Posts Populares

The Voice Of Holland – S08E13 – The Knockouts 02

Top 12 finalmente formado!

Estou de volta, para cobrir essa fase maravilhosa, minha favorita do programa. Nessa semana tivemos a segunda e última parte dos Knockouts dessa temporada, onde mais times se apresentariam com o objetivo de conquistar sua sonhada vaga nos lives. Só relembrando de como funciona a dinâmica dos Knockouts no TVOH, é um misto do Knockout do TVUK com o 6CC do TXFUK, onde todos vão se apresentar e disputar uma das três cadeiras disponíveis por time, podendo substituir a qualquer momento quem ficará com uma das preciosas cadeiras.

Depois dos vários pisões proporcionados pelos teams Waylon e Anouk, esperava ansiosamente que Sanne e Ali B conseguisse manter o nível alto dessa fase e encerrasse meus queridos Knockouts com chave de ouro. Trabalhando com a realidade, não criei expectativas tão altas pra esse episódio, até porque os melhores times ficaram na semana passada, portanto não tem muito o que esperar de uns times com tantos acts fracos, em especial o team Sanne. Outra coisa que preciso falar, que dessa vez os coaches não me surpreendam com escolhas questionáveis como a semana passada, espero escolhas bem decentes para o top 12, porque de embuste já bastam o Giddeon e Marchiano. Bem, desabafos feitos, vamos ao que realmente interessa, dessa vez trouxe Ives e Rodrigo para comentarem, ambos já conhecidos aqui das reviews. Let’s go, babies!

TEAM SANNE

Chris Alain – “Mirrors” by Justin Timberlake

Michel: Chris é um excelente vocalista, tecnicamente sempre muito preciso nas notas e tem uma extensão vocal legal, porém a escolha dessa música o limitou muito, nessa fase do programa devia ter apelado pra Whitney, Adele, algo que permitisse que ele explorasse melhor sua voz na performance. Achei a performance dele apenas correta, pecou por não ter mudado o arranjo da canção e não ter arriscado tanto na música, uma vez que soou pra mim muito karaokê e pouca personalidade. Entendo que talvez ele queria mostrar versatilidade cantando algo mais pop e menos clichê, porém achei que aqui foi um tiro no pé que não o favoreceu em nada.

Ives: Eu não esperava gostar tanto, quando vi a música, já vim preparado para odiar, mas amei tanto as mudanças na melodia que me vi torcendo por ele. Sempre achei o Chris genérico, mas aqui adorei sua atitude durante sua apresentação e os rasgados que ele apresentou algumas vezes no decorrer foram uma grata surpresa. Minha única ressalva fica também para melodia, ele poderia ter brincando ainda mais, uma lentidão no início com um rock mais pesado no refrão, mas mesmo assim eu gostei.

Rodrigo: Ele teve sérios problemas de respiração e ainda errou umas notinhas tentando impressionar, mas pelo menos fechou bem a performance. A música não é muito a cara dele, e a performance refletiu isso.

CHRIS GANHOU A CADEIRA 1

Bram Houg – “Castle On The Hill” by Ed Sheeran

Michel: Meu favorito do team Sanne, me decepcionou muito com essa escolha de música, que apesar de linda é muito linear, para piorar tudo ele ainda estava muito nervoso e acabou cometendo um erro bem no meio da performance, de forma que o comprometeu muito, até porque ia pesar muito na escolha do coach. Infelizmente, o dia não foi nada favorável para o Bram que era um dos grandes nomes desse time, ele se perdeu muito na música, aparentemente estava bem desconfortável no palco e ainda não conseguiu mostrar o melhor de sua voz, sendo essa sua pior performance no reality. PS: O cara vem cantando Adele ainda em sua audição e dá um show, pra chegar nos Knockouts com Ed Sheeran? Poxa, tinha que ser algo muito bem para realmente nos surpreender.

Ives: Sempre me doí ver alguém perder sua chance pelo nervosismo, eu já o via como o novo Thjis, mas ele se perdeu na canção o tempo todo, não teve nem uma superação para que eu pudesse me agarrar a alguma esperança, infelizmente não merece ir para os lives.

Rodrigo: Ok, isso foi um choque. Não esperava o erro crasso de Bram no início da música e a forma como isso tirou quase que completamente o foco dele da performance, achei até legal quando a Sanne incentivava ele a continuar e engatar de novo, mas infelizmente ele enterrou as chances dele, que eram grandes até!

BRAM GANHOU A CADEIRA 2

Richelle van Ling – “Dominique” by Anouk

Michel: AAAAAAAAAAAAAAAAA, que performance mais chata, torturante demais para mim aguentar ver esse vídeo até o fim. Além de não conhecer a música, acho a Richelle muito limitada vocalmente e  que até aqui apresentou performances bem esquecíveis, inclusive essa. Num time tão inexpressivo como da Sanne, a Richelle consegue ser de longe o nome menos interessante, sendo assim não tinha muito o que fazer, né?

Ives: Eu não entendo esses participantes holandeses, essa é a última fase antes dos lives e eles me vem com uma songchoice sem graça igual a essa. Essa música mostrou a potência vocal dela? Mostrou presença de palco? Ela só ficou andando de um lado para o outro falando Dominique, muito ruim mesmo.

Rodrigo: Achei Richelle bem corretinha em sua performance, mas acho que ela nunca chegou a impressionar de verdade e mostrar que merecia ir pros Lives.

RICHELLE GANHOU A CADEIRA 3

Aïrto – “Rain” by The Script

Michel: Olha o Aïrto eu sempre achei ele bastante subestimado nessa temporada, principalmente por conta de sua performance com uma música original, mas tenho que dizer que gostei bastante da música que escolheu e vocalmente ele foi muito bem. Vocalmente, essa foi a performance que mais gostei dele, porque permitiu que explorasse bem e conseguiu me agradar muito aqui sem apelar pro lado mais emocional, ao contrário, ele trouxe algo mais descontraído. Minha critica fica por conta da presença de palco dele que não tinha nada a ver com a música, poderia ter explorado mais o palco e se deixar levar pelo ritmo mais animado da música, mas já é pedir demais pro coitado, né?

Ives: Sempre achei que esse cara tinha um hype da produção muito sem sentindo, tudo bem que ele cantou uma original na audição, mas ainda assim achei sem graça, devido a esses fatores, eu já vinha pronto para odiar, mas até que curti essa apresentação, foi animada, ele estava confortável e cantou the script, só aí já ganhou alguns pontos comigo.

Rodrigo: Airto é meu favorito depois de Bram no team Sanne e achei que ele foi muito bem novamente. Teve presença, teve voz e teve conexão com a letra. Sinto que ele é um dos mais bem preparados do time e ele merece ir pros Lives.

AÏRTO GANHOU A CADEIRA 2/ BRAM ELIMINADO

Kira Dekker – “All My Life” by Krezip

Michel: Acho a Kira tão fofa, amo toda vulnerabilidade que ela mostra em suas apresentações, porém vocalmente preciso dizer que ela ainda é muito inexperiente e um pouco limitada. Sua performance de hoje foi uma boa escolha para ela, num arranjo mais acústico e com uma letra mais emocional, o que casou muito bem com seu belo timbre. Gostei da performance por conta da sua entrega na música, porém vocalmente achei que ficou faltando algo que pudesse destacá-la entre os demais.

Ives: De novo não consigo entender o porquê dessas songchoices, foi melhor que a da Richelle, já que nessa evidenciou seu lindo timbre, mas continua sem graça, não acrescentou em nada e tenho certeza que nem lembrarei dessa performance quando a final chegar.

Rodrigo: Que surpresa Kira com uma balada. Até que ela foi bem, se mostrou bem conectada com a letra da música, mas confesso que a performance ficou um pouco entediante chegando na metade.

KIRA ELIMINADA

Sebastiën van Dorp – “Mind Made Up” by Wulf

Michel: O Sebastien tem uma voz muito bonita, tem uma certa rouquidão que me agrada muito, apesar de achar que falta mais personalidade em suas performances. A música escolhida é bonita, tem um instrumental mais intimista e que valorizou mais do seu timbre e conexão com o que cantava, porém podia ter escolhido uma song com mais agudos e que ele pudesse soltar mais dessa voz dele, achei que sua performance ficou muito linear, no geral uma boa performance, mas nada que pudesse me cativar além do timbre rouco dele.

Ives: A verdade é que timbre rasgados sem extensão vocal estão me conquistando cada vez mais, muito obrigado Chloe Kohanski, por isso estou apaixonado nessa voz e nessa performance, até agora foi o melhor do time para mim e apesar de não ter conquistado uma torcida muito grande, eu o levaria aos lives.

Rodrigo: Eu gosto bastante da voz do Sebastien e desse drive bem natural, problema é que foi a música que é bem repetitiva e até chatinha, não permitiu ele mostrar mais potencial.

SEBASTIËN ELIMINADO

Samantha Steenwijk – “Liefde Van Later” by Herman van Veen

Michel: Samantha é uma das grandes defensoras das músicas na língua holandesa, acredito que uma das melhores que já surgiu no programa nesse segmento. Além de ter poderosos vocais, ela tem uma presença de palco sempre muito forte e potente, suas interpretação tem uma carga emocional forte. Nessa performance, ela não foi diferente das outras que já fez, apostou em mais uma música forte holandesa e fez uma performance com interpretação forte e dramática, a impressão que tenho é que ela canta como se tivesse interpretando uma história dramática, as vezes suas performances me soam um pouco exagerada demais, porém entendo que seja a essência dela essa entrega toda em suas apresentações.

Ives: Até agora a melhor songchoice, mostrou atitude, vocais e presença, mas como essa é minha primeira vez acompanhando o The Voice Holanda fielmente, eu não sei o que o público acha de participantes que se mantém na língua nativa, particularmente eu não curto muito já que não entendo, mas como ela vem acertando nas músicas, isso ainda não me incomodou.

Rodrigo: Posso não ter entendido uma palavra que Samantha cantou, mas senti a intensidade e a força que ela imprimiu nessa performance e só posso dizer que Samantha mandou muito bem. Eu não acho que ela possa ir muito longe, mas essa performance certamente fez ela merecer uma vaga nos Lives.

SAMANTHA GANHOU A CADEIRA 3/ RICHELLE ELIMINADA

David van Rooij – “Best Fake Smile” by James Bay

Michel: Olha David realmente está fazendo valer sua participação no reality, começou de forma bem discreta e sem muitas pretensões, porém desde sua battle que percebo uma grande melhora nele e aqui achei que ele conseguiu manter o nível da fase passada. David fez uma excelente performance, os vocais dele estavam ótimos, sua presença de palco tem só melhorado e conseguiu de quebra ser para mim a melhor performance desse time, o que não é grande coisa já o que time não foi tão bem nessa rodada. Sendo bem sincero, vê sua performance só fez minha saudade pelo Simon ter saído, mas tenho que dizer que o David fez por merecer sua vaga nos lives e espero que continue nessa crescente.

Ives: Amo quando mostram que James Bay não vive só de “Let It Go” e “Hold Back The River“, eu gosto do David, mas sempre preferi o irmão, porém é espertíssimo levá-lo para os lives já que ele vem com a torcida do irmão inclusa, talvez seja o único motivo de eu achar justa sua ida para os lives, até porque não achei essa apresentação algo além do normal.

Rodrigo: David ainda era uma incógnita para mim, mas com essa performance eu definitivamente achei ele um candidato forte no team Sanne, e acho que ele fez por merecer sua vaga nos Lives. Escolheu uma ótima música, mesmo que não muito conhecida de James Bay e cantou muito bem e com a energia que a música pede.

DAVID GANHOU A CADEIRA 1/ CHRIS ELIMINADO

RESULTADOS

Aïrto, Samantha Steenwijk e David van Rooij

Meu top 3: Bram Houg, Samantha Steenwijk e David van Rooij

Top 3 (Ives): Chris Alain, David Van Rooj e Sebastien Van Dorp

Top 3 (Rodrigo): Airto, Samantha e David

Como já tinha dito no início da review, o team Sanne era o mais fraco para mim e o que eu não tinha grande preferência de acts, o único que realmente gostava era o Bram, que é um excelente vocalista e fez uma performance de audição e batalha muito boas, porém ele inventou de vacilar logo aqui. Mesmo com o errinho que Bram teve em sua performance, eu continuaria apostando nele, até porque era de longe o melhor act do time. A escolha de Samantha e David eu achei justa, principalmente porque eles foram os melhores nessa rodada, porém o Aïrto apesar de ter sido uma escolha compreensível, no geral acho ele um candidato bem genérico. Na verdade não mudou muito, a Sanne continuou com o time mais fraco da competição e acho bem difícil a vitória vim desse time.

TEAM ALI B

Pieter van der Zweep – “Onderweg” by Abel

Michel: Pieter é um dos candidatos que tem feito uma passagem discreta nessa temporada, sem fazer muito alarde conseguiu chegar até esse ponto da competição, porém aqui é o fim da linha para ele. Sua performance foi correta, com bons vocais e ele mostrou muita emoção enquanto além, além de ter tido uma boa presença de palco, porém nada do que tornasse sua performance muito cativante, ao contrário, foi nada demais.

Ives: Outro que até agora só cantou em língua nativa e isso me impede de criar uma simpatia com act, o que faz você torcer por alguém, pelo menos inicialmente, e cantar músicas onde não se conhece absolutamente nada da letra impede de criar laços com o act, mas falando da apresentação, eu curti bastante, achei ele confortável, apesar de sua postura se curvada e isso ser horrível, a música tem uma melodia boa e combinou com seu timbre, só achei meio sem graça para essa fase como a maioria.

Rodrigo: Achei legal essa música e Pieter também a cantou de maneira excelente. Eu já tinha adorado a batalha dele e acho que ele fez bonito de novo.

PIETER GANHOU A CADEIRA 1

Karlyn – “Back To You” by Louis Tomlinson ft. Bebe Rexha & Digital Farm Animals

Michel: Karlyn apostou num estilo que pouco é valorizado em realities musicais, esse tipo de música pop dificilmente conquistar o público, principalmente no The Voice. Sua performance foi legal, os vocais foram satisfatórios e ela soube usar bem o palco ao seus favor, passeando por ela a todo momento, porém novamente fica aquilo que tanto cobro em todas performances que vejo, faltou algo que pudesse destacar essa performance, nessa fase espero que os acts apresentem algo que eu queira dá replay, nesse caso aqui passou longe essa vontade.

Ives: Se estivesse no x fator já ia ter minha torcida, é linda, estilosa, tem presença, música atual, tudo que eu amo, mas como estamos no The Voice, eu prezo mais pela voz e é algo que ela não tem muito, não é ruim, apenas é fraca vocalmente.

Rodrigo: A meu ver, Karlyn é uma boa cantora, mas acho que ela tentou demais nessa performance ao tentar imprimir uma sensualidade exagerada que meio que sufocou a sua habilidade vocal. No geral, foi até bom mas poderia ter sido melhor.

KARLYN GANHOU A CADEIRA 2

Tjindjara – “Dusk Till Dawn” by ZAYN ft. Sia

Michel: Amo essa timbre da Tjindjara, um dos nomes mais fortes do team Ali B. Gosto muito também das escolhas de músicas dela, são sempre contemporâneas e mais puxadas para o pop, fugindo das músicas clichês. A performance dos Knockouts achei a mais fraca dela nessa temporada, porém conseguiu ser um dos destaques no seu time, uma performance com excelentes vocais e uma presença de palco invejável, amo muito sua presença de palco, sempre mostrando muita personalidade em todas suas apresentações. Seria muita loucura não levá-la para os lives, já que ela é um dos grandes destaques dessa temporada.

Ives: Melhor knockout da temporada, já amava nas blinds, mas meu amor vem aumentando cada vez mais, além do fato de ser linda, a Tjindjara sabe escolher músicas atuais que mostre sua potência vocal. Não conseguia ver Sia ft Zayn se encaixando na voz dessa rainha, mas ela se virou e deixou a música no seu estilo, apresentando vocais limpos, uma presença de palco surreal e um clímax perfeito para essa fase.

Rodrigo: Gostei da abordagem de Tjindjara nessa música, ela começou mais sutil e foi construindo terreno para uma atitude mais agressiva no refrão e terminar a performance de maneira incrível. Pra mim, uma das melhores da noite e se continuar assim, já pode ser finalista.

TJINDJARA GANHOU A CADEIRA 3

Ronald Klungel – “Nothing Ever Hurt Like You” by James Morrison

Michel: Outro candidato que tenho muita simpatia é o Ronald, ele tem uma voz suave muita bonito e consigo sempre me conectar bem com o que canta. Porém, não gostei da música que ele escolheu para essa rodada, deveria continuar apostando mais lentas e emocionais, porque o timbre dele é muito suave e cantando essa música mais animada, achei que faltou mais força nos vocais e até foi engolido algumas vezes no refrão. Apesar de não ter curtido tanto a música, gostei que o vi mais confortável no palco, movimentando-se enquanto cantava, porém continuo achando que a vibe são as músicas mais acústicas e emocionais.

Ives: Eu tento gostar desse cara, mas o timbre dele é tão enjoativo, parece que o tempo todo ele está cantando a uma oitava acima da sua região confortável, muito ruim e hoje não foi diferente.

Rodrigo: Ronald é um vocalista bem competente e mostrou muito bem isso com os artifícios que usou nessa performance. Ele também demonstrou presença de palco e foi crescendo junto com a música, mas entre os dois homens do team Ali B, ainda fico com Pieter.

RONALD GANHOU A CADEIRA 2/ KARLYN ELIMINADA

Gin Dutch – “Havana” by Camila Cabello ft. Young Thug

Michel: Meu ranço pela Gin começou já em sua audição que foi bem fraca e só aumentou nas battles quando achei que injustamente ela foi favorecida, sendo assim já torcia pela sua eliminação antes mesmo que cantasse. Aqui ela mostra bem o motivo do meu ranço, a Gin é uma artista com vocais bem fracos e só se garantia através dos raps, porém não entendo porque ela não resolve cantar apenas rap, porque cantando acho suas performances bem sofríveis. Bem, julgando essa performance, os vocais não foram dos melhores, o rap foi tão curto que não empolgou, apesar de ter apelado pra um grande hit, acabou não colando.

Ives: Outra que teria minha torcida no x fator, para mim a Gin está pronta para o mercado, mas não para o The Voice. Essa foi sua pior apresentação, evidenciou ainda mais o quanto ela se apoia no rap para cobrir sua fraqueza vocal. Uma act maravilhosa, mas no reality errado.

Rodrigo: Até que Gin foi melhor do que eu esperava nesses Knockouts. Pegou uma música que não exige muito vocalmente e ainda tem espaço pra rap, onde Gin funciona melhor. Mas até parece que ela tinha chances reais de ir pros Lives, não é mesmo?!

GIN ELIMINADA

Demi van Wijngaarden – “Make It Rain” by Ed Sheeran

Michel: Essa sim é uma música para essa fase, com uma letra forte e que permite que o act solte o vozeirão, além de toda aquela emoção que a gente gosta. Eu amo Demi desde sua época no Kids, acho ela uma cantora poderosas e com muito controle em sua voz, além de ter esse arranhado na voz nas notas mais agudas. Amei sua performance, sua voz estava melhor que nunca, soube transitar muito bem entre o grave e agudo, além de ter ousado umas notas mais agudas, que aliás amo quando ela solta esse vozeirão mais arranhado. A performance foi para mim a melhor desse segundo dia e que só confirma o motivo de todo esse favoritismo com ela, tanto por conta do seu talentoso, do seu carisma e do público já ter apego com ela desde o Kids. <3

Ives: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA FINALMENTE HONROU SEU POST DE FRONTRUNNER, MARAVILHOSAAAAAAAAAAAAAA.

Rodrigo: Demi fez um cover da versão de Koryn Hawthorne, é isso mesmo que eu entendi?! Comparações a parte, eu achei que Demi foi até muito bem, mas ainda falta um pouco de sal nela, algo que possa botar ela em destaque de verdade. Mas ela é um dos grandes nomes desse time e merece passar também.

DEMI GANHOU A CADEIRA 1/ PIETER ELIMINADO

Soraya – Deja Vu by Beyoncé ft. Jay Z

Michel: Como defender uma criatura que de três performances no reality, duas foi cantando Beyoncé? Na sua audição já tinha dito o quanto é complicando cantar Beyoncé sem soar genérico, principalmente por conta de todo o boom que tem em cima dela, sendo dificilmente uma performance realmente vai agradar, sem parecer mais um cover. Gostei da energia dela na música, os vocais estavam ótimos, apesar de não ter se arriscado tanto vocalmente, porém com ela sendo tão repetitiva em suas escolhas, fica difícil de saber do que realmente ela é capaz vocalmente.

Ives: Que maravilhosa, como Bey fã amo quando cantam músicas não tão cantadas em realities da mulher que inventou a formação. O tempo todo eu fiquei apreensivo, pois Deja Vu é uma música que necessita de muito controle de respiração, até mesmo a mãe da Humi e do Sir Carter em alguns lives fica sem fôlego, mas a Soraya deu conta e foi maravilhosa o tempo inteiro, não exagerou em momento algum e sempre com uma postura flawless, com certeza a levaria para os lives.

Rodrigo:

SORAYA ELIMINADA

Aïcha Gill – “See You Again” by Wiz Khalifa ft. Charlie Puth

Michel: O que deu na cabeça da Aïcha em escolher essa música que não tem nada a ver com ela? A música é legal, porém já foi muito surradas nos realities musicais, apesar de para mim não ser ideal pra isso tipo de programa, por conta de limitar muito o candidato vocalmente, porque a música não oferece muitos momentos que permitam o candidato mostrar melhor sua extensão vocal. No geral, até gostei da performance dela, fez uma apresentação mais suave, não ousou tanto com notas mais agudas, tentou apostar mais na emoção, porém achei que comparado aos demais que ocuparam a cadeiras, em especial as meninas escolhidas, ela ficou um pouco atrás.

Ives:  Songchoice errada, além de escolher a versão sem graça dessa música (Sem o Wiz Khalifa), a Aircha não fica confortável no falsete, o que eu acredito que seja a maior força do Charlie Puth, então ela preferiu usar mais seu grave e olha, ficou uma merda, deixou ainda mais sem graça, em nenhum momento ela se arriscou, terminou mal essa fase maravilhosa.

Rodrigo: O que eu mais gostei em Aicha é seu carisma, achei ela super divertida no backstage, e aqui ela se mostrou bem imersa em sua performance, apesar de não ter feito nada de muito novo com essa música já bem batida em realities, além de não ter feito algo tão bom como o dos cantores assentados.

AÏSHA ELIMINADA

RESULTADOS

Tjindjara, Ronald Klungel e Demi van Wijngaarden

Meu top 3: Tjindjara, Ronald Klungel e Demi van Wijngaarden

Top 3 (Ives): Soraya, Tjindjara e Demi

Top 3 (Rodrigo): Pieter, Tjindjara e Ronald

Olha, o Ali B me surpreendeu muito com a sua sensatez nessa rodada, esperava dele as escolhas questionáveis, porém concordei e muito com o top 3 escolhido para o seu time. A Tjindjara e Demi eu tinha como escolhas já certas para os lives desde suas audições, onde foram um dos grandes destaques dessa temporada. A escolha do terceiro act, acredito que ele apostou no Ronald para levar um time mais misto, uma escolha que para mim é muito acertada, apesar que não me incomodaria com a Aïsha indo no lugar dele, porém seria um estilo muito parecido com a Tjindjara. Ali B tem o meu time preferido, julgando os times completos, gosto de todos os acts e vejo em Demi e Tjindjara uma chance dele levar o título nessa temporada.

Finalmente nós temos o nosso top 12 da oitava temporada do TVOH. Tive alguns tombos, entretanto no geral eu acho que foi formado um bom top 12 nessa temporada, cheia de favoritos ao títulos. Meus favoritos dessa temporada são Kimberly, Silayio, Jim, Nienke, Tjindjara e Demi, acredito que até então a vitória estaria entre Demi, Kimberly e Jim, vejo os três como favoritos desde suas audições e têm garantido esse favoritismo em todas as fases, mas tudo pode mudar com os lives.

Aguardo vocês na primeira semana dos lives, até mais!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Michel Araujo

Meio baiano, meio sergipano, já passou dos 20 anos e um sofrido estudante de engenharia, com uma personalidade cheia de atitude e uma leve ousadia. Viciado em séries, realites e músicas, vai me encontrar sempre por aí escrevendo reviews, numa diversidade de gêneros de série e programas de TV.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu