Posts Populares

The Voice US – S12E19 – Live Show 1: Top 12 Perform

Pela primeira vez…

Sim, várias primeiras vezes hoje! Pela primeira vez na história do The Voice tivemos 5 cadeiras de mentores! Pela primeira vez nessa temporada, vamos ter uma review pra performances e uma pra resultados. Pela primeira vez na história, só restou eu cobrindo o reality que deu início ao Panela de Séries. Isso é triste.

When your friend leaves you in a room with someone you don’t know.

Bom, dia de apresentações do Top 12 e teve advisor convidado: a maravilhosa Shania Twain! Rainha country, que tem vários hits pra gente dançar usando a fivela e o chapéu, ajudou todos os mentores e ainda esteve ao vivo e a cores comentando as performances. Foi muito legal, já pode deixar Shania pro resto da vida. Mais no fim da review eu faço uma avaliação mais completa da participação dela.

Na review de hoje seguimos com os nossos selos, além de eu ter a companhia de Rick e Michel, que trarão seus comentários super fundamentados e técnicos para esta review hahahaha Os meninos e eu somos meros mortais, gente. Então a review é só a nossa opinião. Se você discorda, não nos xingue, comente ali embaixo e vamos ser sociáveis.

[TEAM ADAM] Jesse Larson – “Make You Feel My Love” by Adele

Gerson: Olha, me surpreendeu, e por diversos motivos. Primeiro, ver Jesse sem guitarra foi chocante. Segundo, uma música mais calma e mais emotiva, ao invés de um rock. Eu achei bem regular essa apresentação. Assim, o timbre dele me irritou algumas vezes, mas não teve nenhum deslize vocal gravíssimo, que fizesse desqualificar sua apresentação. Pra mim, foi mais chato do que ruim. E isso é algo puramente pessoal.

Michel: Eu não gostei de absolutamente nada nessa performance, desde a escolha datada da música e a execução dela. Essa música tem um apelo tão emocional que para mim o Jesse não conseguiu passar, nessa performance em especial seu timbre me irritou bastante e os melismas que ele fez na música me desconectaram total de sua performance. Odiei, faltou sutileza e conexão com a música, até porque como você não canta trechos como: “And there is no one there/ To dry your tears/ I could hold you” com um sorrisinho na cara. Como já disse, detestei porque as escolhas vocais dele e sua conexão com a música, não casaram nem um pouco com a mensagem da música.

Rick: Com um hino desses, é fácil se sair bem né?! Eu estava até achando bom, mas gente, que exagero foi aquele no final? Super desnecessário, tirou toda a essência da música e me fez odiar esse embuste ainda mais

  

[TEAM ADAM] Mark Isaiah – “One Dance” by Drake

Gerson: Eu gosto de Mark. Apesar de super genérico, acho ele tão fofinho, tão dedicado e esforçado. Dá um pouco de dó vê-lo sabotado com uma songchoice dessas. Cantar Drake é foda, porque não dá muito espaço pra crescer e evoluir com a música. Particularmente, como fã de Drake, adoro quando as músicas são cantadas nos realities. Mas dessa vez ficou no quase. Mark não conseguiu mostrar do que era capaz, e a performance teve altos e baixos. O saldo final não foi tão bom assim.

Michel: Não é novidade para ninguém que o Mark vocalmente é limitado e talvez o mais fraco vocalmente desse top 12. Dito isso, acho que a escolha da música foi acertada, já que tem um apelo mais atual e é o que toca nas rádios atualmente, assim fazendo com que o Mark agrade por ser cool na competição, atraindo votos das teens. A execução foi bem meia boca, tipo ele foi correto na maior parte da música, mas não teve nenhum momento de destaque, mas a presença de palco do garoto foi legal ver ele passeando pelo palco e é inegável que ele é carismático.

Rick: Que arranjo horrível é esse, minha gente? Péssimo, estou perplexo de como ele conseguiu destruir um musicão desses. Vocalmente foi bem ruinzinho, faltou folego em vários momentos e foi bem linear. Agradecemos pela sua participação, não volte nunca mais.

  

[TEAM ALICIA] Stephanie Rice – “White Flag” by DIDO

Gerson: Alicia tá sabendo trabalhar com Stephanie, isso é fato. Ela é limitada vocalmente, e as escolhas musicais têm sido na medida pra sua voz. Hoje foi bom também, mas me incomodou muito que Stephanie ficou tentando emular a voz de DIDO por diversos momentos, perdendo totalmente a originalidade de sua performance, uma de suas maiores características. Uns deslizes vocais também aconteceram, mas o resultado final foi legal.

Michel: Que performance mais maravilhosa foi essa?! A Stephanie tem crescido tanto a cada performance sua e tenho amado tanto que ela vem passeando por vários ritmos e sempre imprimindo bastante originalidade e personalidade. Ela tem um timbre muito peculiar e tenho amado as escolhas de songs nada óbvias para ela, até aqui ela foi o maior destaque para mim e acho muito difícil alguém superar tanta originalidade nessa rodada. Outro ponto positivo na performance é a conexão dela com a música que é sempre impecável, sem contar que suas performances passam uma sutileza que muito me agrada. Amei <3

Rick: Tirando a pronuncia dela que estava um pouco afetada, eu adorei muito essa performance. Foi repleta de emoção e ela interpretou muito bem, com uma certa teatralidade mas sem parecer forçada. Segurou a marimba muito bem na high note e só isso já é motivo suficiente pra leva-la pro top 11.

  

[TEAM GWEN] Troy Ramey – “Free Fallin’” by Tom Petty

Gerson: Tá amarrado! Troy nem devia tá aqui, né migas. Assim como em seu KO, ele teve que interpretar uma música MUITO maior que ele, e não conseguir alcançar algumas notas. Por conta disso, ele saiu gritando pra alcançar as notas. E foi bem triste e irritante. Sinceramente, Troy me parece um cantor que já teve sua chance. Ele não parece muito esforçado e isso me deixa muito desapontado, ainda mais por pensar que muitas outras pessoas poderiam estar ali.

Michel: Olha eu não gostei da performance, mas confesso que foi muito menos desastroso do que imaginei. O Troy vocalmente foi muito bem, soube dosar bem seus vocais e fazer uma performance agradável de se ouvir, suave no início e mais no fim soltar mais sua voz, o problema é que acho o acho sempre tão chato e previsível que acabo nunca curtindo suas performances. Em geral, uma boa performance vocalmente falando, mas bem esquecível e que não vou dá replay.

Rick: Muito chato e ruim…. Não conseguiu nem acertar a nota do “free”. Quando ele subiu o tom, até pensei que ia melhorar, mas ai começou com uns gritos desordenados que só machucaram meus ouvidos. Apenas não!

  

[TEAM BLAKE] Aliyah Moulden – “(Love Is Like A) Heat Wave” by Martha and the Vandellas

Gerson: Rainha teen! Que surpresa! Eu amei essa apresentação de Aliyah! Cheia de energia, vocais ótimos, gingado, diversão. A música parecia que seria um problema pra mocinha, mas ela conseguiu dar a volta por cima e entregou uma performance cheia de atitude, carisma e enorme presença de palco. Se eu amei? Já estou torcendo pra Blake continuar acertando com ela!

Michel: Eu gostei da menina Aliyah, achei que ela deu seu melhor ali e conseguiu fazer uma boa apresentação. A crítica que faço é a escolha da música que achei que não combinou tanto com ela, ela sendo tão jovem o Blake deveria apostar em músicas que valorizem mais seus vocais ou que a torne mais popular entre o público o teen. Eu gostei, mas talvez com uma outra música eu teria gostado mais, até porque ele sempre foi competente vocalmente em todas suas performances até aqui.

Rick: Aliyah está se mostrando ser uma candidata interessante e que vem crescendo em cada apresentação. Essa em particular foi a que mais curti dela, bem descontraída, com uma boa presença de palco, e ela foi muito bem nos vocais, sem contar que deixou uma música de 500 mil anos atrás bem atual e bacana.

  

[TEAM ALICIA] Chris Blue – “Love and Happiness” by Al Green

Gerson: MUITO melhor que semana passada. Mas assim, pra que exagerar nos melismas e falsetes, né migo? Foi uma apresentação legal de assistir, bem divertida. Mas pra que a forçar a barra com Chris? Parece que a produção quer que o público já defina que ele será o vencedor agora. Ele pode até vir a ser, mas não precisa forçar os mentores a aplaudirem de pé. Isso é demais, e chega a ser ridículo. No mais, eu gosto de Chris. Não gosto desses exageros todos, que Alicia ainda estimula. Isso irrita.

Michel: Que performance mais chata e a voz dele nessa rodada soou ainda mais chata que o normal. Alguns gritinhos desnecessários e fírulas na música só me fizeram gostar ainda menos, para mim foi um castigo ter que ouvir essa performance mais de uma vez para comentar, mas é isso vocalmente eu detestei tudo, acho que ele enfeitou demais, meu elogio só ficará por conta de sua presença de palco, sempre desenvolto.

Rick: Eu tento não gostar desse cara (nos playoffs eu tive até motivos), mas gente, caramba olha essa apresentação que genial! O cara grita starquality, canta muito bem e é carismático. Minha apresentação dele favorita até agora, arrasou muitoooo!!!

  

[TEAM BLAKE] Lauren Duski – “Lord, I Hope This Day Is Good” by Lee Ann Womack

Gerson: Antes de mais nada, pra quem diz que Lauren canta sempre a mesma coisa, me poupa! Olha essa apresentação, totalmente diferente do que ela já fez. Inclusive, mostrou um lado super diferente de sua voz. Tá certo que é gospel, e ninguém gosta de gospel, mas foi uma apresentação tecnicamente impecável e super gostosinha de assistir. Deu pra ver Lauren confortável, dando o seu melhor, mesmo com os problemas vocais que ela teve na última semana.

Michel: Sério que gospel card pra Lauren? Ainda mais um gospel card country? Achei a performance maravilhosa vocalmente, mas foi tão entediante e linear, que me bateu um soninho. Eu amo a Lauren e essa performance me decepcionou bastante, foi sua pior performance no programa para mim e espero muito que ela aposte em músicas menos óbvias e que surpreendam, pois a de hoje além de óbvia para ela, não me empolgou nada.

Rick: Aí Lauren, sério isso? Que apresentação chata e que música péssima! Eu adoro você, mas assim não tem como defender. Teve vocais bons, mas muito limitados, a música não permite explorar nada. Disappointed. Obs: Se for pra ir de gospel card, que cantem Oceans do Hillsong United… Um hino desses que a igreja aplaude de pé.

   

[TEAM ADAM] Lilli Passero – “Man! I Feel Like A Woman” by Shania Twain

Gerson: Gente, mas ela não tava doente? Hahahaha Lilli arrasou no carão, na atitude, nas botas, em quase tudo. O único problema foi a voz mesmo, que acabou ficando muito afetada pelo problema da última semana. Mas eu gostei do esforço de Lilli e espero vê-la sendo recompensada passando bem longe do Bottom 2.

Michel: Eu estava tão preocupado com a linda Lilli, porque ela estava doente, mas ela me surpreendeu e conseguiu ser maravilhosa nessa performance. Hoje ela soou um pouco anasalada, talvez por conta que ainda estava doente, mas os vocais na maior parte para mim foram maravilhosos, porém o que mais amei na performance foi sua atitude e ousadia, ela simplesmente estava sexy, poderosa, interagiu com a banda, uma faceta dela extrovertida que ainda não tinha vista. Amei a escolha da música que mostrou uma Lilli mais sexy e poderosa, diferente de suas outras performances sempre mais concentrada e fofinha.

Rick: Ai gente, eu estava torcendo muuuuito para a Lilli ficar boa e sarar da gripe ou seja lá o que ela tinha, mas isso afetou definitivamente sua voz… Ela estava bem fora do seu tom, tentou se segurar na performance, que foi bem cativante, divertida e sensual, mas vocalmente ela foi bem ruim, o que é compreensível, mas infelizmente temos que julgar.

   

[TEAM GWEN] Brennley Brown – “Long Long Time” by Linda Ronstadt

Gerson: Eu tenho pena de quem diz que Brennley é melhor do que Lauren. Ambas são muito parecidas, e isso ficou claro já na Battle. Mas a grande diferença acho que é a experiência. Brennley ainda é imatura como artista e isso atrapalha suas performances. Ela força notas, força emoção, e não deixa tudo fluir como deve ser. Não faz de suas apresentações um desastre, mas sempre deixa o gostinho de que podia ser melhor. E hoje essa foi a sensação. Depois de 2 semanas indo super bem, a apresentação de hoje ficou no quase, pra mim.

Michel: Essa moleca tem arrasado muito na competição, incrível como ela amadureceu vocalmente e como ela se mostra sempre tão conectada e entregue em suas performances. A performance foi maravilhosa, mesmo não sendo uma das melhores dela, em especial vocalmente já que a música não exigia tanto dela vocalmente, mas em comparação com as demais apresentações desse top 12, a Brennley novamente se destacou e foi melhor que sua concorrente maior Lauren, observação que amo as duas, mas tenho que dizer que Brennley cada rodada se mostra mais perto da vitória.

Rick: Rainha country, você quer @eliminada? Essa moça não para de crescer, e eu jamais poderia imaginar que eu estaria torcendo loucamente por uma country! Eu amei muito, ela consegue transitar muito bem entre as notas, coloca o vibrato na medida certa e emociona né amores, não é uma múmia igual várias outras aí. Essas high notes dela me matam de verdade, fico muito arrepiado. Pisa menos Brennley, eu te imploro.

  

[TEAM BLAKE] TSoul – “Always On My Mind” by Willie Nelson

Gerson: É um verdadeiro balde de água fria lembrar de Judith Hill cantando esse hino, na quarta temporada, e vê-lo destruído por TSoul agora. Não rolou, não deu match. TSoul parecia uma cabra em cada nota alongada. E isso irritou muito. Ele estava entregue à música, super conectado, e isso estava na cara. Mas os vocais estavam tão ruins que todo o resto acabou ficando em segundo plano. Não me impressionaria de vê-lo no Bottom 2 dessa semana.

Michel: As definições de brega foram atualizadas, porque essa performance foi sofrível viu. Me pergunto qual a intenção de pegar uma música dessa tão icônica e transformar num quase gospel, com direito a quase um coral, porque os vocais de apoio soaram para mim como coral, só deixando a performance ainda mais datada e esquecível. Vocalmente, apesar dele ter ido bem, esperava mais dele.

Rick: Gente, que coisa horrível foi essa? Nossa, a voz dele estava super estranha, não casou nada com a música, tirou toda a beleza dela. A primeira nota já foi desafinada, e daí foi de mal a pior. Péssimo!

   

[TEAM GWEN] Hunter Plake – “Somebody That I Used To Know” by Gotye

Gerson: Primeiramente, que arranjo maravilhoso! Adorei! Segundamente, Hunter é um ótimo artista. Um ótimo performer. Mas tem falhas graves. Uma delas é a dicção. Alguém arranja uma fonoaudióloga pra esse menino, por favor! Sussurrou uma música inteira semana passada e dessa vez comeu várias palavras, não estando claro o que ele cantava. Eu tenho um pouco de pé atrás com ele por ser superestimado por muita gente. Mas espero mesmo que ele melhore essa dicção, aí sim posso pensar em torcer pra ele vencer o programa.

Michel: Hunter tem sido um dos meus grandes favoritos nessa temporada e a escolha da música me assustou muito, mas ele conseguiu me surpreender muito. Eu simplesmente amei a mudança do arranjo, deu um ar mais contemporâneo e cool para música, além de ter aquela batida eletrônica que amo. Vocalmente eu adorei, porque o timbre desse homem é simplesmente maravilhoso e peculiar, também tenho amado que ele tem estado cada vez mais solto e confortável no palco.

Rick: MEU HUNTER ESTÁ VIVO! Eu amei muito, finalmente mostrou seu lado indie que eu sempre soube que existia <3 O arranjo foi bem legal, eu preferiria o original, mas ainda assim eu gostei bastante. Então para as haters, pega um copo d’água, porque vocês irão ter que engolir meu Hunter sim!

  

[TEAM ALICIA] Vanessa Ferguson – “A Song For You” by Andy Williams

Gerson: Vanessa é uma das mais talentosas desse Top 12, e nisso não resta dúvidas. Hoje eu não entendi muito bem o que aconteceu. Ela tinha tudo a seu favor, mas parece que algo não deu certo. A cara de Alicia durante a performance deixa isso um pouco claro. No geral, eu achei okay. Não foi nenhum desastre, mas poderia ter sido um lacre. Odeio quando isso acontece…

Michel: Gostei muito da Vanessa nessa rodada, foi uma performance linda de se ver, emocionante e ela estava bastante conectada com a música. Vocalmente eu gostei muito, mas como já ouvir várias versões dessa música, eu esperava um pouquinho mais, porém nada que me fizesse desgostar ou me decepcionar, ao contrário gostei demais de sua apresentação e com certeza foi um dos destaques da noite.

Rick: Minha rainha dos graves (junto com Lillie McCloud) está bem plena cantando um hino desses. Adorei muito, os drives dela são ótimos e bem sutis, ela domina o palco facilmente, e consegue passar igualmente fácil a mensagem da música. Adorei!

  

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Bom, não foi uma noite de performances memoráveis, mas deu pra aproveitar com a companhia de Shania. Aliás, estou chocado até agora que o nome dela se pronuncia “Xanáia” ahhahahahha Brincadeiras à parte, ela deu dicas muito boas, se surpreendeu com os candidatos e fez comentários bem legais. Foi uma ótima adição.

Apesar da noite fraca, acredito que os destaques ficam por conta de Lauren, Stephanie, Aliyah e Chris, que fizeram performances melhores que as da semana passada. Acredito que o Bottom 2 deve ficar entre Troy e Mark, já que ambos foram mal nessa noite.

Amanhã estarei de volta pra trazer tudo que rolou na noite de resultados, incluindo o eliminado da semana e as apresentações em grupo. Não deixem de seguir a temporada aqui conosco! Grande abraço, até amanhã!

Deixo os agradecimentos ao site parceiro  Grupo Sub Voice que faz as legendas do nosso reality querido e também disponibiliza os estúdios do programa.

E só pra não esquecer, deixo o convite para o nosso 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

 

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu