Posts Populares

The Voice US – S14E19 – Live Top 12 Performances

Hora de Live Shows, bebê!

Hora da verdade, minha gente! Tá claro pra todo mundo que a temporada tá bem mais ou menos, várias escolhas equivocadas, dos coaches, participantes e do público. Mas nós, do Panela de Séries, somos fortes, e estamos aqui pra trazer tudo o que rolou, até a final! Então senta aí e vem com a gente!

Image result for gif kelly clarkson the voice

O nosso Top 12 tem nomes de qualidade, que despontam como favoritos, como Britton, Brynn e Jackie Foster, enquanto tem outros nomes que nem deveriam estar aqui, tipo D.R. King e Jackie Verna, além daqueles que prometeram muito, mas ainda não aconteceram, e aí estou olhando pra Pryor e Christiana mesmo. Enfim, sei que minha opinião não é a mesma de todos, então vou reiterar aqui que nossa review é uma review OPINATIVA, e mostra apenas nossas opiniões, nossas visões, não uma verdade absoluta.

Dito isso, hoje contarei com os comentários das maravilhosas Marjorie, que é muito #TeamBlake e #TeamGwen, como eu, e Mari, dona dos comentários mais sensatos das nossas reviews, e vamos estar usando os nossos selos de sempre. Caso você discorde de algo que falarmos, convido a ir até os comentários, no fim desse post, e interagir com a gente. Claro, sempre de maneira educada, porque somos todos assim aqui.

[TEAM ADAM] Rayshun LaMarr – “When Love Takes Over” by David Guetta ft. Kelly Rowland

Gerson: Quando eu tinha visto a música de Rayshun, já estava esperando o desastre épico. Mas aí eu descobri que sou a cara do brega e me vi empolgadíssimo pra levantar e começar a dançar! Que hino de baladinha AHHAHAHAHA Comparando ao desastre que poderia ser, achei Ray bem animado, levantando o povo, com vocais suficientes pra dar conta da música.

Marjorie: Não tem como eu gostar desse homem… Sério! Eu consigo ver o star quality, mas o acho tããão exagerado e forçado, uma coisa meio Mark Hood no palco. Amo a música, marcou meu ensino médio <3, a maior parte da performance foi ok, o final eu ri com Ray louquissima kkkk

Mari: Ray é o único artista desse top 12 que ainda me cativa, portanto, senão fosse por essa review eu nem precisaria ver o resto. Espero que o death não o atrapalhe porque ele é entretenimento puro.  Os vocais que em alguns momentos soam exagerados demais, também são excepcionais demais. A vibe Leticia Spiller rodopiando me deu um pouco de nervoso, pois fiquei tonta, mas fora isso eu amei a performance. Mas eu queria vê-lo com algo mais contido, só pra testar uma coisinha.

[TEAM KELLY] Kaleb Lee – “Amazed” by Lonestar

Gerson: Eu não sou grande fã de Kaleb e seu timbre super genérico. Mas essas músicas country super emotivas me pegam de jeito. E Kaleb foi isso hoje. A voz dele estava como sempre, mas dessa vez teve o peso da emoção, da dedicação da música pra sua esposa. Isso já me ganhou, então eu posso dizer que até curti hoje.

Marjorie: “Amazed” é linda e é inegável que Kaleb tem uma voz muito boa. Tenho impressão que Kelly quer transforma-lo numa mistura de Garth Brooks e Blake Shelton, mas não tá funcionando, falta um diferencial no palco. Aqui ele vez o dever de casa, vocalmente conectado, mas não tocou meu coração.

Mari: Toda vez que eu olho o Kaleb de longe eu enxergo Jake Worthington e isso nunca é uma coisa boa. Mas olha até que foi bom, viu. Amazed é uma musica linda, gostei de ver o Kaleb sem o violão, porque o ajudou a criar uma atmosfera interessante pra performance e ele mandou super bem na interpretação.

[TEAM ALICIA] Jackie Foster – “Toxic” by Britney Spears

Gerson: Com essa música, ou Jackie iria arrasar muito, ou ia ser um desastre total. Acho que vou ficar com a segunda opção HAHAHA Ela é uma das melhores desse Top 12, mas a música foi totalmente errada. Não sei se as mudanças que ela fez ficaram ruim, não sei se a música é difícil mesmo, mas no geral, uma das mais fracas de Jackie nessa temporada.

Marjorie: Que idéia querer cantar agachada, filha! Querendo sensualizar, mas os vocais estavam frágeis nesse início e achei ela meio morta em quase toda a performance. O arranjo em si eu curti, algo dark rock, mas Jackie me decepcionou, faltou força de vontade até nos gestos. O legal mesmo foi a nota alta e que ela deu uma valorizada na sua banda e colocou o clipe deles.

Mari: Valorizo sempre as tentativas de fazer algo novo e estava curiosa pra ver a versão de Toxic da Jackie, porque já temos uma versão dessa musica marcada no programa. E sendo honesta, eu não troco a versão da Melanie por isso daí de jeito nenhum. Achei as tentativas de sensualizar super estranhas, faltou potencia vocal, ela deu umas escorregadas em algumas notas, ficou ofegante e me passou a impressão de que ela tava o tempo todo tentando mostrar mais atitude que bons vocais. Enfim, detestei.

[TEAM BLAKE] Spensha Baker – “Down On My Knees” by Trisha Yearwood

Gerson: Eu adoro o timbre de Spensha, mas acho tão desperdiçado nessas músicas que ela canta. Hoje foi mais uma amostra disso. Foi lindo, a voz dela estava maravilhosamente bem, mas a música super limitada, atrapalhando tudo. Sinto Spensha muito presa, focada em ficar em apenas um tipo de música. Isso é muito unilateral, e me incomoda.

Marjorie: Muito melhor que semana passada! Gosto da voz dela, tem muito potencial pra ser explorado. Foi na onda da Kyla e jogou um gospel card que valorizou bem seus vocais e emoção. Consegui sentir a mensagem. Minha crítica aqui é em relação a forçação de barra nas expressões faciais (não precisava) e espero vê-la cantando algo fora da sua zona de conforto.

Mari: Talvez eu vá soar mais repetitiva aqui do que o Terrence no piano (saudades), mas eu não sei identificar a diferença das performances da Spensha. A mim parecem todas muito parecidas e de certa forma me cansa. Ela nunca canta mal, mas também não é marcante e eu acho isso um problema sério num reality como esse.

[TEAM ALICIA] Christiana Danielle – “Say Something” by A Great Big World & Christina Aguilera

Gerson: AAAAAAAAAAAAA Amém, irmãos! Christiana parou de inventar e fez o que sabe. Eu já tava cansado dela cagando minhas músicas. Hoje ela foi maravilhosa! Colocou o timbre pra jogo, fez uma versão que não lembrou em nada a original, deixou tudo muito lindo. Eu vejo potencial e vejo talento em Christiana, espero que ela possa mostrar versatilidade, agora.

Marjorie: QUE HINOOOOO! Já estava preocupada com a Chris em não estar entregando grandes performances, tem uma puta voz que precisa de ótimas songchoices e eis que chega com “Say Something” pra derrubar forninhos e me fazer literalmente arrepiar e chorar! Foi lindo, foi conciso, potente e emocionante. I feel you, baby!

Mari: Sabem o que eu acho legal na Christiana? É que as inflexões e características dela mudam tanto a musica que eu demoro uma vida pra identificar o que ela ta cantando. Sabem o que eu não acho legal na Christiana? É que as inflexões e características dela mudam tanto a musica que eu demoro uma vida pra identificar o que ela ta cantando. É isso ela me confunde de tão diferente que é, mas eu adorei isso aqui. Say Something é uma canção com uma letra muito forte, e a Chris soube aproveitar isso muito bem, estava muito conectava e os vocais foram lindíssimos. A melhor até aqui.

[TEAM KELLY] D.R. King – “White Flag” by Dido

Gerson: Queridinho, tu nem tinha que estar aqui. Ainda vem aqui cagar com esse hino, com essa música maravilhosa. Kelly, tu tava muito loca quando decidiu escolher esse homem! Gente, pra mim essa foi a pior performance da noite, de longe. Tudo errado! Abordagem, songchoice, conexão, etc. E esse cabelo, D.R. tava parecendo o próprio DJAVAN! EU QUERO MORRER! HAHAHAHA

Marjorie: Comentando sobre DR por obrigação… A prévia de 10 segundos tava até aceitável, mas ao vivo foi desastre. O início foi ok, mas depois caiu a qualidade e os 30 segundos finais foi uma dor pra ouvir. Uma música tão boa pra ser desperdiçada dessa forma só me faz querer desejar o bottom pra ele.

Mari: Jesus, o que foi isso? Achei catastrófico, que péssima songchoice pra voz dele. Dr escorregou demais em algumas notas, desafinou, saiu do tom, não conseguiu passar qualquer sentimento cantando e eu fiquei bem desconfortável o ouvindo dar uns gritos aleatórios. Credo.

[TEAM ADAM] Sharane Calister – “In My Blood” by Shawn Mendes

Gerson: Sharane tem surpreendido. Hoje ela surpreendeu de novo. Eu achei que ia ser um desastre pesado, mas até que foi razoável. Claramente ela estava fora da zona de conforto, claramente a songchoice não ajudou, mas ela conseguiu entregar algo bacana ainda. Incrível como Sharane lembra muito a Brooke, da última temporada.

Marjorie: Ai Sharane… Depois da sua melhor performance, era pra ter mantido o nível. Não foi ruim, enquanto no pedestal ela foi bem, 1º refrão foi ok, mas depois foi um show de semitonadas e aquele falsete ridículo não deu pra defendê-la. Miga, melhore na próxima e salva esse team Adam!

Mari: Sharane foi muito bem nos playoffs e chegou aqui sem ninguém imaginar. Fiquei chateada, mas vida que segue. In My Blood musica do momento do Shawn e não vou dizer que ela foi mal, até porque ela cantou até bem, mas eu não consigo me conectar a Sharane. Eu senti que as notas do refrão não saíram exatamente como o planejado, mas pelo menos ela não chegou a cometer nenhuma desafinação. Não sei se vai ser o suficiente pra garantir vaga o top 11.

[TEAM BLAKE] Pryor Baird – “Pickin’ Wildflowers” by Keith Anderson

Gerson: Eu juro que tento! Juro que tento gostar de Pryor, principalmente por ele ser Team Blake. Mas eu não engulo essa mesmice dele. Ele se escora nessa guitarra e na rouquidão da voz de uma maneira terrível. Preguiça, apenas! Hoje foi mais uma performance morna, totalmente básica, fazendo o que ele faz sempre. Mais um que é muito unilateral nesse Top 12.

Marjorie: Adoro a voz rasgada e essa vibe rockeira dele, mas sinto que Pryor já ofereceu tudo o que tinha e não teremos mais novidades. Hoje ele apagou o desastre que foi cantar Dolly Parton, mas também não foi um primor como “I Am Wrong”. Curti, foi consistente, tava no clima da música mas preciso ver algo diferente dele, talvez algo que explore seus registros baixos.

Mari: Pryor foi minha segunda blind favorita da season, mas de lá em diante eu só olho pra ele e penso: Chato pra caramba. Eu gosto muito da voz dele, mas tenho achado muito mal aproveitado, mas hoje foi talvez a que ele mais se aproximou da blind, pelo menos eu não achei tão entediante como as anteriores. Porém, preguiça imensa e saudades do Wilkes que é o verdadeiro dono da vaga.

[TEAM KELLY] Brynn Cartelli – “Up To The Mountain” by Patty Griffin

Gerson: Depois do desastre de semana passada, Brynn estava devendo. A performance foi bem construída, foi bem trabalhada, vocal e emocionalmente. Se na conexão com a música Brynn foi muito bem, entregando algo muito bom, do ponto de vista vocal ela teve problemas de novo. As notas mais altas ainda são sua maior dificuldade, e ela precisa de ajuda pra controlar e consertar isso o quanto antes, se quiser ter chances de chegar à final.

Marjorie: Menina que bom que você se redimiu! Foi uma ótima escolha, amei os graves e vi que ela tava mais segura no palco. Tirando uns dois high notes que saíram totalmente descontrolados (e isso ela precisa urgente corrigir), ela foi ótima, boa parte da performance estava conseguindo se conectar. Vai apostando no sentimental e controlando mais seus agudos que você vai longe, Brynn!

Mari: Brynn é a favorita pra vencer, mas sinceramente já até agora eu não vi esse potencial todo que todo mundo vê. Ela é muito inconstante vocalmente, hora acerta umas notas dificílimas, hora erra outras que incomodam muito. Enfim, ela é muito nova e ainda vai melhorar muito, mas pra winner com W eu acho que ainda falta um longo caminho.

[TEAM ADAM] Jackie Verna – “I’m With You” by Avril Lavigne

Gerson: É inevitável pensar em Cassadee, minha gente. Muitas pessoas não gostam, mas foi uma performance bem parecida. Eu não sou fã do timbre de Jackie V, achei que ela teve problemas nas notas mais altas, principalmente no refrão, mas conseguiu contornar e entregou uma performance além do que esperávamos. Parabéns!

Marjorie: Por motivos de gosto pessoal, não consigo olhar com simpatia essa menina. Voz muito anasalada, porém aqui ela até foi bem, uma música difícil que a permitiu explorar sua extensão e agudos. Só que por ser uma música fora da caixinha, senti que ela estava desconfortável e um pouco insegura, o que afetou totalmente sua conexão. Rainha Cass mandou lembranças.

Mari: Porque ela escolheu essa musica eu não sei, mas até que ela foi bem. Eu não sou a maior fã da voz da Jackie, acho meio irritante, mas tento dar um voto de confiança. Achei ela um pouco tensa, ela foi melhor nas notas altas do que quando descia o tom. Sinto que ela esta ameaçadíssima, pois countrys no team Adam não costumam ser adotadas pelo publico americano e Jackie já não era um das favoritas mesmo.

[TEAM ALICIA] Britton Buchanan – “Small Town” by John Mellencamp

Gerson: Britton está mortinho! Que desastre. Música horrível, apresentação pior ainda. Vocalmente, Britton foi um desastre. De longe, sua apresentação mais fraca, totalmente irregular, com problemas de respiração e tal. A música também não empolgou, não levantou o público. E isso atrapalhou, porque ele ficou nervoso e deu pra notar. Britton acabou fazendo uma das piores da noite, na minha opinião.

Marjorie: Migo, country não é pra você. Britton é um candidato que tem muito a oferecer, mas aqui ele ficou bem apagado e senti um total de 0 coisas que nem me fez balançar a cabeça. Não sei se estava nervoso mas algumas notas foram fail. Achei bem perdido e Alicia, em nome de Jesus, ajuda esse menino a brilhar pq ele tem star quality.

Mari: Britton porque se matando desse jeito? Não tinha uma musica menos chata pra você cantar não? A canção ficava repetindo Small Town toda hora e parecia que eu tava uvindo a performance dele naqueles discos de vinil arranhado. Gosto da voz do Britton, porém ele já parou de me impressionar faz tempo.

[TEAM BLAKE] Kyla Jade – “One Night Only” by Jennifer Hudson

Gerson: Pois olha! Não esperava Kyla no pimp spot, e não esperava Kyla entregando uma das melhores da noite. Kyla tem muito controle vocal e presença na voz. Ela conseguiu mostrar tudo isso, com graves bem trabalhados, agudos bem executados, entrega, interpretação… Foi um espetáculo, sem dúvida! Vamos torcer pra ver mais performances assim!

Marjorie: EU TÔ NO CHÃO, VIADO! Kyla, minha fav do Team Blake, conseguiu superar sua performance linda dos Playoffs e a bixa simplesmente me deixou com a mesma cara que Alicia! Que controle, que força, que emoção… Olha os notões que ela alcançou e principalmente os graves que ela fez! Emocionada até agora, depois de rever a melhor performance do top 12. JHud orgulhossísima com certeza e eu escolhi te amar, Kyla <3

Mari: One Night Only hino que eu tinha certeza que Kyla cantaria. E ela foi muito bem. O inicio mais contido, pra depois ela começar a subir o tom foi muito bem construído. As notas altas bem executadas como sempre, o tom grave dela é muito bonito de ouvir, mas esperava um pouquinho mais. Porem achei uma das melhores da noite facilmente.

E assim finalizamos o primeiro Live Show da temporada, galera O que vocês acharam? Pra mim, foi uma noite de surpresas. Algumas boas, algumas ruins. O programa começou muito bem, com todos entregando um nível bacana, mas aí começou a oscilar, e tivemos até favoritos (Britton) entregando coisas péssimas. Felizmente, pra mim tá bem claro que D.R. deve ser o eliminado da semana.

Voltaremos em breve com os resultados. Enquanto isso, não deixe de votar na nossa enquete:

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu