Posts Populares

The Voice US – S12E21 – Live Show 2: Top 11 Perform

Um festival de clichês!

Olá, minha gente! Estou de volta pra falar do Top 11, depois da saída de Troy, do Team Gwen. Vamos combinar, nem foi uma eliminação injusta, né? Troy nem era pra tá ali hahaha Além disso, a luz de preocupação e atenção do Team Adam acendeu, uma vez que Mark foi pro Bottom 2 com Troy, e Lilli ficou mal posicionada nos charts do iTunes. Algo a se pensar…

When you see a parking spot but find a motorcycle in it.

Mas bem, vamos falar dos clichês. Uma noite com songchoices totalmente previsíveis e sem graça. Tirando um ou outro act, que surpreendeu na escolha da música, o resto seguiu como o esperado, o que é um balde de água fria pra gente que sempre quer ver coisa nova e superação. As meninas do country, no entanto, seguem se destacando, e se tornam fortes concorrentes ao prêmio!

Não tivemos nenhum advisor nessa semana, mas temos estreia aqui nas nossas reviews. A mais nova integrante do Panela de Séries, Thaís, se junta a Clarice para comentar as apresentações do programa de hoje. Então sem mais chorumelas, vamos dar início.

[TEAM ALICIA] Stephanie Rice – “Behind Blue Eyes” by The Who

Gerson: Bom, essa música me lembra muito a trilha sonora da Malhação de 2004. Saudades adolescência hahaha Gostei da songchoice, achei que super combina com Stephanie e dá a chance pra ela colocar sua carga emocional. Na teoria, tudo muito bonito, mas na prática não rolou muito bem. A primeira parte foi até interessante, num tom mais baixo, controlado, apesar dos problemas de dicção. Mas aí a música aumentou de tom e ficou tudo cagado. Stephanie foi ofuscada, a emoção e a letra foram jogadas pela janela, e acabou com a vibe emotiva de Stephanie. Uma pena.

Clarice: Foi sugerido a Stephanie semana passada que ela viesse com algo mais animadinho… e confesso que fiquei na esperança de ver algo assim também. Sobre a songchoice de hoje, foi uma ótima escolha, combina bastante com ela. Eu adorei a primeira parte, com a versão mais acústica e ela mais controlada, mas quando a música subiu achei uma bagunça sem fim! A música ficou bem irreconhecível hahahahaha

Thais: Eu fiquei chocada quando vi a songchoice, porque eu amo essa música e adorei uma parte da preview. Mas quando a música subiu, socorro, parece que ela fez um mashup muito estranho, porque não parecia a mesma música, gente. Olha, até a metade tava bem legal, mas do meio pro final foi bem ruim, viu? A parte “animada” da música foi uma bagunça generalizada, eu entendi um total de 0 coisas.

 

[TEAM BLAKE] Aliyah Moulden – “Take It Back” by Reba McEntire

Gerson: Ai que arraso! Aliyah me surpreende muito pela evolução. Ela tem atitude, pega qualquer música e sempre esbanja qualidade. Se tivesse que destacar o bom trabalho de Blake como coach nessa temporada, seria com Aliyah. A escolha musical hoje foi ousada e inteligente, pois deu chance à Aliyah botar os agudos pra jogo, a atitude, e a presença de palco. Gostei demais!

Clarice: Quase morri quando vi que Aliyah viria de Reba e não é que a pititica segurou a marimba??? E confesso que ela me surpreende a cada semana, vocalmente é tão madura, sem falar na presença de palco dela. Blake sempre soube trabalhar com as novinhas e tá ahazando ca Aliyah! Adorei os rosnados! 🙂

Thais: Aliyah arrasa, né? Mas será que o Blake vai dar alguma música desse século para a menina cantar? Ela sempre se vira e dá um show, mas eu queria que ele tirasse esse estigma, esse peso dela. Queria a Aliyah de “Mercy” de volta, aquela menina mais solta, cantando como se tivesse fazendo um show dela. Eu não a vejo confortável cantando essas músicas velhas, não, com todo o respeito a Reba.

[TEAM BLAKE] TSoul – “Lay Me Down” by Sam Smith

Gerson: Mas gente! HAHAHAHA Eu to chocado ainda que ele se deitou no chão pra cantar KKKKKKKKK Enfim, achei essa apresentação muito melhor que a da semana passada. O timbre dele continua sendo irritante, mas não dá pra negar que ele estava no tom, não desafinou, estava conectado com a música. Eu diria que ele não estará entre os piores da noite. Blake foi inteligente com as escolhas pra essa apresentação.

Clarice: TSoul está bem fazendo hora extra na competição, né não? Ai que timbre mais uó, completamente irritante assistir suas performances. Claro, teve piano card! hahaha Achei a introdução da música até que aceitável, melhor do que semana passada com certeza, mas ele se perdeu ao longo da apresentação. E que diabos era ele deitadão lá no palco? MICÃO!!! Sam Smith deve ter tomado um calmante pra conseguir dormir depois dessa…

Thais: Que morte horrível ter que te assistir, TSoul, vou ser bem sincera mesmo. Coloco a culpa toda no Blake, porque foi ele que te salvou. Até aí tudo bem, ele tava estragando o próprio time. Mas te dar ESSE HINO pra cantar? Só o início já foi desagradável o bastante, a primeira frase já me fez querer chorar. E eu que pensei que a Tamar tinha feito muito acelerando um pouco a música e mexendo na melodia. O que tu fez com essa música não tem nome, Sam Smith deveria te processar.

[TEAM ADAM] Lilli Passero – “Town Without Pity” by Gene Pitney

Gerson: Nossa, que songchoice chata! Ta bom que é a cara de Lilli, mas eu assisti a apresentação toda achando que faltou alguma coisa. Vocalmente foi impecável, cheia de notas bem alongadas, bem executadas. Mas pra mim, o que faltou mesmo foi sensualidade e mais pose. Me pareceu uma música bem glamorosa, algo com muita postura, e senti falta disso na apresentação de Lilli. Esperava mais, mas não deixa de ser um trabalho bem feito.

Clarice: Tão bom ver Lilli curada e cantando pra valer! Lilli estava lindíssima hoje, a bixa ama as músicas mais antigas (que eu desconheço em sua maioria), mas hoje senti falta daquele GIRL POWER que ela usou pra cantar Shania. Ela divou no palco, caminhou pra lá e pra cá com seu vestido dourado, teve vocais belíssimos e notas alongadas e o final foi um lacre! Só senti falta mesmo daquele TCHAM…

Thais: Essa mulher EXALA sensualidade sem nem mesmo fazer força, sério, eu sou apaixonada por ela. A Lilli nem precisa fazer uma performance maravilhosa para que eu fique babando, basta ela surgir no palco. Se na semana passada ela já tinha ido bem doente e sem ensaiar, hoje ela arrasou. Com uma songchoice que poucos segurariam, Lilli mostrou que tem “uma alma velha”, ela nasceu pra cantar esse tipo de música, ela tem toda essa vibe vintage, pin-up. Ai, Lilli, te amo.

[TEAM GWEN] Hunter Plake – “All I Want” by Kodaline

Gerson: Não me batam. Eu acho Hunter original, acho ele emotivo, conectado, com uma boa voz. Acho tudo isso, MESMO! Mas assim, eu não consigo me conectar com alguém que sussurra e geme no microfone. Eu não entendendo NADA do que ele canta, e isso torna quase inaudível. Poderia ser perfeito, mas é sempre difícil de assistir. Acho que o grande problema de Hunter é cantar com a boca encostada no microfone. Saudades dicção decente!

Clarice: Prometi aos demais paneleiros que deixaria minha implicância com Hunter de lado e viria de coração aberto assistir e opinar essa performance. Mas gente, como tentar gostar e me conectar a uma performance quando não entendo metade do que é dito pelo cantor? Pode ser o estilo dele, mas acredito SIMMMM que Hunter tem problema de dicção! É uma pena que ninguém ali aponte isso, pois ele é um bom artista, já que sabemos que ele mesmo escolhe suas músicas e monta seus próprios arranjos.

Thais: Acho que o Hunter percebeu o que ele tem de diferentes dos demais competidores é a capacidade de cantar suavidade e assim encantar todo mundo. Mas acho que todos devemos conhecer aquela famosa hora de parar, né? Tipo, eu amo o Hunter, ele é meu segundo favorito, mas a primeira parte da música, antes do refrão, quase não dava pra ouvir de tão sussurrada. Então, migo, vamos saber dosar, porque do refrão pra frente ficou tão bonito, não precisa ser o tipo de performance que começa com você querendo morrer pra depois ficar bacana.

[TEAM ALICIA] Vanessa Ferguson – “Diamonds” by Rihanna

Gerson: Pode entrar, clichê! Vanessa cantando “Diamonds”, sentada no piano. Não dava pra ser mais lugar comum. E pior: no arranjo original. Achei tudo muito safe, nada que fizesse essa performance se destacar entre os outros milhões de covers de “Diamonds” espalhados pelo mundo. Logo Vanessa, que a gente sempre elogia por ser uma artista criativa e diferenciada. Não teve nada de errado, só não lembro mais como foi a performance.

Clarice: E eu reclamava de ter overdose de Adam Wakefield no piano… mas cuspi pra cima, caiu bem na minha testa! Alguém rouba todos os pianos ali da NBC, fazendo favor? Não aguento maaaaais ver essas performances repetidas onde eles cantam pequenos trechos ali e depois se levantam pra fazer o cool descolado dominando o palco! Arghhh! 🙁 Sobre Vanessa, ainda estou esperando o momento que ela faça algo diferente, saia da zona de conforto e ouse mais. Ela tem vocais incríveis, quando põe sua rouquidão pra jogo é maravilhoso, mas ousar um pouquinho não faz mal a ninguém! 😉

Thais: Achei essa a performance mais fraca da Vanessa Wakefield, nada que a gente pense: “nossa, que performance bacana”. Nem uma mudança brusca no arranjo, tipo com “Lean On”. Ela fez a linha básica e vai passar batida pela semana, sem aparecer entre os melhores e nem entre os piores. Talvez seja uma estratégia boa para essa fase, mas vamos brilhar mais nas próximas, ok? Leva a música ao pé da letra, miga, shine bright like a diamond

[TEAM BLAKE] Lauren Duski – “Somewhere On My Broken Heart” by Randi Travis

Gerson: Se vocês acompanham minhas reviews, sabem que sou Team Lauren declarado. Mas hoje uma coisinha não esteve certa: a songchoice. Que bosta foi essa, Blake? Música chata, credo! Não dá pra dizer que foi ruim, porque Lauren entregou seus vocais maravilhosos de sempre, seu timbre lindo, sua emoção e conexão com a música… Mas a música a limitou totalmente e tornou a apresentação bem sem graça. Não foi um lacre, não foi ruim, mas deixou a sensação de que poderia ter sido bem melhor.

Clarice: Reconheço que Lauren é uma boa cantora, maaas de todas countries do programa ela sempre foi a quem eu menos gostava… ainda não consegui me conectar a ela, talvez pelas músicas que ela tem cantado. Não são performances ruins, só são chatas! hahaha Uma coisa é fato… Lauren é sempre conectada e elegante em suas performances. Blake, tira a garota da zona de conforto um pouco, vai!

Thais: Lauren deveria vir com um aviso de não operar máquinas ou dirigir depois de assistir a performance, porque vai ser sonolenta assim… Mulher, tu tá cantando a mesma coisa desde a blind, quando isso vai mudar? Ficar dentro da zona de conforto por tanto tempo assim é bem irritante, sabe? Demonstra 0 de capacidade de versatilidade. Pelo menos na season passada o Sundance cantava umas músicas que ninguém esperava, mas a Lauren você sabe que vai cantar uma baladinha country romântica, quando não manda o gospel card. Melhore, mulher, mostra que você é mais que uma voz boa.

[TEAM ADAM] Mark Isaiah – “How To Love” by Lil Wayne

Gerson: Bom, começou tudo errado aqui. Escolha musical totalmente equivocada de Adam, tornando Mark mais uma vez um alvo fácil pro Bottom dessa semana. Não foi ruim, mas não foi bom. Faltou entrega, faltou emoção, faltou voz, faltou uma Christina Grimmie ali no palco pra cantar direito. Eu acho que Mark que tem uma voz bem comum, mas com um bom coaching, isso poderia deixar de ser uma fraqueza e se tornar algo positivo. Acho que Adam deveria ter escolhido algo melhor pra ele, que fosse diferente MESMO do que ele fez semana passada (2 músicas de rapper ninguém merece ne…).

Clarice: Fiquei bem triste ao ver a songchoice do Mark porque essa música foi imortalizada por Christina Grimmie… poxa Adam! 🙁 Já o Mark, nosso baby Shawn Mendes, veio todo sentadinho hoje e nem dançou. Me julguem mas acho ele tão fofinho hahaha A performance de hoje conseguiu ser melhor que a da semana passada, onde ele cantou Drake, mas ficou abaixo ainda da performance do Instant Save. Ele parecia sem fôlego alguns momentos, mas admito que esperava algo pior! hahahaha

Thais: Depois daquela performance em grupo em homenagem a Grimmie, tu faz isso com a música que a menina imortalizou, Adam? O que tu tem na cabeça? Mark é muito cru, muito fraco para estar nos lives shows. Se eu tivesse que elogiar algo, poderia falar que ele é muito esforçado, eu consigo ver que ele tenta, tenta muito fazer algo bom, mas não rola. Já tentou no pop, foi pro hip-hop e continua tudo a mesma coisa.

[TEAM ADAM] Jesse Larson– “Human” by Rag’n’Bone Man

Gerson: Essa era uma apresentação que eu tava esperando demais. Essa música é maravilhosa, e no estúdio tinha ficado muito bem casada com a voz de Jesse. No ao vivo, olha… Pra mim, ficou devendo. O timbre de Jesse é muito anasalado, isso me irrita demais. Não achei que teve erros vocais, foi bem nesse sentido. Mas senti falta de entrega e emoção na voz dele, uma vez que a música pede isso.

Clarice: Só eu não conheço a música? hahahaha Adorei ver esse outro lado do Jesse, ele fora da guitarra fica tão diferente, preferia vê-lo trabalhando o palco e não parado ali no pedestal. Gostei bastante da vibe da performance, tão a cara do Adam e Jesse! 🙂 E podem me julgar, mas gostei do Jesse hoje… até eu estou surpresa com isso!

Thais: Eu jurava que esse estúdio venderia horrores, aparentemente tô errando todas agora. Mas vou confessar que eu adorei o Jesse nessa semana, tanto no estúdio, quanto na performance ao vivo. A música casou perfeitamente na voz dele. Adam deve adorar mesmo esse homem, porque vejam como ele fica olhando hipnotizado pro Jesse enquanto ele se apresenta, ele só faz isso com os acts que ele gosta mesmo. Pra não dizer que Jesse ficou devendo, ele podia ter ganhado um pouco o palco, ficou muito preso, a música pedia um pouco mais de atitude dele.

[TEAM GWEN] Brennley Brown – “River” by Joni Mitchell

Gerson: Oh, me surpreendi hoje! Achei a melhor apresentação da menina até aqui. Brennley entregou vocais legais, conexão, entrega. Pra mim, este foi o ponto alto da sua participação no programa. A música ajudou muito, vamos concordar. Infelizmente, comparações são inevitáveis, e Alisan sambou com essa música na sua temporada. São artistas completamente diferentes, as duas com boas versões, mas ainda acho que Alisan fez um trabalho mais completo, principalmente por ter vivido boa parte das coisas que diz na letra. E isso não faz Brennley ser uma bosta, viu mores!

Clarice: Acho engraçado que a introdução dessa música me lembra demais a música de natal, sempre reparei nisso quando ouço a performance de Alisan… e claro, impossível ver Brennley sem lembrar de Alisan, rainha poderosa da Season 10! ♥ Sobre a princesinha aqui, achei a performance dela tão linda, não tão impactante quando a de Ali, Breenley optou pela suavidade nos vocais, não subir tanto as notas mas foi totalmente trabalhado na emoção.
PS. Amei o shade de Adam pra Blake dizendo que já adora ver Brennley e Gwen trabalhando juntas porque isso permite que Brennley cante músicas fora da zona de conforto, músicas fora do country óbvio que Blake daria a ela. Hahahaha

Thais: Brennley vem um crescente bem bacana de ver, não é? Eu sinto que ela é a act que mais está evoluindo no programa e é bizarro que seja no Team Fashion, já que estamos acostumados com a Gwen mais preocupada com os cortes e cores dos cabelos dos acts, do que em buscar uma songchoice decente. Mas a menina BrenBren tá indo muito bem no programa, ouso dizer que já é uma das frontrunners, ao lado da sua parceira de batalha lá do Team Blake. E se ela continuar assim, doce, bonitinha e novinha do jeito que é, vai ser um perigo.

[TEAM ALICIA] Chris Blue– “When A Man Loves A Woman” by Michael Bolton

Gerson: Olha, não dava pra pensar em nada mais datado do que essa música pra Chris cantar. Estava óbvio desde o primeiro momento que ele cantaria isso, e cantaria daquela forma que sabemos que Chris Blue faz: gritando e exagerando. Eu adoro a voz dele, a energia, essa coisa do R&B que ele traz… Mas eu sempre acho que ele exagera. E isso é totalmente culpa de Alicia, que faz o Pharrell e aplaude toda a gritaria. Foi bom, teve entrega, vocais consistentes, mas acho que pecou pelo exagero.

Clarice: Alguem avisa a bixa que menos é mais, fazendo favor? Não sei de onde esse povo pegou a mania de se jogar no chão a troco de nada, que coisa mais deselegante! Achei o começo da performance mais controlado e ficou bom, queria tanto que ele seguisse assim o tempo todo… só que daí não seria Chris Blue, ne? A partir que ele se joga no chão pela 1ª vez, exagera loucamente, sai totalmente da casinha e me enlouqueceu com tanta gritaria! BIXAAAA, SEJE MENAS!

Thais: Essa música tem um estigma pesado, né? Mas acho que o Chris tá livre da eliminação. Tem gente que não gosta, mas eu adoro esse brega, me segura. Só que o Chris é tão teatral, que acaba caindo numa vibe meio de caricatura, que eu não curto. Eu queria ver uma performance dele onde não tivesse um uso absurdo e desenfreado de gritos e falsetes, queria algo clean, leve e doce. Tipo quando a Alisan desacelerou e nos presenteou com “Let Him Fly”, sabe? Então, é isso que eu te peço, Chris. Você não é ruim, você é exagerado.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Olha, apesar das músicas clichês, achei as apresentações bem na média. Alguns decepcionaram, outros surpreenderam, mas no geral ninguém entregou algo ridículo, como foi o caso de Mark e TSoul na semana passada. Pra mim, os melhores desse Top 11 foram Brennley, Aliyah e Lauren, nessa ordem, mostrando a força do country na nossa vida. Das que menos gostei, diria que Stephanie e Mark foram as decepções. Nada horrível, mas poderia ter sido melhor.

Eu sei que muitos não concordam com a minha opinião ou dos comentaristas, mas aí tem a enquete e os comentários ali pra vocês expressarem suas opiniões. Eu estou aguardando ansiosíssimo. Amanhã volto com a review dos resultados e o Top 10 completo!

Deixo os agradecimentos ao site parceiro  Grupo Sub Voice que faz as legendas do nosso reality querido e também disponibiliza os estúdios do programa.

E só pra não esquecer, deixo o convite para o nosso 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Pingback: Panela de Séries » Arquivo » The Voice US – S12E22 – Live Eliminations 2()

  • Jéssica Cândido

    Gnt não me crucifica, mas não entendo essa implicância com o Hunter, achei muito bom mesmo! Eu adoro essa música e acho q ele fez um belo trabalho, entendi a letra e achei q ele cantou perfeitamente bem!
    Eu gostei da Lauren no início, mas concordo q ela vem cantando a mesma coisa desde então, não surpreende, não inova e o Blake vendo q ela tem se dado bem, vai arriscar pra q?
    Eu gostei da Stephanie, não esperava vê-la cantando algo assim e achei muito bom! Acho q foi uma das melhores apresentações, ela tava numa vibe tão legal e mostrou mais sua voz. Eu gostei.
    concordo com oq disseram da Lili, ela exala sensualidade. Acho lindo vê-la no palco, mas não gostei muito da escolha da música, queria ver algo semelhante ao q ela cantou nos Knockouts…

  • ana caroline

    poxa, acabaram com menino hunter , sussurro é conceito, é indie, vcs que não tão acostumado com arte!!

    • Lindomar Albuquerque

      Rainha Ana Caroline Sensata, ensina a Indie music pra esse povo!

    • Gerson Elesbão

      Oi Ana! Obrigado pelo comentário.
      hahahahahha desculpa, a gente não conhece isso mesmo. pra mim é chato, e só kkkkkk

  • Thomas Jefhey

    Para quem, assim como eu, só entende o minimo do minimo de inglês, não faz tanta diferença entender todas as palavras que o Hunter canta kkkkkkk acho q por isso não consigo entender essa critica toda de vcs kkkk.

    Uma coisa, Lauren sem dúvidas é mais preparada que a Brennley, porém sou muito mais team Brennley pq ela pelo menos se esforça para mudar a cada performance.

    Uma que estou começando a torcer é a Aliyah, gosto da “vibe” dela, só queria uma musica mais atual para ela.

    Não sei se é pelo fato de eu não ter criado uma torcida forte com ninguém essa temporada, mas eu até que gosto do Tsoul e do Chris Blue kkkkkk Podem me julgar, eu estou me julgando muito por gostar deles depois de tudo que já critiquei candidatos parecidos com eles em outras edições.

    Eu devo estar virando “uma tia do sofá”, pq estou gostando de 2 country 1 gritadeiro e 1 top dos falsetes kkkkk

    • Gerson Elesbão

      Oi Thomas! Obrigado pelo comentário.
      A gente (eu e Clarice) legendamos o programa também, então somos atento à pronúncia e dicção sempre. Talvez por isso as críticas.
      Aliyah e Lauren precisam de algo diferente e mais atual, sem dúvidas. Ganhariam fôlego na competição.

      Você é definitivamente uma tia do sofá. Mostra a carteirinha aí! hahahahaha Bem-vindo ao clube!

    • Clarice Calil

      Simmm… legendamos!!! 🙂
      E não é só isso, outra coisa que me incomoda nele é a falta de projeção de voz em algumas palavras… o sussurrar se torna mais presente do que o falar… isso somado ao lance da diccção dele me incomoda profundamente!!! kkkkk
      Sei que é estilo dele, na performance com a Gwen e Brennley eu até consegui ouvi-lo melhor… mas ainda assim não curto!! 😉

Gerson Elesbão

Nem tão complicado demais, mas nem tão simples assim: quebra-galho, colunista e seriador. Dificilmente atualiza o Banco de Séries, mas adora gongar as séries amadas pelo público. @gersonelesbao


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu