Posts Populares

The Voice US – S13E15 – Playoffs, Part 1

Metade do Top12 está formado. \o/ 

E esse hino de fase do meu reality musical tão amado começou hoje, minha gente. Confesso que abri um stream muitíssimo empolgada, afinal, estou amando real essa season <3, empolgadíssima com a qualidade de muitos artistas e esperando, enfim, grandes apresentações nas próximas fases ao vivo. Eu digo próximas, pois, assim como na sexta temporada, os playoffs foram gravados e os quatro coaches escolheram seus três artistas para os live shows.  Portanto, até aqui, não tivemos a interferência do público e o top12 já está formado há um tempinho.

Muitos criticaram esse tipo formato, mas particularmente eu não odeio a ideia. Motivo? Vez ou outra, o gosto popular nas votações do playoffs me tomba de alguma forma e eu acho que os técnicos tem condições melhores de escolher e, de certa forma, mais justa. Ok, provavelmente você deu uma risada lendo isso e lembrou de alguma raiva que passou um tempo atrás com a escolha errada de um coach e eu também já fui tombada assim. Mas é que as escolhas do público, principalmente na season 10, me traumatizaram demais e tudo que eu espero nessa temporada é ver uma escolha para olhar e pensar:

Mas será que essa minha teoria está certa e eu realmente tive/terei um top12 justo?  Veremos! hahaha. Mas pra falar dessa primeira noite e comentar um pouco sobre as performances, tenho dois paneleiros MARAVILHOSOS, sim, os rainhos Rick e Dam. Nessa fase, vamos usar os famosos selos de uma galeria que está mais atualizada do que nunca e prontinha para ser usada – para o bem e para o mal – após nossos comentários sobre as apresentações. Então, bora começar?

Primeiramente, Team Jhud se apresentou nessa ordem aqui, ó:

#TEAMJHUD

Davon Fleming – “I Am Changing” by Jennifer Hudson

Tati: Se a própria dona da música viu que Davon teria capacidade de dar conta do recado e cantar essa música, quem sou eu pra discordar, não é mesmo? E, caramba, que pisão desse menino. É um prazer pra mim vê-lo cantar e eu sinto realmente que ele é um dos artistas mais preparados da competição. A música se encaixou perfeitamente na voz dele e desde o início, quando ele quis utilizar notas mais suaves e agudas, eu já percebi que viria uma ótima performance por aí. Parece que tudo foi tão bem dosado, pois Davon ia subindo o tom ao decorrer da música, mas sem exageros, e a performance foi me envolvendo mais. Enfim, uma performance digna para a grandeza dessa criatura adorável e que me faz acreditar que vem mais por aí, pois ele tem MUITO talento.

Rick: EU AMO ESSA MÚSICA AAAAAAAA. Davon vai com calma amigo, que tu já começa o programa pisando e eu nem estava preparado para isso. Uma voz é uma voz né manas, o cara foi do falsete, para as high notes e para a voz de peito com extrema dinâmica e perfeição. Além disso, ele está cantando uma música de ninguém mais ninguém menos que sua coach. Então se ele foi bem? ELE PISOU!!! Felizmente a performance de musical dessa season foi um lacre, diferente de outras duas aí de certas seasons passadas.

Dam: Eu não sei o que dizer dessa performance, só sei sentir e eu de fato senti cada palavra cantada por Davon com lágrimas nos olhos. A construção toda do início ao fim da música foi muito bem feita. Você percebe que Davon queria passar uma certa fragilidade e insegurança no início da música conseguiu, pois foi isso que senti. No decorrer da performance Davon só cresce e cresce até solta o seu grito de liberdade e dizer com toda a propriedade que ele está mudando. Olha… acho que vai ser difícil alguém bater esse rapaz aqui viu?

Hannah Mrozak – “Learn to Let Go” by Kesha

Tati: Depois de um k.o digno eu esperava muito de Hannah. Como já havia dito, ela tem uma voz comum, mas nem por isso acho que ela não seja especial, pois sempre senti muita entrega da parte dela. Eu gosto muito de seu jeito mais emotivo e achei que ela realmente tentou se entregar emocionalmente à canção. Se isso foi um ponto positivo na performance, o ponto negativo fica para a parte técnica. Não sei se foi o nervosismo, mas faltou fôlego em alguns momentos e a voz me soou estridente em boa parte da performance. Se não fosse a entrega à canção, eu teria odiado, mas sua parte mais emotiva me fez gostar mais.

Rick: O inicio foi ótimo, e ela conseguiu ir muito bem até a metade da música, mas depois ficou meio bagunçado, parecendo que ela perdeu o tempo da canção. Ainda assim foi uma ótima performance, ela é muito boa, melhor que várias @’s por aí, sem contar que sua voz é bem poderosa e ela como vimos em seu KO, pode surpreender.

Dam: Olha, eu lembro que Hannah foi uma de minhas prediletas nas Battles e sua entrega é o seu ponto forte, só que eu não sei se isso é o síndrome das coaches gritadeiras que acham que grito fica bom em qualquer lugar. Posso estar enganado, mas o tempo todo eu senti como se Hannah estivesse gritando em meu ouvido e isso me incomodou muito. Tirando a perfeição de sua transição para os falsetes, achei a performance exagerada e um pouco estridente.

Lucas Holliday – “The Beautiful Ones” by Prince

Tati: Primeiro: única e exclusivamente pela batalha maravilhosa, eu fiquei feliz com a volta de Lucas e torci muito para ele refazer uma atuação à altura da sua batalha. Mas não foi dessa vez, viu? Mais uma vez! O começo da performance estava bom, mas depois tudo ficou um pouco confuso, inclusive, vocalmente falando. E o esse final, minha gente? Achei um pouco assustador. Eu sei que tem gente que gosta e defende os falsetes de Lucas, mas particularmente prefiro quando ele aposta mais nos graves e achei o uso deles nessa performance um pouco exagerados e ruim, principalmente na parte final da música.

Rick: Socorro gente, o que foi isso? Lucas meu filho, essa não era a hora de você descontar suas frustrações na música e cantar desse jeito. Só faltou ele pegar uma guitarra ali e tacar fogo nela. Foi exagerado, estranho e feio, e tudo que eu pensava era ‘volta Lucas das battles’.

Dam: Gente, alguém me explica o que foi isso? Não, pera que eu preciso ver novamente se isso é the voice mesmo. Que bomba caseira feita com bosta foi isso meu povo? Eu to me sentindo totalmente violado, machucado, isso é um atentado a população, deveria ter um aviso nesse vídeo alertando as pessoas do risco que elas irão correr vendo esse cu de hipopótamo cagando. Eu tou revoltado sim!! Mulher, isso aqui é the voice, um programa serio, ta pensando que você ta no karaokê da dona Joana para chegar lá com o cu cheio de cachaça e começar a fazer merda achando que vai todo mundo aplaudir? Pois não mesmo meu filho e eu gongo sem pena porque isso foi uma aberração.

Shi’Ann Jones – “Tattooed Heart” by Ariana Grande

Tati: Já disse aqui que essa menina precisa amadurecer bastante e acredito que Jhud possa ajudar nisso. Nessa apresentação senti uma evolução notória em Shi’Ann, que continuou abusando um pouco dos melismas, mas estava muito mais contida, segura e conectada com a música enquanto cantava, bem diferente de outras apresentações, que tudo que me pareceu uma tentativa de exibir o que ela pode fazer com a voz. Foi tudo perfeito? Não, mas uma apresentação agradável, que mostrou evolução. Eu gosto do timbre dela e acredito que, mesmo nova, ela já tenha aprendido muitas técnicas vocais, porém, ela PRECISA saber controla-las e não querer exibir tudo, de uma vez só, em todas as apresentações.

Rick: Um hino de música, mas pra que fazer isso com ela moça? Achei bem desafinada em algumas partes, e ela não tem a sutileza para cantar essa canção (a mulher deu a louca ali nas notas que fiquei amedrontada). Enfim, gostei não.

Dam: Gente, por mais que não pareça, essa song é uma armadilha, na verdade Ariana grande é uma armadilha e por ser muito fã dela, irei listar alguns motivos dessa performance ter sido muito abaixo das expectativas. Primeiro: Ari tem um tom muito mais limpo, você consegue ouvir e sentir as notas fluindo com muito mais leveza, o que é totalmente o oposto da Shi’ann, ela tem uma voz mais suja, pesada e as notas saem mais carregadas e isso fez com que a música parecesse desproporcional a sua voz.
Segundo: Ariana é muito dona dos melismas sim, e ela brinca muito com eles nessa música e faz com muita segurança e precisão. Shi’ann não conseguir controlar os seus melismas e por muitas vezes eu a senti afoita para conseguir encaixar tudo na música e isso acabou culminando naquela desafinacao bizarra no meio para o final da performance. Resumindo; Ariana foi uma armadilha e Shi’ann caiu e se estrepou.

Chris Weaver – “California Soul” by Marlena Shaw

Tati: Até então, estava gostando de todas as song choices feitas pela Jhud, mas achei essa muito errada para Chris. Ele tem uma voz ótima, todos nós sabemos, mas dependendo da música, tudo pode parecer linear ou datado demais e um pouco chato considerando o estilo que ele representa. Vocalmente falando nada me incomodou e eu gostei muito de algumas notas, mas a performance em si foi boring pra mim e, por isso, não gostei muito.

Rick: Música bem chatinha e achei que ele fez o feijão com arroz básico. O destaque fica por conta dessa sua rispidez na voz, que é bem foda, mas tirando isso eu achei ele ok (principalmente para o estilo dele). Entretanto, foi melhor que Lucas, mas aí até eu seria né?

Dam: E o que faltou 100% no Red, Chris teve de sobra para nos entregar. Que voz potente em meus amados? Ele consegue dominar todo o ambiente e eu fico alucinado com a forma firme que ele entoa as notas. Eu amo o seu rasgado na voz e tudo o que Chris canta é sempre muito correto. Eu sinto que ele e Davon ocupam o mesmo espaço no programa, porém, cada um mantendo o seu diferencial. Para mim foi uma das melhores da noite.

Noah Mac – “In the Air Tonight” by Phil Collins

Tati: Noah é meu candidato favorito e eu jamais vou esconder isso, mas mesmo se não gostasse dele, certamente, eu estaria elogiando essa apresentação por aqui também. Essa performance me envolveu do início ao fim. O início mais baixo, com voz suave, me tocou de verdade e deu à música o ar sexy e crescente que a apresentação pedia.  Algumas pessoas reclamaram que estava baixo demais, mas eu não achei. E sobre as partes altas: eu amo de verdade a forma como ele projeta seu timbre grave e, pra mim, esse é um dos grandes trunfos dele nessa temporada. Preciso falar também que ele evoluiu bastante na presença de palco, o que me deixa feliz também. Enfim, uma song choice inusitada, um lado que ainda não tínhamos visto de Noah e, claro, uma apresentação muito bem executada e que me deixou muito mais apaixonada por esse menino.

Rick: Cá estou eu novamente para enaltecer meu marido e gritar mais uma vez: QUE HINOOOOOOOOOOO! Dos graves à rispidez de sua voz, Noah soa perfeito para mim do inicio ao fim. Fora sua presença de palco arrebatadora, ela conseguiu tornar intrínseca sua performance. Eu jamais esperaria vê-lo cantando essa song, mas ficou sensacional em sua voz. O momento que ele pula junto com a batida é sensacional, eu fiquei impactada com isso hahahaha. Eu preciso agora mais do que nunca ver esse homi cantando alguma música no violão (de preferência Cosmic Love igual o cover dele no YT). Noah por favor, PISA MENOS AAAAAAAAA <3 Obs: Mozão curtindo meus tweets… Coração chega bater mais rápido, sintam inveja.

Dam: Ei, querido finge que meu corpo é esse pedestal e roça em mim até eu engravidar de tu por favor. Mas minha gente, devia ser proibida uma performance tão hipnotizante como essa, juro que no início Noah não tinha me ganhado, mas com o passar do tempo ele foi ganhando o meu coração e não só meu coração nom é mexxmo? Amei exatamente tudo nessa performance e as notas graves muito bem executadas foi de fazer a calcinha cair.

Ao final das seis apresentações, Jhud anunciou suas escolhas:

Primeiro: Davon
Segundo: Noah
Terceiro: Shi’Ann

Confesso que preferia Hannah à Shi’Ann, pelos motivos que já expliquei nos comentários. Porém, entendo a escolha da Jhud e acredito que sua atitude tenha sido pautada pelo potencial que a menina tem. Sobre as duas primeiras escolhas não poderia concordar mais. Davon é um artista praticamente pronto, com grande voz e personalidade. Noah também possui uma voz maravilhosa e uma personalidade interessante e acredito que Jhud poderá ajudá-lo a corrigir os pequenos problemas vocais apresentados até aqui.

#TEAMBLAKE

Red Marlow – “Chiseled in Stone” by  Vern Gosdin

Tati: Red me soa tão comum e não é pela birra com o country é que olho para ele e imagino tantos outros artistas countries que já passaram pelo programa , representando a mesma vertente dele e que executou um trabalho melhor. Porém, pra mim, essa foi a melhor performance dele. O que não quer dizer muita coisa, mas pelo menos a voz estava agradável, embora tudo tenha me soado linear e mais do mesmo. Ele passou a apresentação toda utilizando praticamente a mesma nota e carregando a canção do mesmo jeito, com o mesmo semblante. Definitivamente, o senhor basicão. O que me incomoda é que ele fará isso daqui até o final e mesmo assim terá chances de ir à final, caso avance hoje.

Rick: ZZZZzZzZzZzZzZzZzZzZzz. Primeiro que quem gosta de country nem gente é, então eu estou preparada para soltar meu veneno que absorvi ouvindo Reputation no Red. O programa não se chama “A Voz”? Pois então mulher, cadê sua voz??? Que coisa mais boring, linear e sem naaaaada de relevante. Só odiei mesmo #pas.

Dam: O country preguiçoso com musica padrão que nunca irá te tirar da zona de conforto. Todas as temporadas nós sabemos que vai vir um country raiz que ira aflorar o lado tiozao caipira do Blake e mexer no emocional das nossas queridas tias do sofá americano. E com Red não é diferente, a única coisa que me incomoda é que ele passa zero emoção quando canta e nessa song principalmente sua voz poderia ser mais cheia e preencher melhor os espaços da música, sinto que faltou muito para o Red e sua apresentação foi fraquíssima.

Chloe Kohanski – “Time After Time” by Cyndi Lauper

Tati: Quando fiquei sabendo que Chloe cantaria essa música eu já dei uma arrepiadinha pois sabia que ela poderia executar essa música de maneira bem decente. Uma ótima interprete, com uma ótima voz e uma ótima canção. Talvez um arranjo mais lento funcionaria melhor para a voz dela e isso me fez gostar menos do que eu achei que iria gostar da apresentação. No entanto, o timbre de Chloe é lindíssimo, o que deixa quase sempre a apresentação bastante agradável. Só acho que ela precisa trabalhar sua conexão no palco, não com a música, pois isso ela faz muito bem, mas com quem está a vendo apresentar.

Rick: Aí gente Chloe é tão weird, eu amo muito isso! Apesar de ter achado que essa versão não foi das melhores, até que combinou com ela. Percebe-se também que ela é uma artista muito diferente e única, o que é algo muito bom né. Foi uma boa performance, não teve tanto impacto quanto se esperava, mas ela fez um bom trabalho.

Dam: Como Miley deve se sentir sabendo que perdeu uma das melhores vozes desse programa? Olha, eu não sei vocês, mas sei que muita gente no panela não acha isso, só que eu sou inteiramente vidrado na Chloe, eu amo exatamente tudo nela. Sua personalidade, sua voz a forma como ela da vida a música, tudo em Chloe é extremamente muito genuíno e bruto e talvez esse tenha sido meu encanto. Ela não é de usar grandes recursos, mas o pouco que usa é muito feito e muito bonito de ser ouvir. Eu simplesmente amei a song dela e deu para perceber quanta semelhança ela e Miley tem vocalmente falando, em alguns momentos eu sentia a Miley cantando da mesma forma. Parabéns chloe eu espero que você vá muito longe ainda ❤

Natalie Stovall – “Callin’ Baton Rouge” by Garth Brooks

Tati: Confesso que não lembrava dessa moça MESMO! Quando ela começou a cantar, entendi porque não lembrava. Realmente não há nada na voz dela que marque. Mas ela é uma ótima performer, pois ela conseguiu me cativar durante a apresentação, mesmo achando que não estava lá grandes coisas. Creio que seja pela presença de palco e pelo instrumento, mas a verdade é que foi suficiente para achar a performance, ao menos, divertida, pois, vocalmente falando, detestei, principalmente pelo fato da voz dela ser um pouco comum.

Rick: Uma country do brejo x uma diva berreira, as duas a 80km por hora, quem é mais chata? Não vou me estender muito e vou dizer que achei chatinha, a voz dela me incomoda e esse violino é brega.

Dam:  Performance muito interessante de assistir, acho que a idéia do violino foi muito, muito acertada, pois a música era muito dinâmica e Blake sabia que sozinha a Natalie não seguraria a marimba. Em alguns momentos senti que ela estava muito preocupada em acerta no violino e acabou pecando na afinação por muitas vezes senti que ela deu uma leve desafinada e sua voz soou muito displicentes em algumas notas. Mas se comparada a Lucas, essa aqui foi uma Alisan da vida.

Esera Tuaolo – “How Do I Live” by  LeAnn Rimes

Tati: Eu amo TANTO essa música que é bem difícil eu não gostar dela, mesmo que a pessoa que esteja cantando tenha uma qualidade duvidosa. Esera não foi de todo ruim, o início foi aceitável, mas as notas altas foram sofríveis, um pouco desafinadas e ele não conseguiu segurar boa parte delas. A medida que a música foi evoluindo, eu só queria entrar na tela do meu computador e pedir para PELOAMORDEDEUS para esse moço parar um pouco. Eu até gostei do K.o dele, mas, infelizmente, hoje não deu.

Rick: Até se esforçou o pobi, mas teve várias notas desafinadas ali que me incomodaram horrores. Aí gente, me arrebatem pro Team JHud de novo, não tá fácil acompanhar esse Team Blake.

Dam: E o pai da Moana veio mais uma vez nos apresentar ao mundo das breguice do Karaokê da vida. Que puta música chata, que merda de performance e na boa, quem disse que isso tava bom minha gente? Ta difícil de defender viu dona The Voice, a senhora ta muito vergonhosa para andar no meu bonde. Mas para não dizer que hoje eu to o cão chupando manga, vamos elogiar as luzes do palco que estavam lindíssimas.


Mitchell Lee – “Heaven” by Bryan Adams

Tati: Que song choice nada a ver foi essa, minha gente? Sabotadíssimo! Mas tudo bem, pois mesmo que não fosse a praia de Mitchell, eu achei que ele ficou devendo vocalmente. Afinal, já foi provado nesse programa que, mesmo com músicas ruins, é possível fazer uma apresentação decente. Mas, gente, eu gosto do Mitchell, mas pela primeira vez eu o vi deixar muito a desejar na questão vocal, desafinando em muitas notas e fazendo uma apresentação com emoção aquém do que a música pede.

Rick: Pausa para admirar a beleza desse big frog, pois somos filhos de Deus e merecemos né? Sobre a performance, achei boring, mas curto um pouco mais o estilo dele. Teve até uns vocais ousados, diferente do Jake Worthington cinquentão, e isso pra mim já é motivo suficiente para ele continuar no jogo e o outro não.

Dam: Quando vi que ele iria cantar essa música de cara eu pensei que se sairia muito bem, mas logo vi que estava enganado. Essa é uma song explosiva, agressiva é para você cantar com sentimento e não sorrindo, na verdade essa música não foi feita para ser bonita e sim sentida, ou você canta com sentimento ou irá ficar muito abaixo do esperado e isso foi exatamente o que aconteceu aqui. Mitchell ficou bem abaixo do esperado e o fato dele cantar rindo só evidenciou o quanto ele estava desconecto da canção.

Keisha Renee – “Love Can Build a Bridge” by  The Judds

Tati: Keisha vai seguir a linha country mesmo, né? Bom, ainda não consigo comprar isso integralmente, mas o fato é que, ao meu ver, ela será a melhor representante desse estilo no programa, pela técnica e artista que é. Isso ficou nítido nessa performance, que, a exemplo do nocaute, nos trouxe uma Keisha totalmente entregue e emocional. Apesar da voz dela me incomodar um pouco às vezes, me soando aguda demais, Keisha se entrega a apresentação e sempre consegue me vender, de verdade, suas apresentações. Achei tudo muito bem executado e, pra mim, a melhor apresentação do Team Blake, de longe.

Rick: Vaaaamos construir uma ponte em noooooossss (by: Sandy & Júnior). Adoro Keisha, mas essa foi a performance dela que menos gostei. Música muito chata, e mesmo que com ótimos vocais, ela não me cativou já que não consegui me conectar com a song. Ela por outro lado estava bem entregue, but choices, sai desse country mulher.

Dam: Boatos de que Sandy e Junior tem uma versão dessa song e Clarice Calil cantou a plenos pulmões com a Keisha kkkkkkkk.
Brincadeiras a parte, Keisha é sempre muito correta vocalmente falando e seu repertório para por ai. Ela não tem atrativo e muito menos um diferencial que a torne uma imagem forte na competição, grande parte disso é por ela estar no country. Juro que não é implicância, mas sinto que a voz dela poderia ser muito melhor explorada e poderíamos ver versões muito mais interessantes dela.

Ao final das seis apresentações, Blake anunciou suas escolhas:

Primeiro: Keisha
Segundo: Red
Terceiro: Chloe

Não vou julgar muito a ordem, pois eu imagino que não seja tão fácil para o técnico escolher, embora, nesse caso, eles já tenham uma predefinição de quem escolher. Porém, fiquei um pouco triste com a escolha de Red. Não pela apresentação de hoje, mas por tudo que ele já apresentou por aqui, que, no caso é algo absolutamente mediano e não vejo muito potencial nele não, viu? Particularmente, acho Mitchell (apesar da performance ruim de hoje) e até mesmo o preterido Adam C melhores e mais interessantes que Red. Mas, Blake não é bobo e conhece o country como ninguém e já prevejo esse moço indo longe, mesmo não tendo nada demais. Sobre outras duas escolhas: não poderia concordar mais. Keisha tem talento inegável e pra mim pode seguir a linha country mesmo e Chloe tem uma singularidade que me chama bastante atenção, apesar de não ter curtido tanto.

CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Um programa no geral fraco, mas que me presenteou com boas performances – essa seria minha definição para esse primeiro dia playoffs. Davon, Noah e Keisha, pra mim, foram os melhores, mas gostei das apresentações de Chloe e Hannah. De resto, não tem muito o que destacar nas demais apresentações dos outros candidatos. Mas preciso falar que achei os técnicos coerentes em suas escolhas, considerando as apresentações de hoje. Minha única crítica mesmo ficaria para algumas song choices duvidosas, que me pareceram mais sabotagem, mas é isso discutível, por isso prefiro ficar com esse ponto positivo a ser destacado. Não farei um panorama geral dos times, já que ainda faltam Miley e Adam, mas gostei muito do top3 da Jhud e do Top2 do Blake (O Red a gente apenas ignora). Espero que tenhamos bons programas amanhã e quarta e nos vemos na semana que vem. Não deixem de falar o que vocês acharam do programa e das escolhas e de votar em nossa enquete. Beijos!

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • Felipe Fagundes

    Que noite fraca gente, uma das piores playoffs que acompanhei apesar de não terem sido muitas. Saudade da season 5 que nos entregou cada coisa mais linda.
    Mas voltando a realidade, onde Shi’ann tinha escondido essa performance? Se seguir nessa linha e der algumas melhoradas eu desdigo tudo que digo e pensei dela.
    Meus favoritos de cada time de hoje foram meio que sabotados pelas musicas, Chris tinha muito mais pra mostrar do qua a musica lhe permitiu e Chloe foi pela mesma linha e me fez temer demais pela sua eliminação.

  • Tatiane Silva

    hahahaha Pérola, se tem uma coisa que sabemos que Blake não é, é bobo. Certeza que ele já sabia que Red venderia bem para as tias do sofá e não duvido nada ele campeão.

    • Pérola

      nem me fale….

  • Renan Lima

    Dam me abraça <3 Eu também sou apaixonado pela Chloe. Amo a personalidade cativante, a forma como ela se entrega nas músicas. Vejo muito potencial dela como finalista. Agora eu espero ver um lado mais agressivo dela, uma performance mais explosiva, voz pra isso ela tem.

  • Felipe Fagundes

    só pra avisar, o vídeo do Chris Weaver está errado.

    • Tatiane Silva

      Obrigada, Felipe! Já corrigi.

  • ana caroline

    eu tava com receio da chloe no team blake justamente por isso, a musica nao foi tao ruim mas se o arranjo fosse algo mais acústico evidenciava mais a voz dela, mas eu continuo com a fada e torcendo pra ela não ser eliminada
    e a jennifer é mt rainha como coach, olha as song choice pro pessoal, dar vontade ne @ miley??

    • Sofia Ferreira

      Team Jennifer veio com tudo mesmo

    • Tatiane Silva

      Ana, Blake me pareceu TÃO animado com Chloe que confesso que estou esperando um trabalho incrível com ela, mas por esse início ainda nada feito. hahah Ela foi bem, mas Chloe pode MUITO mais e eu também gosto bastante dela.

  • Renan Lima

    Damme abraça

  • Marcella

    Fiquei animada com as escolhas da J. Hud!
    Pena que são só três! Gostaria de ver os Chris nos Live tb =/
    O time Blake é o pior! Espero que sejam os primeiros candidatos a serem eliminados…
    Se a Miley não fizer escolhas bizarras pro time dela no próximo episódio, vai ser bem agradável de assistir! Tem muita gente interessante no time dela e do Adam.

    • Tatiane Silva

      Jhud felizmente pisando e mostrando para todos que pode ser uma excelente coach. AMÉM. Eu também estou atenta a Miley e Adam e espero que não os odeie pelas escolhas de hoje a amanhã. hahaha

    • Tatiane Silva

      Jhud felizmente pisando e mostrando para todos que pode ser uma excelente coach. AMÉM. Eu também estou atenta a Miley e Adam e espero que não os odeie pelas escolhas de hoje a amanhã. hahaha

    • Tatiane Silva

      Jhud felizmente pisando e mostrando para todos que pode ser uma excelente coach. AMÉM. Eu também estou atenta a Miley e Adam e espero que não os odeie pelas escolhas de hoje a amanhã hahaha

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu