Posts Populares

The Voice US – S13E04 – The Blind Auditions, Part 4

Blake pisado, amamos!

Chegou meu momento de brilhar.
Hello, pipou. Eu me chamo Thaís e depois de muitas seasons como uma mera telespectadora sempre tombada desse programa, cá estou eu, para suprir a ausência do meu mais que amigo, meu friend, Lindomar, que é um cidadão europeu agora. E estou pronta para ver meus favoritos sendo eliminados, os cowboys reinando e torcer loucamente para um novo tombo do Team Blake, porque essa é minha função na Terra. E já começamos com um QUE HINOOOOOOOOOOOOOOO, porque logo na minha review de estreia, Blake passou em branco, mais ignorado que o prato de alface na churrascaria rodízio, amo.

A primeira semana de blinds foi um real tormento já estava chorando por dentro, velando a morte precoce dessa season, mas o episódio de ontem foi muito melhor que os dois primeiros juntos, o que já deu uma leve animada. Fora que encontrei o amor da minha vida nessa season, mas pena que nosso amor é proibido, porque ele é Team Blake. Noah, meu próprio Romeu nessa história de amor. Mas vamos ao que interessa? Para comentar, chamei dois amigos off-panelas, mas que estão sempre ao meu lado durante os tombos do programa: a queen Mari e o espetacular Paulo.

[#TeamAdam] Anthony Alexander: “Redbone” by Childish Gambino

Thaís: Jurava que o menino seria um Mark 2.0, novinho, carinha de baby, pensei logo: “Vish, lá vem o popzinho”, mas não é que ele é bom? Curti bastante a blind dele, voz suave, controlada, falsetes bacanas e com a voz crescendo e ficando grave em momentos específicos, construindo a canção. Tony, pisou viu, lindo, adorei. Mas vamos raspar esse bigodinho ai, porque não tá legal, não.

Mari: Começou com um falsete extremamente irritante e eu já fiquei pronta pra odiar horrores, mas até que o Anthony tem qualidades. A voz de peito dele é bem bonita, ele tem um gingado interessante e escolheu bem a música, saindo um pouco do óbvio. Ainda assim, enxergo ele como aquele cantor pop, sem nenhum grande diferencial e que pode chegar longe sem ninguém entender a razão. Nenhuma surpresa ele estar no time do rei dos falsetes também, né. Quem sabe o Adam faça um trabalho mais Chris Jamison e menos Mark Isaiah dessa vez? Veremos

Paulo: Precisava mesmo de ser tudo no falsete? Você não é o Chris, boy… Nas partes em falsete, ficou sem personalidade, super fraco, uma tentativa de imitação do Timberlake. Nas partes de voz de peito, achei nada demais… Mas, é aquela coisa, ganhou o Adam já de cara, que era o que ele queria. Porém… totalmente esquecível.

[#TeamMiley] Sophia Bollman: “Invincible” by Kelly Clarkson

Thaís: Cantar Kelly Clarkson é uma responsabilidade gigantesca, porque se você não tiver a capacidade, as chances de virar um péssimo karaokê são gigantes. E com a Sophia eu fiquei no meio termo, porque eu não senti muita coisa dela nessa música, ainda mais nessa especificamente, porque carrega um peso na letra. Só quando a música virou e ela deu uma high note, nervosa sim, mas ainda assim bacana, ficou um pouco melhor, mas nada a tire ali do limite do “ok”. A música pesou muito pra ela.

Mari: Olha, cantou Kelly Clarkson os meus olhos brilham na mesma proporção em que eu fico super receosa. Kelly é tão maravilhosa, que acho difícil as pessoas conseguirem chegar perto do nível de interpretação dela. Sophia tem um timbre até bonito, mas essa música definitivamente não deixou que ela explorasse muito disso. Ela teve problema com as notas altas, desafinou bastante, saiu um pouco do tom, mas por sorte virou duas cadeiras. Não acho que no forte team Miley ela vai ter vida longa, mas com músicas certas talvez ela surpreenda. Ps: Ela falando “Blake would be a cool dad” já valeu a audição dela hahaha.

Paulo: Pelo VT fiquei com medo de ser uma Kota, mas quando ela abriu a boca… Bem diferente. Não foi consistente, problemas nas partes agudas, mas tem potencial pra melhorar. Miley fez a Gwen com o “I love your shoes”, mas também fez críticas interessantes, então acho que ela escolheu bem não indo com o dad, digo, Blake.

[#Eliminada] Jessica Rowboat: “Imagine” by John Lennon

Thaís: Eu amo muito, muito, muito, essa música, então fica difícil eu gostar de alguém cantando, então eu nunca sei se a pessoa foi mal ou se eu estou sendo muito crítica em relação a ela. Porém, tivemos pessoas piores virando cadeiras na temporada, né? (é com você mesma que eu tô falando, Shilo.)

Mari: Fiquei com pena de ela não ter virado cadeiras, porque a voz dela é até bonitinha, mas acho que ela escolheu uma música que pedia mais interpretação, mais sentimento e tudo soou linear demais o que me fez concordar com os coahes em não virar. Ainda assim Shilo Gold massacrada.

Paulo: O rostinho me lembrou a Rebecca Loebe. Infelizmente, acho que a escolha da música não favoreceu. A parte grave tava boa, mas quando ela subia, ficava no meio do caminho. Sem contar que a audição foi super curta e não achei essa emoção toda que a JHud viu, não, mas… Também não teria virado.

[#TeamMiley] Karli Webster: “You’re So Vain” by Carly Simon

Thaís: TODA LINDA ESSA KARLI, PARECE UMA BARBIEZINHA. Adorei a voz, o tom bem menininha, até mesmo a vibe meio country (wtf, o que aconteceu comigo?), o timbre dela é uma delicinha de ouvir, daqueles que você escuta por horas e horas, sem enjoar. Amei muito, amei horrores. Só não amei o fato das minhas duas barbies estarem no Team Miley, com 150% de chances de se enfrentarem nas battles. Porém, vamos orar.

Mari: Um anjo desses, sos, eu estou apaixonada. Karli é linda, tem uma voz mágica, escolheu uma canção belíssima e interpretou tão bem que eu fiquei sorrindo a performance toda. Merecia mais do que 2 cadeiras, mas o importante é que virou mais uma voz foda no já foda team Miley. Ps: Sim, eu fico com pena do Adam tão rejeitado pelas mulheres, mas é o preço que se paga por priorizar tanto os machos nas últimas seasons, viu mozão?

Paulo: Que vozinha linda! Ela merecia umas cadeiras a mais, heim? O que foi o grave da mulher e depois as notas altas? Aí quem sabe escolher uma música confortável pra audição. Presença de palco precisa melhorar, mas, os coaches tão aí pra isso, né? Enfim, ótimo nome pra o female team (sim, a Miley não tem nenhum homem até agora).

[#TeamJHud] Stephan Marcellus: “Take Me To Church” by Hozier

Thaís: Ok, eu serei sincera: o moço esqueceu uma parte muito grande da letra e provavelmente JHud virou para dar aquela moral, não deixar ele sair tão mal daquele palco, mas eu não acho justo. Porque aquele ali é o sonho de muita gente, muitas pessoas passam por aquele palco, dão tudo de si e não conseguem. Stephan teve um problema e conseguiu contornar, terminou a apresentação, ok, mas não apaga o enorme problema que ele teve no começo da performance, fora que não foi nada excepcional. Eu não viraria.

Mari: Ai gente eu sofro demais quando algum artista se atrapalha com a música, esquece letra, se confunde por nervosismo. Fiquei assim com Stephan e mesmo não gostando de nada, nem mesmo da voz, achei legal por parte da JHud virar a cadeira e dar uma chance a ele de provar que pode ser melhor em outra situação e com um pouco de mentoria.

Paulo: O comecinho foi meio confuso, ele se perdeu por não ouvir a introdução e as notas agudas não ficaram afinadas, mas aí a JHud já tinha virado, né? Eu não viraria, mas acho que ela viu potencial e algo pra trabalhar nele. Talvez com outra música ele se desse melhor. Sem contar que é impossível não comparar com o vice campeão da S7 (Eu vou pagar caro por esse comentário). [edit Thaís: Paulo, você respeita o Rei Matt McAndrew e, principalmente, você me respeita HAHA]

[#TeamAdam] Emily Luther: “Summertime” by Ella Fitzgerald

Thaís: Emily tem uma voz linda, né? Bem colocada, tudo muito bem executado, como se tivesse ensaiado horas e mais horas para aquele momento sair perfeito. Pena que eu conectei 0 com ela, fiquei aqui linda e bela a observando, tentando criar uma conexão e… nada. Não sei se foi a música, não sei foi o estilo, mas não rolou aquela afinidade imediata, aquele amor à primeira vista que eu tanto gosto que aconteça no programa. Porque, eu não sou do tipo de pessoa que me deixo envolver depois, tem que ser ali, na blind. E aqui não rolou, mas veremos nas battles, porque é #TeamMozão.

Mari: E até quem me vê lendo o jornal, na fila do pão, sabe que eu te encontrei, Emilly Luther. Eu te venero desde o primeiro vídeo seu que eu vi e felizmente você não me decepciona. Que voz linda, que afinação, que música maravilhosamente escolhida, por uma cantora que demonstra uma classe absurda cantando. Pisa menos, Emily, pisa enquanto permitirem e eu espero que isso seja por muito tempo.

Paulo: O QUE FOI ISSOOOOOOO? Dona e proprietária da melhor blind da season! Eu teria virado nas primeiras notas. A mulher sabe o que tá fazendo, minha gente! A forma que encarou a melodia foi genial! Perfeição do início ao fim.

CONSIDERAÇÕES:

O programa de hoje foi melhor dos que tivemos semana passada, mas pior do que tivemos ontem. O times estão sendo preenchidos, uns ficando cada vez mais fortes e outros ainda correndo atrás do prejuízo, com boas adições hoje. Num panorama geral, a temporada parece um pouco melhor do que a passada, levando em consideração o nível dos acts aprovados nas blinds, porque na season 12 tinha cada bomba, que Deus me defenda. Estou aqui na torcida, de pompom, para termos uma boa temporada, com bons acts no top 12, para que, mesmo que nossos favoritos caiam pelo caminho, a gente tenha algo bom para ver e apreciar.

TIMES:

#TeamMiley continua pisando na concorrência, com três nomes que eu posso destacar: Ashland Craft, Addison Agen e mais nova adição Karli Webster. O time completo segue com: Janice FreemanBrooke SimpsonAshland CraftMoriah FormicaShilo GoldAddison Agen, Sophia Bollman e Karli Webster.

#TeamJHud vem logo atrás, quase totalmente R&B, mas isso mostra muito a identidade da coach, né? Aqui destaco: Chris Weaver e, principalmente, Davon Fleming. O time completo conta com: Chris WeaverShi’Ann JonesLucas HolidayMaharasyi HansaEric LynAlexandra JoyceDavon Fleming Stephan Marcellus.

#TeamAdam está num nível abaixo, junto com o Blake, não conseguiram nenhum act que me tivesse aquele brilho especial de winner, se pensar por esse lado, destaco a mais nova adição do time: Emily Luther, que talvez possa ir longe. O Mozão Team conta no momento com: Dave CrosbyBrandon ShowellDylan Gerard, Adam PearceHannah Mrozak, Anthony Alexander e Emily Luther.

#TeamBlake: é a mesma coisa de sempre, basicamente, aquele grupo de cantores countries, que vão brigar pra ver quem vai ganhar o programa, então vou destacar um ponto fora da curva, meu mozão Noah Mac, que parece completamente perdido nesse time. O Team Cowboys permanece da mesma forma de ontem: Mitchell LeeEsera TuaoloRed MarlowKeisha ReneeNoah MacAna Catherine DeHart e Adam Cunningham.

É isso, terminamos por aqui mais uma review, semana vem estaremos aqui nesse mesmo horário para acompanhar os dois últimos dias de audições. Daqui a pouco as battles começam e tudo pode mudar.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Thais Pereira

Feminista, leonina com ascendente em gêmeos e lua em virgem, viciada em memes, em Friends e problematizar na internet. Formada em História da Arte, mas consciente que nunca vai trabalhar com isso na vida. Normalmente eu escrevo e falo mais do que deveria. Eu mesma, Thais Mello.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu