Posts Populares

The Voice UK – S07E06 – Blind Auditions 06

E vamos para o enésimo episódio de blinds auditions!

Fala, galerinha! E essa fase de audições que não acaba mais nunca, gente? Fase mais arrastada que as temporadas de Supernatural e mais longa que a cauda do vestido da Kelly Clarkison haha!

Deus é testemunha de que eu não aguento mais! Até porque a produção não está sabendo distribuir os artistas, viu? Ao passo que existem episódios com muitos nomes interessantes, existem outros fraquíssimos, que tudo que temos se resume a candidatos medianos e os jurados fazendo o famoso charminho e se negando a virar para o artista, mesmo demonstrando interesse. Mas, enfim, meus coleguinhas já falaram disso semana que vem e me senti representada. Vamos ao episódio de hoje? O penúltimo graçaaaaaaasdeus! Pra comentar comigo hoje, trago o paneleiro João e o nosso convidado Caio. Vamos nessa? 🙂

[ELIMINADO] Michael Harrison – “Last Request” by Paolo Nutini

Tati: Já começamos com um “não”, assim? Que insensíveis eles -q. E por falar em insensibilidade, ainda me incomodo muito com o fato do candidato sair sem feedback, ainda mais em casos como dessa blind, pois eu não o achei tão ruim. Era perceptível que ele estava nervoso e isso o atrapalhou em alguns momentos, mas o timbre dele me soou interessante e alguns toques o ajudaria.

João: Parecia que ia ser bom, teve um começo legal, deu uma rasgada na voz no refrão e… ficou por isso mesmo. Achei bem fraco, poderia ter escolhido uma música que valorizasse mais a voz dele, que mostrasse mais o que ele podia fazer. O cara tem a chance de ir pro The Voice UK e canta 1:10, por favor ne?

Caio: Primeiro, foi bem rápida a apresentação. Senti que ele tinha dificuldade quanto à respiração, principalmente na parte mais lenta da música. Geralmente eu amo pessoas que tem essa rouquidão na voz, mas a dele não desceu… Não parecia muito natural, e ele estava bem nervoso. Enfim, não deu pra ele dessa vez :/

[TEAM OLLY] Bailey Nelsen – “There’s Nothing Holdin’ Me Back” by Shawn Mendes (<3)

Tati: Songchoice bem condizente com o estilo dele, né? O timbre dele é bem interessante também, eu gosto desse tipo de voz e acho que pode representar bem o popzinho atual no programa. Mas ficou nítido que Bailey é muito “cru” ainda, vide sua presença de palco de porta. Tanto que me senti zero empolgada com uma das minhas músicas favoritas do meu baby Shawn. Enfim, algo que precisaria ser trabalhando urgentemente. Mas, tirando isso, há uma voz legal ali e quem sabe ele não possa evoluir?

João: Finalmente né Olly! Adorei a voz desse teen, pode ser bem promissor. Jovem, bonito, tatuado, com uma voz gostosa e pop, tem tudo para ser um possível frontrunner do Team Olly (até pq o time dele não ta dos melhores). Percebi que ele tem um ótimo controle na respiração, porque nao é nem um pouco fácil cantar essa música, e ele tirou de letra. Olly tem um diamante bruto nas mãos, é só lapidar meu filho!

Caio: – O engraçado é que a voz dele me agradou bastante, mas ele tava cantando tão desanimado para o perfil da música hahahaha acho que era preocupação com as notas. A voz dele é bem melódica e comercial. Acho que nas próximas fases ele irá melhor quanto à presença de palco e expressão.

[TEAM WILL] Wesu Wallace – “I’m Not The Only One” by Sam Smith

Tati: Que timbre diferente do Wesu! Em certos momentos me pareceu agudo demais, mas ele é novinho e ainda está desenvolvendo sua voz. Eu gostei bastante do início, mas do meio pra frente a voz dele começou a me incomodar um pouco, mas é questão de gosto por timbre, pois afinação e certo conhecimento técnico ele tem. Parênteses pra falar do tanto que AMEI ele cantando com o WIll e do tanto que ri da Jhud tentando entrar na mixagem haha.

João: Achei a blind interessante, mas não diria boa. Usou algumas high notes, e uns falsetes bem colocados, mas parecia o tempo todo que ele estava fazendo força para cantar (não na expressão dele, a voz mesmo me parecia forçada). Mas se o Will souber o caminho que seguir, talvez ele renda alguns frutos, embora tenha comigo que a JHud seria a melhor coach para ele.

Caio: Ele cantou bem, tem um timbre interessante, mas eu fiquei a apresentação toda incomodado porque não combinava com a música, a voz dele é bem diferente da do Sam Smith. Ele deu umas firuladas desnecessárias (música do Sam geralmente é caracterizada por ser limpa), mas ele mandou uns agudos legais.

[TEAM TOM] Courtney O´Neil – “When You Say Nothing At All” by Ronan Keating

Tati: Oh GOD! Minhas definições de voz irritante foram atualizadas hahaha. Eu simplesmente não suporto timbres como da Courtney! Simplesmente não dá pra mim. Mas devo confessar que a voz dela combina com o estilo que ela gosta de cantar (country music, a bicha é fã de Blake Shelton, inclusive! Até aqui esse homi me persegue.). Não sei se Courtney terá espaço no team Tom, que é o melhor até o momento, ao meu ver, mas vamos ver no desenrolar da competição.

João: Não podia falar dessa blind sem lembrar do totototinho Tanner do Team Blake que cantou essa música na sua (segunda) blind no US. Achei a voz da Court um pouco enjoativa, e ele deu umas boas vaciladas nas partes baixas e sussurradas. E pra piorar ainda foi pro Team Tom que ta recheado das melhores vozes da temporada. Acredito que será cordeiro de batalha. Mas apesar de tudo, eu acho que gostei kkkkk
Caio: Alguém fala pra pararem de cantarem essa música em qualquer lugar, ninguém aguenta mais. A voz dela é muito aguda, às vezes saíam uns sons estranhos em umas notas dela. Além disso, algumas notas saíram falhadas.

[ELIMINADA] Keilah Miller – “What’s Up” by 4 Non Blondes

Tati: Procurei por alguns vídeos da Keilah só pra confirmar se a voz dela é assim mesmo ou se ela abusou dos rasgados na voz necessariamente nessa música, uma vez que a própria canção original conta com isso. A voz de Keilah é bonita e achei uma escolha boa para o tipo de cantora que ela deseja ser, mas, em noventa segundos, cada detalhe conta e os exageros dela foram cruciais para deixar a apresentação um pouco carregada demais. Eu entendo as dúvidas dos jurados e eu também fiquei confusa enquanto ela cantava.

João: Só ficar falando que ta curtindo não adianta de nada Jennifer! Adorei a voz dessa menina, bem ríspida e com um ótimo alcance, e seria uma boa aquisição pro Team Jhud que também não tá la essas coisas. Infelizmente mais uma candidata boa que não tem nem a chance de ouvir um feedback dos coaches.

Caio: Achei a voz jovem porém madura. Em alguns momentos, faltou potência. Queria pedir pro povo do UK parar de gritar e deixar a gente escutar ela cantar. A parte principal da música ela fazia umas notas que não davam pra ouvir porque todo mundo estava falando. Mas enfim, senti nervosismo, mas senti potencial!

[TEAM JHUD] Jilly Riley – “All Right Now” by Free

Tati: Amei que, coincidentemente, Jilly já veio toda brasileira e carnavalesca nesse episódio hahaha. Eu amei a escolha da música e a parte introdutória da música. Acho que ela se perdeu um pouquinho no decorrer da apresentação, mas é algo comum, principalmente quando as cadeiras demoram um pouco a virar. Uma das minhas candidatas preferidas principalmente pelo estilo que ela disse que pretende seguir nas entrevistas, não sei se ela terá futuro no programa, mas é uma das minhas favoritas no fraco team Jhud até o momento.

João: Sinceramente… Não gostei da voz dela, achei basic, foi toda linear, sem nenhuma diferença de outros tantos acts que já pisaram ali (tirando essa roupa cafona ne?). Ai JHud eu tento te defender mas não ta dando não viu?

Caio: Achei a voz bastante atípica. No início, tava mais pra estranho, mas depois comecei a achar legal! A música foi uma boa escolha para a voz dela. Não curto muito o estilo, mas foi interessante.

[ELIMINADA] Jodie Knight – “Iris” by Goo Goo Dolls

Tati: Triste que não viraram para uma das meninas que mais gostei hoje. Ah, não! Eu amei o timbre da Jodie e a escolha da música. Apesar de não ter uma voz excepcional, o timbre é bastante agradável e achei que ela executou a apresentação de uma forma bem lindinha, tentando colocar mais força no refrão e nas partes mais altas da música (apesar da limitação no alcance), não soando de forma alguma linear ou massante. Uma blind ok ao meu ver, que deu pra perceber que ela tinha bastante potencial para crescer na competição, apesar do notório nervosismo. Que peninha.

João: Achei ela tao fofinha, toda meiga e tudo, mas a voz dela tem um alcance bem fraco, e teve que entrar nos falsetes na hora que pedia pra subir. A parte baixa foi excelente, mas ela é bem limitada, infelizmente. Pelo menos eu achei, ou talvez foi a música, não da pra ter certeza, mas eu também não viraria.

Caio: Sentia o nervosismo pela respiração, e no refrão ela deu umas falhadas mais notáveis. Tinha uns momentos em que a voz dela soava muito bem, entretanto. Foi um mix de sentimentos, mas acho que ela não estava preparada para a competição.

[ELIMINADA] Jess Herring – (You Make Me Feel Like) A Natural Woman by Aretha Franklin

Tati: Mais uma eliminação para me cortar o coração e me deixar mais confusa sobre que tipo de artista esses coaches estão procurando. Pois, vejam bem, eles já viraram suas cadeirinhas para artistas tecnicamente inferiores, mas sempre demoram para virar para bons candidatos ou simplesmente não viram. O pior que nem podemos saber exatamente o porquê, tampouco o act, já que ele sai dali sem feedback nenhum. Jess é afinadíssima, cantou de uma maneira bem singela e fez uma apresentação sem muitos erros. Ao meu ver, uma das melhores audições desse fraquíssimo dia de blind auditions. Eu fiquei bem decepcionada por ela ter de voltar pra casa sem a aprovação.

João: E eu achando que o TVUS me passava raiva. O que acontece com esses coaches??? Pra mim foi uma das melhores da noite, teve controle vocal, subiu, desceu, falsete, presença de palco (que os coaches não viram). Eu não assinei contrato pra comentar isso e ser feito de trouxa, não viu?? (na verdade tava nas letras pequenas, eu quem não li). Enfim, mais uma voz desperdiçada e minha vontade de voltar para outra season ainda menor.

Caio: EU AMEI. Ela não ficou berrando incondicionalmente como quase todo mundo que canta essa música. Além disso, o timbre dela era super gostoso, e ela segurou a marimba nas partes mais complicadas da música. Mais uma estrela perdida pelo programa, uma pena não ter passado.

  

[TEAM JHUD] Tesni Jones – “Highway to Hell” by AC/DC

Tati: Na entrevista antes de se apresentar, Tesni disse que é uma cantora POP e me surpreendeu quando veio com esse clássico do rock. No começo eu torci um pouco o nariz, mas devo confessar que gostei bastante da apresentação. A voz dela casou bem com a música e ela empregou a energia necessária para deixar a apresentação interessante, Na excepcional, mas digno o suficiente para ter virado as cadeiras. E SE ELES DEIXASSEM MAIS UMA BOA CANDIDATA IR EMBORA, EU SIMPLESMENTE JÁ IRIA PASSAR NO RH DO PANELA E PEDIR MINHAS CONTAS, porque ninguém merecesse sofrimento de bons candidatos dando adeus, por causa da cabeça louca desses jurados haha.
João: AAAAAAAAA ESSA VOZ ESSA PRESENÇA DE PALCO. Já começou com ela no salto cantando rock, não era nada esperado e já me conquistou. Esses arranhados na voz dela, que coisa mais maravilhosa. Ela soube usar o palco, em uma música que super precisava, e ainda jogou uma high note. Não poderia ter amado mais. Sem dúvidas ta no meu top 3 da temporada. Espero que saibam trabalhar com ela <3
Caio: TAMBÉM AMEI. Essa não foi injustiçada, não berrou, e sim cantou. Mostrou muita personalidade, e a voz se encaixou muito bem com a música. Acho que ela pode ir longe na competição com a Jennifer.

Então, gente, com essa última apresentação, finalizamos o sexto dia de blinds auditions. Confesso que ainda estou um pouco decepcionada com essa season. Ainda não apareceu aquele artista que me despertasse amor infinito e me fizesse torcer muito. Mas, como The Voice ainda se trata de um programa de ajuda e evolução, espero que os coaches trabalhem bem com os artistas que tem em suas mãos nas próximas fases. Por falar em coaches, eu estou simplesmente AMANDO a interação deles na bancada! Está bem divertido de se ver e eu nem vejo a hora passar. Ponto negativo mesmo fica pra essa coisa chatíssima de demorar a virar, de gostar do artista e mesmo assim ficar mandando o coleguinha virar ou simplesmente não virar a cadeira, mesmo achando que o act mereça. O UK sempre teve disso e isso está me incomodando profundamente nesse temporada.

Fazendo um balanço sobre os times, pra mim, Team Tom é o mais forte de todos e tem nomes que me agradam bastante. O vovô está arrasando na aquisição de artistas mais alternativos. Logo atrás, vem Team Will, que está montando um time mais jovem e pode fazer trabalhos mais atuais e interessantes. Team Jhud e Olly, ao meu ver, ainda estão atrás e não cresceram tanto nesses últimos episódios. Terão que tirar leite de pedra!

Semana que vem é o último episódio de blinds e espero que sejamos surpreendidos por uma mudança de nível, pois, até agora, estão deixando a desejar! Muito obrigado por estarem aqui mais uma vez, pessoal. E vejo vocês nas batalhas! Um abraço!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu