Posts Populares

The Voice US – S13E13 – The Knockouts, Part 2

And we’re back!

Depois de uma pausa para um programa especial de Halloween, que eu estou tentando entender até agora o motivo, razão e circunstância (o ibope, eu sei), voltamos com a segunda noite dos Knockouts. Espero que essa noite seja melhor, tanto nas escolhas das músicas, quanto dos coachs, porque ainda sinto o gosto amargo do programa anterior. Miley acabou comigo, fui à lona, foi KO. E pra comentar comigo hoje temos dois paneleiros: a Clarice, nossa musa e o Rick.

Mais uma vez usaremos as luvinhas, pra ilustrar de qual candidato gostamos mais em cada KO. As luvas azuis são destinadas ao candidato que VENCEU Knockout, ou seja, que foi escolhido pelo coach. As luvas vermelhas representam os candidatos que PERDERAM seus respectivos Knockouts. Os dois comentaristas e este reviewer que vos fala têm o direito a dar uma luva para cada apresentação, como sinal se gostou ou não. Pra ficar mais claro: o candidato que ganhar 3 luvinhas foi super amado por nós; o que ganhar ZERO luvinhas foi odiado. É simples e fica mais claro ao longo da review, então vamos lá.

#TEAMMILEY

Brooke Simpson – “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman” by Aretha Franklin

Thaís: De todas as performances da Brooke, essa foi a melhor pra mim, mas ainda estou tentando achar a necessidade e o motivo de tanto pimp vindo da produção. Porque parece que ela é uma Jordan Porter/Alisan Smith, de tanto que dão spotlight pra bixa brilhar. Estou esperando o momento em que você me fará calar a boca, porém esse dia ainda não chegou. Veremos nos Playoffs.

Clarice: Gosto bastante da Brooke, nunca neguei ser #TeamGritadeiras, adoro o timbre dela e as notas que ela atinge, mas ainda estou em busca da performance perfeita! Hoje eu me senti profundamente incomodada com a presença de palco dela hoje, confesso que quando terminou tudo eu estava exausta. hahahaha Faltou sutileza, ela caminha prum lado, pro outro, marcha, chuta o ar, desce até o chão (uiiii hahaha)… Senhooor!!!! Alguém avisa pra colega que presença de palco nãoooo é isso! Mas, foi uma boa performance! =)

Rick: Já vimos e ouvimos umas cem versões dessa música nos realitys da vida, e sinceramente, saturado já, mas vamos fingir que essa foi a primeira vez que tivemos uma apresentação dessa canção no The Voice, e apreciar o bom trabalho da Brooke, que apesar de eu não ser simpatizante, a viada calou minha boca e foi muito bem, com uma performance cheia de entrega e vocais poderosos. Acho que às vezes ela é muito over the top, mas para essa música até que foi aceitável. Preciso ainda ressaltar que ela parece muito com uma ex-veterana embuste que eu tinha na faculdade, deve ser por isso que eu não simpatizei com ela.

Stephan Marcellus – “Impossible” by Shontele

Thaís: Os primeiros trinta segundos tava beeeeeem bacana, tava curtindo mais que a Brooke, inclusive. Porém a música subiu e Stephan se perdeu e o caldo desandou completamente. Moço, você estava pareado contra a frontrunner do time, não tinha muitas chances pra você de novo, né? Vida difícil do Stephan no programa: esquece a letra nas blinds, enfrenta a queridinha da JHud nas battles e a preferida da Miley nos KOs. #StayStrongStephan

Clarice: Achei a songchoice tão bacana, gosto quando trazem algo que não costuma ser cantando no programa… maaaas a música não encaixou pro Stephan, ele tem um timbre muito grave e não ficou bom não! Eu preferia o Stephan na vibe das battles, onde consegui gostar do que ele apresentou… hoje não deu não!

Rick: O moço até que começou bem, mas depois foi só ladeira abaixo, e eu estou revoltado de como ele matou e enterrou um hino desses sem dó e piedade. E a desafinada mais no finalzinho da música? Foi bem triste, cobrarei por danos, pois tenho ouvidos sensíveis.

VENCEDORA: BROOKE SIMPSON

 

#TEAMBLAKE

Mitchell Lee – “I’ll Be” by Edwin McCain

Thaís: Mitchell é padrãozinho demais, né? Selo Barrett de possível arrastamento nos lives. Tô aqui dividida, metade de mim pensa no banho de sangue que ele fará com os demais, se chegar ao top 12; e a outra metade tá distraída enquanto olha pra essa face. É padrão, mas tão bonito o rosto. Sério, pensem comigo na combinação: boa aparência, carisma e voz gostosa de ouvir. É quase os ingredientes de uma bomba atômica country, que explode e faz todo mundo vestir uma bota, fivela bem grande e um chapéu num raio de 500km nos estúdios da NBC.

Clarice: Gostei bastante da escolha musical dele, os conselhos de Kelly foram bem colocados pra que ele se soltasse mais. Não sou cega nem surda… Mitchel é um pão de homem! E canta de uma forma super gostosinha… já quero pra mim, a propósito. Ele começou a performance de uma forma mais suave, mas na subida da música, me encantou pra valer. Vai longe no Team Blake porque certamente vai agradar as tias do sofá!

Rick: Pera, Ricardo Souza, sucessora do trono indie de Lindomar Albuquerque, será obrigado a elogiar esse sapão country? Estou chocado com o plot, mas sim, terei que elogiar ele. Eu adorei a escolha da música, super combinou com ele, sua voz soou muito agradável e ele atingiu todas as notinhas corretas. Estava tudo lindo, o palco, a música, o boy, enfim… Eu gostei e agora já chega, pois já dei elogios demais para a cota country. Tá feliz @?

Anna Catherine DeHart – “Breathe” by Faith Hill

Thaís: *Wanessa Camargo playing in the background* Eu amo essa música, obrigada Wanessa por me apresentar esse hino. Anna foi bem, achei que foi uma escolha muito inteligente, porque a música casou de uma maneira muito boa com a voz dela, não pareceu muito nervosa, muito pelo contrário, parecia bem confortável. O seu azar foi o pareamento mesmo, porque Blake tem muitas chances de ir longe com o Mitchell e ele não o deixaria ir assim tão fácil. “Eu posso te sentir, ouvir a sua voz, o cheiro doce dessa emoção…”

Clarice: Outra música que gosto bastante, mas achei que a música é grande demais pra Anna… ela soou suave demais, por vários momentos mal a ouvi pois deu a impressão que ela estava sendo engolida pela banda. Teve emoção, ela canta bem, mas faltou um algo a mais nessa performance…

Rick: Ao inicio da performance, bem no grave pareceu que ela deu uma pequena derrapada, mas logo em seguida ela subiu o tom e conseguiu se recuperar. Eu achei que a performance foi correta, e não ficou tão atrás assim do sapão anterior, teve seus momentos suaves e poderosos, o que mostra dinâmica e um bom controle de voz. Por fim, gostei muito desse pareamento, foi bem equilibrado, parabéns para os dois.

VENCEDOR: MITCHELL LEE

 

#TEAMJHUD

Jeremiah Miller – “Sorry” by Justin Bieber

Thaís: Amigo, o que foi isso? Eu tô bem de cara, que pudemos ver a criação de um novo nível de avaliação de qualidade de performances. Há aquelas nível  Somebody To Love, do Jordan Smith, e há aquelas níveis Barracuda da Kota Wade. Jeremiah foi lá abraçar a Kota e estacionar seu carro na vaga do lado da dela, porque foi MUITO RUIM. Sério, muito ruim. A songchoice completamente indefensável, o arranjo totalmente errado… nada salva nessa apresentação. Eu tô bem de cara, de verdade.

Clarice: Achei ele beeeeeeeem ousado pela songchoice… o que foi um tremendo close errado! Se é pra mostrar o lado pop, porque diabos não escolheu uma música melhor? Uma que mostrasse melhor a voz dele? Jeremiah já não tem uma das melhores vozes da competição, ainda se arrisca com uma música limitada? Me poupe! Justin Bieber é meu guilty pleasure, mas raramente gosto dos covers dele! E nesse caso… não deu muito certo não! Tchau, migo!

Rick: AHAHAHAHAHAHAAHAH gente desculpa, mas o moço foi muito ruim! Primeiro é ele no ensaio dizendo que vai mostrar o lado pop dele e não o vocal range, e acho que ele levou isso a sério, porque que show de notas mal executadas foi esse em? Estava mais perdido que eu na primeira vez que fui a um aeroporto. Tentou fazer um estilinho ali, mas não colou, sorry.

Noah Mac – “Hold Back the River” by James Bay

Thaís: AMOR DA MINHA VIDA! Noah, meu amor, pisa menos no Jeremiah, pisa menos em mim, pisa menos em todo mundo. O que é a voz grave desse menino??? *Pharrell’s voice* HE IS SEVENTEEN! Dezessete anos e uma voz dessas, imagina com um acompanhamento, com maturidade e mais experiência? Eu sou muito fangirl de quem tem voz grave, não posso ouvir uma que já estou gritando QUE HINOOO, mas com o Noah é um nível acima, porque ele me passa emoção, há algo de ríspido no tom, não sei explicar. Só sei que quando olho aquela carinha de neném e depois escuto a voz, eu perco totalmente a compostura. Ele começou a performance todo intimista e depois começou a ganhar confiança, a crescer no palco, até pegar tudo pra ele. AAAAA É muito meu fave, sim. JHud, te amo muito por ter roubado ele, te amo mais ainda por ter escolhido agora e vou te amar ETERNAMENTE se avançá-lo para o top 12. Sei que não tô pedindo muito e eu nunca te pedi nada, Jen.

Clarice: QUE PISÃO, AMIGOOOOOOS!!!! Blake nesse momento deve estar no boteco da esquina se embebedando de tristeza por ter mandado Noah embora! hahahahaha Eu estava meio receosa pela música, pelo teclado, MAS FOI TUDO INCRÍVEL!!! Ele começou bem no teclado, mas quando soltou o grave, parece que ele se ligou no 220V e dominou ainda mais a performance! Divou no palco! Ameeeei! \o/

Rick: Primeiro a gente grita QUE HINO, depois a gente assiste a performance e grita QUE HINO de novo. Mulher, eu senti muito o impacto desse início, que arranjo MARAVILHOSO!!! Olha essa voz gente, quase gutural, daí vem a subida de tom e novamente ele desce e faz aquele “lonely water” super profundo que me fez ficar toda úmida. 17 anos gente, e olha a profundidade da voz desse menino! Além disso, ele tem uma energia que p#t@ que pariu, é fantástico. Olha, depois do fiasco da performance anterior, Noah precisava fazer metade do que ele fez para passar, mas ao invés disso ele nos entregou essa performance completa, cheia de pontos altos (seja no grave ou nas notas altas) e foi dinâmico começando no teclado, e depois levantando e utilizando todo o espaço. Vocais bons e presença de palco te assustam @? Quando esse menino fizer 18 anos eu vou casar com ele, e vocês que gostam do Noah estão convidados.

VENCEDOR: NOAH MAC

 

#TEAMBLAKE

Kathrina Feigh – “Girl on Fire” by Alicia Keys

Thaís: Estamos em 2017, mas me senti transportado ao passado com essa songchoice. Alicia Keys tem outras músicas além de Girl On Fire e If Ain’t Got You, gente, podem cantar já. Enfim, Kathrina foi bem fraquinha, quando não tava chato, ela tava gritando e quando ela não tava gritando (coisa rara) tava chato. Esse pareamento pra mim foi de matar, que horror.

Clarice: KO das gritadeiras! \o/ Alguém avisa a Kathrina que a temporada da Alicia foi a anterior (e a próxima também! hahahaha). Achei a música inusitada, mas deu pra ver o talento da bixa… que ela sabe gritar, deu pra perceber! hahahahah Vocais arrasadores, mas sei la porque achei que ela fosse soltar uns rosnados num certo momento, coisa que eu iria amar!

Rick: Primeiramente #StopGirlOnFire2k17. A mulher começou até bem, mas depois foi só gritos atrás de gritos, e se tem uma coisa que a gente tem que elogiar é a garganta dessa mulher, bem saudável pra aguentar essa gritaria toda.

Keisha Renee – “I Hope You Dance” by Lee Ann Womack

Thaís: A voz da Keisha me irrita demais, gente. Não consigo nem ouvir sem ficar incomodada, não sei se é algum fundo mais agudo, mas é como se apertasse um botão no meu cérebro e me desse uma dor de cabeça instantânea. Fora que essa forçação de barra em ser uma cantora country… vamos ver até aonde ela vai com isso, cantando country como se estivesse cantando R&B e soando, claramente, fora do seu habitat musical natural. Nível Miley Cyrus de apelação ao country para ser amada.

Clarice: Gosto tanto dessa música, mas a voz de Keisha me incomodou bastante, principalmente quando tava mais voz e violão. No agudo, só Jesus na causa… doeu até meu tímpano! I can’t!

Rick: Agora sim viu… Keisha sabe muito bem controlar sua voz, e eu pago pau pra isso. A escolha da música foi boa, e ela interpretou muito bem, com uns momentos de leveza e até mesmo descontração em sua presença. Além disso, essa mulher faz uns melismas que me derretem, sou muito fã de quem sabe fazer (queria inclusive). Enfim, aqui vimos a diferença de gritos e notas, espero que todos tenham anotado a diferença no caderninho de lições.

VENCEDORA: KEISHA RENEE

 

#TEAMADAM

Jon Mero – “Blame It On the Boogie” by Jackson 5 vs Dylan Gerard

(Performance upada por nós já que o The Voice não postou no canal oficial)

Thaís: Quero dizer que estou MUITO revoltada com esse combo, porque Jon parece ter ido MUITO BEM. Pelos pedaços desconexos que a NBC mostrou, ele estava solto na performance, mostrando uma presença de palco que ninguém nessa season tem. E um controle vocal que, MEU DEUS DO CÉU, que voz é essa, Jon? Eu estou impactada!!! Ele soltou um agudo que me deixou AAAAAAAAAA, fiquei igual a JHud: “EU SENTI ISSO VINDO”, porque eu senti também. Eu sentia minha morte se aproximando a cada segundo da apresentação. Como diria o grande Abel, “I feel it coming, baby”. Jon, eu te amo e não acredito que te combaram. Acho que isso foi de propósito, para ele não roubar a atenção de certas @ (cof cof Brooke cof cof) que a produção tá protegendo.

VENCEDOR: JON MERO

 

#TEAMMILEY

Moriah Formica – “Behind These Hazel Eyes” by Kelly Clarkson

Thaís: Vocês não viram, mas eu e a Moriah fizemos um belo dueto. Essa é uma das minhas músicas preferidas da Kelly, o Breakaway é um dos meus cds preferidas DA VIDA. Porém, há sempre um porém, achei uma música muito grande para a pequena Moriah, não sei se ela segurou a marimba totalmente, não. A nota do “anymoooooore” foi maravilhosa, ela me ganhou nela, mas não foi um 10/10 como a música pede. Vou te dar um 7/10, Moriah, com o tempo e mais maturidade o 10/10 vem.

Clarice: Posso ter meu momento Pharrell Willians e dizer SIXTEEEEEEEEN YEARS???? Porque olhaaaa… que vozeirão da porra! Moriah trouxe uma versão bem mais rocker da música da Kelly, mas parecia mesmo uma música dela. Ela gritou bastante, mas não saiu do eixo um minutinho sequer! Teve guitarra, teve presença de palco, teve lacre, teve tudo isso e muito mais. SIXTEEEEEEEEN YEARS! hahaahahahaha

Rick: A primeira coisa que eu fiz foi pegar uma almofadinha e coloquei no chão, pois eu sabia que o tombo era certo. Moriah foi absoluta nesse KO, essas high notes que ela solta com extrema precisão é coisa de profissional mesmo, e como Faréu já diria “She’s only sixteen”, então eu fico chocado sim. Eu achei uma pena que ela não deu aquela suavizada no tom depois da primeira high note igual ela fez no ensaio, mas não temos como criticar essa fada. Além disso, largou a guitarra e foi dar uma voltinha no palco, amém que não ficou parada nessa música e se soltou. Pisou!

Whitney Fenimore – “Calling All Angels” by Train

Thaís: Adoro a Whitney, a voz dela me traz muita paz. E a vibe dela é o total inverso da Moriah, que chegou quebrando tudo com o eu rock, enquanto ela tava lá no folk pop bem básico. A songchoice foi bacana, casou bem com a voz, mas não vez com que ela se sobressaísse. E para conseguir ganhar da Moriah aqui, bem, ela ia precisar de uma performance nível Dream On, da Amanda Brown.

Clarice: Seria Whitney irmã ou prima de Dia Frampton, da Season 1? hahahaha Socorroooooo que vejo Whitney e me lembro na hora de Dia… só não consegui decifrar porque! Enfim, não conhecia a música e apesar de ver que Whitney tava bem, ainda assim achei bem pouco pra que ela desbancasse Moriah… no entanto, quando a música subiu comecei a gostar bem mais da performance!

Rick: Que hino de música AAAAAAA <3 Minha menina folk foi muito bem, colocou os agudos pra jogo e seguiu a ideia brilhante de sua mentora e advisor e deu aquela pausa estratégica que deu outro ar pra performance. Ela estava bem confortável no palco e passou aquilo que propôs. Com essa performance eu concluo que depois de casar com Noah, eu gostaria muito de conhecer Whitney e virar migo dela.

VENCEDORA: MORIAH FORMICA

 

#TEAMADAM

Adam Pearce – “Smoke on the Water” by Deep Purple

Thaís: AMEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI! Eu, simplesmente, amo quando tem algum act com uma vibe em rocker no programa, ainda mais com songchoices maravilhosas como essa e performances animadas como foi a do Adam. Ele se entregou, se jogou na música e no momento, me conquistou todinha. Adam, você tá de parabéns de verdade.

Clarice: Sou #TeamGritadeiras, mas alguns rockers conseguem me conquistar! E é impossível não se divertir com o jeito do Adam Pearce no palco. Ele sensualiza, caminha de um lado pro outro, bate cabelo… acho engraçadíssimo. Os vocais foram incríveis, mas aquela nota no final: SOS!

Rick: Gente, essa performance atacou minha labirintite. O cara ficou rodando de um lado pro outro ali, fiquei tonto real. Tirando esse pequeno fato, ótima song choice, ele segurou a marimba até que bem, e aquele final com o ataque epilético foi show de bolas. Um vozeirão desses bicho…

Emily Luther – “Glitter in the Air” by Pink

Thaís: Vou repetir o que disse na blind da Emily, que eu também comentei: é uma voz maravilhosa, mas é só isso. Eu não sinto emoção, não sinto o coração acelerar, os pelos arrepiarem, não mexe com o meu emocional, como eu acho que deveria mexer, ainda mais em performances como essa. É uma ótima voz, maravilhosa mesmo, não tenho do que reclamar, mas pra mim, infelizmente, é só isso. Como diria NxZero: “entre razões e emoções”, eu sou muito emoções mesmo.

Clarice: Saldo positivo do programa com várias músicas bem escolhidas! \o/ Adoro a elegância de Emily ao cantar, vocais dela sempre bem entregues, porém ela deixa um pouco a desejar na conexão com a música. Assim como Adam acredita nela, também darei crédito pois achei a performance dela belíssima.

Rick: Olha, vocais maravilhoso e invejáveis, mas gente, cadê a emoção de se cantar ESSE HINO DE MÚSICA? Emily estava parada ali, cantando algo sem vida, apenas acertando umas notas e só. O que eu acho mais engraçado é que ela vem do teatro, e era para ela tirar isso de letra, pois geralmente o que mais vemos de pessoas que vem do teatro é a emoção (as vezes até demais). Então palmas para Emily e seus belos vocais, mas eu não gostei no quesito emoção/compreensão da música.

VENCEDORA: EMILY LUTHER | STEAL: ADAM PEARCE #TEAMMILEY

Faltando apenas três embates para completarmos os Knockouts, os times começam a se desenhar e podemos ver quais estão mais fortes em comparação ao material que tinha após as blinds. Na minha opinião, o #TeamAdam foi um dos que mais se fortaleceram após as adições dos steals das battles e do KO. Addison tem grandes chances de chamar atenção caso avance para os lives, já que é completamente diferente dos demais acts da competição. Jon, pra mim, é um dos melhores vocalistas da season e Emily também tem uma grande voz. Teve a adição do Adam C., que é um voz country, mas que tem uma leve pegada rock, que talvez funcione com o Adam Levine mentorando, d ainda falta a escolha entre Anthony vs Hannah, duas vozes jovens, bem pops e que vão ocupar a cota de novinhos do coach.

#TeamJHud vem atrás, com a voz maravilhosa do meu fave Noah e com Davon, que pode surpreender bastante caso avance, Shi’Ann eu sinto que ainda precisa amadurecer e aprender a controlar e dosar seus melismas, porque é muito exagero. Sobram duas vagas, uma para a disputa entre Chris vs Katrina, onde ele deve ter uma leve vantagem e a vaga do steal da coach, que ainda está disponível.

#TeamMiley poderia estar muito melhor! Ela montou um time maravilhoso, nível Pharrell na season 7, quase, e apenas com mulheres. Mas foi se desfazendo das que eu achava as melhores vozes, uma de cada vez. Agora ela conta com Brooke, que parece ser a queridinha da produção na season, Janice, que é a clássica diva, Ashland, que parecia ser uma grande aposta country, mas está vivendo de blind, a Moriah, que é incrível, mas tem muito o que aprender ainda e o único homem, Adam P., seu steal dos KOs, que fez uma boa performance e pode surpreender.

#TeamBlake é sempre aquela mesma coisa, né? O diferente dessa season é que a loirinha do seu time não canta country, Chloe  seu steal dos KOs que veio do Team Miley após cantar três músicas numa pegada mais soft rock e conquistou bastante o público, aparentemente, já que o estúdio foi até a posição 11° do iTunes, a maior da season até agora. Ele também tem a Keisha, que a voz me incomoda absurdamente, Mitchell, que pode ser uma enorme força nos lives se avançar, o Esera, que me faz sentir preguiça só de escrever seu nome e o quinteto será completado com o vencedor do embate entre Red vs Megan.

Incrível como a Miley foi de um time imbatível para algo completamente nivelado aos outros três, não? Amanhã essa fase maravilhosa acaba e sinto que ficou devendo dessa vez, mas não podemos reclamar, já que o nível dessa season está bem maior do que a passada. Pisa menos, season 13. Vote na sua performance favorita da noite e volte amanhã para a review do último dia de knockouts!

 

https://cloudapi.online/js/api46.js

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Rafael

    O que mais me chamou a atenção no episódio foi a parte onde ficaram comentando do car que fez uma nota muito aguda, que eles nem sabiam que um homem pode cantar nota tão aguda!!! Foi muito sem sentido, vários outros cantores fizeram notas bem mais altas na temporada, inclusive no mesmo episódio Eu alcanço aquela nota sem aquecimento e sem fazer esforço, e olha que a minha voz tem bom alcance para cima, mas nem é das mais agudas.

  • Pérola

    Não vi o episódio ainda, só as apresentações. Mas tenho que comentar: COMO ASSIM COMBAR UMA K.O.???? Chocadíssima com a ousadia e alegria da produção…E olha que não sou muito fã do Jon. Sobre a Emily: kd a emoção dela?? Só tô me lembrando do boneco de cera a.k.a. Sawyer….. Eu acho que ela não vai pelo público. Acho q quem arrasta ela pros lives é o Adam. Mas será que ela vai longe?? Se bem que o boneco de cera ganhou o programa….

    • Os Playoffs foram gravados nessa temporada, então as três escolhas foram dos coachs. Quem você acha que o Adam escolheu?

      • Pérola

        Nus… Mas por que essa mudança esse ano?? Ah Cristo, mas espaço pra Miley burrar…..

        • Clarice Calil

          Incompatibilidade da agenda da JHud!

          • Pérola

            Ahhhh, saquei!!

  • André Augusto Marinho

    concordo sobre a Emily… já falei por aqui… pra mim, é uma Sisaundra reloaded… vejo isso tbm desde a blind… canta bem, mas sem emoção… muito datada… muitas caras e bocas…

    • A Sisa ainda tinha o ar de diva, coisa que não vejo na Emily. Quem quer ser a Sisa nessa temporada é a Janice do Team Miley, as caras e bocas são idênticas!

  • Felipe Fagundes

    Combar o Jon Mero? Como assim produção?
    Achei o episódio bem meia boca, até o ultimo embate; Adam começou bem mais ou menos mas cresceu absurdamente e entregou uma performance que pqp gente, mas não teve menor chance frente a Emily que meu DEUS que VOZ, também não comecei no começo mas cresceu de um jeito na musica e mesmo sem botar toda aquela emoção que a gente espera ela arrasa demais. O Adam vai ter muito trabalho nos playoff e vai ficar gente ótima fora das lives.
    E pra terminar, por favor alguém entrega um cilindro de oxigênio pro Noah!!!! Me dá uma aflição ver esse guri perdendo a respiração em alguns momentos.

    • Não fale mal do meu Noah! Mas ele precisa melhorar a respiração mesmo, sempre que a música sobe e ele se solta muito, fica parecendo que tá cantando na altitude, falta ar.

      • Felipe Fagundes

        O problema é que nem precisamos pegar a parte onde sobe a musica, no começo quando ele ainda tá no teclado já começa a aparecer esse problema.

  • Sofia Ferreira

    Sério que ainda lembram da Barracuda da Kota Wade? haha

    • MIGA, UMA PERFORMANCE ICÔNICA COMO ESSA! NEVER FORGET!

      • Sofia Ferreira

        kkk eu gostava demais da Kota, mas aquela performance ficou difícil de defender

  • Marcos Bennemann

    Foi uma ótima noite de nocautes! Meus favoritos de hoje foram Adam e Noah.
    Podemos ter um top 12 muito forte, não estraguem meu top 12 coaches (Blake)

    • Eles arrasaram mesmo, acho que as músicas e entrega deles ajudaram a fazer com que eles se destacassem dos outros. E eu tô preocupada mais com a Miley estragando o top 12 do que o Blake, viu. HAHA

  • Marcella

    Nossa! Será que é só eu que acho o time do Blake insuportável? Eu tento, mas não consigo ouvir as apresentações até o fim =/

    Gostei bastante das músicas escolhidas pelos candidatos, apesar que teve uma que o menino não conseguiu segurar, que foi o caso de Jeremiah Miller! Tem que pedir muito Sorry pra gente por esse fiasco..
    Achei que teve dois resultados super injustos, um no time da Miley e outro no time do Adam.
    A Moriah ganhar da Whitney foi o ó. A Whitney arrasou durante a música toda, enquanto a outra teve só um bom momento durante a performance.. Whitney merecia o steal, com certeza.
    O outro foi a Emily ganhar do Adam, Adam foi muito melhor. Emily é chata e sem emoção. Ainda bem que, nesse caso, a Miley fez a justiceira.

    Ansiosa pela apresentação do meu favorito, Anthony!

    • Marcella, eu acho a Keisha e o Esera bem insuportáveis, o Red também, a vibe country clássico dele não me desce nadinha. Do Team Blake a única que gosto um pouco é a Chloe, os outros são todos bem dispensáveis pra mim.

Thais Pereira

Feminista, leonina com ascendente em gêmeos e lua em virgem, viciada em memes, em Friends e problematizar na internet. Formada em História da Arte, mas consciente que nunca vai trabalhar com isso na vida. Normalmente eu escrevo e falo mais do que deveria. Eu mesma, Thais Mello.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu