Posts Populares

The Voice AU – S06E14 – The Battles 01

Quanto dói uma fase de batalhas sem steal

Uma sexta edição com nomes inquestionavelmente bons, mas com escolhas totalmente questionáveis. É assim que eu definiria essa season ao final desse primeiro dia de batalhas. Até o momento, não tivemos nenhuma injustiça que me desse vontade de dar um pulinho na Austrália e dar uma chacoalhada nos coaches até os cérebros voltarem pro lugar, mas desde a fase de ko’s, eu estou com a sensação de que algumas escolhas dos técnicos não foram baseadas em quem tenha feito a melhor performance, de fato.  

De todas as escolhas questionáveis, a que mais vem me irritando é essa bajulação da Delta com o Tim. Não consigo entender como ele chegará aos lives cantando absolutamente nada. Quem assiste o programa na íntegra consegue perceber que Deltinha realmente tem afinidade por esse menino. Mas, minha gente, o programa é sobre voz, talento. Quer arrastar candidato mediano, arrasta pra casa e faz um churrasco. Pois ninguém merece assistir essas apresentações meia-boca com a platéia ovulando no fundo. Até porque, convenhamos, né? Ele nem é isso tudo.

Falando do programa em si, no início tivemos os coaches apresentando “Dream On”. Não vou dizer que odiei, afinal, foi boa. Mas depois que Amanda Brown eternizou essa música no The Voice US, quem canta depois disso pode me entregar um milhão de reais, que eu vou pegar o dinheiro e continuar falando que faltou alguma coisa. Desculpa gente, mas é mais forte que eu ahaha. No mais, achei Delta maravilhosa como sempre e gostei muito do Boy. Seal e Kelly, para mim, deixaram a desejar e senti falta de um final mais intenso e “agudo”, como manda a tradição mellodyana. Mas vocês podem ver a apresentação aqui. 🙂


Mas falando sobre a melhor parte, mesmo com algumas escolhas duvidosas, o programa prossegue mantendo seu alto nível de apresentações e os coaches estão contribuindo muito pra isso. O primeiro dia de batalhas contou com ótimos conselhos e com song choices acertada dos técnicos e, como consequência, tivemos boas apresentações. Vamos falar delas, então?

Pra me ajudar a avaliar as performances, eu trouxe minha dupla M&M ahaha, Mari e Michel. Para indicar nossas opiniões sobre quem venceu cada battle, vamos utilizar as luvinhas. O candidato que estiver com mais luvinhas coloridas é o vencedor, segundo a nossa avaliação. Fácil de entender, né? 😉 Então bora começar.

Camryn Jordans vs Lucy Sugerman – “Issues”  by Julia Michaels #TeamSeal

Tati: Gente, já comecei a ver essa batalha com uma dorzinha tão grande no coração. Eu super entendi o pareamento, duas cantoras indies com timbres parecidos e tal. Mas, realmente, não estava preparada para me despedir de uma das duas tão rápido assim. Tanto a música, quanto a sua divisão foram perfeitas para as meninas, cada uma teve o momento certo para brilhar e eu fui duplamente surpreendida. Primeiro pela evolução visível de Camryn. Se em sua blind vimos uma voz trêmula, aqui vimos vocais seguros e uma total entrega. Lucy, finalmente, saiu da sua zona de conforto e eu gostei muito do que ela fez no palco, estava mais soltinha. De modo geral, vi umas derrapadinhas vocais bem leves pela parte de Lucy, ao final da batalha. Mas mesmo assim, achei que ambas foram muito bem e, por muito pouco, eu daria a vitória para Camryn. Mas Seal optou por avançar sua pupila e tivemos que nos despedir da Camryn tão cedo.

Mari: Absolutamente descontente com o fato de não ter steal nessa fase e termos que nos despedir de um desses dois anjos da voz.  Aliás, um steal aqui daria uma dinâmica bem maior ao jogo e por isso acho que há coisas no formato que precisam ser pensadas. Falando da battle, eu adoro Issues e acredito que ambas tiveram espaço para se mostrar na canção. Lucy é mágica, existe algo que imediatamente me atrai para ela, desde seus movimentos no palco até seu timbre maravilhoso. Camryn parecia completamente a vontade com a canção, que pra mim se adequou melhor ao timbre dela que ao de Lucy. No fim, achei a battle extremamente equilibrada e não via uma decisão errada, mas iria com Lucy porque ela é tipo de artista que a gente não acha o tempo todo.  

Michel: Tô sofrendo com essa battle desde a semana passada, primeiro porque amo as duas e segundo porque amo essa música. Eu sabia já que seria bem acirrada, uma vez que Lucy é um dos maiores talentos dessa temporada e Camryn super combinaria com a música, já que tem um estilo mais pop/alternativo. Eu amei as duas, achei a batalha bem equilibrada, porém como Delta eu achei a Camryn mais confortável na performance, porém a Lucy trouxe tanta autenticidade na música. Qualquer uma merecia, mas levando em conta a trajetória das duas, a Lucy acaba levando a melhor. Amei as dicas que o Seal deu para Lucy, que conseguiu trazer aquelas quabradinhas maravilhosas durante a canção, até porque esse detalhe é essencial na interpretação da canção e era um ponto que a Lucy estava pecando bastante nos ensaios. Amei a battle e já é uma das minhas favoritas <3.

Vencedora: Lucy

Lyn Bowtell vs Sarah Stone   – “Why” by Annie Lennox #TeamGeorge

Tati: Eu não to sabendo lidar com esse presente que Boy nos deu hoje. Uma música que se encaixou perfeitamente ao estilo das duas e tivemos aqui duas cantoras extremamente à vontade e entregues à canção. A dinâmica que Boy escolheu para a música foi acertadíssima, principalmente, nas partes das harmonias que, ao meu ver, deram mais intensidade e emoção à performance. É muito difícil ouvir uníssonos tão perfeitos para pouco tempo de ensaio, sinal que elas realmente sabem o que fazem. Individualmente, Sarah me conquistou de vez, ela é extremamente emocional e eu consigo acreditar em cada palavra que ela canta, por essa razão, ela é minha vencedora. Boy também demonstrou pensar do mesmo jeito e escolheu Sarah pra avançar.

Mari: As duas tinham ido bem nas blinds, mas fizeram K.O’s bem aquém do que poderiam, por isso eu estava ansiosa para ver como elas se sairiam na battle. A musica foi um presente do Boy George e ambas foram muito bem vocalmente, inclusive as harmonias foram bem agradáveis. Mas talvez esse seja o problema que me incomoda em Lyn. As vezes é muita técnica e pouca emoção, enquanto Sara parece sempre mais vulnerável e entrou mais no espírito da musica. Como também acho que Sara é mais interessante pra competição que Lyn, escolheria ela sem dúvidas.  

Michel: Eu já esperava algo muito bom delas, mas não esperava que seria essa apresentação espetacular, melhor battle desse episódio, com certeza. A música foi um acerto do Boy, porque combinou muito bem com elas duas, ambas passam tanta emoção no que canta que a música só explorou ainda mais esse lado delas. Gostei das duas na battle, mas gente a Sarah tem uma carga emocional tão grande quando canta, assim que ela canta o primeiro verso, meu coração já fiquei todo emocionado. Sarah me ganha muito pela emoção, sempre conectada com a música e se entrega tanto em suas performances que fica impossível não se apaixonar. Destaque para quando elas começam a cantar juntas, as harmonias dessa performance ficaram maravilhosas e muito justa para ambas. Amei forte, só hoje já escutei 8 vezes hahaha <3. PS: TVAU tem dor do meu coração e não joga assim dois lacres de cara. 

Vencedora: Sarah Stone

Ellis Hall vs Tim Conlon- “Bloodstream” by Ed Sheeran #TeamDelta

Tati: Gente, ainda bem que Edinho está lindo e ruivo no Brasil, sem tempo nenhum para abrir a internet e dar de cara essa bagunça que fizeram com a música dele. O quê que foi isso? Achei tudo confuso, fora de ritmo e desconfortável para ambos. Uma song choice que realmente não casou com nenhum estilo. O que eu vi foi Ellis tentando deixar sua personalidade na apresentação, mas, apesar do esforço, eu não consegui ver a mesma qualidade que vi no K.o. Tim não foi nenhum desastre, mas ele continua mediano e absolutamente genérico, representando um estilo de artista que já vimos, pelo menos, umas 169 vezes em outras competições musicais. Escolheria Ellis pelo o que ele poderia proporcionar pra competição, mas Deltinha optou por levar Tim e seremos obrigados a ouvir um timbre genérico misturado com gritos assanhados da platéia na semana que vem.

Mari: Olha, eu to bem decepcionada aqui. Achei a battle meio bagunçada, não acho que nenhum dos dois foi favorecido pela musica e fiquei com cara de tacho terminando de assistir. É até difícil avaliar muita coisa depois disso. Mas eu não tenho muitas duvidas quanto ao vencedor. Ellis é muito mais interessante como artista, tem recursos vocais bem melhores, enquanto o Tim segue sendo genérico ao extremo e performance após performance eu fico me perguntando o que ele ainda esta fazendo aqui? Não preciso nem dizer o quão irritada eu fiquei com o resultado. Apaga.

Michel: Esse é um pareamento que eu já esperava e o que também já esperava era o resultado dele hahaha. Eu achei a escolha da música correta, uma música ótima que tem uma pegada legal para um dueto, só não gostei de algumas partes que foram tiradas, mas ok. A battle eu achei super equilibrada, por um lado o Tim teve vocais mais consistentes, por outro o Ellis passou mais originalidade no que canta, apesar que o Ellis teve uns deslizes vocais durante a performance. Eu ficaria com o Ellis, por achar ele um artista mais diferenciado, já o Tim acho ele muito genérico, um bom vocalista com um timbre legal, não mais que isso

Vencedor: Tim Conlon

Russ Walker vs Spencer Jones – “Higher Ground” by Stevie Wonder #TeamKelly

Tati: Quando eu vi a música que os rapazes cantariam, fiquei mega empolgada, afinal, demanda muita energia e isso eles tem de sobra. Mas o que sobrou de energia nessa apresentação, faltou de técnica e harmonia. Sério, gente! Eu não entendi algumas desafinadas do Spencer, pois em sua blind ele foi super correto. Mesmo assim, ele me pareceu muito mais a vontade no palco, enquanto Russ me parecia um pouco deslocado. O final foi bem sofrível e eu só queria pular para a próxima apresentação, mas avançaria Spencer pois ele foi “superior”.

Mari: Dois cantores com quem eu não poderia me importar menos. Mas já que tamo aqui né. Não acho que nenhum dos dois vai ter futuro na competição, porque são comuns demais. Acredito que a musica favoreceu muito mais o Spencer que tem uma veia mais rock e acabou se aproveitando melhor, enquanto Russ não me pareceu muito confortável, por isso eu iria com Spencer nessa.

Michel: Tinha que ter uma battle ruim pra estragar o episódio né? Tava tudo bom demais para ser verdade. A performance em si, não foi tão ruim, ambos fizeram seu melhor e entregaram uma apresentação mediana, mas o problema é que já comecei a ver essa battle desmotivado, tenho preguiça de ambos acts e por mim já podia eliminar os dois de uma vez só, mas Kelly faz o favor de colocar dois WHO juntos e perder nomes bem melhores do seu time. Sobre quem foi melhor, na verdade quem achei menos pior foi o Russ, em especial nos falsetes, além de que a rouquidão do Spencer não me soa tão natural ou agradável.

Vencedor: Spencer Jones

Claire Howell vs James Banks – “Rise” by Katy Perry  #TeamDelta

Tati: Alguma coisa nessa batalha meu causou um certo incômodo e eu até agora não sei dizer o quê. Mas eu gostei da dinâmica da apresentação e achei que Claire dominou do início ao fim. Eu sou completamente apaixonada com o jeito que ela interpreta suas canções, quase sempre com bastante energia e segurança. Apesar dela não ter feito nada excepcional, ela foi bastante consistente durante toda a apresentação, ao contrário de James que, muitas vezes, diminua a entonação das palavras e parecia que estava se esquivando de cantar a música com a mesma força de Claire. Escolha bastante fácil, ao meu ver, e eu estou com Delta nessa, também escolheria Claire.

Mari: Achei essa battle bem esquisita. Não senti que os dois estavam na mesma sintonia. Claire é uma excelente vocalista e desenhou melhor a musica com uma interpretação um pouco melhor, ainda que a musica não seja a ideal pra ela. James me pareceu em alguns momentos mais declamando a musica do que cantando o que me incomodou demais, foi pra mim uma interpretação bem vazia, o que facilitou a escolha.

Michel: Essa battle já era previsível quem aqui venceria né? Que bom que Delta trouxe uma música mais atual e que combina com o estilo de ambos acts. Sinto dizer, mas Claire pisou muito no James nessa performance. O James começou bem, mas quando a música foi refrão e tinha necessidade do agudo, ele derrapou bonito e acabou perdendo força na performance. Já Claire foi maravilhosa, soube crescer na música, apesar de ter achado ela muito contida, se soltando mais no final da performance, acredito que por conta de James ela acabou ficando um pouco limitada na performance. Uma coisa que gostei muito de ambos é a forma como eles passearam no palco, todo o jogo de cena foi muito bem feito e criou um clima de tensão que deixou a performance deles mais interessante.

Vencedora: Claire Howell

Bojesse Pigram vs Sally Skelton – “Dancing on my own” by Robyn #TeamKelly

Tati: Terminando a noite, tivemos uma batalha que, a princípio, me deixou com uma expectativa bem baixa. Acho Dancing on my Own dificílima pra cantar e eu esperava algo apenas ok. Mas, gente, que coisa mais singela e pura foi essa? Um pareamento acertadíssimo, com uma escolha que evidenciou o talento de ambos. Sally tem problemas de dicção, mas sua voz é lindíssima, uma das mais singulares da competição. Eu senti que ela estava um pouco nervosa no começo, mas durante a apresentação ela foi melhorando. E eu não acredito que Bojesse está inventando a evolução. Em três apresentações dele no programa, é nítido que ele está cada vez mais seguro. Eu não acho o timbre dele sensacional, mas o conjunto da obra me agrada muito, afinação, carisma, conexão com a música, etc.. Enfim, no geral, eu concordo com a Kelly e também ficaria com Bojesse.

Mari: Depois de Lucy x Camryn essa foi a minha battle favorita do dia. Os dois tem vozes bem agradáveis e tiveram bons momentos. No início tive dificuldade para entender o que a Sally cantava, mas ela foi melhorando no decorrer da musica, enquanto Bojesse soava bem desde o princípio, cantava com clareza e mostrava uma ótima conexão.  Por isso eu apoio Kelly na decisão e acho que Bojesse é o principal cantor do seu time.

Michel: Meu coração está partido real aqui, poxa por que diabos Kelly tinha que colocar eles contra? A Sally é uma cantora com um timbre maravilhosa e tem crescido muito na competição, já o Bojesse é outro que tem crescido a cada fase do programa. Eu amei a battle, apesar da música saturada, acho que eles fizeram um dueto emocionante e introspectivo, apesar que eles estavam bem conectados um com o outro. Novamente elogio toda a dramaticidade no palco, o jogo de câmeras só deixou a performance ainda mais interessante e aquele final deles, que coisa mais linda de se ver. Eu amei de verdades os dois nessa apresentação, mas por gosto pessoal levaria a Sally. PS: Deixo meu desabafo aqui de como é difícil torcer pra índie/alternativos kk, só nesse episódio perdi 3.

Vencedor: Bojesse

 

E assim terminou o primeiro programa de batalhas dessa season. Fazendo um balanço geral, eu diria que tivemos um bom nível, com três batalhas muito boas, “Issues”, “Dancing on my own” e “Why” e outras três que deixaram a desejar, mas que não chegaram a ser um desastre. No final da noite, os times ficaram assim:

#TeamSeal: Lucy e ainda faltam os paramentos:
Annalisse Walker  vs. Berni Harrison
Rennie Adams vs. Ruva Ngwenya

#TeamDelta: Claire, Tim e ainda falta o paramento:
Judah Kelly vs. Kelsie Rimmer

#TeamKelly: Bojesse, Spencer e ainda falta o pareamento:
Russ Walker vs. Spencer Jones

#TeamGeorge: Sarah e ainda faltam os pareamentos:
Hoseah Partsch vs. Nathan Kneen
Robin Johnson vs. Russel Francis

Eu ainda estou na dúvida se gosto ou desgosto desse novo formato dos nocautes antes das batalhas. A verdade é que temos um verdadeiro massacre antes de chegar aqui, o que diminui a chance de pareamentos ruins ou desequilibrados, mas em compensação já chegamos nas battles com nomes fortes e somos obrigados a ver paramentos dolorosos como Camryn vs Lucy ou Bojesse vs Sally. Eu acho que deveria rolar pelo menos um steal, mas a produção optou por correr com as fases gravadas e, pelo que me parece, teremos lives mais demorados, com cinco semanas. Enfim, uma fase dessa sem steal, só me restou ficar como Deltinha e aproveitar a última apresentação dos meus favoritos.

aaa

Bom, gente! É só isso tudo! Quem quiser ver esse episódio maravilhoso, basta clicar no link abaixo. Amanhã eu volto com o último dia de batalhas. =)

 

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR E/OU BAIXAR O EPISÓDIO

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu