Panela de Séries » Arquivos The Voice US - S13E24 - Live Semifinals Performances - Panela de Séries

Posts Populares

The Voice US – S13E24 – Live Semifinals Performances

Dia de massacre, você quer nervosismo, @?

Chegamos a pior semana da season, porque o massacre é muito pior que a final, pelo menos pra mim. Na final eu sempre tenho a sensação que tá tudo decidido e não rola tanta ansiedade. Mas nessa semana saem quatro, então não pode errar! Há aqueles que escolhem músicas conhecidas, há aqueles que apelam e tem o Blake, que já é outra categoria. Nessa season o top 8 foi reunido em duplas para duetos, onde também valerão votos, pelo twitter e por download e streaming na Apple Music e no iTunes. As duplas foram as seguintes: Chloe e Noah, Addison e Keisha, Adam C. e Red, e Brooke e Davon. Antes de mais nada, todas as artes maravilhosas que usaremos nessa semana e na próxima, são frutos da mente criativa e talentosa da nossa paneleira Luana. Ela faz tanta coisa linda pro The Voice, que não merecia os tombos que o programa dá a ela. Mas vamos deixar de conversa e seguir para o que interessa? Para comentar comigo hoje temos a agradável companhia da Clarice e do Michel, ambos com um incrível bom gosto. Gostamos.

Adam Cunningham – “I’m Already There” by Lonestar

Thaís: Adam é, de longe, o melhor country masculino da competição, mas sua data de validade no programa já passou faz tempo. A performance foi bem morna, a música é bonita, mas parece que não cresce, não tem um grande momento. Ainda mais abrindo o programa, acho que o Adam só carimbou o passaporte dele para a eliminação direta amanhã. Não que eu esteja reclamando. Nada contra Adam, mas ele saindo direto, impede que um fave meu saia.

Clarice: Incrível como Adam melhorou semana passada, ele se reencontrou no programa após retornar ao country country e deixar de vez o country rock. Adam Levine mesmo assumiu que não estava fazendo bem a ele e deixou Adam C. escolher suas próprias músicas… acredito que a música de hoje foi outro close certo, gosto bastante dela (só que na versão de uma das minhas boybands preferidas… Westlife!! kkkk #GuiltyPleasure). Adam levou a apresentação pro lado mais emocional, em certos momentos deixou a emoção sobressair inclusive, porém se recuperou rapidamente. Não foi a melhor dele na competição, até o clímax da música estava achando tudo meio linear, mas do meio pro fim gostei do que vi. No entanto, não consigo vê-lo ameaçando o posto de finalista dos demais acts… hahahaha

Michel: Apesar de não gostar dele, o Adam tem feito boas performances na competição e acredito até que se fosse do time do Blake, seria o grande risco para essa temporada. Gostei muita da sua performance, a música foi muito bem escolhida, a voz dele estava ótima e o arranjo achei lindo também, uma apresentação ótima para uma semifinal. Adam tem uma pegada de rock/country que aprecio muito, as escolhas das musicas tem me agradado muito e achei até que essa foi a performance dele que mais gostei, porque teve um apelo mais emocional que valorizou muito seu timbre mais rasgado. Foi uma bela performance para uma semifinal e não me importaria que ele tirasse a vaga de certos @s na final.

 

Chloe Kohanski & Noah Mac – “Wicked Game” by Chris Isaak

Thaís: Eu sonhei tantas vezes com o Noah cantando essa música. Tantas e tantas vezes. Nenhuma delas tinha um dueto ou um arranho eletrônico no meio. Eu fiquei BEM revoltada quando saíram as músicas e eu vi que pegaram a minha segunda escolha pro Noah pra um dueto com a Chloe, logo ela. Eu xinguei horrores em diversas redes sociais, não nego, agora estou mais calma, porém não menos decepcionada. O arranjo assassinou a música, acabou com ela. Fora que o timbre da música fez a voz da Chloe ficar falhada em diversos momentos. E eu só consigo pensar em como seria maravilhoso o Noah cantando sozinho. Só consigo pensar nisso e querer chorar. As partes dele foram tão lindas, a voz casou perfeitamente com a música, ele nasceu pra ela, gente.

Clarice: Ahhhhhhhhhh que hino de música!!! \o/ Um dueto de Chloe e Noah onde Noah foi dono e proprietário da performance! hahahahaha Levei um tiro com esse arranjo, completamente inesperado já que eu esperava ao menos algo mais acústico e não ela baladinha com guitarra elétrica e tudo mais. E tudo funcionou tão mais pro Noah, voz da Chloe falhou e por diversas vezes foi ofuscada pelo Noah! Rei demais! <3

Michel: Tinha enorme expectativa para esse dueto, já que ambos estão no meu top 3 de favoritos dessa temporada. Minhas expectativas só foram maiores depois que soube da música escolhida, um hinão que foi muito bem escolhido e que esperava que o Noah um dia a cantasse solo, mas ao menos ele cantou num dueto. Amei o dueto, Noah e Chloe foram super consistentes nos vocais, estavam muito bem confortáveis no palco e com grande sintonia e química. Confesso que esse arranjo mais eletrônico não me agradou tanto, a versão original ou mais acústica eu acho que ficaria melhor, mas o solinho da guitarra e o clima mais dark do palco até curti. Achei que o Noah foi um pouco melhor que a Chloe aqui, por conta que alguns trechos sua voz ficou prejudicada pela banda alta, mas no geral é um ótimo dueto que supriu minhas expectativas.

Davon Fleming – “Gravity” by John Mayer

Thaís: O QUE GRAVITY FEZ CONTIGO, DAVON? Sério, que decepção esse homi. Chris Jamison foi encontrado em posição fetal em sua casa após essa apresentação. Essa música é tão singela, tão subjetiva, que não combina nadinha com esses gritos descontrolados, ainda mais quando soam um pouco desafinados. Sério, eu tinha tanta esperança no Davon, mas foram apena decepções nos lives, músicas datas atrás de músicas datas. Um mergulho das divas e quando ele escolher uma música cantada por um cara, ele a transforma numa música de diva. Bem, Davon deve ser eliminado direto amanhã e eu não consigo achar isso injusto.

Clarice: Sobre Davon essa noite, só uma coisa a dizer: VOLTA CHRIS JAMISON!!! 🙁 Que morte horrível essa apresentação, só ouvi gritoooos… Em momento algum achei que essa música se encaixaria ao Davon, ele combina mais com as músicas de diva, ainda que tenha se perdido nessas últimas semanas, esse é o estilo que mais combinou com ele! Sabemos que ele tem um baita vozeirão, os coaches repetem isso o tempo todo, mas ele precisa aprender a dosar porque ninguém tá afim de ouvir gritos e mais gritos… e olha que eu sou team gritadeiros! hahahahaha Chega a ser irônico eu reclamar de gritos, mas é a vida!

Michel: Filhinho, eu gosto de você e botava fé em você para os lives, mas tá muito difícil de torcer por você. Depois do fiasco com Hurt na semana passada, novamente detestei essa performance e achei até horripilante pelo excesso nos vocais que me incomodaram imensamente, até porque um hino intimista desse que pede suavidade e conexão, berrar nela é um crime. A escolha da música achei nada a ver com ele e a execução não me agradou em nada, fiquei muito decepcionado em ver essa queda do Davon desde a semana passa, porque potencial sabemos que o cara tem, o problema é que essas songchoices tem acabado com ele na competição.

Red Marlow – “Go Rest High On That Mountain” by Vince Gill

Thaís: Eu sinto como se pudesse fazer todo o comentário sobre a performance do Red mesmo antes dele cantar, porque é SEMPRE a mesma coisa. Mas hoje eu achei ele bem confortável e conectado com a música, talvez tenha sido a melhor performance dele no programa. Também, né, a música ajudou bastante, aquela apelação clássica que já esperamos do Blake. Não tenho muito a falar do Vermelho não, só parabéns e nos vemos na final. Porque, né, choices.

Clarice: Alguém esperava algo além da Apelação Tour?!!! Red é limitado, aceitem! Ele é consistente só que no nível mais inferior do programa, alcance limitadíssimo, desde as Blinds vem fazendo performances similares e sequer tentou se arriscar em algo diferente! Jogando no safe, cantando gospel e cativando cada dia mais as tias do sofá! Te vejo na final, Red… Zzz!

Michel: Blake apelou legal com o Red, porque não conformado com o card country, escolheu um country gospel. Sinceramente, eu acredito que essa foi a sua melhor performance nos lives, seus vocais estavam bem melhores que nas semanas anteriores e a música tem um apelo emotivo que acredito que deu um destaque a mais na sua performance. Olha, a crítica continua a mesma de toda semana, que as performances do Red me soam sempre lineares e sem vida, sempre aquela coisa parada demais, mesmo apelando, fez o seu melhor na competição, mas algo que ainda sim para mim pareceu bem qualquer coisa para uma semifinal. Sorry, mas não me desce!

Brooke Simpson & Davon Fleming – “Earned It” by The Weeknd

Thaís: Se a gente tivesse que definir a performance em uma palavra seria: BERRO. Eles tiraram toda a aura sensual da música e isso fez com que ela perdesse 75% da graça. Tudo bem que ficaria um dueto bem sexy, mas qual seria o problema? Mas quando eles começaram a gritar quase que descontroladamente no final da música… apenas não. NÃO!

Clarice: Dueto dos gritadeiros a gente só podia prever GRITOS, né non?! Outra música que me surpreendeu só que negativamente, uma vez que nenhum deles trabalhou o lado mais sensual que a música exige. A voz deles combinou legal, até o meio da performance tudo estava bacana… mas perderam a mão quando desembestaram a gritar!!! JESUS MARIA JOSÉ, ELES BERRARAMMMMMMMM!!!! Meu ouvidos sangram… repito o mesmo que disse nos comentários do Davon: eles precisam dosar! E como disse a paneleira Tati, Brooke ficou pulando igual pipoca no palco, finalizando com um GRITO MEDONHO! PS. Alguém avisa a Brooke que ali não é Victoria Secrets Fashion Show nem concurso de Miss Universo pra ela ficar levantando a perna ao andar! Seja menas, miga!

Michel: Vocalmente eu achava esse pareamento muito acertado, porque ambos têm ótimos vocais e uma grande extensão vocal e sempre arrasam quando cantam uma música mais soul/R&B, esperava algo nessa linha e eles me aparecem com The Weeknd. Achei a escolha cagadíssima, a música pedia sensualidade e aqueles falsetes de arrepiar, mas o que tivemos foi um início com ambos tentando fazer algo suave, mas que falharam lindamente, quando achava que tava ruim, resolveram sair berrando e berrando, uma sessão de berros desnecessárias. Uma música mais animada, ia combinar muito mais com a personalidades deles, mas essa música mais romântica e sensual não tem nada a ver com a dupla que teve 0 de química juntos.

Keisha Renee – “What Hurts The Most” by Rascal Flatts

Thaís: Olha, achei a pior performance da Keisha, vocalmente falando e logo no pior momento da competição. Ela teve falhas de execução e eu nunca tinha percebido isso nas suas performances, olha que eu sou a mais alienada nisso e não vejo nada. Acho que a música prejudicou, porque tinha partes muito rápidas, onde ela não conseguia acompanhar direito a banda e tinha que correr, aí acabou tudo sendo uma bagunça meio generalizada. O que é bem ruim, porque só abre um caminho mais fácil ainda pra algumas @ irem direto para a final.

Clarice: E pensar que defendi Keisha semana passada… shame on me! Achei a música bem arriscada pra essa fase da competição, já que ela tem muitas palavras e Keisha precisa acelerar… e foi justamente ali que ela se perdeu! Perdeu o fôlego, desafinou, perdeu o ritmo da música em alguns minutos e fez o que realmente sabe fazer: GRITOU! A banda estava alta, mas ela gritava tanto que sobressaiu a banda e ficou tudo mais cagado do que já estava! Não deu hoje não, colega…

Michel: Eu tinha amado a escolha da música para ela, porque amei quando ela cantou esse country mais pop no programa. Achei ela um pouco perdida no tempo da música, alguns trechos achei que ia faltar fôlego de tão rápido que cantava, teve também alguns deslizes na afinação, talvez por conta da emoção dela, até porque vocalmente ela sempre vinha impecável até aqui. Outra coisa que me incomodou foi a banda que estava muito alta, na parte mais aguda ela acabou sendo engolida pela banda, soou tudo um pouco bagunçado para mim. Apesar dos diversos probleminhas, gostei de sua emoção e conexão com a música, visivelmente estava bem entregue na performance, mas vocalmente essa foi a sua pior performance no programa. PS: o estúdio está ótimo, pena que ao vivo ela se deixou levar pelo nervosismo.

Adam Cunningham & Red Marlow – “Can’t You See” by The Marshall Tucker Band

Thaís: Se alguém me perguntasse: “Thaís, você prefere assistir esse dueto ou tomar uma injeção no olho?” Eu responderia sem pestanejar: “No direito ou no esquerdo?” Que mooooooorte horrível. Porém serviu para mostrar como Adam C é absurdamente superior ao Red, não que isso signifique muita coisa, né?

Clarice: Quando eu digo que Red é limitado e até mesmo Adam consegue ser melhor que ele… tá aí a prova! Ao menos eles se divertiram… porque olhaaaaa, sinto que vejo performances como essa desde a 1ª temporada! E já estamos na 13ª… hahahaha

Michel: Que tortura esse dueto, caralho que performance mais sem sal, selo Danielle Bradbery. A música foi chatinha pra caramba, bem a cara do Red e o Adam C. aqui mostra o quão melhor ele é que o Red, a diferença é só que um está cantando estilo certo no time certo. Dueto fraco, música chata, só não é pior do que a performance solo do Red, então agradeço ao menos por não ser mais uma performance solo dele hahaha.

Chloe Kohanski – “I Want To Know What Love Is” by Foreigner

Thaís: Mais uma performance que será altamente superestimada pela maioria das pessoas. Vocalmente falando, a apresentação de hoje foi nível Thank You e isso não é algo bom. A voz falhou, senti aquela forçada na emoção para dar credibilidade na letra, mas comigo não rolou. Na verdade, a Chloe toda não rola comigo, então todas essas impressões podem ser fruto do ranço gratuito que sinto por ela. Acho certo? Não. Me arrependo? Também não. Ela vai pegar o #1 e ganhar o programa de qualquer jeito.

Clarice: Chloe estava lindinha hoje, gosto dessa linha mais dark que ela tem feito, no entanto, achei essa uma das performances mais fracas vocalmente que ela fez no programa. Logo no início a voz dela deu uma falhada e tive a impressão que ela forçou a voz em alguns momentos. A forçada na emoção no final foi bem desnecessária, já que Chloe tem essa cara blasé! hahahahaha Não consigo simpatizar com a PESSOA Chloe, gosto da ARTISTA Chloe mas não entendo esse hype todo! Ela é boa, admito, mas será mesmo a melhor da competição? Fica a dúvida…

Michel: Outras escolhas musicais que não tem atendido minhas expectativas são da Chloe, todas muito batidas e sem aquele diferencial, acho Chloe espetacular e podia ser muito melhor com outras músicas. Gostei do arranjo escolhido para a música, algo mais acústico, gosto da Chloe por conta desses vocais roucos e sua personalidade mais dark no palco. Vocalmente ela teve umas falhas na música e por conta da versão da Mariah, acredito que todos ficamos aguardando aquelas notas agudas de arrepiar, porém ela escolheu ir por um caminho mais confortável vocalmente. Eu amo essa garota, o estilo dark e sua voz rouca, a performance de hoje confesso que passa longe de ser uma de minhas favoritas dela, porém ainda assim eu gostei bastante.

Addison Agen & Keisha Renee – “Strong Enough” by Sheryl Crow

Thaís: A voz da Addison combina demais com o country, né? Eu já tinha sentido isso na blind com Jolene e nos playoff com Angel From Montgomery. Eu fiquei uma parte da performance apenas ouvindo, sem vê-las cantando e só pela voz, senti a Addison muito mais confortável na música, isso porque ela não é um cantora country como a Keisha. Porém, de todos os duetos, esse foi o melhor de longe. As vozes que mais combinaram, a música que casou melhor e não foi um show de berros. Lindas, amei.

Clarice: Menos é mais, num é mesmo?! Aqui temos Addizinha Angel e Keisha gritadeira, só que ambas sentadinhas cantando COUNTRY em uma performance mais intimista! Tinha me esquecido como Addi fica bem com o country e estou bem surpresa em ver como a voz delas encaixou bem assim. Temia tanto por esse dueto, achei que seria um boicote pra Addizinha e cá estamos com um dos melhores duetos da noite! hahaha E preciso dizer, Keisha bem melhor nesse dueto do que em sua apresentação solo… ao menos se redimiu daquele desastre!!! kkkkkk

Michel: Que dueto mais gostosinho esse? Foi uma performance suave, muito gostosinha de se ouvir e que combinou muito com as duas. A música tem uma pegada country que beneficia a Keisha, mas por outro lado tem também uma batida folk que combina lindamente com a menina Addison. Gostei de ver a Keisha mais contida, sem os seus berros, além de ambas ter soados bem juntas e conseguiram brilhar sem precisar ofuscar uma a outra. Ótimo dueto, aliás o meu favorito dessa semifinal.

Noah Mac – “River” by Bishop Briggs

Thaís: Se tem alguém que pode falar que viveu o programa como quis, esse alguém é o Noah. De todas as seasons que eu vi, ele é DE LONGE o act mais original e corajoso. Quem pega uma música quase desconhecida e faz uma performance assim numa semifinal, onde quatro são eliminados? Ele não tem medo de arriscar, de ousar. Ele não tem medo de ser ele mesmo e é isso que faz dele tão maravilhoso. De todas as performances, as duas mais fracas foram justamente quando ele não seguiu seus instintos: a battle, numa música country, e o top 10, numa escolha da JHud. Tirando essas duas, ele não entrou nada que te fizesse pensar que ele deixou a desejar e isso é uma das coisas mais importantes pra mim. Eu vou poder olhar a trajetória dele e me orgulhar. Me orgulhar de torcer por ele desde antes das blinds, desde o momento em que eu vi o primeiro cover dele no tópico de spoilers. Eu não sei o que vai acontecer amanhã, mas o Noah precisa e DEVE estar muito orgulhoso de si mesmo. MUITO ORGULHOSO. Porque eu estou orgulhosa demais. EU TE AMO! (eu queria usar mais uns cinco selos para o Noah, porque eu não fico assim por nenhuma performance desde Take Me to Church!)

Clarice: JESUS MARIA JOSÉ! Estou sem palavras real! Noah me assustou demais depois da performance da semana passada, mas Noah provou que está vivíssimo! Que presença de palco do caralhoooo! Ele pulou, cantou, sussurrou, tocou tambor e só faltou dar piruetas no palco. Adorei o efeito que os tambores trouxeram pra performance, essa oscilação de voz mais presente e mais suave. Noah é um artista completo, sabe bem o que quer e como deve produzir uma música pra que brilhe! Reinou absoluto! ❤

Michel: Noah é um dos competidores mais originais que já passaram na história do The Voice, suas performances tem um diferencial que dá pra perceber bem o estilo musical definido dele. Amo sua ousadia e coragem em cantar músicas que às vezes fogem do apelo popular, mas que representam como ninguém o seu lado artístico. Amei a performance, a música tem uma batida alternativa e foi maravilhoso ver ele feliz e cheio de energia no palco, esse é o tipo de artista que dá vontade de vibrar e torcer, amei ele batendo tambor, passeando pelo palco com uma desenvoltura e leveza, diferente de uma @ que marcha no palco haha. Na torcida aqui para esse reizinho ir merecidamente para a final, mas caso fique por aqui, fez uma trajetória linda com muita originalidade e ousadia!

 

Addison Agen – “Both Sides Now” by Joni Mitchel

Thaís: Olha, eu não tenho condições psicológicas para lidar com Adam Levine e Addison Agen, não. Mas em uma coisa eu concordo com ele: Addison pode não ganhar o programa, porque não importa, ela já é uma das vozes mais especiais que passaram por esse palco. Pode não vencer por ajuda da máfia ou uma legião de fãs cegos, mas isso não vai tirar a sua singularidade, seu talento puro e a linda relação que ela criou com o Adam. Dá pra ver o amor quase paternal que ele sente por ela só na forma que a olha. É tão lindo de ver. Eu fico aqui só babando e esperando meu dueto semana que vem. NÃO FERRA COMIGO, AMÉRICA.

Clarice: Ahhhhhhh que lindaaaaa… Addizinha toda angelical, amo tanto essa menina!!! Não conhecia a música, mas ela se apropriou da música de forma magistral. Fico encantada com a forma que ela se conecta com a música e nos permite se conectar a ela!! Ja dizia o poeta Pharrell Williams: SIXTEEEEEEEEN YEARS! hahahaha Nem muito cantor mais experiente que canta sem transmitir emoção, enquanto Addizinha me deixa arrepiada e com vontade de chorar! Aliás, falando em choro, chorei mesmo com o discurso de Adam pra ela! Segue seu rumo pra final, Addizinha que eu já sonho com o dueto ADDAM pra eu morrer de chorar! hahahaha

Michel: Se existe timbre mais angelical que esse, desconheço. Impossível não se conectar com as performances da Addison e tirar os olhos do vídeo olhando essa jovem garota cantando com tanta verdade e aquele brilho no ar contagiante. Amei novamente sua performance, os vocais delicados como sempre, mas com aquela lágrima na voz que me deixa comovido enquanto a ouço. O palco estava lindo, o arranjo da música belíssimo, fiquei até naquela sensação que parecia o musical, foi muito lindo de se ver, com certeza o maior destaque da noite. Torcendo para essa princesa angelical vencer o programa, por conta de maturidade vocal para sua idade e do quão original e única ela soa no meio de tantas cantoras genéricas. Go Addi, <3

Brooke Simpson – “Faithfully” by Journey

Thaís: Faithfully e não tem Corey e Lea no palco? Pego meu ep de Glee e vou embora. Brincadeira! Porém, Brooke, mulher, hoje foi nosso dia, hein? Pela primeira vez a gente se entendeu e eu gostei de uma performance sua. Um pouco exagerada no final, mas não posso querer tirar isso de você, já que é a sua maior característica, sendo uma powerhouse. Porém, adorei, parabéns.

Clarice: Brooke deve ter brigado cazamigas figurinistas do TVUS porque as tias não acertam um look pra colega! Fashion Police a parte, mesmo sem querer, certas músicas me trazem outras performances na cabeça e acabo comparando uma a outra. Se é errado ou não, eu não sei… mas essa música me remete demaaaaaaaais a Rachel Berry (oi Gleeks!!! hahaha). Tirando certos trejeitos de Brooke que me causam ranço (ela marchando no palco, batendo perna, batendo cabelo), ela trouxe a suavidade que tanto falei ao comentar certas @s e deixou todo o exagero característico pro clímax da música. Pelo visto Miley e Brooke acertaram a mão, pois em 2 semanas seguidas ela vem se destacando. Eu duvidava que Brooke chegaria a final, mas depois de hoje não tenho mais dúvidas.

Michel: Até que fim a Miley acertou com a Brooke, com certeza um lacre e de longe a melhor performance dela na temporada. Eu amo a música e diferente do que imaginava, ela conseguiu passar muito bem a mensagem da música e soube dosar bem seus vocais exagerados, transitando no início mais suave e intimista, deixando para explodir lindamente já no fim da performance. Foi minha performance favorita dela e vez por merecer o pimp da noite, porque realmente foi um dos maiores destaques. Sua presença de palco ainda me incomodam um pouco, precisam trabalhar isso com ela, mas o demais foi realmente um verdadeiro lacre, um dos poucos acertos feito por Miley em duas temporadas que participou!

 

É isso aí, gente. A sorte está lançada. Já tem gente com duas músicas no top 10 do iTunes, mas nem vou falar, vou deixar vocês adivinharem. Amanhã os acts serão cortados pela metade, mas eu já estou preparada, afinal, eu nunca saio ilesa de um massacre. Pode vim, The Voice, você não me derruba mais! Espero vocês amanhã para descobrirmos os finalistas da melhor season que temos em muito tempo. Estou aqui na torcida pelos meus babies, e vocês pra quem estão torcendo? Diga aí nos comentários e vote nas suas performances favoritas da noite.

 

 

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Thais Pereira

Feminista, leonina com ascendente em gêmeos e lua em virgem, viciada em memes, em Friends e problematizar na internet. Formada em História da Arte, mas consciente que nunca vai trabalhar com isso na vida. Normalmente eu escrevo e falo mais do que deveria. Eu mesma, Thais Mello.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu