Posts Populares

The Voice US – S12E05 – Blind Auditions, Part 5

É tanto reality show simultâneo que eu não sei se uso o #ForaEmilly ou o #TeamBlake.

Mas gente! Que terça-feira do barulho na vida dos amantes de realities. Teve The Voice, teve BBB, teve MasterChef… Eu consegui acompanhar tudo, mas minha cabeça tá girando até agora hahaha

Indo diretamente ao que interessa, estou aqui mais uma vez pra encerrar minha participação nas Blinds dessa temporada. Gostei dos candidatos que vi, e acho que temos bons nomes pro futuro do reality. Se você perdeu algo do último episódio, clique AQUI e confira. Se você perdeu os episódios de semana passada, corre pro nosso parceiro Grupo Sub Voice e com as legendas divertidíssimas você fica por dentro de tudo.

Mais uma vez, Clarice vai estar me ajudando nos comentários (eu sei que vocês amam essa mulher!), e dessa vez Luana se junta a nós pra encher de glamour essa review. Não custa frisar que nossas reviews são compostas de comentários OPINATIVOS, ou seja, sem verdade absoluta, que levam apenas nossa opinião em conta. Ok? Então, não brigue e xingue a gente, por favor. Se você ainda não sabe o que significa as cadeirinhas que a gente usa nas Blinds, fica a dica pra você:

Untitled 1

Johnny Gates – “Maggie May” by Rod Stewart #TeamGwen

Gerson: Ai gente, que timbre maravilhoso! Eu adorei a voz do Johnny! Deu pra ver o alcance vocal, a capacidade dele de entreter a plateia, a presença de palco… foi tudo muito bom. Achei muito legal, muito divertido, e o melhor foi que ele tem um estilo muito próprio, não tenta copiar ninguém. Curti!

Cla: Johnny tão à vontade no palco que chegava a ser contagiante. Gostei bastante da performance, soube fazer uma apresentação bem legal.

Lua: Energia maravilhosa. Mas ele tem certos maneirismos que achei exagerados, como os “suspiros agudinhos” no fim das notas. Mas nada muito grave e que facilmente pode ser ajustado, basta a Gwen dar uns toquinhos pra ele. E já sinto que será o melhor da noite, então não vou ficar procurando defeitos, vou só curtir a energia legal e o timbre diferenciado.

 

Malik Davage – “Sure Thing” by Miguel #TeamAdam

Gerson: Nossa, quanto soul nessa voz! Ele foi inteligentíssimo escolhendo uma música do Miguel. Eu gostei da apresentação, apesar de achar que ele poderia repensar um pouco os momentos de respiração. No geral, deu pra ver ele conectado com a música, fazendo a apresentação da sua vida. E acho que isso vale tudo, né?

Cla: Não consegui gostar da voz dele na música, acho que talvez em outra música ele possa brilhar mais. No entanto, ele tem uma voz muito boa. PS.: Quase morri de fofura com o Adam chamando a filhinha do Malik no palco! Instinto paternal tá aflorado no homem! hahaha

Lua: Aw, a filha dele é a coisa mais linda! Eu amo essa música e ele foi ok, né. Bem gostosinho, mas nada demais que me faça amá-lo ou adicioná-lo no meu time. Depois que o Adam virou, ele se perdeu um pouco. Pode ter sido o nervosismo, então estou dando-o uma chance e ver o que sai nas batalhas. Mas mereceu a vaga na season, foi suave, foi ok.

 

Lauryn Judd – “Girls Just Want to Have Fun” by Cindy Lauper #TeamAlicia

Gerson: Nossa, que original uma versão acústica dessa música (sqn) hahahahaha. Eu juro que tentei gostar, mas achei ela tão comum, tão sem graça. O timbre me soou country muitas vezes. Não foi uma apresentação ruim, mas não teve nenhum destaque. Passo!

Cla: OMG, eu adorei tanto a Lauryn! Ri demais da Alicia pensando ser uma dupla e não só uma pessoa. Lauryn ora era suave ora era mais intensa nos vocais, e claro que euzinha gostei mais quando ela subiu a voz. Se bem trabalhada, ela pode arrasar! 🙂

Lua: Ela é até boa, mas esse timbre… SOS. Outra apresentação gostosinha, embora eu não possa explicar pra vocês o virar de TRÊS cadeiras, mas ok. Em alguns momentos deu pra sentir na voz dela que ela era novinha. Mas acho que é pra isso que serve um coach, né? Ajudar os acts a crescerem, e sei que a Alicia pode fazer isso por ela.

Paul Adrian – “I’ve Got a Woman” by Ray Charles #Eliminado

Lua: Boa voz, mas que songchoice foi essa? Claramente ele foi MUITO prejudicado devido a isso. Com uma song diferente, ele teria entrado num time, com certeza. Uma pena, espero que volte em outra temporada e cante uma música que transpareça melhor sua personalidade e o possibilite mostrar com mais eficiência os seus vocais.

Caroline Sky – “Will You Love Me Tomorrow” by Carole King #TeamGwen

Gerson: Escolher a música certa faz toda a diferença mesmo. Sinceramente, achei Caroline uma cantora bem mediana, mas que escolheu a música certa pra mascarar os problemas de sua voz e evidenciar suas qualidades. Não vejo futuro, até porque ela pode facilmente derrapar numa songchoice errada.

Cla: Que lindinhaaaa!!! Com vocais super controlados e poderosos, Caroline me encantou. Adorei a suavidade dela na música, ainda que controlando os nervos.

Lua: Uma fofa, com uma voz fofa. Eu, particularmente, acho essa uma das músicas mais chatinhas da Carole, até a versão da Amy é bem mortinha. Mas assim, ela está no time certo, então talvez possamos ver um crescimento aí. Feliz por ela, mereceu um time.

 

Josh Hoyer – “Oh Girl” by the Chi Lites #TeamBlake

Gerson: Olha, eu esperava mais, vou ser sincero. Gostei da vibe do cara, do timbre diferente, de como ele conseguiu entreter… Mas ouvindo o estúdio mais cedo, eu pensei que seria uma apresentação incrível, e não foi tão incrível assim. O alcance dele é um ponto positivo também, que merece destaque, já que ele é o único homem no Team Blake até então.

Cla: A música e o estilo de Josh fogem totalmente do estilo musical que eu gosto, mas sou obrigada a admitir que ele foi bem. Vocais corretos, controlados… só achei boring mesmo! hahaha

Lua: O BLAKE CONSEGUIU UM CARA, MINHA GENTE! FINALMENTE! Hahaha. Assim, não faz meu estilo, mas um baita vozeirão daquelas de tiozão do soul que canta nos karaokês de sábado. Como eu realmente acho que o Blake tem o melhor time da temporada, não sei se esse daí tem muitas chances não. Mas vamos ver no que dá, não é mesmo? Mereceu a vaga na competição, é o que importa.

 

Considerações Finais:

E é isso, meu povo! Acabou minha participação aqui nas Blinds dessa temporada. Espero que vocês tenham curtido comigo, que tenham apreciado as minhas reviews e que sigam com meus amigos Dam e Lindo nas próximas. Num futuro próximo, estarei de volta.

Por hora, podemos falar que tivemos mais uma noite mediana. Uns candidatos de destaque, que estão prontos pra arrasar, e outros que precisam ser lapidados e trabalhados. Nada novo sob o sol. Considerando que faltam poucas vagas em cada equipe, eu estou gostando muito do #TeamBlake e #TeamGwen até aqui. Acho que Adam conseguiu bons nomes e já está ficando lado a lado com Alicia. As Battles e os KOs são os divisores de água, e aí sim saberemos quem sairá na frente!

Qualquer dúvida ou crítica, corre nos comentários! E não deixe de votar na sua Blind favorita da noite! Beijussssss

Está no ar o 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu