita de escolhas, sacrifícios também são necessários. Desde sua falsa morte, sua família ficou sem rumo. Diante da fragilidade de Sarah Lieberman e Zack Lieberman, Frank precisou ser este suporte faltante. Afinal nosso justiceiro sabe o real valor da família.

Sem sombra de dúvida David é o que mais está sentido todo o impacto, principalmente ao ver que seu filho está entrando em estado de depressão e com desejos de morrer. Ele bem que tentou aparecer para ele, mas Castle impede que ele cometa esse erro. Uma vez que sua família seria morta e ele não se perdoaria por mais essa culpa. Sinceramente Ebon Moss-Bachrach conseguiu me convencer com a dor de seu personagem passada pelo olhar, ao ver seu filho a poucos passos de si. Ele foi outro ator que ganhou meu respeito.

Enquanto isso Dinah Madani dá continuidade com o plano de tentar localizar Frank Castle. Ela já tem noção que sua sala possui uma escuta, então precisa preparar uma emboscada. Posso estar sendo precipitado em comentar isso, mas… achei meia-boca. Principalmente porque sabemos com quem ela está lidando, e dormindo – Billy Russo. E como era de se esperar, deu ruim. E já não bastava Sam Stein tentar ser o fiel escudeiro de Mandani, ele ainda é atingido.

Inclusive vamos abrir um parêntese aqui sobre a cena dele sendo socorrido pela Madani. O que foi aquilo? Tensão do começo ao fim. Sam tentando sussurrar o nome do Billy e ela gritando, chamando socorro, e não deixava o pobre tentar ajudar em seus últimos minutos. Seu olhar desesperador, causou uma grande comoção, como se ele estivesse dizendo “Cala boca e me escuta!”. Mas infelizmente não deu certo – mas ganhamos uma cena forte e carregada de emoção. E o desfecho do episódio não poderia ser diferente, fazendo jus ao tema, trazendo Madani ao clã dos culpados. Uma vez que Sam alertava dos riscos e como seus planos estavam sendo muito emotivos, e ela nem confiança. Precisou que ele fôsse vítima, para sua ficha cair que e ser mais racional. Agora ela está desamparada e dormindo com inimigo, novamente.

Apesar deste episódio passar a impressão com pouca ação, ele serviu para aprofundarmos nossa visão mais das camadas de alguns personagens, principalmente a família de David. Querendo ou não a série desconstrói um pouco da imagem que os personagens da Marvel estão diretamente ligados ao heroísmo – apesar de comercialmente ser vendida dessa forma – e permitindo trazê-los próximo do real. Você passa a analisar os principais motivos que compilaram o perfil de cada um deles. E aproveitando para fazer referências às produção da Netflix, se você assistiu Mindhunter, o caso de Billy corresponde ao estudo realizado por Holden sobre a mente de um assassino – que tem origens da rejeição materna e de abusos sofridos, sejam eles físicos ou psicológicos. A frase de Billy Russo, resumii isto muito bem.

“Quando um adulto te diz que você é bonito, você sabe que não vem coisa boa.”

Agora quero saber de você, compartilhe suas impressões e sua experiência com este episódio. Você identificou outros elementos que não mencionei aqui? Deixe seu comentário e vamos conversar.

Até a próxima review 😉

gostou da matéria? deixe um comentário!

Dandy Souza

Um libriano amante de um bom suspense casado com o belo terror psicológico, porque a vida precisa de emoções. Seu lema: "toda obra tem sua moral, então fique atento aos detalhes". Twitter: @dandysouza81

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu