Posts Populares

The Voice US – S13E03 – The Blind Auditions, Part 3

Até que enfim, um episódio para brilhar meus olhinhos!

Fala, minha gente, tudo bem? Depois de alguns aninhos lendo as reviews dos queridos paneleiros, cá estou eu para cobrir minha primeira temporada desse reality que eu tanto amo, mesmo que não venha merecendo tanto amor assim. Tô até emocionada com esse momento hahaha!


Estamos no terceiro episódio de blinds auditions e confesso que a primeira semana de programa não me deixou tão empolgada quanto eu pensei que ficaria. Gostei de alguns artistas, mas o que amei mesmo foi a volta de Miley e a estréia da linda da Jhud, que está SUPER animada e deu um gás novo na bancada. Inclusive, quero falar um pouco mais sobre ela e o hate desnecessário que ela vem sofrendo por parte dos fãs do programa, mas vou deixar para o final da review. Primeiro, vamos ao que interessa!

Pra mim, essa terceira noite de programa foi bem melhor do que as duas primeiras e me trouxe artistas que me fizeram brilhar os olhinhos pelo talento e potencial. Estou amando cada vez mais essa bancada que, apesar dos gritos (sério, por que eles gritam tanto? Parece que estão no primário haha), está com uma  interação bem legal.

Pra comentar as performances comigo eu trouxe a Luana, essa menina que em The Voice é mais tombada que a Torre de Pisa, mas está aqui prontíssima para o próximo tombo e o nosso querido leitor Thairo. Então, Bora lá?

 

 [#TeamBlake] Adam Cunnigham:  “Midnight Rider” by The Allman Brothers Band 

Tati: Quando vi Adam pensei que seria um cowboy bem estilo tradicional, desses que a gente escuta e já imagina um rancho com umas vaquinhas e cavalinhos fazendo coro logo atrás, mas não foi como eu pensei: Adam tem uma vertente um pouco rocker e usou isso para entregar uma blind cheia de energia do começo ao fim. Mas para mim foi só isso. Não vi nada demais nele e nem fiquei empolgada para ver o que mais ele tem a oferecer. De qualquer forma, acredito que ele tenha feito uma boa escolha indo com Blake, apesar de Jhud ter demonstrado bastante vontade em conquistá-lo. 

Luana: Ai, gente… O backstory desse homem foi tudo de mais apelação que poderia ser! Ele falou da filha, da família, de Deus (cantava música cristã) e pra completar ainda CHOROU. Depois chegou lá cantou esse country, virou o Blake, e o resto é história! Ele não é péssimo e até teve momentos legais em sua audição, mas já sabemos da grande ameaça que nos espera, né não? Estamos todos prontos?

Thairo: O Adam Wakefield voltou e nem mudou de nome, se eu gostei? Gostei, mas foi pouco. Ele possui um bom alcance mas representa algo genérico com o chapéu e a barba grande, o country que já estou saturado dentro do programa depois de 12 temporadas. Espero algum diferencial dele, e se seguisse com #TeamJHud poderia explorar bem isso. Gostei dela empenhada e usando o American Idol card, mas não tinha muito para onde fugir. Fiquei com a impressão que essa foi uma blind já perto do final e a Miley e o Adam não podiam virar se não, teriam feito.

[#TeamAdam] Hannah Mrozak: “Starving” by Hailee Steinfeld

Tati:  Que voz agradável da menina Hannah, Brasil! O timbre é comum? Sim, sem dúvidas! Mas foi tudo tão harmônico, tudo no lugar certinho, quase tudo bem utilizado na hora certa (apesar de alguns errinhos), que no final das contas achei uma audição muito legal de se ver. Não achei Hannah “uau”, mas vi potencial na menina e acredito que, com uma boa mentoria, ela possa evoluir bastante no decorrer do programa. Adam, Jhud e Blake viraram e a menina escolheu Adam, justificando a escolha pela vertente pop do coach. Vamos ver como será.

Luana: Antes de mais nada: que menina LINDA, apaixonada estou! Hannah tem um timbre lindo e o tempo inteiro eu só conseguia pensar nisso. Pop music, nessa pegada pop pura mesmo é bem rara no programa e “Starving” é uma das músicas que eu mais escutei nos últimos meses, inclusive indico que quem gosta de pop purinho assim, fique de olho na Hailee Steinfeld, porque ela anda lançando muita coisa maravilhosa! Enfim, voltando à Hannah… Sim, identifiquei uns errinhos, talvez até pelo nervosismo, mas ela parece ter muito potencial e com as músicas certas pode vir a crescer na competição!

Thairo:  Deanna é você? DESCULPA mas eu não consegui não lembrar haha, tantas coisas semelhantes até mesmo o estilo. Gostei que senti ela confortável no palco, com sorrisos, até tiradas de danças, me passou uma boa energia e me fez gostar ainda mais da performance. Curti a variedade que ela deu na voz não ficando presa em uma maneira de executar a música e as notas, uma hora realizando mais grave e em outra trocando entre os registros o que deixou a performance bem calma e gostozinha de escutar

[#TeamMiley] Shilo Gold: “Stay With Me Baby” by Lorraine Ellison 

Tati: Já tinha visto alguns vídeos da Shilo antes do programa e confesso que tinha a achado uma artista bastante interessante. Mas, minha gente, que decepção. Voz limitadíssima, não alcançou a maioria das notas e desafinou demais. Foi uma blind chata e tecnicamente mal executada. Precisei abrir correndo o vídeo da Alisan cantando e já pedi perdão para dona da música em nome da Shilo, por que ó: foi bom não! 

Luana: GENTE, ME AJUDA QUE EU TÔ NO CHÃO, ESTREBUCHANDO E BERRADO! Eu acho que nunca, nessas 13 temporadas de The Voice, assisti à uma blind tão tenebrosa! Palavras não podem descrever o tamanho dessa bagunça vocal. Olha, se tivessem combado essa menina, teriam feito um favor enorme à dignidade dela. Eu tô perplexa, isso aqui já vai pro hall da vergonha alheia do The Voice, sem sombra de dúvidas.

Thairo: Eu quase não reconheci a música quando ela começou se não fosse pelo nome em baixo, a voz dela ficou estranho no início e eu fiquei esperando um vozeirão de arrasar logo de cara, afinal essa música pertence a Alisan Porter e não aceito menos. Ela ficou meio desconfortável e me incomodou, achei que ninguém fosse virar mesmo, senti ela presa e com dificuldades que demonstre que ela provavelmente ainda não está pronta.

[#ELIMINADA] Samantha Rios: “Something’s Got A Hold On Me” by Etta James 

Tati: Fisicamente essa coitada me lembrou a Anatalia da última season. Eu digo coitada, pois é muito triste vê-la voltando pra casa, depois de ver Shilo, que fez uma blind inferior a dela.  Só na primeira nota, ela já mostrou mais decência, pois, ao menos, não desafinou. Ela tem voz e timbre “ok”, mas executou tudo corretamente e isso para mim bastava. Eu acho que, pelo nível de artistas que já viraram algumas cadeiras, acho que ela merecia pelo menos uma cadeira, mas programa que segue. 

Luana: Claramente Samantha tem uma boa voz, mas a idade e falta de experiência ficaram bem evidentes, e isso acabou afetando a qualidade de sua performance. Mas eu espero que ela volte na próxima temporada, porque ela tem bastante potencial e talvez, com uma songchoice diferente ela pudesse vir a se sair bem melhor… Acho que algo menos ambicioso e que destacasse melhor as qualidades de sua voz. Enfim, tem potencial, então espero vê-la novamente na S14!

Thairo:  Como assim ninguém virou? Eu tô indignado, tudo bem que não foi 100% mas eu amei ela, a simpatia, a escolha da música da Aguilera, o sorriso, as possibilidades que ela pode gerar e a quanto tempo eu tô esperando alguém representar os latinos novamente e achei realmente que o Blake iria viria no finalzinho. Não acredito até agora

[#TeamBlake] Noah Mac: “Way Down We Go” by Kaleo 

Tati: Gente, que voz é essa? Eu quase nunca resisto a timbres belíssimos como de Noah! E fiquei agoniada que demoraram a virar, pois para mim a blind dele foi muito boa. Eu senti que ele estava um pouco nervoso e isso ficou nítido nas passagens de notas, mas não acho que tenha comprometido a audição de maneira geral, pois deu pra perceber a intenção dele de conectar com a música. Enfim, foi uma blind que me empolgou pelo potencial e pela voz, que acredito que possa gerar um bom trabalho com boas apresentações.

Luana: PISA MENOS, MELHOR BOY DA TEMPORADA! Confesso que fiquei um pouco incomodada com a respiração dele, mas entendo completamente que foi pelo nervosismo. MAS OLHA ESSE TIMBRE, MINHA GENTE! QUE PISÃO! E não preciso nem falar da songchoice super refreshing, né não? Já estou aqui jogando minhas fichas em você, more! VAMO ARRASAR!
P.S.: Podia ter ido com a JHud, né? Mas tudo bem, perdoamos, haha.

Thairo: Ele tem um estilo legal visualmente falando; a introdução à capela não curti muito, porem logo depois ele fez uma sequência pegando a low voice e meio que um falsetto para o contraste, mas acabou ficando afobado com a música no decorrer dela, talvez refletido pela sua pouca idade. Tenho que concordar com a Miley na parte do “you’re hot”, mas não tem muito de diferencial além disso e uma voz ok. Estou amando a perseguição Blake x Jennifer, tem gerado boas batalhas, fiquei surpreso com a escolha dele mas gostei bastante pois sinto algo country que pode conquistar as tiazinhas do sofá like Zach da S9.

[#TeamJHud] Davon Fleming: “Me & Mr Jones” by Amy Winehouse

Tati: Davon tem uma vibe tão legal que eu adoraria andar com ele no recreio ahahaha. Quando ouvi a prévia do estúdio já vi algo bem legal na voz dele e senti essa mesma energia na blind. Ele tem uma técnica incrível e a aplicou bastante durante a apresentação, senti um pouquinho de incomodo em um dos falsetes, mas isso não tira o brilho de uma audição muito boa tecnicamente e bem conduzida, apesar de eu achar que a escolha da música poderia ser um pouco mais acertada. De qualquer forma, um #4chair justo e, de fato, Jhud é a coach que melhor pode ajudá-lo durante a competição.

Luana: No início, se eu fechasse meus olhos, claramente imaginaria que era uma moça cantando! Haha. E assim, não dá pra negar a qualidade do menino, tem um falsete muito belo e muito controle, sabe usar as nuances da voz e criar efeitos bem legais… MAS uma coisinha só me incomodou: por que ele tinha que mudar os pronomes da canção, gente? Vai se tornar gay se cantar “eu e o sr. Jones”? Enfim, detesto quando fazem isso. Mas vida que segue! JHud conseguiu uma ótima aquisição com Davon e mal posso esperar pra ver o que essa parceria vai render!

Thairo:  O Carson e os familiares do Davon com o sapato na mão também, eu ri aqui. Gostei da voz dele, soube flutuar bem principalmente nos agudos quanto nos graves e demonstrou habilidades onde possui uma infinidade de musicas atuais e também as clássicas que ele pode variar e demonstrar versatilidade com tanto que não sature utilizando sempre da mesma arma secreta. Fica aqui meu pedido para a JHud parar de jogar coisas no palco, já foram dois cadernos, um sapato, o sapato da Miley, e perdi a conta de algo mais.

[#TeamJHud] Kathrina Feigh: “Big White Room” by Jessie J

Tati: Essa música ajuda bastante, então acredito que qualquer pessoa que a cante forma minimamente decente já ganhe minha simpatia. Kathrina tem uma voz legal e não fez nada errado, mas não senti toda emoção que a música pedia e acredito que ela poderia ter explorado um pouco mais os recursos vocais, como melismas, que a música permite utilizar. Foi agradável de se ouvir, mas não consigo elogiar muito mais que isso. Mas ela tem potencial, vejamos o trabalho que Jhud fará com a moça.

Luana: Hm, vamos ver como posso colocar meus pensamentos aqui. Kathrina tem uma boa voz, mas a todo momento ela parecia muito mais preocupada em virar alguma cadeira, do que cantar a música em si e isso é sempre preocupante, pois impede que nós, espectadores, possamos nos submergir na interpretação do artista. No fim das contas, quando se canta uma canção da boca pra fora, ela parece apenas um karaokê, falta alma. E acho que foi isso que aconteceu aqui. Ouvi uma bela voz, com uma técnica vocal decente, mas a falta de conexão e desleixo com a mensagem da música acabaram por tirar o brilho que poderia ter existido.

Thairo: Conheci essa música através da India Carney, e ela me lembrou na forma de cantar a mesma. Os melismas nas musicas junto com o vibrato dela, gerou uma combinação legal em que ela soube mediar a música, nada de especial porém demonstra potencial a ser desenvolvido. Sinto que se ela avançar e a medida que isso possa ocorrer ela vá me conquistando pois possui um estilo que me agrada e que facilmente eu começo a torcer.


(COMBOS): [#TeamJHud] Alexandra Joyce: “Wildest Dreams” by Taylor Swift / [#TeamJHud] Eric Lyn: “Ooh Child” by The Five Stairsteps / [#TeamBlake] Anna Catherine DeHart: “I Could Use A Love Song” by Maren Morris

 

Tati: Pelas prévias, já não esperava muita coisa, mas como julgar esses artistas por cinco segundos de blind? E como a produção tem a coragem de continuar não mostrando os bichinhos, mesmo que eles virem 3 cadeiras, como Alexandra virou? Coisas da produção do The Voice… Dos três, eu gostei da Alexandra mesmo e fiquei um pouco curiosa para ouvi-la um pouco mais. Mas tanto Eric, quanto Ana me pareceram comuns, mas poxa vida, gostaria de ver suas audições inteiras pra dizer se realmente são ou não.

Luana: Assim que terminei de ouvir os previews do iTunes, esses foram os exatos 3 artistas que eu pensei “olha, se tiver combo hoje, vão ser esses aqui”. No fim, acabei estando certa. Não dá pra julgar muito por 6 segs de performance, mas eu gostaria de ter ouvido mais da Alexandra! Não só ela virou 3 cadeiras, como achei bem interessante ela vir tocando um instrumento. Mas vou ficar só na vontade mesmo, pelo visto. Os outros dois não me chamaram a atenção mesmo e não posso dizer que vou me importar muito em não ter visto suas audições completas.

Thairo: Pelo pouco que foi mostrado deles, achei estranho combarem a Alexandra por ela ter virado três cadeiras, o pouco mostrado foi legal. Do Eric pior ainda, não tem muito o que julgar. A Anna aparenta ter um bom alcance e pouca idade, o que é uma boa combinação. NBC por que não libera no YouTube o completo? Igual temporada passada.

 

[#TeamMiley] Addison Agen: “Jolene” by Ray LaMontagne

Tati: Já tinha visto um pouco do trabalho da Addison fora do programa e estava um pouco ansiosa pela audição dela. O timbre dela é interessantíssimo, desses que, enquanto ela canta,  a gente só quer fechar os olhos e pensar em coisas boas da vida, mas a bichinha estava MUITO nervosa e isso claramente influenciou na apresentação que foi boa, mas poderia ser um pouco melhor caso ela estivesse mais segura. Pela idade e inexperiência, acredito que isso possa ser trabalhado e gostaria que fosse, já que enxerguei muito potencial nela. Acredito que, com as escolhas corretas, ela possa crescer, pois talento vocal ela tem de sobra. 

Luana: QUE ANJO! Meu Deus do céu, ME DEIXA GUARDA A ADDISON E O NOAH NUM POTINHO BEM JUNTINHOS, POR FAVOR! Que duas vozes lindas, meu Deus! Mas voltando pra esse anjo aqui… Ela simplesmente veio pra pegar meu coração, se eu já não estava vendida na voz linda, a songchoice da blind do mozão Brendan simplesmente finalizou meu coração. Senti o nervosismo em algumas partes, mas isso é algo que pode ser resolvido assim que ela começar a trabalhar com sua coach e ganhar mais confiança!

Thairo: A Miley ficou esperando outra Jolene haha pelo que já conhecemos. Fiquei muito confuso sobre o que eu achei dela, ao mesmo tempo que gostei no VT, cantando já não foi tanto assim, perdi um pouco do interesse talvez pela mudança que foi demonstrado na personalidade dela anteriormente e na música parecia outra pessoa. Depois que o Adam comentou sobre a Danielle meio que entendi o por que de eu subconscientemente não ter gostado tanto assim, afinal ela parece mesmo no geral. O que eu amei foi o Blake com a mão no canto da boca fingindo ser alguém da plateia e gritando Miley hahahahahaha. E funcionou

[#TeamAdam] Adam Pearce: “Hot Blooded”  by Foreigner 

Tati: Lembro dessa criatura berrando no meu ouvido na outra season e realmente tinha achado bem aceitável seu insucesso em virar cadeiras. Ele realmente pegou os conselhos dos coaches e voltou apostando menos nos agudos e com uma escolha musical que lhe favorecesse mais. Melhorou? Melhorou, sim! Mas ainda parece um pouco exagerado pra mim, principalmente pela nota final. Não foi ruim, mas longe de ser uma blind que eu vá escutar muitas vezes mais.

Luana: Minha gente, eu DETESTEI a audição deste homem na temporada passada, ainda lembro do sangue saindo de meus ouvidos e o gosto de terror em minha boca. Mas vou admitir que a songchoice desta vez foi MUITO melhor e ele conseguiu até não me causar náuseas, hein. Eu gostei de várias partes e a voz dele é maravilhosa pro rock, um gênero tão subestimado no programa.
P.S.: Blake, realmente tudo o que este homem deve querer na vida é cantar “WRECKING BALL” com MILEY CYRUS. Que visão, rs.

Thairo: Achei que ele fosse cantar Highway to Hell (que combinaria super bem com a voz dele), com todo esse estilo do Craig vencedor da S7, amei a jogada de cabelo na música, quero rock nesse The Voice para compensar a tempos que não temos representantes bons. Ele seguiu linear e foi uma performance visualmente legal de assistir, até aquele final que ele jogou e me prendeu a atenção novamente. E adoro quando alguém volta e consegue virar as cadeiras, me cativa a determinação e o que uma songchoice certa não faz?.

[#ELIMINADO] Myles Frost: “Wish You Were Mine” by Philip George

Tati: Gente, queria comentar muito sobre esse candidato, mas meus streaming travou justamente na hora ahahaha e eu vou dar uma de Glória Pires e falar que eu não sou capaz de opinar. Mas prometo que volto para falar dele quando assistir o programa novamente (ou não ahaha).

Luana: Myles não é ruim, de forma alguma. Mas ficou faltando algo em sua performance, soou bastante rasa e não só em sentimento, mas em proficiência mesmo. Enfim, foi legal, mas é completamente entendível as cadeiras não terem virado.

Thairo: Gostei que a Shalyah tava ali na família dele torcendo também. Brincadeiras de lado, eu curti a performance dele, houveram erros? Sim, mas não foi tão diferente dos demais que participaram desse episódio, ele combinaria com a Jennifer trazendo o soul e a motown para o show

 

[#TeamMiley] Moriah Formica: “Crazy on You” by Heart

Tati: Confesso que fiquei meio na dúvida quando comecei a ouvir Moriah, pois os vocais não estavam os melhores, mas a bichinha foi melhorando durante a performance e no final eu fiquei só amores por ela. Eu adoro ver uma blind melhorando durante pouco mais de 1 minuto e meio, pois dá pra ver um pouco da capacidade do artista. Além de uma voz muito legal, ela tem uma identidade de rocker incrível pela idade que tem. Eu só não entendi ela escolhendo Miley, sendo que Adam tem mais know-how para ajudá-la. Enfim, ao meu ver, ela escolheu mal a técnica, mas já estou aqui torcendo por ela.

Luana: QUE MARAVILHOSA! Ai gente, a última rockeira do amor (de qualidade) que a gente teve no programa foi a Kat Perkins e olha… QUE SAUDADES! Moriah veio hoje pra nos tirar dessa seca que dura já há tantos anos e eu tô muito feliz! Não sei se ela escolheu a coach certo, porque vamos e convenhamos… Se alguém ali minimamente tem algum conhecimento de rock é o Adam que cresceu nesse meio, ainda que não reflita na sua música atual, rs. Mas vamos esperar pra ver o que essa parceria pode render, né non?!

Thairo: Ela me lembra em tantos aspectos a Kata Hay, o formato do cabelo, o estilo, a escolha musical.  Enfim, gostei da apresentação, no início senti algumas falhas talvez por conta do nervosismo de estar ali. Porém ela recuperou e aumentou a confiança enquanto os técnicos foram virando e gostei no final, mas como a própria música fala, ela poderia ter inserido mais loucura e rebeldia, talvez a falta disso esteja relacionado com a pouca experiência dela aos 16 anos ou por estar presa ao violão. Espero que consigam desenvolvê-la bem, já que temos um bom histórico com jovens + boas vozes, além de ter passado a hora de um rock de verdade invadir novamente o The Voice como foi com Juliett principalmente

CONSIDERAÇÕES:

Enfim, findada mais uma noite de blinds. Gostaria de manifestar minha RAIVA dessa América jogando todo esse ódio em cima da Jhud. É evidente que a edição do programa está fazendo de tudo para focar em Jenniffer e isso acaba destacando mais a vibe totalmente diferente de outros coaches que sentaram ali naquela cadeira. Jhud está realmente super animada com o programa, tanto que o Instagram dela só tem isso, minha gente. Mas pros americanos nada tá bom: Shakira não tá bom, Xtina piorou, Miley nem pensar e agora Jhud também não. Esse povo quer o quê? UMA PLANTA no lugar do coach? Sinceramente, exausta.

SOBRE OS TIMES:

#TeamAdam: Apesar de alguns nomes que podem evoluir, por enquanto o time Adam não me despertou tanto interesse e ainda não consigo apontar daqui ninguém pra vencer o programa ou chegar muito longe. Mas vai que ele opera um milagre de Chris Jamison, né? O time está assim: Dave Crosby, Brandon Showell, Dylan Gerard, Adam Pearce e Hannah Mrozak.

#TeamBlake: Outro time que não me sobe, nem me desce. Mas pelo menos tem Keisha, que além de voz e técnica incrível, prometeu cantar country e pode cair nas graças da máfia. Como eu disse na review, amei muito Noah, e espero que ele vingue no programa. O time está assim: Mitchell Lee, Esera Tuaolo, Red Marlow, Keisha Renee, Noah Mac, Ana Catherine DeHart e Adam Cunningham.

#TeamJHud: Apesar de não ser o estilo que eu costumo amar, Jennifer está montando um time com candidatos com boa técnica e que podem evoluir bastante. Como Dam querido disse, esses acts têm uma identidade musical muito bem definida. Eu ainda vejo Chris como o melhor artista desse time, mas estou um pouco ansiosa pra ver Shi’Ann evoluindo. Com a aquisição de Davon, já podemos ter uma noção que a disputa vai ser bastante acirrada nesse time predominantemente R&B. O time está assim: Chris Weaver, Shi’Ann Jones, Lucas Holiday, Maharasyi Hansa, Eric Lyn, Alexandra Joyce e Davon Fleming.

#TeamMiley: Pisa menos, Miley, eu te imploro! Até que enfim a falação de Miley está funcionando hahaha. Para mim, é o time que mais tem nomes interessantes e eu estou bastante ansiosa para ver o trabalho dela. Aqui já consigo destacar Ashland e Moriah, e vejo Brooke com certo potencial para o público, apesar de não ter gostado nadinha da blind. O time está assim: Janice Freeman, Brooke Simpson, Ashland Craft, Moriah Formica, Shilo Gold e Addison Agen.

Então é isso, galera! Chegamos ao fim de mais um programa. O que vocês acharam do programa? Já possuem favoritos? Por enquanto, esses são os meus:

Um abraço e até as batalhas! <3

gostou da matéria? deixe um comentário!

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu