Posts Populares

The Voice US – S09E18/19 – Live Shows Top 12

Finalmente, live shows, agora sem interferências dos coaches, apenas o público decide quem merece continuar no programa. Algumas mudanças foram feitas (para pior, como sempre) no formato do programa, ao invés dos tradicionais TOP 10, TOP 8, TOP 5 (ou TOP 6) e FINAL, teremos nessa temporada por motivos de sabe-se lá o que: TOP 11, TOP 10, TOP 9 e FINAL, isso mesmo, pularemos do TOP 9 para um final com 4, teremos uma SHOCK ELIMINATION de 5 participantes em uma única noite.

Para quem está acompanhando o show pela primeira vez, após a noite de apresentações (sempre na segunda feira), temos a votação que nesta temporada está ocorrendo pelo app, pelo site, pelo facebook e pelo iTunes que é encerrada às 12 hs no horário americano, atualmente às 15 horas no horário de Brasilia. Após o encerramento, temos na terça  a noite um episódio de resultados, onde os artistas vão sendo salvos, e restam sempre os três menos votados no formato anterior, e agora com apenas um eliminado temos um BOTTOM formado por dois participantes. Esses participantes se apresentam, e ocorre uma votação via Twitter e via App, onde o público decide quem continua.

Enfim, chega de informações e vamos aos comentários, e a pedido de muita gente, DAM está de volta, a May infelizmente não está acompanhando essa temporada, então não teremos a volta dela aos comentários. Além de Dam, temos o Fernando e minha advisor eterna Luana.

Braiden Sunshine – “Renegade” by Styx

Lindomar: O garoto novamente veio com o cabelo lambido e ensebado, sem óculos (logo, estava cego) sendo o boneco de Gwen Stefani. Ela quis transformar sua criança em uma rockstar essa semana, e deu um rock pesado com banda e tudo mais, e não funcionou muito bem. Apesar de seus vocais estarem mais consistentes que na semana anterior, era perceptível as falhas nas notas altas, onde lhe faltava força. Aquele grito estridente no final foi a morte. Nota: 6,5

Luana: Gente, esse menino poderia estar sofrendo uma crise de identidade maior? Rapaz, o menino não sabe o que canta mais, absolutamente perdido. Acho que em seu KO, trazendo aquela vibe Michael Bublé, ele deu a falsa sensação às tiazinhas que ele era um crooner da atualidade. A partir de hoje aquela imagem foi completamente deixada pra trás, o que eu acredito que irá prejudicá-lo. Nota: 5,5

Fernando: Não acho o Braiden tão ruim assim, mas não consigo torcer pra ele. Achei que ele foi bem pro estilo de música que escolheu, uma escolha meio arriscada ir pro lado mais rock/country. Sua voz foi bem projetada em alguns momentos, mas falhou feio em outros. Ah, e Gwen, amiga, para que tá feio: dizer que a última nota foi ótima, não né? Por favor! Nota: 7.0

Dam: Eu sei que eu estou aqui para falar das performances, mas gente é impossível não comentar o despacho mau sucedido que está o cabelo dessa criatura. Parece que ele escovou o cabelo, esqueceu-se de dar à progressiva e saiu no chuvisco da chuva para chegar ao palco e fazer uma apresentação tão sofrida como essa.  Tive que torturar meus ouvidos algumas vezes revendo a performance para ver se eu poderia dizer algum ponto positivo, mas a única parte legal da performance era quando ele ficava calado. Nota: 5,5

Amy Vachal – “Hotline Bling” by Drake

Lindomar: Uma escolha arriscada, já que a grande sacada dessa música é o ritmo. Para Amy cantar foi necessário uma mudança drástica no arranjo. A aposta valeu a pena, gostei de ver Amy saindo um pouco da linha de performances que vinha fazendo, ela conseguiu entrar no jogo, fez uma linda apresentação. Só diria para ela vir sem aquela guitarra e se movimentar mais no palco, brincar com a plateia. Acredito que teria ficado ainda melhor, pois no começo ela parecia um pouco insegura. No decorrer da performance ela evoluiu e fez uma boa apresentação. Nota: 8,5

Luana: Ah, a ousadia e os riscos do Adam! Gente, se tem um motivo pelo qual eu AMO o Adam é que ele tem bolas suficientes pra ousar como nenhum outro coach! Quem na vida imaginaria a Amy cantando “Hotline Bling” do Drake? (embora ela já tenha um cover de “Buy You a Drank” do T-Pain). O arranjo ficou sensacional, ela deixou sua marca na música e gente… SUCESSO! Amy + Adam (Amadam?), a melhor combinação da vida, bjs e obg. Nota: 9,5

Fernando: Sempre pedi pra Amy cantar algo mais atual, mais dinâmico e se aventurar mais, sair da sua zona de conforto. A voz dela é tão angelical, da vontade de sentar numa rede numa praia com bons drinques e apenas escutar ela cantar embalada pelo som do mar. Mas a verdade é que a música não é pra ser cantada dessa forma, e quando ela canta “wonder if you’re bendin’ over backwards for someone else” com aquela voz gostosinha fica bem estranho, falta a malicia da música original, não é uma baladinha qualquer, é uma música sobre um booty call. Ah, e óbvio, precisamos falar de: Shelfani ♥ Nota: 8.0.

Dam: Mulheeeer o que foi esse tiro hein? Até quem mora no Acre sabe que eu sou Bixa Bixerrima, mas Amy me deixou tão macho, mas tão macho com essa performance que eu senti vontade de trepar com essa criatura loucamente. Foi tudo extremamente perfeito na medida certa, ela com aquele vestido branco baphooooooooo que eu já quero para mim, aquela lua ao fundo dando todo um clima de sensualidade mais sem perder a leveza e suavidade que a voz da Amy traz. Depois desse samba, nada mais justo que ela cantar “Fidelity” da Regina Spektor. Nota: 9,0

Mark Hood – “Against All Odds” by Phil Collins

Lindomar: Péssimo! Que Mark era o pior do TOP 6 de Pharrell na fase anterior era evidente, no TOP 12 era o pior entre os presentes também. Mais uma performance cagada desse moço, tudo péssimo, vocais, presença de palco, evolução, tudo, até a plateia gritando em mais um dos momentos Carlinhos Brown de Pharrell foi péssimo. Nota: 6,0

Luana: Uma pergunta: POR QUE?! Gente, onde na vida que o Mark teria calibre pra enfrentar “Against All Odds”?! Só na cabeça do Pharrell mesmo. Mark não é dotado de grandes vocais, como a música exige, o que prejudicou e muito sua performance. Outra coisa, a música precisa daquele toque de emoção e a vibe do Mark é outra. Enfim, não foram seus melhores vocais e a música também não ajudou em nada. Nota: 6,0

Fernando: “Lá vem o Mark destruir uma música excelente, um hino dos forever alone”. Foi o que pensei quando vi a música que ele ia cantar. O começo foi bem sólido, controlado e bem executado. Quando ele foi pro meio do povo cantar, sua voz ficou um pouco estranha, e ele começou a exagerar um pouco nas caretas. Essa música já é bastante dramática por si só, então acho que menos é mais nesse caso. Nota: 8.0

Dam: Todo dia nas minhas orações eu pergunto a Deus o que Pharrell está fazendo no The Voice. Achei a performance tão sem rumo, sem objetivo, vazia de emoção e eu não sei vocês, mas sempre que Mark faz algum melisma ou algo do tipo, eu tenho a impressão que ele está sendo eletrocutado. Nota: 6,0

Emily Ann Roberts – “Blame It On Your Heart” by Patty Loveless

Lindomar: Fui para um rodeio e não fui avisado. Sério, Emily, se você quer cantar algo mais animado, precisa se animar. Ficar estátua no palco e dar uma voltinha não é presença de palco amiga. Com sua voz anasalada e forçada fez uma performance sonífera e linear, vocais aparentemente bons, porém performance sem conteúdo nenhum. Nota: 6,5

Luana: Emily cantou Patty Loveless na batalha e foi de longe sua pior apresentação no programa… Por que o Blake iria querer repetir isso?! Sinceramente, o Blake anda estranho, a Gwen tá virando a cabeça dele ou o que? O Blake de outros tempos teria vindo com um country lento e fofo, repetindo um pouquinho do sucesso de semana passada. Nessa apresentação me senti foi num rodeio! E pior, um rodeio bem chato. Emily é linda, mas a vozinha de gasguita dela cantando músicas compassadas como essa não é o forte da menina, né. Nota: 6,5

Fernando: Olha, não esperava que eu fosse gostar dela. Achei que ela mandou bem na respiração e na voz, apesar de sua presença de palco estar estranha antes de descer as escadinhas. No palco maior ela se soltou um pouco mais e o resultado final ficou tragável! Sei que muita gente a critica, mas acho que pro estilo que ela cantou (um rodeio americano no interior do Texas) ela fez um bom trabalho e vejo ela vendendo bem, e a música dela até tocando nas rádios. Só precisa urgente melhorar no palco. Nota: 8.0

Dam: A pergunta que não quer calar é: Quem consegue ser mais sem sal e esquecível?  Danielle alguma coisa que eu não lembro mais ou Emily Ann? Posso enrolar as duas em papel filme e jogar uma bomba caseira dentro? Porque essa performance foi extremamente esquecível, chata para cacete, e o publico americano ainda vota em uma miséria dessas. Eu pedi tanto a Iemanjá que derrubasse ela naqueles degraus e acabasse com aquela sopa de chuchu aguada sem sal. Sem mais o que dizer u.u NEXT…..  Nota: 5,5

Korin Bukowski – “Titanium” by David Guetta feat. Sia

Lindomar: Gwen Stefani, se você queria alguém do POP, você deveria ter salvo Ellie. Korin é uma artista alternative/indie, vejam as escolhas dela, foi de Kodaline nos nocautes e de uma música que ninguém ouviu falar nas blinds, chegando aos lives show, passou pelo dia de princesa e agora tá loira platinada (tá horrível, preferia antes) e tá sendo obrigada a cantar umas músicas que não encaixam com a personalidade dela. Gwen está cagando a pobre da Korin. Hoje foi mais uma performance fraca, faltou força, faltou vocais, essa versão lentinha e suave não colou. Nota: 6,5

Luana: Saudades da Korin que começou o programa :/ Por que a Gwen tinha que transformar a menina?! Sinceramente, ela DESTRUIU a Korin. Korin tinha aquela vibe inocente, esquisita… Agora é um clone platinado da Michelle Chamuel, não aceito. A apresentação começou até boa, mas daí veio a batida eletrônica (mais imitação da Chamuel), a Korin começou a ser engolida pela música, vieram as notas altas e aparentemente a Gwen queria que ela belting out, o que JAMAIS veio a ser o que a Korin fez ou faz. Ela não tem alcance pra ir em cheio nas notas altas de Titanium, não sei o que a Gwen estava pensando, sinceramente. Enfim, a pior apresentação de Korin. Nota: 6,0

Fernando: Fiquei com muito medo quando vi essa música. É uma música muito difícil de cantar, já vimos muitas versões bem mazomenos dessa música nos realities. No início, na parte mais calma, Korin segurou bem, mas a música pedia uma explosão, uma força a mais. Quando esse momento chegou (e eu adorei isso), Korin desandou e não foi legal. Apesar de ter umas boas notas e sua voz ser muito boa, achei que nos ensaios ela foi bem melhor que ao vivo. E ela era umas das minhas preferidas. Gwen deixa eu ser coach da Korin, pfv nunca te pedi nada. Nota: 6.5

Dam: Só queria deixar um recadinho para Gwen: “Viado eu não sei o que diabo te ofereceu de recompensa para defecar a Korin desse jeito, mas seja lá o que for, por favor, pare agora você me ouviu? Pare agora.” Porque você destruiu o cabelo dela, jogou a identidade da menina na latrina e ainda de sacanagem dá “Titanium” para tadinha cantar. Korin era tão pura por ela mesma, não precisava de muitos artifícios e Gwen simplesmente desconstruiu tudo e fez uma grande merda loira platinada R.I.P minha Korin.  Nota: 6,0

Barrett Baber – “Right Here Waiting” by Richard Marx

Lindomar: Os vocais de Barrett estavam bem inconsistentes, faltando uma execução melhor de diversas notas, porém foi uma escolha extremamente acertada para o cowboy de Blake, pois focou na emoção e isso foi algo que realmente ele conseguiu passar, em uma balanço geral, foi bom, não foi seu melhor, mas foi bom. Nota: 8,5

Luana: Em pauta poderia ter sido a apresentação da noite. Embora tenha sido muito boa e muito superior à muito do que vimos antes dele, não foi a melhor do Barrett, também. Os vocais estavam inconsistentes, o que me incomodou um pouco. Mas num geral, gostei bastante. Nota: 8,0

Fernando: Que delicia ver Leandro e Leonardo no The Voice. Barrett (mozão), na luz do luar, no sol do verão, você é desejo e eu sou paixão. Não adianta, Barrett começa a cantar e eu tenho que parar tudo e apenas aproveitar esse momento: ele pega a música pra ele, interpreta, transforma em algo próprio e te prende  e te conquista com seu talento. Os vocais foram ótimos, os movimentos foram bem executados e combinaram com a intensidade da música, os sentimentos estavam na no rosto, nos movimentos, na voz. Ainda bem que ele não ficou parado como o Blake mandou, achei que ficou na medida. E aquela nota lá no meio?? Melhor apresentação dele no The Voice. Nota: 10

Dam: Preciso controlar minha periquita quando o assunto é meu homem, porque ele é tão gostoso com essa cara dele de cowboy com pegada de pedreiro que me deixa louca e o bico do peito chega coçar. Curti a performance dele, achei a música uma ótima escolha porque se encaixou no estilo dele que é um country que passeia no rock e foi sem duvida a melhor performance do Team Blake. Fora isso, eu quero ele pelado na minha cama me castigando e me chamando de garota levada. Nota: 8,0

Madi Davis – “Who Will Save Your Soul” by Jewel

Lindomar: Simplesmente amei ver Madi sair totalmente de sua zona de conforto, amei ver ela brincando com a letra, variando entre partes faladas e partes cantadas, a vibe de reggae da música casou com a voz dela e fui levado pelo ritmo, apesar de ter amado, não repetiria uma outra música nesse mesmo estilo para ela. Nota: 8,5

Luana: All mixed feelings! Ai gente, estou vivendo um dilema até agora, AMEI as partes cantadas, ODIEI as partes faladas. Não sei se a música original contém essas partes recitadas, mas que foi muito estranho e ruim, foi sim. Se Madi tivesse cantado a música inteira, eu teria amado, seria provavelmente a minha preferida da Madi. Eu ainda não sei o que sentir, sinceramente. Mas ela tava muito linda, né?! Deusa. Nota: 7,0

Fernando: Primeiro que essa música é muito amor. A Madi destruiu naquele palco e fez uma apresentação sensacional. Mais solta que o normal, arriscou até dar uma dançadinha, e os seus vocais firmes e bem executados. Na parte falada (bem no início) ficou um pouco estranho, parecia que ela atrasou um pouco pra entrar, mas isso não diminuiu o brilho de Madi. Nota: 9,5

Dam: Por ser muito apaixonado na Amy eu nunca prestei muita atenção na Madi porque para mim as duas tem o mesmo estilo. Amei a performance da Madi, achei leve e ao mesmo tempo dinâmica, porém, Madi é o tipo de artista que se destaca com músicas mais introspectivas e com uma carga emocional bem forte. Adoraria vê-la cantando “Young and Beautiful” da Lana. Nota: 7,0

Shelby Brown – “In Color” by Jamie Johnson

Lindomar: Não conhecia essa música, quando ouvi a versão original, achei um sonífero sem fim, porém quando vi a performance de Shelby, mudei meu conceito sobre essa música. Que performance mais gostosa. Claro que o timbre rasgado, a rouquidão natural e a postura madura de Shelby fizeram toda a diferença, aliás Shelby dando aula de como cantar uma música country com naturalidade para a Emily Ann. Se Shelby fosse de Blake, estaria bombado, só não bomba tanto por ser a country do Team Adam. Nota: 9,0

Luana: Oww, quão fofo foi Shelby chorando no ensaio e o Adam desesperadamente fazendo palhaçadas pra ela sorrir?! Ow, o bebê prodígio do Adam, coisa mais linda. Adorei a escolha da música e as mudanças adotadas. Sim, Shelby se perdeu em um dado momento da apresentação, mas o seu retorno foi TRIUNFAL! Shelby se recuperou tipo “não, eu não me dou por vencida, bitch” e chutou bundas! Rainha country da temporada! Nota: 8,5

Fernando: A voz da Shelby é bastante especial, meio rasgadinha em alguns momentos, forte e clara em outros, perfeita pra um bom country. Ela fez bonito na música, nas notas altas, na emoção e conexão, o pacote completo. As transições de uma nota que ela fez nessa música me agradaram muito, e aquela nota que dá uma alongadinha ficou muito boa. Nota: 9.0

Dam: Eu sou suspeito para falar de Shelby, porque quem me conhece sabe o quanto eu amo essa menina, e eu estava ficando muito preocupado porque ela estava bem apagadinha durante a competição e ainda faltava o grande momento dela na competição. Não acho que essa performance tenha sido o grande momento dela, mas sem dúvidas foi a melhor performance  desde a  blind. Eu amei tudo nesta performance e o que me deixou mais contente foi ver como ela estava feliz e confortável com a música. Só estarei feliz com Shelby quando ela estiver cantando Adele u.u Nota: 9,5

Jeffery Austin – “Let it Go” by James Bay

Lindomar: Posso dizer que AMEI? Adorei os vocais deles tão apurados e fortes que se encaixaram perfeitamente com a intensidade que essa música exige, aliás amo demais essa música. Acredito que a grande sacada, foi que em sua versão ele acaba variando entre notas mais agressivas e notas mais suaves, algo que não está tão presente na versão original. Nota: 9,0

Luana: Acredito que podemos dizer com extrema certeza: Jeff é a maior revelação da temporada. Gwen merece aplausos por ter achado essa joia perdida, pelo menos em alguma coisa ela acertou nessa temporada. Eu classifico Jeff como o segundo melhor vocalista da temporada, apenas atrás do Jordan. Ele vem sendo consistente semana pós semanas, e a acredito que garantirá seu lugar na final se continuar nesse ritmo. Hoje não foi diferente, Jeffery veio de James Bay e arrasou, de novo! Nota: 8,5

Fernando: Eu amo a voz do Jeffery, e amo o estilo que ele abraça. A voz dele é forte, tem uma potência que eu não espero quando vejo ele entrando no palco. A presença e a emoção dele nessa música foram sensacionais. Vejo o pessoal comparando ele com Sam Smith, mas acho até Jeffery melhor em alguns aspectos, ele não passa aquela cara de dor de barriga a toda nota que atinge. Claramente o melhor da Gwen, e um dos melhores da noite. Nota: 10

Dam: Uma coisa que me incomoda muito nele é a necessidade de imitar o Sam Smith, tem que existir uma linha tênue entre a inspiração e a imitação e vamos combinar que essa criatura está uma copiadora HP bem fuleira. A performance em si não trouxe nada extraordinário ou fora do comum, foi razoável e se for comparar com o os desastres chamados Korin e Miss Sunshine, ele foi o melhor minha gente. E antes que eu me esqueça, alguém avisa a ele que essa tintura cor vermelho tomate do rapazolla não caiu bem nele não. Melhore Kirida. 😉 Nota: 7,5

Evan McKeel – “This Is It” by Kenny Loggins

Lindomar: Definitivamente o ponto alto dessa performance foi a presença de palco e a energia que ele trouxe, seus vocais estavam ótimos, mas ainda algo não funcionou: SONG CHOICE LINEAR, faltou um momento marcante na apresentação, é aquela típica, boa apresentação que dez minutos depois você nem lembra. Nota: 7,5

Luana: Não podemos negar que os vocais e a energia do Evan são ótimos, mas… Falta algo. Eu não sei dizer o que é, se alguém conseguir identificar, por favor me diga. Adorei a apresentação, vocais perfeitos, mas… No fim, ele rodou, rodou e não chegou a canto nenhum. Aí, não sei explicar, viu. Nota: 7,0

Fernando: Evan era outro que eu não dava nada, mas chegou e mandou super bem no palco. Adorei a presença dele, boa movimentação e bem energético. Mas o carisma de um copo de água de torneira me impedem de criar laços profundos come ele. Uma pena, dado que ela é um estilo diferente num Top 12 onde 1/3 é country. Nota: 9.0

Dam: Gente o que ta dando na cabeça desses coaches hein? Tirando o team Adam, o resto foi tão esquecível e irritante que se eu pudesse apagaria tudo da minha memória. A performance em si na minha opinião foi a mais fraca dele e meu deu até um pouco de tédio para ser sincero. NEXT Nota: 6,0

Jordan Smith – “Great Is Thy Faithful” (Gospel Hymn)

Lindomar: Gente, que coisa linda, inicio a capela destruidor, uma sequencia de notas impecáveis e uma voz que parece ocupar todo o espaço, além disso a emoção, esse sentimento que muitos dizem que Jordan não passa, definitivamente aqui não faltou,  segundo performance seguida de Jordan que é espetacular e que não tem um ponto para colocar defeito. Nota: 10

Luana: Daí você olha a música e pensa “nossa, gospel card, que cu”. Mas daí vem o Jordan com vocais PERFEITOS, tocando piano e sem qualquer interferência ajuda da banda. Eu senti minha alma ser purificada nessa apresentação. O talento desse menino não é brincadeira, senhor! Eu nem tenho muito o que dizer, só sentir.  Nota: 10

Fernando: Adam apelando pro gospel não dá. Mas a estratégia foi muito boa: a principal fraqueza de Jordan era a falta de emoção e a conexão mecânica com as músicas. Cantando gospel e ainda no piano, Jordan finalmente passou sensibilidade e deixou pra traz aquela sensação de apresentação vazia que ele tinha anteriormente (set fire to the rain, estou olhando pra você). Seus vocais, não precisa nem dizer, foram ótimos e super bem controlados: aquele início a capella já merecia um 10 por si só! Nota: 10

Dam: VIAAAAAAAAAAAAAADOOOOOOO ESTOU TOMABADA IGUAL PATRIMÔNIO PÚBLICO DEPOIS DESSE LACRE DE JÚPITER. O que foi isso Claudia me responde?  Quando você olha as performances e acha que não terá mais esperanças, vem Jordan sambando na Sapucaí, fazendo um tapete com o sangue das inimigas e mostrando que ele veio para ganhar esse babado. Se essa criatura não ganhar esse The Voice, eu peço para Deus abrir o mar vermelho, jogar a America dentro e depois fechar. Nota 10,0

Zach Seabaugh – “My Love” by Little Texas

Lindomar: Semana passada eu adorei o Zach, com uma canção animada, dominando o palco, vocais agradáveis, mas isso tudo ficou pra trás, com uma song choice sonífera, o garoto fez o que pode, mas vocalmente ele é limitado e sem poder usar suas melhores armas, ficou bem boring, achei que ficou bem longe do que ele apresentou semana passada, alias pode trocar essa música pra Emily, e a dela pra ele? Nota: 6,5

Luana: Gente, se você vai se apresentar depois do Jordan, é melhor trazer o seu melhor, nada menos que isso, e TALVEZ você consiga competir. O que claramente não foi o caso do Zach. Ele tinha feito sua melhor apresentação semana passada, com uma vibe bem Elvis, etc. Um Blake pensante e normal faria o que? Apostaria na imagem Elvis do Zach. Foi o que aconteceu? Não. Não achei péssimo, mas também não foi bom. Zach não teve capacidade de lidar com os agudos da música em nenhum momento, embora tenha se saído decentemente bem nas partes mais graves. Acredito que ele terá uma nova chance semana que vem, melhor ele surpreender novamente, viu. Meu selo aqui não vai para o Zach, mas sim para o Blake, porque ele realmente precisa PENSAR no que anda fazendo com seus pupilos. Nota: 6,0

Fernando: Uma música com uma pegada bem romântica, e Zach mostrou que tem um bom apelo na competição e pode ir longe. Foi sólido nos vocais baixos, cantou bem e teve uma boa movimentação no palco. Agora nos agudos foi tenso, não deu pra te defender amigo. Deu umas engasgadas, errou feio, errou rude. A emoção transmitida foi muito boa pra um menino de 17 anos (algo que eu admirava em Jacquie Lee também). Zach é a versão de Corey da season passada que eu queria ter visto decolar, mas nunca aconteceu. Nota: 8.5

Dam: Não tenho o que dizer, só que as sobrancelhas e o cabelo dele me lembram o  Ken, namorado da Barbie.  Nota: 6,0

LIVE RESULTS PERFORMANCES

Durante a noite de resultados tivemos duas performances de grupos: Team Blake e Team Pharrell. Uma performance me surpreendeu e a outra foi difícil de assistir até o fim.

Blake Shelton, Emily Ann, Zach Seabaugh e Barrett Baber – “Lean On Me” by Bill Wethers

Uma boa performance, a harmonia dos quatro candidatos casou, alias agora que Blake tem apenas acts countries em sua equipe ele pode destacar nessas performances em grupo sem preocupação, gostei de todos, até de Emily, mas o destaque foi a sequencia de notas que Barrett fez em determinado momento.

Pharrell Wiliams, Madi Davis, Mark Hood e Evan McKeel – “Just a Cloud Away” by Pharrell Wiliams

Cantando uma música do próprio Pharrell, todos conseguiram fazer uma performance bem sem sal, bem sem nada, totalmente chata e monótona. Quando o melhor da performance foi Pharrell, dá para se ter uma ideia do desastre que foi.

ITUNES

12270188_987357467954438_1246131456_n

O iTunes falhou na semana passada, mas ainda tenho fé nele! HAHAHA, afinal chegar no TOP 10, significa 10 vezes o número de votos, e hoje alguém resolveu explodir o iTunes. Isso mesmo minha gente, JORDAN SMITH destronou ADELE, tomou a ponta e ainda de quebra colocou todas as suas outras performances individuais no TOP 100. Será que veremos todos os hits de Jordan no top 100 até o fim da temporada? Enfim, só nos resta esperar.

IMG-20151117-WA0144

Além dele, Amy Vachal e Jeffery Austin tiveram os bons desempenhos reconhecidos e alcançaram o TOP 10 do iTunes. Barrett Baber bateu na trave. Lá embaixo, temos Evan, Korin, Mark e Braiden, eu dúvido que Braiden saia, ele vai receber muitos votos das outras fontes de votação, acredito que o bottom está entre Evan, Korin e Mark.

RESULTADOS

Os anúncios foram feitos por Carson sem uma ordem de classificação específica. Ou seja, a ordem de anuncio não está relacionado com as posições (com exceção de Jordan, senhor Carson).

JORDAN SMITH

JEFFERY AUSTIN

EMILY ANN ROBERTS

MADI DAVIS

BRAIDEN SUNSHINE

BARRETT BABER

AMY VACHAL

EVAN MCKEEL

SHELBY BROWN

ZACH SEABAUGH

Sendo assim o Bottom 2 foi formado por Mark do #TeamPharrell e Korin do #TeamGwen. O primeiro a se apresentar foi o jovem cantor soul.

Mark Hood – “Signed, Sealed, Delivery I’m Yours” by Stevie Wonder

Optando por uma performance com foco em presença de palco e firulas vocais, Mark fez sua apresentação pela sobrevivência no show. Foi tão comum quanto suas últimas performances, não foi ruim, mas não foi bom, apenas OK!

Korin Bukowski – “Don’t Know Why” by Norah Jones

Era dessa Korin que eu estava falando, uma Korin calma, concentrada, simplista, e que foca em seu lindo timbre para comover a todos. Concordo com os jurados que essa foi sua melhor performance até aqui, e Gwen Stefani observe bem, é esse tipo de música que Korin tem que cantar.

Partimos então para aquela janela de cinco minutos eterna para o artista, o Twitter estava bombando, e pela glória do Senhor Jesus, KORIN BUKOWSKI FOI SALVA!

Team Pharrell perde seu primeiro artista. Sinceramente ODIEI com todas as forças esse novo formato, de TOP 11, TOP 10, TOP 9 e FINAL, ODIEI, mas temos que seguir a vida! Hahaa

Várias pessoas nos comentários perguntam como podem votar, então pedi para as lindas Clarice e Luana, fazerem um guia de como votar e deixo aqui no fim da review para quem tiver interesse. Lembrando que a votação abre por volta de 1 da manhã e vai até 15 horas do dia seguinte, isso entre segunda e terça.

COMO POSSO VOTAR?

Os votos internacionais não são tão simples quanto os nacionais (Americanos), por motivos óbvios. É necessária a ajuda de algumas extensões para Chrome/Mozilla para votar.

Antes de mais nada, você vai precisar baixar alguma extensão de VPN para mudar o IP, indicamos o ZenMate.

Para votar, a sua extensão VPN precisa estar ativada, caso contrário você irá se deparar com a mensagem “voting is not available in your region” (“a votação não está disponível na sua regão) quando acessar o site para votar.

Com a extensão ligada, acesse o site www.nbc.com/the-voice/vote . A partir daí, você só precisa fazer o log in com seu email (nem precisar ser um existente, pode ser um falso, inventado na hora, eles não verificam) e votar até 10x por artista.
Depois de computar seus votos, você pode fazer log off e se conectar novamente com um endereço de email diferente, e votar de novo. O processo pode ser repetido infinitas vezes até o fim do período de votação!

OBS.: Não existe mais os votos por telefone, o que significa que os votos pelo Skype estão oficialmente extintos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

TOP 12

Adorei a eliminação de Mark. Poderia ter levado o Braiden junto, mas nada é perfeito e as regras mudaram. Jordan lidera com folga nosso ranking e liderou o iTunes pela segunda semana seguida, colocou todas suas performances no Top 100. Será um sinal que já temos um campeão? O que vocês acham?

Espero todos nos comentários e fui-me porque hoje escrevi demais!

Saiba tudo sobre o The Voice com nosso parceiro Grupo Sub Voice, que legenda o nosso reality preferido e ainda disponibiliza as músicas (versão iTunes e das performances) para download.

lindomar

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

Canceriano com ascendente em Sagitário, ou seja UMA ÓTIMA PESSOA! Atualmente um louco que faz Doutorado e que já se formou em Química. Viciado em The Voice, séries e Indie Rock. Gosta de gastar o tempo que não tem para escrever sobre The Voice, The Flash, Bates Motel, Orphan Black, The Vampire Diaries e Westworld.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu