Posts Populares

The Voice US – S13E22 – Live Top 10 Performances

Noite com algumas emoções (boas e ruins!)

Minha, gente! Há duas semanas para o fim (sim, passa rápido!), cá estou eu pra comentar sobre o Top 10 desse hino de season, mais conhecida como season 13. Ok, tudo bem, talvez em um ranking geral de todas as temporadas esta fique um pouco abaixo, mas a verdade é que há muito tempo eu não acompanhava um programa com artistas que realmente eu gostasse TANTO assim e que, quase toda semana, conseguem me entregar boas apresentações!

Pois bem, depois de um top 11 na semana passada com algumas apresentações BEM maravilhosas (Noah, Chloe e Keisha, eu estou olhando pra vocês) e com uma eliminação que doeu no coração de muitos, tivemos dessa vez um top 10 nos trazendo novamente boas apresentações e algumas decepções e vamos falar delas por aqui. Pra comentar comigo hoje tenho ao meu lado Michel, mais conhecido como setorista oficial do The Voice Holland e nosso mais novo paneleiro, João! Bora começar!

Mas antes, gente, close na MILEY de Pintinho amarelinho! Essa roupa é tão tosca, que eu achei fofa e não consigo parar de olhar hahaha!

[#TEAMJHUD] Davon Fleming – “Hurt” by Christina Aguilera

Tati: Gente, sabe quando você digita algo com pesar no coração? É assim que estou ao falar dessa performance do Davon! Quem me conhece sabe o tanto que adoro esse menino, mas a verdade é que, desde os playoffs, ele não conseguiu entregar uma performance no mesmo nível. Eu estava esperando isso com essa música, que considero dificílima, afinal, além da carga emocional que ela carrega, é necessário um bom alcance vocal e nesse último quesito Davon arrasa. Mas, gente, o que houve? Ele não alcançou a maioria das notas, desafinou e estava claramente nervoso. Foi uma das performances que menos gostei dele e estou com medo de acontecer algo com ele já amanhã!

Michel: Poxa, eu até que gostava do Davon, mas não tem como defender não. Escolheu um clássico da Xtina e fez uma versão horrível, super gritada e com zero suavidade ou conexão. Não gostei de nada, os vocais me decepcionaram, a emoção da música para mim não existiu, tudo deu errado nessa performance. Foi com certeza a sua pior performance nessa temporada, esses vocais descontrolados foram muito ruins, não espera isso dele. Triste fim, mas acho que dificilmente alguém fará algo pior que isso nessa rodada, uma pena porque queria ele no massacre, mas ok, vida que segue.

João: Olha eu to com um pouco de dó. Pelo amor de deus, volta do Davon da battle, do ko. Cara, ele não ta acertando uma nos lives! Quando vi que ele iria cantar Hurt, dei uma animada, já que é uma música que da pra mostrar a potencia vocal, além de passar muita emoção caso o act se conecte a ela, mas não consegui entender bem o que o Davon e a JHud fizeram. Pode ter sido impressão, mas achei que tava alto demais para ele, principalmente no começo. E quanto chegou a parte das notas altas ficou tão estridente que eu tive que diminuir o volume da tv. Se você vai cantar Xtina, faça um arranjo que se adeque, jamais tente copiar os vocais de Christina Aguilera, pois é raríssimo quem consiga, e Davon descobriu da forma ruim. Pontos para o palco apenas.

[#TEAMADAM] Adam Cunningham – “Maybe It Was Memphis” by Pam Tillis

Tati: Quando olho para Adam C. eu tenho um misto de sentimentos muito estranhos, pois eu não sou muito chegada nele como artista, mas no fundo tenho um pouco de pena por algumas sabotagens que ele andou sofrendo durante o programa. Ele possui uma voz bonita, mas quase nunca ele consegue me despertar algo que eu olhe e fale: cara, ameeeei! Essa apresentação é um exemplo disso, foi correta, ele soube levar tudo muito bem ao estilo dele e, aparentemente, ele estava muito mais à vontade pois voltou às origens, mas nada disso e pra mim foi básico.

Michel: Depois de uma boa performance mais roqueira da semana passada, o Adam resolveu voltar de country e achei sua performance até legalzinha. A música tem uma dinâmica legal, tem um refrão bem chiclete e contagiante, para mim que não curto tanto o estilo musical, confesso que gostei da performance dele novamente, apesar de saber que ele estar com seus pés, aliás com o corpo todo no bottom 3. Mas o mesmo problema da semana passada é que é só mais uma boa performance que curti aqui nesse momento, depois vai ser só mais uma boa performance que não verei novamente e que me faça torcer por ele.

João: O Adam eu até entendo essa mudança, de sair daquela pegada com um pouco de rock para um country mais raiz, afinal, ta tudo em jogo. Sou suspeitíssimo para falar, já que tenho um ranço enorme de country, e gostava muito mais das músicas que o Adam Levine escolhia para ele, achei que ele deu uma apelada dessa vez para tentar se manter vivo mais essa semana. Mas apesar de tudo, foi ok. Vocais bons, arriscou até uma nota longa ali, tocando uma guitarra. Fez a tarefa de casa, mas não acrescentou muito.

[#TEAMJHUD] Noah Mac – “Ordinary World” by Duran Duran

Tati: Sabe a dorzinha que eu tava sentindo com Davon? Então, ela continuou com Noah! Eu amo Noah como artista, é meu favorito da competição e acredito que tem várias lados artísticos que possam ser explorados, mas, sem dúvidas, essa foi uma das performances que menos gostei e alguns problemas que tinha percebido nele me incomodaram REAL, tipo a respiração e o cantar meio “ofegante” durante a apresentação. Eu gostei muito do início mais lento e, nessa parte, eu pude ver um registro mais baixo dele, que me agradou bastante. Mas da segunda parte em diante, tudo me pareceu um pouquinho confuso e me impediu que eu realmente amasse essa performance, salvo pelo final bem executado e que me agradou. Enfim, não foi o que eu esperava e apreensiva estou.

Michel: Antes de tudo, Noah eu te amo <3. Ele é um artista incrível e amo o quanto ele soa sempre original em suas performances, seja pelo seu lindo timbre peculiar ou por sua movimentação no palco e gestuais, tudo nesse garoto soa algo muito original. A song de hoje é mais popular que suas duas últimas já cantada nos lives, gostei que ele deve a oportunidade de tocar piano e como sempre fez uma bela apresentação, com aquele diferencial que só o Noah tem. Vocalmente confesso que achei a performance mais fraca dele até o momento, mas uma bela apresentação e que não me decepcionou nem um pouco, ao contrário, fiquei todo babão com o garoto Noah todo entregue em sua performance.

João: A hora de se arriscar já passou, Noah! Em uma semana de eliminação dupla você vem brincar comigo assim? Não achei que a música funcionou muito bem, faltou impacto, faltou um ponto alto nos vocais, foi tudo muito linear. O palco tava bonito, ele no piano foi um ponto forte (talvez ainda mais pra mim, que tenho uma queda por pessoas tocando piano), mas não sei, to em duvida se gostei ou não.

[#TEAMJHUD] ShiAnn Jones -” Diamonds” by Rihanna

Tati: Antes de falar da Shi’Ann, eu preciso falar dessa pataquada, desse despautério, dessa sem vergonhice da produção em colocar três artistas do Team Jhud quase que seguidos. Não sei se vocês não sabem, mas a ordem das performances interfere no Itunes  e no impacto da performance frente ao público e eu tendo que a produção precisa administrar de acordo com os favoritos e artistas que são potenciais frente ao público (manter audiência e bla bla bla) mas custa tentar administrar isso de uma forma minimamente justa?  Sobre a Shi’Ann, houveram alguns problemas que me incomodaram: a voz um pouco anasalada, algumas notas não alcançadas, MAS, foi a performance que mais gostei dela até aqui, o que não quer dizer muita coisa, pois eu tenho um total de 0 performances preferidas dela.

Michel: Eu tenho um certo ranço na Shi’Ann porque sua voz me lembra a Koryn e é um tipo de voz que não me agrada nem um pouco. Hoje ela conseguiu fazer uma performance melhor que as demais que apresentou no programa, porque dessa vez cantou algo mais atual e que vocalmente é melhor para ela. Levando em conta os seus vocais, hoje ela se esforçou muito para mostra técnica vocal, porém suas tentativas não soaram agradáveis para mim, os gritinhos no refrão me incomodaram, porque foram nas duas vezes, preferia que se concentrasse na letra da canção e passar aquilo que a música pedia. O whistle no fim tinha tudo para ser o pico da performance, até ela derrapar na nota e sair cagando tudo. Foi sua melhor performance, porém já passou da hora dela sair, né?

João: Toda vez é a mesma coisa dessa menina forçando os melismas na música inteira, dá uma seguradaaaaaaaaaaaaaa!!!! Fica cansativo, enjoativo, da vontade de parar de ver. Ela me pega Diamonds, que é uma música mitificada, e começou a forçar notas em 800 mil lugares. Assim não da pra defender. Gente, cade a JHud que não vê isso????? Tento ser o mais imparcial possível, mas com a Shi’Ann não dá, pensar que dois acts que poderiam trazer performances excelentes saíram e ela continua aqui. Por falar em Diamonds, Ashley DuBose em 90 segundo fez uma versão muito melhor (e “escutável”). Mais uma vez venho elogiar o palco, que hoje resolveram caprichar né? Tava lindo, assim como o vestido dela, e gostei da mudança no cabelo, só faltou cantar bem mesmo.

Gente, no meio das apresentações, tivemos uma apresentação especial de natal Shelfani, que graças a Deus eu não preciso comentar, mas vou comentar sim, achei chatíssima. Vocês podem conferir aqui.

 

[#TEAMBLAKE] Chloe Kohanski – “Call Me” by Blondie

Tati: Eu já gostava da Chloe e semana passada passei a gostar mais pela performance maravilhosa de Total Eclipse Of The Heart. Por isso, minhas expectativas para uma próxima apresentação eram imensas e eu esperava algo em um nível muito bom. E vou te falar, viu? Com uma proposta totalmente diferente, podemos ver outro lado de Chloe e eu gostei muito. A música é chata, não gosto, mas Chloe mais uma vez me fez ter vontade de assistir, principalmente pela entrega total à apresentação. Depois de um lado mais emocional, foi legal vê-la com essa proposta e pra mim ela arrasou novamente.

Michel: QUE ARRASO! Chloe é uma artista que amo por conta dela ser bastante versátil em suas escolhas de músicas. A escolha da música dessa semana foi muito bem acertada, ela tem um estilo musical e visual que lembra muito as grandes musas dos anos 80, sendo assim a escolha da Blondie foi sensacional para ela. Amei ela cantando uma música mais animada, vocalmente ela arrasou com seu timbre mais rasgado e sua presença de palco cheia de atitude no seu olhar. Acho que ela podia ter explorado mais o palco, já que a música permitia mais atitude e ousadia no palco, mas mesmo paradinha ela, soube passar muito bem a atitude que a música pedia. Amei a performance, minha favorita dela nos lives.

João: Vou começar falando que a produção REALMENTE caprichou no palco essa semana, o da Chloe tava lindo, assim como a roupa dela, AMEY aquele macacão de couro vermelho, achei tendência, já quero ver na vitrines. E falando da performance, não é que ela veio pra salvar a noite? Menina, que música, que arranjo, que voz. Nunca tinha escutado essa musica, e tava com um pé atrás, mas foi maravilhosa. Senti ela um pouco presa no começo, poderia ter tido uma presença de palco um pouco mais forte, acredito que a batida pedia isso. Mas encerrou bem. Foi suave onde pedia, foi potente onde pedia. Será se vem mais um top 10?????

[#TEAMBLAKE] Keisha Renee – “All By Myself” by Eric Carmen

Tati: Gente, eu não gostava de Keisha no começo. Ela não é o tipo de artista que me cativa, mas a cada performance eu tenho gostado um pouco mais dela mais dela. Não vou acompanhá-la quando o programa acabar, mas só não gostei dela em duas apresentações, de resto sempre senti muita verdade e entrega no que ela cantava. Pela primeira vez, ela veio cantando algo não country e, de certa forma, atendendo aos milhares de pedidos para ela cantasse algo fora do que vinha apresentado. Eu gostei bastante, viu? Achei o começo um pouco arrastado e até um pouco sonequinha, mas ela cresceu muito durante a música e aquela nota alongada foi algo que me arrepiou, uma apresentação muito boa, ao meu ver. Acredito que, além do country, ela também tem bastante capacidade pra explorar outros campos, se quiser.

Michel: Depois dela ter se afirmado ser um estilo único no country, estando num time country, qual a razão de sair do country numa semana tão decisiva? Achei um tiro no pé. Olha, ela estava lindíssima no palco, o arranjo com violino deixou a música ainda mais linda, porém o maior problema é que essa música é cheia de notão e achei que a Keisha ficou numa zona de conforto vocal, me deu até um certo soninho vendo essa performance, além que sua voz às vezes soou um pouco estridente pra mim. Fiquei a música toda esperando aquele notão espetacular de arrepiar tudo, mas a performance acabou e a performance para mim não empolgou. Estava muito bem no country da semana passada, podia ter continuado, mais choices são choices.

João: PRA. QUE? Pra que berrar tanto? E tão estridente? Depois da performance incrível da Chloe, controladíssima, vem a Keisha berrar nos meus ouvidos. Quando entrou no primeiro refrão já achei a nota alta um pouco doída, e fiquei torcendo no meu interior pra ela não subir mais que aquilo. E adivinhem? Ela subiu. Sinto o sangue escorrendo deles nesse momento. Sem falar que tava bizarro ela em cima daquele prisma/triangulo/sei la o que, com o vestido caído até o chão. Só não. Espero não precisar ver outra performance dela nessa edição viu? AJUDA AI @AMÉRICA!

[#TEAMMILEY] Ashland Craft – “I Hate Myself For Loving You” by Joan Jett

Tati:  Tem semanas que acho que Ashland canta a mesma coisa, com a mesma expressão, com o mesmo esforço e acrescenta a mesmíssima coisa ao programa. Eu juro que assisti algumas vezes essa apresentação para tentar encontrar pontos positivos e, ao menos, ela tentou empolgar o público com essa música, mas gente, pra mim, não dá. Acho ela mais do mesmo e tudo me soa absolutamente igual toda semana. Vocalmente falando não tenho o que criticar, mas tudo que eu consigo dizer sobre essa performance é: ok e nada mais.

Michel: Ela com certeza é a maior decepção dessa temporada, porque todos criamos altas expectativas com essa garota na sua blind, mas depois daquilo tudo que ela tem apresentado no programa são performances mornas e com 0 diferencial. A música dessa semana foi a minha preferida que ela cantou nesses lives, mas a voz dela me soa tão limitada que todas suas performances tenho a sensação que é igual a passada, são sempre monótonas e os vocais sempre naquela linearidade. Ashland não tinha nem que estar no top 12, imagina aqui nessa altura do campeonato? Acho chatíssima e infelizmente ela não tem conseguido sair da sua irritante previsibilidade, só mais uma performance country chata.

João: Para uma noite com umas performances tão ruins, a Ashland me surpreendeu no bom sentido. Adorei esse visual de couros e babados, adorei como ela se posicionou no palco, mostrando imposição, adorei essa pegada de guitarra e baterias em uma musica country, dando um Q a mais na performance. Foi alto astral, foi fresh, foi diferente. Aquele rasgado em uma das últimas notas foi um acréscimo legal, trouxe um diferencial, mostrando que a Ashland não está morta hahahahaha. Não é nem de longe uma das minhas favs, mas por mim ela não iria pro bottom essa semana não, viu?

[#TEAMMILEY] Brooke Simpson – “Amazing Grace” by

Tati: Amazing Grace pra mim é uma música gigante, mas pela prévia no Itunes eu imaginei que Brooke daria conta, ao menos vocalmente. Eu tive algumas críticas à falta de emoção de Brooke em outras performances, mas depois de Praying parte disso se foi e acho que ela conseguiu melhorar MUITO esse quesito durante o programa, pois a senti genuinamente conectada à música.  Achei o início muito lindo e necessário para que ela nos trouxesse à atmosfera da música. Pra mim, foi a melhor apresentação dela no programa e nem os chutes no ar ( quase sempre desnecessários pra mim) me incomodaram nessa apresentação, pois tudo funcionou muito bem, vocalmente e emocionalmente falando.

Michel: Já vinha com pedra na mão para tacar sem dó, mas ela me surpreendeu muito nessa noite. O começo à capela foi espetacular, ela foi super afinada, sua voz soou muito suave e com muita emoção, pela primeira vez no programa sentir ela mais contida e sua voz muito mais controlada, o que me agradou muito. Sua voz nunca esteve tão linda e muito bem colocada como hoje, bem diferentes das outras performances exageradas e desconexas. Apelou para o gospel card, estrategicamente seria melhor no massacre, mas soube usar muito bem o card e como já tinha notada semana passada, sua voz e gestual tem muito a ver com o estilo gospel, o que foi notável hoje o quanto se encaixou bem. PS: O coice no ar achei bem desnecessário, mas ok vou tapar os olhos para a cena e dizer que foi uma performance maravilhosa!

João: Menina, finalmente não é mesmo??? Demorou mas mostrou o que a produção via em você. Desde o começo era uma das queridinhas das câmeras, mas morreu nas blinds, e finalmente trouxe algo que possa ser aproveitado. Que pisão, garota! A voz dela parecia preencher todo o espaço. A movimentação dela forte e marcante ficou mais aceitável nessa musica gospel (me lembra as pregações evangélicas hahahahaha). Mas enfim, soube subir na hora certa, e finalizou com uma calma e suavidade que quase me fez chorar. Arrasou, viada.

[#TEAMBLAKE] Red Marlow – “That’s What I Love About Sunday” by Craig Morgan

Tati: Lá vem o country basicão de novo, né? Minhas migas já disseram aqui em outras reviews, Red é muito básico: uma voz ok, músicas quase sempre na mesma nota e performances parecidas. A desculpa que é ele country clássico não me convence, pois já tivemos outros artistas desse estilo que, no entanto, não apresentam a mesma linearidade que Red. Pra mim, essa apresentação foi inferior à da semana passada e não me cativou.

Michel: Mesma coisa que falei da Ashland, aliás Ashland seria o próprio Red de saias, medo de um dueto entre eles. Todas suas performances soam iguais para mim, sinceramente se alguém me pedisse para citar uma música que ele cantou ou pior se pedisse para listar por ordem de apresentação, estava ferrado, porque toda semana ele canta a mesma coisa para mim. Seus vocais limitados e sua falta de presença de palco, torna suas performances esquecíveis e nada atrativas. Odiei a performance, ao menos a da semana passada eu curtia a música, dessa vez detestei da escolha da música até sua versão morna dela.

João: Chato, mais do mesmo, performance linear, não se arriscou, ficou na zona de conforto, só vi tudo pra comentar mesmo. Next.

[#TEAMADAM] Addison Agen – “Lucky” by Britney Spears

Tati: MINHA ANJINHA DA TEMPORADA, como eu te amo! A voz dessa menina é um refresco pra mim, gente.  Me acalma tanto! E eu não estou falando apenas do timbre maravilhoso, mas da verdade que ela traz consigo toda vez que canta. Essa versão foi algo tão singelo e ao mesmo intenso, tão carregado de emoção, que eu estou impactada até agora. É ela fazendo uma releitura de uma música que poderia muito bem ser dela.  Eu consegui perceber alguns errinhos na passagem de algumas notas, mas é algo que não me incomodou em nadinha, afinal, isso é algo que pode ser melhorado com tempo e o mais importante ela já tem demonstrado programa após programa: ELA TEM UMA ESSÊNCIA MARAVILHOSA e consegue acreditar e demonstrar aquilo que canta.

Michel: FECHOU COM CHAVE DE OURO, MINHA ANJINHA <3. O cenário hoje estava lindíssimo, parecia que ela estava no topo do mundo, no mais altos dos céus e o brilho nos seus olhos parecia com um anjo cantando ali. Eu como fã bomba dela, fiquei muito apreensivo quando soube que cantaria Britney, depois que saiu a música eu não sabia o que esperar, porque não conhecia a original. Addison teve hoje o seu melhor momento na competição e para mim a melhor performance da temporada, sua voz estava lindíssima, estava super conectada e entregue na sua performance. Eu amo como essa garota nos prende com seu jeito fofo em suas performances, um verdadeiro anjo que fico admirando em cada performance. Amei demais a performance, verei milhões de vez e quero muito essa garota vencendo essa temporada. <3

João: Eu to chorando e não é brincadeira. Nunca imaginei alguém fazendo uma performance tão emotiva, tão linda, tão simples, tão cheia de sentimentos com uma musica da Britney, e minha Addison conseguiu. EU AMO ESSA MENINA! A forma que ela canta, me faz crer em cada palavra, me faz imaginar tudo que ela possa ter sofrido já, e mano, ELA SÓ TEM DEZESSEIS ANOS. A forma que ela se conecta com as músicas é fora do comum, ela tem o dom de nos contar a história, e nos fazer acreditar que aquilo realmente aconteceu! Tirando que ela ficou fofíssima com aquela visual meio retro com a calça dobrada e a boina ❤ Mais um ponto pro palco, que tava lindo, e ela paradinha lá, toda tímida, e encantando. Queria dar uns 20 selos pra ela.

Então, com Addison fechando a noite, chegamos ao fim de mais um programa. Eu confesso que fiquei um pouco decepcionada com o nível de alguns artistas, principalmente de Davon e Noah, mas fiquei satisfeitas com as apresentações de Chloe, Keisha, Brooke e Addison! Acho que o programa está caminhando para uma final com alguns candidatos prováveis, mas nada muito confirmado ainda. Acho que vamos ter uma boa base a partir de agora, com os resultados do iTunes, e amanhã quando finalmente conheceremos os resultados finais. Por enquanto, eu apostaria no bottom em: Davon, Adam e Shi’Ann, mas tudo pode acontecer, né?Mas amanhã volto pra comentar os resultados, gente! Vejo vocês lá, obrigada pela companhia e não se esqueçam de votar na enquete. 😉

 

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

  • O João nunca ouviu All By Myself? Por que falar que Keisha gritou nessa música quando tava um tanto abaixo do original é muita forçação de barra. De resto, Chloe continua numa linha positiva que deixa o histórico dela com um total de duas performances boas em toda a temporada e Brooke dominando a noite com uma interpretação linda de Amazing Grace. Noah, Shi’Ann e Adam mereciam avançar pelas performance. Já Davon, Addison, Ashland e Red o que tenho a ver?

  • ana caroline

    minha santa trindade indie ta morta… eu tava esperando algo mais punk para chloe e pedir isso mas tao brega e apelativa(ne blake) essa pegada 80’s, queria algo mais atual..
    o noah ta morrendo aos poucos com as song choice, to despontada mas não surpresa, pq esse é o destino dos indies no the voice
    so addison que gostei dos favs, um anjinho msm

  • ana caroline

    minha santa trindade indie ta morta… eu tava esperando algo mais punk para chloe e pedir isso mas tao brega e apelativa(ne blake) essa pegada 80’s, queria algo mais atual..
    o noah ta morrendo aos poucos com as song choice, to despontada mas não surpresa, pq esse é destino dos indies no the voice
    so addison que gostei dos favs, um anjinho msm

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu