Posts Populares

The Voice Of Holland – S08E01 – The Blind Auditions 01 [Season Premiere]

O The Voice Of Holland está no ar!

E aí pessoal, vamos juntos prestigiar mais uma temporada do The Voice Of Holland. A última temporada que deu a vitória para a talentosa Pleun, nos trouxe vários talentos e performances memoráveis, além de ter tido uma final com quatro merecedores finalistas que fizeram bonito durante toda a temporada. Por conta do sucesso da última temporada, a expectativa para essa nova temporada eram enormes, que aumentaram ainda mais quando confirmaram a bancada de coaches, na qual Guus acabou deixando a bancada e dando espaço para a também retornante Anouk. Gosto bastante da dinâmica entre Waylon, Sanne e Ali B, são engraçados, bastante carismáticos e tem bastante químicas juntos, com a entrada da Anouk acredito que ela será mesmo como o Guus, uma presença mais séria e contida na bancada. Apesar de todos serem retornantes, apenas o Waylon conseguiu vencer uma temporada, aliás ainda na sua primeira temporada. Caso queria conferir mais detalhes sobre essa temporada, clica aqui e confira um “Vem Aí” que preparamos para o reality, contando tudo sobre essa oitava temporada.

Depois das vitórias de Maan e Pleun que torci incansavelmente, espero que nessa temporada novamente minha favorita ganhe e que obtenha uma certa visibilidade como as meninas estão tendo, aliás Maan tem estourado bastante na Holanda fazendo participação em vários programas e lançando vários singles. Aliás, falando das meninas, esse ano o The Voice Of Holanda teve em sua estréia uma participação super especial das vencedoras das três últimas temporadas.

OG3NE, Maan e Pleun – “Don’t You Worry ’bout A Thing” by Stevie Wonder

Michel: Gostei muito da ideia do programa em trazer as meninas para fazerem abertura, até porque todas elas já venceram merecidamente a temporada que venceram. A escolha da música eu esperava algo mais apelativo ou popular, mas entendo a escolha por conta de ser melhor para adaptar com as harmonias de O’G3NE. Todas elas tem tido um sucesso relativo na Holanda, o grupo O’G3NE representou os Países Baixos no Eurovision chegando até as finais da competição, já as meninas como já disse acima, têm tido bastante visibilidade em programas holandeses. A ideia foi sensacional, sentir falta os outros quatro demais vencedores, porém quem sabe eles não voltem para uma apresentação nos episódios seguintes.

Roddie: QUE DESTRUIÇÃO, MEUS AMIGOS! É assim que se faz uma abertura digna de The Voice e que ainda valoriza os seus vencedores, aprende @USA. Esse grupo de vencedoras é simplesmente fantástico, e com essa música o feat foi ainda mais incrível, tô apaixonado nessa performance!

Depois dessa receptiva e familiar apresentação de abertura, vamos conferir o que realmente nos interessa aqui, as temíveis Blind Auditions. Nessa primeira review contaremos com os comentários de dois amigos meus que toparam meu convite e vão deixar aqui todas suas impressões sobre os candidatos, agradeço muito ao Roddie e Cleber, sejam sempre bem vindos aqui! Lembrando que caso você que acompanha nossa review deseja também comentar aqui com a gente, procura a gente para vim aqui colaborar com o nosso site também. Então, vamos lá pessoal!

[Team Waylon] Kelly Kockelkoren – “Do I Ever” by Kensington

Michel: Achei uma blind audition bem diferente do que costumamos ver por aí, ela apostou numa música mais puxada para o rock e de quebra ainda arrebentou com sua guitarra. Vocalmente, eu achei que no refrão faltou mais força e potência em sua voz, sentir que em alguns trechos ela acabou sendo engolida pelos instrumentos, porém ela demonstrou ter bastante folego em sua performance e teve uma presença de palco digna de uma rockstar. Estou muito ansioso para ver mais dela e espero que ela aposte nessa linha mais voltada pra Avril Lavigne/Alanis Morissette, um tipo bem interessante e peculiar na competição. #3Chairs

Roddie: Achei interessante começarem a temporada com uma rockeira. Kelly tem uma ótima energia e fez um trabalho vocal decente, mas não fez nada impressionante que pudesse me conquistar. Porém vamos ver o que ela tem a oferecer daqui pra frente.

Cleber: Amei a vibe dela me lembrou muito Avril, contagiante, deu até vontade de ficar pulando balançando a cabeça. Meu único ponto negativo a meu ver foi que o refrão que a banda estava muito alta, escondendo um pouco a voz dela. Porém eu teria virado com certeza já tendo minha torcida e esperando novas performances.

[Team Anouk] Jim van der Zee – “Amar Pelos Dois” by Salvador Sobral

Michel: Eu fiquei bastante curioso quando vi que ele cantaria uma musica portuguesa, porém me decepcionei quando ainda na primeira palavra já percebia que se tratava de uma versão “americanizada” da canção, só não sei se essa versão foi dele ou se o próprio Salvador lançou. Sobre a audição do rapaz, inicialmente eu fiquei bastante empolgado com seu timbre grave que soou lindamente na melodia da canção, porém confesso que a medida que a performance ia seguindo, aquela linearidade me incomodou bastante e acabei achando tudo meio boring. Por uma parte achei a voz interessante, por outro lado eu achei um pouquinho chata e que não conseguiu me cativar até o fim. #4Chairs

Roddie: O impacto de Amar Pelos Dois no Eurovision e fora dele foi real mesmo, sou obrigado a reconhecer. Gostei da performance de Jim e que surpresa agradável ver um baixo com um bom controle de seus graves e uma ótima interpretação fazendo jus a 4 cadeiras viradas. Espero que ele possa surpreender mais na competição e mostrar que graves tem tanto valor quanto high notes.

Cleber: Gostei do timbre, mesmo não tendo gostado da musica que quase me fez dormir, ela combinou com o timbre e ele soube passar bem e, pois seu timbre ficou super destacado e belo na canção. Porém fico na duvida se viraria ou não, fico com um Talvez. Espero que o coach que ficou com ele saiba muito bem trabalhar com esta voz.

[Team Ali B] Bryan Muntslag – “Kiss And Say Goodbye” by The Manhattans

Michel: Durante toda a performance dele, um questionamento ficou martelando em minha cabeça: “Quem seria mais brega? A roupa dele ou a música?”. Tá, o cara tem uma voz legal, foi correto vocalmente na música que se propôs cantar, porém essa escolha de música para mim não foi nada atrativa, faltou mais personalidade e uma performance que soasse originalidade ou novo, ele foi mega datado cheirando os anos 90. Acho que não dura muito na competição, mas o reality abraça todos os estilos e acabou aprovando sua performance. #2Chairs

Roddie: Ele tem um bom controle vocal e sabe beltar, mas a performance foi tão maçante. Não empolgou nada e a songchoice super datada não ajudou nada. Tem cara de que vaza nas batalhas já.

Cleber: Mds eu realmente não gostei, nada carismático para mim, possui aquela voz que você não consegue ficar escutado no fone de ouvido, indo trabalhar ou escola. Tem talento mais eu não vejo futuro na competição não, não tem aquele diferencial. Enfim eu não viraria não.

Renée Rijpstra – “Run” by Rondé

Michel: Essa audição me deixou bastante agoniado, porque eu enxerguei bastante potencial nessa garota, tem um timbre lindo e peculiar, porém quando ela falhou no meio da música foi que sua chance se foi. Apesar que achei que depois da falha, ela deu uma melhorada boa na performance, ainda sim todo o seu nervosismo a impediu de entregar o seu melhor ali no palco, uma pena ver um talento assim desperdiçado por conta do seu evidente nervosismo. #Eliminada

[Team Waylon] Kimberly – “Hello” by Lionel Richie

Michel: UAU! Eu juro que esperava uma apresentação batida de mais um cover da Adele, mas ela já me surpreendeu por vim de Lionel Richie e me surpreendeu mais ainda com todo esse vozeirão que ela tem. A Kimberly tem uma voz suave e ao mesmo tempo potente, mas o que mais gostei foi seu agudo que tem uma particularidade, meio que uma rouquidão que eu amei. Dificilmente eu curto essas escolhas de músicas mais datadas, porém ela simplesmente pegou a música para si, soou muito melhor que a versão original e apesar da escolha, vi bastante originalidade e frescor em sua performance. PS: Ainda escolheu o meu coach favorito, tomara que venha aí uma Pleun 2.0. #4Chairs

Roddie: Essa sim foi uma performance magnífica! Kimberly tem um timbre super agradável e ela se conectou bastante a letra da música, além de entregar umas notas incríveis perto do final, o que só enriqueceu a performance. Uma 4-chair de muito respeito, e acho que tem potencial pra ir longe.

Cleber: Clássico né amores? Soube ter o controle total da voz, desenvolveu lindamente a performance crescendo a cada momento e tendo seu ápice, deslumbrante, viraria com certeza e já tem minha torcida aqui. Já quero mais clássico bregão kkk.

[Team Sanne] Silke van de Klundert – “Dreamer” by Dinand Woesthoff

Michel: Eu simplesmente amei o timbre dessa garota, aliás me lembra bastante a maravilhosa Maan. Confesso que sua performance ficou faltando uma certa explosão, no geral soou bastante linear, porém o seu “UUUUUUU” foi o que realmente me cativou. Amo o tipo de artista que ela é, com um estilo mais suave e intimista, porém espero que ela possa soltar mais do seu potencial vocal, mas sem perder toda essa leveza que ela apresenta em sua voz. #3Chairs

Roddie: Gente, por uns momentos Silke me lembrou muito a minha amada Maan, e tenho certeza que a semelhança não foi notada só por mim. Já to animado pra ver mais dessa menina, pois quero torcer muito pra ela assim como torci pra Maan.

Cleber: Eu já concordar que ninguém virou para ela e bah fui surpreendido e fiquei como? Assustado eu não vi nada demais, vi uma mulher muito insegura, que deixava passar descaradamente, até na voz. Não senti realmente nada, eu queria que acabasse logo. Enfim eu não viraria.

Jeremy Hazeleger – “Hello” by Adele

Michel: Primeiro que ele apostou num hit bem batido e que com certeza o cobraria uma performance impecável, sem contar que cantar Adele é um desafio enorme. Jeremy foi bastante ousado na escolha de sua música, mas pecou e feio na execução, o refrão foi decepcionante e não teve nada que achei que realmente mostrasse que ele tinha potencial para seguir na competição. Esse foi o famoso caso do act uma música muito maior que ele e acabou sendo engolido por sua escolha. #Eliminado

[Team Waylon] Jennifer Terwel – “Alone” by Heart

Michel: É inegável que a Jennifer tem uma voz poderosa e muito potencial, porém achei que talvez a escolha da música não tenha favorecido tanto ela, além de que achei que ela prezou muito a técnica e pouco se entregou em sua audição. Me incomodou que algumas partes me soaram um pouco exageradas e não muito natural, porém do outro lado fiquei pensando no seu potencial vocal, no fim achei que foi merecida a única cadeira que virou. #1Chair

Roddie:  Jennifer tem aquela voz powerhouse que eu gosto bastante, curti os riffs que ela fez na performance pra dar um diferencial, mas a songchoice já foi um tiro. Porém eu gostei de Jennifer e quero ver mais dela.

Cleber: Minha musica de Bad, Mds que timbre gostoso de se ouvir me faz ir até para bad, certas partes ela precisa solta mais a voz. Ai primeiro se ouve só a performance e depois quando você vai ver a interpretação foi tão fraco o semblante nem parecia que cantava uma musica de bad. Mas mesmo assim eu fico com o Talvez.

[Team Sanne] Robin Smit – “Twilight Zone” by Golden Earring

Michel: Caramba eu gostei bastante dessa performance, dessa vibe roqueira e com uma energia bem contagiante. Vocalmente eu acho que faltou mais força e mostrou pouca versatilidade em seus vocais, ficando a música toda na região grave da música. Por ser uma música com mais instrumentos, sofreu o mesmo problema da Kelly, também ficou um pouco apagadinho em alguns trechos da canção. Apesar de todos esses problemas vocais, eu adorei a performance do rapaz que me fez entrar nessa vibe mais animada. #2Chairs

Roddie: Robin também é outro rockeiro de alta qualidade e entregou uma ótima performance cheia de recursos vocais! Agora, rachei com Sanne assim como Waylon no momento em que ela virou hahahahah.

Cleber: Tem que ter aquele bad boy que te faz piscar né? kkk… Nossa que rouquidão gostosa, que vibe pra mim foi o melhor da noite, sua atitude, sua voz foi tudo completo espero que tenha futuro na competição torcendo com pompons e piscando. Viraria com certeza.

Lloyd de Meza – “Nice & Slow” by Usher

Michel: O mesmo comentário que fiz para o Bryan, se encaixa perfeitamente aqui. Sua apresentação foi bem chata, não teve nenhum diferencial, foi apenas um karaokê, que não me agradou muito. Os coaches tomaram a decisão certa de não virar a cadeira para ele, até porque achei sua performance uma das piores da noite, por conta que foi tudo bem mais ou menos.

[Team Ali B] Tjindjara – “What About Us” by P!nk

Michel: Inicialmente a voz dela parecia ser bem suave e limitada, mas a medida que a música foi crescendo, ela cresceu juntou e acabou soltando um vozeirão. Amei o timbre dela, a escolha da música foi super acertada e ela é tão carismática, que acredito que vai chegar bem longe na competição. Eu preferia muito mais ela no time do Waylon, porém acredito que o time que ela escolheu ela possa ser favorecida. Amei bastante sua audição e já aguardo ansiosamente para conhecer mais dessa sua voz que me intrigou bastante.

Roddie: Um pimp spot bem agradável. Tjindjara tem um timbre bem imponente e marcante e fez bonito com o novo single de Pink. Não foi minha favorita do episódio mas gostei bastante também.

Cleber: Como eu queria que alguém cantasse esta musica em algum reality, queria cover bons. O inicio da musica foi tudo de bom, mas quando entrou no refrão eu achei que a musica engoliu ela, ao meu ver eu teria feito a mesma coisa viraria por causa do inicio, pois se tivesse esperado o refrão daria um leve arrependimento. A voz dela é linda e gostosa, tenho uma queda por rouquidão, ou seja, eu viraria.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Na primeira noite de Blind Auditions, tivemos onze audições com um saldo de oito participantes aprovados. Dentre os aprovados, só achei desnecessária a presença do Bryan, os demais a maioria achei que tem uma galera com potencial de finalista e outro com o potencial de surpreender nas próximas fases. Até então os times estão bastante equilibrados, sendo que apenas a Sanne não conseguiu um 4 chairs nesse primeiro dia de audições. Destaques para Kimberly e Tjindjara que fizeram uma audição impecável e foram disputadas pelos quatros coaches. 

Se por um lado eu amo team Ali B, pelo outro lado eu detesto. Como já tinha falado anteriormente, o Ali é o tipo de coach bem excêntrico e com umas escolhas bem estranhas, umas vezes sua excentricidade dá muito certo, em outras acaba atrapalhando o seu jogo, prova disso é que até agora ele nunca venceu uma temporada. Ele deu uma grande puta sorte de ter a pimpada Tjindjara no seu time, já o Bryan acredito que será mero corderirinho nas batalhas. (T-O-M-A-R-A!)

Anouk conseguiu apenas o Jim em seu time até então, até porque ela virou apenas sua cadeiras para 3 acts, aliás os 3 foram 4 chairs. Como já tinha dito, ela é bastante criteriosa e isso acaba com que ela consiga bons componentes no seu time, porém também a prejudica de investir em acts com potencial de crescer na competição. Sobre o Jim, apesar de ter virado todas as cadeiras, não achei ele nada extraordinário e até então bem subestimado.

A Sanne continua apostando em acts promissores e adicionou em seu time dois candidatos que apesar de uma audição mediana, tem muito potencial para mostrar na competição. Sabendo do belo trabalho que fez com a Isabela na temporada passada, espero muito ver a Silke evoluindo bastante nessa temporada, amei o timbre dela e acredito que se bem trabalhada, ela pode chegar longe.

Finalizando temos o team do atual coach campeão do TVOH, Waylon, que tem um time até então completamente feminino e com poderosos vocais. Com certeza a front runner desse time é a Kimberly, porém suas duas colegas de time também mostraram tem bastante talento para vingar na competição. Espero ver mais diversidade nesse time, apostando em outros estilos que possam vim a agregar em seu time, que por enquanto é composto por uma roqueira e duas cantoras powerhouses.

Então pessoal, aqui finalizo a primeira review da oitava temporada do TVOH. Eu até então curti as primeiras audições e acredito que teremos novamente uma ótima temporada, até porque já de cara tivemos duas grandes frontrunner no programa. Até o próximo episódio de Blind Auditions e fiquem ligado com a gente. Fiquem sempre a vontade para comentar e deixar suas impressões sobre o reality ou nossa review. Um abraço e até mais!

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Felipe Fagundes

    Gostei muito dos rockeiros mas Tjindjara foi minha favorita disparada nesse episódio, que voz, que timbre, espero que cresça e não aposte muito nos gritos.
    Não achei nada de mais na Kimberly mas veremos como será daqui pra frente.

    • Michel Araújo

      Eu amei as duas, apesar de achar a Kimberly com melhor técnica vocal que a Tjindjara. Mas que bom que estão em times opostos e que ambas podem brilhar em cada time.

      • Felipe Fagundes

        não to muito acostumado com o TVHO, a final é com 1 de cada time?

        • Michel Araújo

          Não obrigatoriamente, o sistema de votação lá é uma média das notas dos coaches, mais a média das notas dadas pelo público, saindo entre dois e um act por semana. Na semifinal muda o sistema que é apenas de votações para quem quer que vá pra final. Na última foi um de cada time, mas de forma aleatória mesmo.

  • Leonardo Santos

    Olá Michel, tudo bem. Eu já estava em uma ansiedade por essa temporada do TVOH, porque outro dia tinha dando uma olhada no site sem pretensão alguma e quando eu vi que tinham mudado as fotos dos coches e vi que tinha a volta da minha linda da Anouk eu já surtei e fui logo vê quando ia ser a estréia, só que acabei me confundindo com a data de estreia e achava que só ia começar na semana que vem, mais aí abro o YouTube e vejo que já começou, ainda bem que eu vi isso depois que tinha acabado o final da novela, fui logo assitir as audições. Amei esse início com essas três últimas vencedoras do reality e foi maravilhoso vê a Pleunn. Sobre as audições do episódio, gostei no geral de todos que viraram e estou com um amor incontrolável para com a Kimberly e para com a Tjindjara. Kimberly, quando eu vi que no mesmo episódio tinha duas audições com Hello, eu pensei que fossem a duas da Adele, mais tombei que ela cantou a Hello do Leonel e fiquei chocado com o que ela fez na música que a tornou ainda mais perfeita. Sobre a Tjindjara, quando eu vi que era a nova música da P!nk, eu fiquei com medo de que não desse certo por ser o primeiro cover dessa maravilha de música da P!nk e quando ela me abre a boca com esse vozeirão da porra fiquei extasiado e maravilhado. Vá me desculpando pela extensão do texto, é que fiquei muito feliz com a volta do TVOH, e espero ser surpreendido com as outras audições e outras fases. Já ia me esquecendo de comentar sobre esse palco maravilhoso que eles montaram esse ano, pegando a ideia do The Voice UK e amei aquele tipo mezanino com os parentes do candidato que está cantando vendo tudo por uma janela transparente, amei também que eles pegaram a ideia de deixar o nome do coach aparecer quando o mesmo bate o botão. Ufaa terminei e quero sempre que possível ler as reviews sempre

    • Michel Araújo

      Leonardo, muito obrigado por ter comentado aqui nas nossas reviews, fique sempre a vontade de comentar aqui, amo ler os comentários que vocês me mandam e comparar com as minhas. Eu concordo em quase tudo contigo, só a Anouk que fico com um pé atrás kk, mas vamos esperar pra ver se ela me surpreende na temporada.

Michel Araujo

Baiano perdido em Aracaju, fã de realities show musicais e séries. Uma personalidade misturada a humor, sarcasmo e uma leve ousadia.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu