Posts Populares

The Voice Brasil – S06E03 – Audições às Cegas, parte 3

Iiiiiiveeeeteee, ôba, ôba! Rainha demais, né amores? 

Fala, meu povo, tudo bem? Mais uma semana de audições às cegas no The Voice Brasil, essa versão amada por muitos, odiada por alguns e quase sempre defendida por mim hahaha. Afinal, mesmo com todos os problemas, eu continuo firme e forte assistindo, esperando ansiosamente pelo dia que vai me aparecer uma nova Ellen Oléria ou Lucy Alves <3. Mas enquanto elas não aparecem, vamos aproveitando o programa, não é?

Pois bem, estamos na terceira semana de programa e essa noite tivemos um episódio de audições um pouco morno, com apenas alguns candidatos mostrando certo potencial, mas nada espetacular, que me saltasse aos olhos. O brilho, como vem acontecendo, ficou por conta de Ivete, sempre linda e dona das melhores pérolas.

Para contar e opinar sobre tudo que rolou hoje, trouxe a paneleira Clarice e o leitor Felipe, que me ajudarão a avaliar as apresentações. Bora começar?

Danielle Dias – Cryin 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Engraçado que o programa começa assim, né? Com a menina já cantando, sem dar um “oi, sumida” hahaha. Mas foi um começo ok, longe de ter sido bom, mas Danielle tentou entregar uma boa apresentação dentro dos seus limites vocais que eram visíveis. Não vi nela uma rocker nata, mas vi bastante energia e talvez ela possa evoluir no programa. #TimeIvete

Clarice: Que deselegante a Globo já começando o programa com a performance da Danielle, nem um boa noite antes pra gente parar o que está fazendo pra assistir. hahahahaha Vibe bem rocker, mas com uma música bem complicada de cantar. E ainda assim, achei a música maior do que ela. Não é todo mundo que consegue fazer um bom cover dessa música, Danielle fez algo mediano, seu timbre me incomodou em alguns momentos, mas sua energia lá no alto empolgou.

Felipe: Daiane começou a música forte, mostrando uma ótima presença de palco. Cresceu ao longo da canção explorando bem mais sua voz e mostrando sua capacidade vocal e sua personalidade musical, ótima escolha para abrir o programa.

 

Caco de Oliveira – Água da Minha Sede 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Deu pra perceber que Caco tem uma ligação muito forte com a música e isso é muito legal de se ver, mas achei a voz dele muito comum e sua apresentação extremamente linear, dessas que a gente assiste e começa a pensar se tem pão pra amanhã. Vocalmente falando, não percebi grandes erros e concordo com o Lulu, ele tem o samba de raiz perceptível em seu estilo, apesar de ter sido um pouco chato. #TimeLulu

Clarice: Comassim alguém vem cantar um samba e sequer tem gingado? Caco balançava só as perninhas e o braço! hahahahahaha Nervosismo a parte, achei a performance extremamente linear. Vocalmente foi consistente, tem uma voz muito gostosa e característica do samba, mas ele poderia ter ousado e se arriscado mais. Ao menos passou e poderá mostrar um pouco mais de si nas batalhas!

Felipe: Ele antes de entrar ao palco mostrou muita emoção, e senti muita verdade em suas palavras e consegui ver a sua paixão pela música. Por poucos segundo achei que poderia me decepcionar com ele. Porém, nunca me arrepiei com um cantor de samba e o Caco me fez desfrutar desse momento em  ver a alegria de um sonho sendo realizado. Percebi algumas falhas na emissão dele.

 

Val Andrade – Como faz Com Ela 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati:  Já na entrevista, achei a pessoa da Val maravilhosa, mas ali no palco algumas coisas me incomodaram um pouco: principalmente, os problemas de respiração, que visivelmente precisam ser corrigidos e, só assim, ela conseguirá reparar seus problemas com afinação. Essas falhas foram cruciais para que ela não passasse, mas depois a bichinha disse que estava com um problema de laringite, então é compreensível. Eu também gostaria que ela voltasse, pois ela tem muita energia e personalidade. #Eliminada.

Clarice: Minha genteeeee… socorro! Achei que Val fosse cantar algo super gostosinho e veio esse caos! Problemas de respiração presentes, mas o de afinação ficou mais evidente… e com o passar da música, o nervoso aumentava, ela ficava com a voz ainda mais estridente e desafinada! Quis morrer! 🙁

Felipe: Além de me surpreender com esse visual incrível, também fiquei surpreso com essa interpretação toda repaginada e pessoalmente concordo com o que Lulu disse que ficou sem fôlego e comprometeu a sua afinação e dicção. Mas gostaria de vê-lá desenvolvendo apresentações tão estilosas quando a de hoje.

   

 

Rose Barcellos – Pé Na Areia 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Rose tem uma voz muito parecida com a Alcione e isso me incomodou um pouco. Principalmente, por ela seguir o mesmo estilo musical que ela. Mas não achei isso forçado não, viu? Então, é questão de adaptação mesmo. Sobre a apresentação achei bem correta, bem dentro do script do que a música pedia, mas não é o tipo de artista que me faz torcer, embora eu acho que ela merecia uma cadeira. #TimeBrown

Clarice: Alcione, é você?! Timbre muito parecido com o da Marrom, até o estilo musical. Achei a performance muito boa, Rose estava super a vontade no palco e foi bem consistente. Não é um estilo musical que me agrada, mas a gente precisa enaltecer o que tem de bom!

Felipe: Uma mistura de Alcione com pedrita dos flinstons (hahaha). Ela cumpriu bem o que se propôs a fazer, só que não vi nenhuma novidade com o que se tem no mercado atual.

 

George Sants – Drag Me Down 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: E esse inglês aí by Joel Santana, migo? Custei entender alguma coisa, viu? E acho que esse tipo de escolha musical pode prejudicar na hora de virar cadeiras. Mas, tirando isso, gostei de George! Ele tem uma voz legal, afinada e uma energia muito boa (nesse caso, talvez a escolha musical tenha ajudado bastante) e por isso gostei que ele tenha virado cadeiras e já curiosa para ver a evolução dele no programa. #TimeIvete

Clarice: George precisa trabalhar um pouco mais no fisk, assim como Tati, em alguns momentos não entendia o que ele cantava, mas gostei da ousadia da música. One Direction, minha gente? O arranjo foi adaptado, mas ainda assim ficou interessante. Até nos gritos ele se manteve afinado… gostei,

Felipe: George tem realmente uma voz muito interessante, mais que interessante, é ótima. Porém o arranjo e a forma com que ele escolheu conduzir a canção não o favoreceu. Mas visivelmente a técnica e a postura de palco dele se bem trabalhada o fará um grande competidor.

 

Luíza Winck – Bem Me Quer 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Primeira pessoa da noite que eu gostei de verdade! Timbre um pouco comum, mas voz afinada e uma presença de palco maravilhosa. Eu fiquei o tempo todo vidrado em Luíza, pois ela sabe levar uma apresentação. Como a voz dela é simples e não tem nenhum diferencial, acho que o caminho é esse mesmo, apostar na performance. Achei a escolha da música um pouco chatinha, mas com as músicas corretas, eu acho que ela pode brilhar. #TimeTeló

Clarice: Luíza é uma linda e já veio toda trabalhada na personalidade, gosto assim. Me surpreendeu pela música de gosto duvidoso e fez uma performance muito boa, com presença de palco, super afinada e ousando em alguns rosnados também.

Felipe: QUE ATITUDE É ESSA BRASEEEEL! Ela foi salva pela sua ótima interpretação, pois muitas vezes derrapou nas afinações que oscilaram muito, principalmente quando ela ia para os agudos.

 

Mariana Coelho – Por Enquanto 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Timbre agradável e não tão comum, gostei um pouco. Eu só não gostei muito, pois realmente Mariana apresentou alguns errinhos, mas que são totalmente compreensíveis pela idade dela. Mas valeu pela persistência dela, pois ela segurou legal até as cadeiras virarem e mesmo um pouco nervosa conseguiu manter a suavidade da música. #TimeLulu 

Clarice: Eu sou fã de um timbre mais rouco, ou quando alguém solta uns rosnados no meio da música. Mariana já tem essa voz meio rouca, a música encaixou muito bem pra ela e fez uma performance super fofa. Não foi perfeita, ela estava nervosa e é super nova (17 anos a bixinhaaa), então a gente dá um desconto. Lulu terá o que trabalhar…

Felipe: Ela representa sua falta de experiência e pouca idade, tem um arranhado na voz que me soou um pouco incômodo que não agregou a música, achei a apresentação contida tanto vocal quanto postural. Espero que ela aproveite essa oportunidade para se aperfeiçoar e aprimorar o seu talento.

 

Sinara Costa – Loka

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Gostei muito da parte que Sinara disse que quer honrar suas origens e trouxe uma música que tem influências de sua região. Achei a apresentação um pouco karaokê, mas ela tem uma energia bem legal e soube passar um pouco disso pra música. Foi bem ok, apesar de alguns errinhos de afinação. #TimeTeló

Clarice: Essa música é muito agitada e ela teve grandes problemas de respiração, por várias vezes ouvia Sinara ofegante e sua respiração mais visível que a música em si. Talvez se ela tivesse adaptado o arranjo, tudo teria fluido melhor, ao meu ver, porque não gostei não! hahaha

Felipe: Ela teve problemas com dicção, parece que a respiração estava muito ofegante e quando deu a nota mais alta da música teve uma desafinação gritante. O nervosismo provavelmente contou muito para os erros dela, e gostaria dela cantar o pop rock que ela prometeu.

 

 

Alinne Alves – Meiga e Abusada 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Acho interessante quando o artista modifica o arranjo para dar uma identidade nova à música e, no caso de Alline, foi isso mesmo. Deu pra perceber o estilo dela enquanto apresentava e eu quase não não consegui perceber que era uma música da Anitta. Eu achei a voz e afinação dela bastante agradáveis e eu também viraria a cadeira. #TimeIvete

Clarice: Não sou fã de Anitta, então sequer reconheci a música! #MeJulguem hahaha Eu gosto quando mudam o arranjo, dando uma nova cara pra musica, no entanto entendo que isso nem sempre dá certo. Com Alline deu certo, posso estar maluca, mas ela acabou me lembrando a vibe da Luciana Mello. No final, soltou um notão que me surpreendeu…

Felipe: Nunca imaginei que ela fosse cantar Anitta, muito menos meiga e abusada, o visual dela não passa o estilo de música que ela representou, o que é bom, pois ela já atiçou em nós o quesito surpresa. Ivete foi sábia ao escolher a candidata pois realmente tem uma voz maior que a música que ela cantou.

 

Julyanna Lima – Rise Up

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Gente, quase toda vez alguém resolve cantar “Rise Up” em um reality musical eu coloco um florzinha ao lado do túmulo desse HINO de música, pois sempre tem algum desavisado pra , estragar, matar e enterrar essa maravilha de música. Salvo algumas exceções, definitivamente, essa música quase sempre fica bem ruim cantada em The Voice e, dessa vez, não foi diferente. Apesar de demonstrar em alguns momentos que tem certa técnica vocal, a bichinha estava fora de ritmo, desafinou um pouco e colocou firulas onde não devia. Sem dúvidas, eu também não viraria. #Eliminada

Clarice: E novamente alguém tentando cantar essa música em realities e se cagando todaaa!! Alguém avisa pra pararem, pfvr! Julyanna já ficou desafinada ao longo da música, nem precisou chegar no refrão. Já o refrão, foi uma calamidade total! SOS! Onde aperta pra DESVER? hahahaha

Felipe: Ela começou a cantar Rise Up e logo de cara me lembrei da linda interpretação  da Mylena Jardim no ano passado. E fazendo essa comparação percebo que a Juliana CAGOU na música, mas CAGOU muito mesmo, o problema é que ela não canta mal, ela tem um belo timbre só que não soube aplicar na música que precisava.

 

Antônio Pack – Quando a Chuva Passar 

Clique AQUI para assistir essa apresentação.

Tati: Gente, adorei a proposta dessa música em uma versão mais voltada pro rock e achei que Antônio até começou muito bem, mas depois que o Lulu virou, a coisa desandou e isso o impediu que fizesse uma blind melhor. Eu também achei sua voz um pouco limitada, por isso, tenho minhas dúvidas se viraria minha cadeira.  (PS: Lulu mais rejeitado que telefonema de cobrança). #TimeBrown

Clarice: Ahhhhhhh que música maravilhosa! Ivete rainha demais! Gostei da versão rock da música, apesar de perder aquele estilo intimista da versão original. Antonio me deixou bem em cima do muro… em alguns momentos eu gostei da voz dele, em outras o achei fraco, performance foi meio linear e sua voz poderia ter crescido em alguns momentos, mas não aconteceu.

Felipe: UAU da pastelaria para o palco do The Voice, essa versão da música da Ivete em Rock não ficou muito legal pois perdeu toda a emoção que a canção original representa, também teve algumas desafinações ao longo da canção.

    

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Bom, depois dessa última blind tivemos uma apresentação Carlinhos Brown com uma música inédita do Cazuza e chegamos ao fim de mais um episódio de audições. O programa está seguindo o nível que tem sido comum no The Voice Brasil ultimamente, que nem de perto se compara às primeiras edições do programa. Foi um programa bem razoável, sem nenhum grande destaque.

E com a adição de mais nove vozes, chegamos ao número de 23 candidatos no programa e os times estão assim:

#TimeBrown – Dhi Ribeiro, Isabel Antônio, Irmãos Mayer, Deborah Vasconcellos, Rose e Antônio. Brown sempre monta um time com caraterísticas artísticas que tendem mais ao Samba, MPB ou afins. E eu amo isso! Mas até agora não vi nenhum nome que desponte como grande favorito, mas destaco Isabel e com nomes que podem evoluir.

#TimeIvete – Carol Biazin, Samantha Ayara, Douglas Alessi, Danielle, George, Aline. Ivete está montando um time bem consistente e atraindo bons talentos para o time dela. Não poderia ser diferente, não é? Uma artistona dessas, bicho. Aqui destaco a linda da Carol Biazin e Douglas. Enfim, eu tenho muitas esperanças que Veveta consiga fazer um bom trabalho.

#TimeLulu – Day, Nãnan Matos, Jota.Pê, Alexandre Massau, Caco e Mariana. Time Lulu é o que menos me empolga, principalmente, pelo fato de que ele não vem conseguido fazer bons trabalhos ultimamente. Mas olhando para os nomes que ele tem, consigo destacar até aqui Alexandre

#TimeTeló – Alysson e Adysson, Chai, Sérgio Dalcin, Sinara, Luíza. Telozinho consegue ser forte no quesito “atrair nomes disputados para seu time”, acredito que isso dê por sua popularidade e pelo bicampeonato, mas até agora não tem tido tanto sucesso. Pelo menos, o bichinho sabe ser estratégico (você quer, @milk?). Mas, por enquanto, nesse time dele, eu consigo destacar apenas Chai. Vamos ver daqui pra frente.

É só isso tudo, gente! Espero que tenham gostado da review e nos vemos nos próximos episódios. =) E vocês já possuem algum favorito? Qual o time mais forte até aqui na opinião de vocês?

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu