Posts Populares

The Voice US – Aquecimento Season 14: Acts Que Erraram na Escolha de Coach

*leia-se na voz do Faustão* – ERROU!

E não é que em menos de 2 meses do fim da maravilhosa 13ª temporada do TVUS, nós já estamos nos preparando pra season 14?! Com 7 anos de estrada, os já calejados coaches Adam Levine e Blake Shelton recebem de volta a vencedora da 12ª edição do programa, Alicia Keys; e dão as boas-vindas a novata Kelly Clarkson! A ex-Idol já se junta aos 3 campeões de forma gloriosa, como fica claro no comercial da temporada (que foi ao ar no intervalo do Super Bowl!).

E as novidades da 14ª temporada não param na Kelly Clarkson não. Com a volta do American Idol, tá bem claro que o The Voice está buscando maneiras de se manter atual e interessante para seus espectadores. Sendo assim, eles tiveram a terrível brilhante ideia de implantar um novo mecanismo nas Audições do programa – além da mudança de design das cadeiras – o chamado “block”, ou “bloqueio” no bom e velho português.

A reviravolta funciona assim: cada mentor terá direito de bloquear outro mentor em alguma audição, apenas uma vez! Exemplo prático: Clarice Calil canta “She Will Be Loved” (Maroon 5) em sua Audição e vira as cadeiras de Adam Levine, Alicia Keys e Blake Shelton. Blake Shelton decide usar seu único bloqueio nessa participante; entre Adam Levine e Alicia Keys, ele bloqueia Adam Levine. Assim, apesar de Adam ter virado para Clarice, a partir de agora, ela está impossibilitada de escolher Adam Levine. Tendo que optar por Blake Shelton ou Alicia Keys, deus me defenderay.

PS: Clarice é personagem fictício, mas o exemplo (com exceção da escolha da música, que desconheço) parece realmente ter acontecido, lmao.

Eu não conheço uma única pessoa que tenha achado esse “twist” sequer engraçadinho. Ele não acrescenta nada à experiência do artista no programa, muito pelo contrário, pode acabar o prejudicando. Principalmente porque, provavelmente, esses bloqueios serão utilizados nas melhores escolhas de coach para os acts em questão, impedindo-os de, talvez, realizarem seus melhores trabalhos no programa.

E é nessa premissa de “más escolhas” que nós vamos montar o aquecimento de hoje! Só vale lembrar que, assim como TODAS as nossas reviews, essa lista é baseada em OPINIÕES. Sendo assim, não há “certo ou errado”, apenas “concordo e discordo”, tá bem? Obrigada pela compreensão 😉

Clarissa Serna – #TeamShakira (Season 6)

Abrimos nossa lista com uma das maiores dores da season 6. Clarissa teve uma das melhores audições da temporada, virou as 4 cadeiras (Adam, Blake, Shakira e Usher) e com um estilo mais rocker, poderia facilmente encaixar em qualquer uma das 4 equipes, na minha opinião. De todos da lista, ela é a que mais fiquei receosa de chamar de “escolha errada”, mas no fim ela acabou entrando sim. O principal motivo é que se, talvez, Clarissa houvesse optado por Usher, ela teria ocupado a vaga do esquecível T.J. Wilkins nos live shows. A moça parecia ser um lock fácil no fraco Team Shakira, mas ainda assim acabou sendo bastante prejudicada no decorrer da competição por sua mentora e eliminada nas já extintas, battles round 2. Pra gente, só resta imaginar como teria sido esse #TeamUsher com Josh Kaufman, Bria Kelly e Clarissa Serna, né non?

Matthew Schuller – #TeamXtina (Season 5)

Sabemos muito bem que a maior parte dos fãs do The Voice são muito #TeamXtina sim, mas já passou da hora de falarmos sobre Matthew Schuller, o maior deslize da Dona Maria em todas as suas temporadas. Matthew teve um dos 4-chairs turn mais rápidos de toda a história do programa, em sua primeira nota ele já fez todos os coaches apertarem seus botões. “Cough Syrup” é uma música da banda de indie pop/rock Young The Giant, logo, dava para presumir que esse seria o caminho musical pretendido por Matthew. E analisando por esse espectro, quem daquela bancada estaria mais familiar com o estilo musical? Ao meu ver, Cee Lo Green. Já vi muita gente dizer que Matthew teria se saído melhor no #TeamAdam, e poderia até ser, mas era um time muito forte na época, talvez não houvesse espaço para ele ou acabássemos banidos de ter James e/ou Will. E o #TeamCeeLo tava lá dando sopa, né mores. E desculpa falar, mas eu acredito fielmente que ele teria sido um melhor mentor para Matthew do que Christina Aguilera foi capaz de ser, infelizmente.

Kayla Nevarez – #TeamAdam (Season 3)

Talvez poucas pessoas lembrem de Kayla, mas ela é um caso bem interessante. Em sua Audição ela conseguiu virar as cadeiras de Adam Levine, Christina Aguilera e Cee Lo Green com seu toque jovial na canção “American Boy”. A menina disse ser fã da Xtina e tinha tudo para seguir seu caminho com a mentora. Mas nos vislumbres de ter seu “American boy” – não posso nem culpá-la, olha o calibre desse macho nessa audição -, Kayla acabou optando por Adam Levine, e de uma forma bem inusitada. Após escolhê-lo como mentor, Kayla o puxou pelo braço (queria tb :p) e sussurrou “we better win this now”, pois apesar de ser fã de Christina, ela acreditava que Adam teria maior empenho em avançá-la. E olha, apostou alto e apostou errado. Adam tinha um time bem consistente na season 3 e Kayla apesar de boa, não era páreo para seus concorrentes de equipe. Entretanto, o #TeamXtina da 3ª temporada era fraquíssimo, sem destaques. Ou seja, se Kayla tivesse seguido seu coração, provavelmente teria ido aos live shows com a Christina, numa estrada muito mais fácil e ainda de quebra teria trabalhado com seu ídolo de perto! No fim, Kayla perdeu em todos os sentidos.

Hunter Plake – #TeamAlicia (Season 12)

Me perdoem por trazer à tona algo da tenebrosa season 12, mas que o Hunter fez caquinha na hora de escolher sua mentora, fez sim. Hunter conseguiu virar as cadeiras de Alicia Keys e Gwen Stefani, e parecia ser a escolha mais óbvia do mundo ele seguir com a Queen of Cool, né non? Errado. Hunter foi dar uma de “ozado” e acabou escolhendo Alicia Keys, que prontamente deu um chute em sua bunda já nas batalhas, optando pelo horrível Jack alguma-coisa. E diferentemente dos migos que vieram antes na lista, Hunter teve seu momento de redenção. Gwen quis roubá-lo, assim como Adam, que também seria uma boa escolha de coach pro moço. Mas Hunter se manteve fiel à quem lhe quis desde o princípio e finalmente fez o que deveria ter sido feito desde sua Audição: se juntou ao forte #TeamGwen da 12ª temporada. Se eles se cagaram juntos depois, não importa, o que vale é que o match era quase perfeito, lmao.

Cary Laine – #TeamAdam (Season 6)

Aposto que vocês já tavam ai pensando “ah vá, com a quantidade de gente que o Adam já f*deu nesse programa, não vão colocar nenhum que foi culpa dele? Que passada de pano típica”, haha. Mas aqui vemos um caso de “ain nossa, como ele me quer muito”, ilusão constantemente criada por Adam Levine em seus discursos over the top. Adam é aquele boy mimado da escola que quer os brinquedos dos amigos e quando consegue simplesmente não liga mais, sabe? E essa foi a primeira vez que ele deixou isso BEM claro pra gente. Cary é uma cantora country, então nós já conseguimos ouvir o “I pick Blake” desde o momento que ela pisou no palco. E não dá pra negar, Blake Shelton é o dono do country no The Voice, e não tem porquê você estar inserido no gênero, ter a oportunidade de escolhê-lo e fechar a porta na cara dele. E já que karma is not a liar, da mesma forma que Cary Laine esnobou Blake Shelton, ela foi esnobada e teve sua ousadia totalmente não compensada pelo coach Adam. Sem steals e sem segunda chances, Cary acabou pagando por seu erro de forma fatal e deu adeus à competição já nas batalhas.

Moriah Formica – #TeamMiley (Season 13)

Moriah, por que você me matou? É super raro conseguirmos boas cantoras de rock no The Voice e isso não é novidade. Aparece uma a cada milênio, logo, quando vi essa audição pela primeira vez eu só consegui pensar “ATÉ QUE ENFIM, JESUS”.  E vamos combinar, olha essa combinação: canta rock raiz, toca guitarra e bateria, cantora e musicista de qualidade; quem ela escolhe? Adam Levi—Miley Cyrus, é pra chorar. Obviamente o fator idade pesou bastante na decisão de Moriah, mas o fardo de sua escolha não tardou a pesar também não. Miley avançou Moriah por todos os rounds em que caso um deslize acontecesse, ela poderia ser salva por Adam Levine outro coach e daí você já pensava “ok, ela pode não saber muito do estilo, mas pelo menos tá avançando o talento”… Pensou errado. Miley esperou Moriah não poder mais ser salva, para largá-la na sarjeta, de malas prontas e despachada de volta pra sua cidade natal. Kat Perkins chorou em dores de tudo que poderia ser e não foi, e eu também. O Adam é babão de suas little girls, Shelbinha ganhou até girafa de verdade, imagine só o que ele não faria por uma neném de 16 anos que toca guitarra e bateria, uma “mini me” fêmea! Mas choices, né. Moriah, a culpa é toda sua.

Bria Kelly – #TeamUsher (Season 6)

É ladeira abaixo que fala, né? Essa é a frase de Bria Kelly no programa. O fato é que, Bria foi destaque nas audições, teve a opção de escolher qualquer um dos 4 mentores, e possivelmente, qualquer um teria sido melhor que o Usher. Não dá pra jogar a culpa do declínio de Bria unicamente nos ombros do mentor, é verdade. Mas vamos combinar que depois de ter abocanhado Josh para sua equipe, Usher largou Bria de mão e não fez muito para ajudá-la mais. Apesar da ótima potência vocal, Bria era insegura e precisava de auxílio nas escolhas das canções para seu timbre. Nisso o Usher falhou miseravelmente, e infelizmente, por cima disso tudo, Bria não soube lidar com a pressão da competição cada vez mais acirrada semana pós semana. Se essa fosse uma lista das maiores ladeiradas já vistas nesse programa, Bria Kelly, Matthew Schuller e Luke Wade brigariam ferrenhamente até a morte, viu.

Christian Porter – #TeamBlake (Season 4)

EU AMO ESSA AUDIÇÃO, AAAAAA! E vocês aí achando que escolher o Blake é sempre vantagem, né? Venho aqui para mostrar que não é bem assim que a banda toca (ou tocava, no início) não, viu! Confesso que foi difícil lembrar de alguém marcante que tenha sido prejudicado por escolher o cowboy, pois de fato, se for country não tem como “escolher errado” indo com ele; e se não for, ele vai te levar o mais longe que você poderia chegar, porque ninguém segura esse fandom não, monamour. BeyHive perto do #TeamBlake não faz nem cócegas! Maaaaaaas houve um tempo em que não era sempre assim. Lá na S4 fomos contemplados com a irreverencia e criatividade de Christian Porter e sua versão de “Sexy and I Know It” do LMFAO, o que lhe rendeu 3 cadeiras viradas (a Adam não virou, pois ficou ofendida e recalcada de não ser a pessoa mais “sou gostoso e sei disso” no recinto). E com todo o seu molejo e obviamente sua vertente pop, era de se esperar que Christian optasse por seguir com o Usher, e era o que todos nós queríamos mesmo. Mas ele foi tentar se beneficiar da máfia country e acabou esnobado já em sua batalha contra os Swon Brothers; e inclusive, até hoje acho que ele venceu aquilo lá fácil, mesmo estando totalmente fora de sua zona de conforto. Mas como sempre digo, karma tarda mas não falha. Aceita ou surta.

Addison Agen – #TeamMiley (Season 13)

Como já dizia o ícone da minha pré-adolescência, Pitty: “depois do erro, a redenção”. Logo na Audição já dava para perceber como Adam havia ADORADO a menina Addison, e vamos e convenhamos, os trabalhos dele com artistas singer/songwriter são até bem satisfatórios, é o que ele sabe fazer de melhor. Mas movida pelo sentimento de #GirlPower e o fator idade, Addison optou por seguir com Miley Cyrus. Na batalha, Addison disputou sua vaga no #TeamMiley, com a também adorada por Adam, Karli Webster. O duelo foi lindo, mas Addison acabou perdendo e finalmente teve a oportunidade de consertar seu erro prematuro nas Audições. E depois disso foi só luz e brilho. Addison assumiu o posto de frontrunner no #TeamAdam e sua jornada foi se construindo cada vez mais sólida, pois a sintonia entre coach-pupilo era nítida e Adam abriu mão de todo seu ego em prol de manter a qualidade e genuinidade artística de sua filhinha. A parceria deu tão certo que Addison foi a 2º colocada de sua temporada e em entrevista chegou até a dizer que ficou feliz de perder a batalha e sair do #TeamMiley, pois realmente ela encaixava melhor com Adam Levine. A vida é feita de segunda chances, né mores?

Josh Kaufman – #TeamAdam (Season 6)

Enfim chegamos ao cume de nossa lista. Se Addison errou e teve a chance de se redimir e alcançar o seu melhor, o que dizer de Josh?! Logo em sua audição o moço já impressionou os 4 mentores e teve todas as opções do menu destravadas para optar, haha. Parecia mesmo que seria uma disputa Adam vs Usher, e naquela época Adam Levine era sem dúvidas o 4-chairs King, ele sempre saia na vantagem quado se tratava de 4 chairs. E com Josh não foi diferente. Apesar dos bons argumentos e da similaridade de estilos entre ele e Usher, Josh optou por seguir com Adam. Tudo ia bem, até que na fase das battle two, Josh entregou uma batalha eletrizante contra Delvin Choice (retornante da season 5, também 4 chairs). Adam ficou muito indeciso e sem saber o que fazer; e acabou cometendo o seu maior erro em todas as 13 temporadas… Entregou o campeão para Usher de bandeja! E finalmente tendo encontrado o seu lugar no #TeamUsher, Josh entregou seus melhores trabalhos e teve uma trajetória bem legal até o momento de segurar o seu troféu de vencedor e consagrar Usher com sua primeira e única vitória no programa.

   

E é isso, gente. Concordam com nossa lista? Quem mais vocês acharam que mandou mal na hora de escolher o mentor? Afinal, errar é humano, né non. Eu quero muito também saber a opinião de vocês sobre esse “bloqueio”, porque eu detestei BASTANTE, sério. No mais, espero que estejam animados e preparados para Kelly Clarkson!

Não irei acompanhar a temporada fielmente, como costumo fazer. Vou tirar meu tempo, bem como fiz na season 12. Ver os vídeos no YouTube e selecionar apenas os que me dão vontade mesmo, sem compromisso. Mas pra quem vai acompanhar… Desejo uma ótima temporada para vocês! E esse ano temos o embuste Gerson de volta (hihi); juntamente com o rainho mais soberano que esse site conhece, Dam! 

E só uma última coisa: TODAS nossas reviews são construídas baseadas em OPINIÃO PESSOAL, não somos críticos, não somos conhecedores técnicos. Somos telespectadores assim como vocês, nós torcemos por acts e desgostamos de outros. Somos parciais, assim como vocês são e NÃO temos a obrigação de ser “imparcial”. Se nem o Grammy esconde seus favoritismos, por que iríamos nós? Espero que entendam isso e não nos cobrem visões neutras e/ou de fora, pois estamos tão inseridos quanto vocês! Agora, já preparem as torcidas, porque em menos de 2 semanas já tem mais The Voice! :p

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Luana Medeiros

Imagine só que um dia me foi perguntado quem eu era, e juro, até hoje não sei responder. Mas os fatos são: tenho 21 anos; sou de escorpião; amo meu cachorro e meu gato mais que tudo; estudo Rádio/TV/Internet, ouço Maroon 5; piro no Adam Levine; consigo colocar os pés atrás da cabeça; e - contraditoriamente - por fim, nasci de 7 meses.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu