Panela de Séries » Arquivos The Voice US - S12E23 - Live Show 3: Top 10 Perform - Panela de Séries

Posts Populares

The Voice US – S12E23 – Live Show 3: Top 10 Perform

Um Top 10 de respeito!

Olha, depois de duas semanas de Live Shows meia boca, finalmente tivemos uma noite decente. Foram 10 cantores se apresentando, e 9 num nível legal, agradável ou ótimo. Por incrível que pareça, a maioria das músicas hoje foi mais agitada, com performances surpreendentes de participantes que não esperávamos. Ah, eles homenagearam suas mães, já que no próximo domingo é Dia das Mães. Amei a mãe de todos <3

When the waiter asks if you’d like to see the dessert menu.

Nesta semana teremos 2 eliminados, ou seja, teremos Bottom 3. Seguindo a lógica de semana passada, Mark já é certo entre os 3 menos votados. Resta saber quem o acompanhará.

Hoje teremos as minhas haters me gongando, Nyegirton e Lindomar. Então, não se assustem com os comentários absurdos que eles fizerem. Eles são meio doidos mesmo HAHAHAHA Brincadeiras à parte, Lindo veio matar saudades de The Voice e Nye veio problematizar. Então, bora!

[TEAM ADAM] Jesse Larson – “Jungle Love” by The Time

Gerson: Olha, que boa surpresa! Adorei a desenvoltura de Jesse no palco. Ele dançou, cantou, fez solo de guitarra… Arrasou demais! Me irrita o timbre anasalado dele ainda, mas hoje isso ficou em segundo plano, uma vez que ele incendiou o palco, performou e tudo mais. Ah, vale ressaltar que o pobre do Jesse tá sendo perseguido, e este já o segundo death spot que ele recebe nos Live Shows. Ridículo isso!

Lindo: Olha a música era brega, chata, tinha uma batidinha legal e um refrão feito pelos backing vocals que foi a grande marca da performance. Os vocais na maioria do tempo foram consistentes e ele colocou aquelas notas estendidas com falsetes que ele sabe fazer muito bem, entrou na coreografia e o mais importante se divertiu. Aquela coisa né, foi legal, mas longe de ser marcante.

Nye: Assim como todo ano teremos Roberto Carlos no final do ano da globo, toda temporada teremos o guitarrista do Adam que vai se arrastando até a final. Hoje sem dúvidas foi a melhor apresentação de Jesse. Ele dançou, se divertiu, mandou high notes, e claro, tocou gitarrzzzzzzz… Apesar de geralmente odiar esse tipo de artista, hoje eu consegui gostar bastante do Jesse, provavelmente por sentir uma vibe Bruno Mars que amo.

 

[TEAM BLAKE] Aliyah Moulden – “Jealous” by Labirinth

Gerson: Mais uma que me surpreendeu. Aliyah estava num ritmo muito upbeat no programa, e precisava de algo diferenciado pra si mesma. Hoje foi a oportunidade, e acho que ela agarrou com os dois braços. Senti os vocais nervosos, praticamente o tempo todo, mas senti ela cantando de coração, se entregando. O timbre não encaixou muito na canção, mas não atrapalhou não. Por fim, achei lindo ela chorando, me emocionei junto! Maravilhosa!

Lindo: “Jealous” é uma música que pede muita entrega, muita emoção e principalmente conexão com tudo aquilo que está sendo dito. Pra mim a grande falha dessa apresentação foi o fato dessa música não ser a música ideal pra Aliyah, foi algo muito longe da maturidade que ela tem pra cantar. Os vocais foram bons por metade do tempo, em algum momento próximo do fim ela sobe o tom e a voz fica meio desafinada/gritada e não ficou tão legal. O final com choro foi bem ok, mas ela é uma boa atriz meus amores e conseguiu me convencer. Arrasou na lágrima!

Nye: Aliyah vinha de uma sequência de apresentações mornas e completamente perdida a respeito de um estilo musical a fidelizar. Quando vi a música de hoje, tomei um susto, pois ela me agrada mais em vozes frágeis, porém, quando ela começou a cantar senti completamente a sua entrega e o final foi lindo. Quando suas lágrimas desceram, em nenhum momento soou forçado como alguns outros artistas que se jogam no chão e fazem o escambal para forçar uma emoção. Foi lindo, foi fofo e eu queria abraça-la, porém, ainda preciso que ela se defina como artista, pois ficar saltando de galho em galho, não dá.

[TEAM ALICIA] Vanessa Ferguson – “Doo Wop (That Thing)” by Lauryn Hill

Gerson: Ai que tudo! Vanessa cheia de atitude, super à vontade no palco! Adorei essa apresentação. Claro, a gente sempre tem algo a criticar hahaha Achei que faltou um pouco de fôlego pra ela, não deu de segurar a marimba. Algumas pequenas mudanças no arranjo poderiam ajudá-la, tornando a apresentação mais forte e mais incrível. Por fim, adorei os coaches curtindo a apresentação de Vanessa! Muito massa!

Lindo: Que samba da Vanessa, finalmente voltando a ser aquela Vanessa dos Playoffs que se destacou e ela largou a porra do piano AHHHHHHHHH. Adorei a energia, os vocais e como ela conduziu a performance com maestria, com exceção daquele rap que exigiu o máximo de sua respiração e não ficou tão legal, mas achei que finalmente vimos Vanessa fazendo algo mais atual e coerente com a artista que ela quer ser. Seria pedir demais que ela cante “Fallin’” da Alicia? Vamos esperar…

Nye: Olha, não é qualquer um que canta essa música sem perder o fôlego não, viu? Eu tava sem ar aqui só de ouvir. Apesar de ouvir as respirações em alguns momentos, acho que Vanessa realmente segurou a marimba, apesar de não compreender o que de passa na cabeça de vento da Alicia em escolher essa canção pra ela.

[TEAM ADAM] Mark Isaiah – “Sign of the Times” by Harry Styles

Gerson: De longe, o pior até agora. A pior dele na competição. Essa música é um hino, tem uma força, uma entrega. E era óbvio que Mark não ia conseguir segurar a marimba. Vamos começar falando desse piano MEGA desnecessário. Só isso já bastava pra eu odiar a apresentação. Mas aí Mark achou que sabia fazer falsetes, e a porra ficou séria. Foi tudo tão cagado que deu uma dó do pobre! Eu até tentei das umas chances pra ele, mas hoje foi a pá de cal pra fechar o túmulo.

Lindo: Ai minha música favorita de 2017, a música que fiquei enviando tweet/sugestão no app/instagram/sinal de fumaça para Hunter cantar e ai como o destino prega peças vem Mark Isaiah e rouba essa música cheia de personalidade e intensidade pra si. E personalidade e intensidade foram esquecidas no churrasco junto com a voz. Mark o que tu fez, viado? Para de passar vergonha mulher, muito fraco, muitooo mesmo!

Nye: Não adianta, pode apelar à vontade, mas Mark não consegue sair do mediano a ok. Antes dos lives eu realmente achava que ele poderia se destacar por ter uma voz bem pop e um estilo musical bem agradável ao público, mas já deu o que tinha que dar, ele não consegue acompanhar o nível dos demais. Já passou da hora de sair!

[TEAM ALICIA] Chris Blue – “24K Magic” by Bruno Mars

Gerson: Credo, odeio essa música! Ahhahaha Já estava preparado pra gongar. O começo foi horrível, mas depois Chris deu uma aula de presença de palco. Dançou, correi o palco todo, aproveitou todo o espaço. Amo isso. Os vocais não estavam bons não, mas também Chris mal cantou né. Então passou despercebido mesmo.

Lindo: Ótimo vocalista mas peca pelo exagero. Mas hoje ele se segurou na maioria do tempo, apostou em presença de palco e interação com dançarinos e deu um show. Se não estou falando besteira o último cantor negro de Soul/R&B finalista foi Damien na s7, acredito que temos um sucessor aqui.

Nye: Entre essa música e um monte de velharias bregas batidas, eu sem dúvidas prefiro essa. O grande problema aqui é que eu odeio quando um artista do THE VOICE escora em outra coisa que não voz. Ele se divertiu, arrebentou e brilhou no palco, mas cantou quase nada. Me lembrou o Zack rebolando e enrolando a apresentação toda no palco, a diferença é que Chris canta anos luz melhor que Zack, porém, será que a América vai ter o mesmo comportamento ao votar agora? Cenas do próximo capítulo.

[TEAM ADAM] Lilli Passero – “Unforgettable” by Nat King Cole

Gerson: Olha, me senti dentro de um filme de mafiosos. Acendi meu charuto, peguei minha arma e esperei os negócios tomando meu whisky. Haha Assim, vocalmente uma apresentação ótima, mas foi só isso. Esperava mais sensualidade, esperava um clímax na música (tudo muito monótono), esperava mais. Não foi ruim não, mas longe de ser boa quanto as outras que começaram o programa.

Lindo: Lili tem uma alma velha e um estilo único na competição, afinal querer se manter no vintage/jazz em pleno 2017 em um reality musical não é fácil. Lilli tem passado por essa crise no programa, muitos vem criticando as escolhas de seu coach para ela, mas ela vem amando e declarando isso nas redes sociais, afinal o que adianta ela aproveitar seu tempo no show cantando algo que ela não quer? Hoje ela arrasou nos vocais, vestida com traje de gala, fez uma apresentação linda e elegante, amei forte e espero muito que ela chegue ao massacre!

Nye: Quando saiu a música vi muita gente criticando a songchoice, por achar que não faz o estilo da Lilli, porém durante a apresentação achei que ela estava super a vontade e sua voz finalmente estava em sintonia com o estilo musical. O problema para não ser perfeito é que esse estilo não é muito apelativo mesmo e a apresentação acabou sendo um pouco morna, mas no geral ela mandou muito bem e tô feliz em finalmente gostar de algo dela.

[TEAM BLAKE] Lauren Duski – “Tell Me Why” by Wynonna Judd

Gerson: Que pisão, mores! Lauren fez uma de suas melhores apresentações da temporada, super despojada, à vontade, incrível. Sinceramente, não gostei muito daquele violão ali na mão dela não, mas tirando isso, amei tudo. Um tapa na cara de quem diz que Lauren canta sempre a mesma coisa. Ah, dessa vez foi ela que escolheu a música.

Lindo: Vim preparada pra gongar e comentar sobre a audição eterna, mas o destino conspira contra mim e vimos Lauren largar a mesmice e se jogar em algo mais animado, segurar a vitrola e realmente cantar algo diferente, gostei muito do que vi, não teve um impacto emocional ou apoio sobre o timbre dela como ela estava acostumada mas foi ótimo e agradável e ela saiu da mesmisse de músicas mais lentas. P.S. Meu selo representa meu desejo a Lauren não o que achei da performance.

Nye: Paula Fernandes hoje veio cantando uma música mais agitadinha, mas continuo parecendo a mesma performance da semana passada. Qual o problema do Blake? Lauren era uma artista tão boa, mas Blake conseguiu transformá-la nesse show de monotonia e linearidade semana após semana. Como alguém pode cantar uma música em vibe agitada e parecer morta?

[TEAM GWEN] Hunter Plake – “Higher Love” by Steve Winwood

Gerson: Adorei que ele escolheu a música da Hannah Kirby. Hahahaha Bom, a primeira parte estava indo ótima. Eu estava adorando o arranjo, ENTENDENDO TUDO que ele falava, curtindo. Mas aí chegou o refrão, ele começou a inventar uns falsetes horrorosos e super mal executados, os gemidos apareceram, a dicção foi pro brejo. Sinceramente, com o palco massa do jeito que estava, o arranjo ótimo e tudo mais, acho que Hunter deixou a desejar.

Lindo: AAAAHHHHHHHHH Meu Hunter maravilhoso cantando algo inesperado, não é que funcionou? Hunter é definitivamente um cantor do lollapalooza, mistura pop, indie com umas batidas diferentes e faz funcionar! A sua versão foi totalmente diferente do que eu esperava e isso é uma das grandes forças de Hunter, sempre existe um arranjo diferente, locais onde ele usa sua voz de uma forma mais sussurada, um artista completo meus amigos! Na torcida pelo top 10 nessa rodada, acredito que seja a primeira vez que um artista indie/pop vai indo tão longe e como um dos favoritos! Pisa Mais Nas Haters que tá pouco Hunter!

Nye: Mais uma ótima apresentação do Hunter. O que mais gosto nele é que ele consegue imprimir sua própria identidade em qualquer canção que derem pra ele cantar. Essa não foi uma das minhas favoritas, pois não teve diferencial das demais, porém foi o suficiente para se destacar entre os demais. Queria ele cantando Coldplay, pois apesar da semelhança artística, sinto que teríamos mais um show como na semana passada.

[TEAM BLAKE] TSoul – “At This Moment” by Billy Vera & the Beaters

Gerson: Hoje com TSoul aconteceu a mesma coisa de semana passada: ele foi bem, mas seu timbre horrível de cabra cagou. TSoul teve uma songchoice perfeita, vocais legais, entrega… Estava tudo ótimo e ao seu favor. Talvez por isso eu não tenha o achado o pior da noite. Pra mim, o que estraga é o timbre mesmo e o excesso de firulas que ele inventa. Irrita.

Lindo: Que embuste é esse Brasil… TSoul tem uma voz tão horrorosa que não consigo curtir nada que ele canta, me lembra muito uma cabra berrando.. enfim… ele veio realmente conectado com o que estava cantando e isso ajudou ele a não soar tão desagradável, teve uma falhas com notas pessimamente executadas, mas certeza que o fandom cego de Blake Shelton passará isso aqui direto pro TOP 8. Uma tristeza meus amigos.

Nye: Não adianta, Tsoul pode cantar Atirei o pau no gato que vai soar brega. Ele tem voz e técnica incríveis, mas é uma questão de incompatibilidade com o que eu curto mesmo. Brega, brega e brega. Não consigo me empolgar!

[TEAM GWEN] Brennley Brown – “Anyway” by Martina McBride

Gerson: Adorei que ela cantou a música do Billy Gilman hahahahaha Bom, Brennley fez uma apresentação de altos e baixos. Começou muito bem, nas partes graves, mas quando a música pediu as notas mais altas e agudas, a Brennley das Blinds reapareceu. Vocais trêmulos, pouca segurança, pouca força. Que ela tem evoluído e tem mais autoconfiança é notável, mas hoje foi uma mancha na trajetória que vinha sendo bem construída. Não foi ruim, só abaixo do que ela pode mesmo.

Lindo: Brennley vinha em ascensão até aqui, mas hoje ocorreram pequenas falhas nas notas mais altas que ela tentou executar, Mas no geral ela foi bem nos vocais, na emoção como sempre, mas passou longe de ser uma das minhas performances favoritas dela no show, diria que a menos impactante desses lives, tragam minha rainha country em evolução de volta pra semana que vem! Canta “BURNING HOUSE” PLEASE

Nye: CARALHO!! Entreguem logo o troféu pra essa menina. É incrível como outros coaches sabem deixar artistas countries mais interessantes e dinâmicos do que o Blake que insiste em linearidade. Brennley cresceu tão rápido na competição e conseguiu conquistar meu coração anti country. Só por isso já merece o prêmio!

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Olha gente, como já disse, achei uma noite bem interessante. De longe, o único que foi muito mal (com uma ótima música, diga-se de passagem) foi Mark. Os demais foram muito bem, com destaque pra Jesse que me surpreendeu, e Lauren que amo sempre e hoje arrasou na sua melhor performance.

Ah, ainda tivemos o Sr. Blake Shelton apresentando sua música nova no programa:

Então é isso, meu povo. Amanhã trago os resultados pra vocês e os dois eliminados. Nossa seção de melhores tweets também segue forte hahaha! Votem na enquete, comentem o post e até amanhã!

Deixo os agradecimentos ao site parceiro  Grupo Sub Voice que faz as legendas do nosso reality querido e também disponibiliza os estúdios do programa.

E só pra não esquecer, deixo o convite para o nosso 2º recrutamento de reviewers do Panela de Séries! Venha se juntar a nós paneleiros! Saiba mais clicando AQUI.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu