Posts Populares

The X Factor UK – S14E15/16 – Judges’ Houses

Hora de definir nosso Top 12!

Fala, pessoal! Depois de um excelente 6cc, chegamos a Judges’ Houses, última etapa antes da tão esperada fase de live shows. E eu estou aguardando MESMO, viu? Já que o X-factor tem o poder de fazer grande parte dos artistas evoluir bastante durante os shows ao vivo e espero que esse ano não seja diferente.

Esse ano, a JH foi gravada e já adianto que fiquei muito satisfeita como nível do programa. Na primeira noite, Os overs foram com Nicole e o convidado Stormzy para a África do Sul e as girls foram com Sharon e seus filhos. Na segunda noite, os boys foram para Istambul com Louis e Mica e os groups foram para a África do Sul com Simon e a gratíssima da Cheryl.

Bom, pra avaliar as performances, comentam comigo hoje Rickson, também conhecidos como os paneleiros Ricardo e Gerson.  Vamos começar logo, pois são 24 apresentações no total. 😛

Overs | Nicole Scherzinger

Kevin Davy White – “Puzzle of Love” Original Song

Tati: Eu valorizo demais original songs, gente! Ainda mais quando é gostosinha assim. A voz de Kevin é muito boa, porém achei tudo tão corrido que não deu pra apreciá-la quanto eu gostaria e achei a última nota um pouco forçada, às vezes menos é mais. Mas eu entendo, que existe uma pressão enorme para agarrar a última chance antes dos live shows. Eu gostei, não achei a melhor apresentação dele, mas foi suficiente.

Gerson: Kevin é um dos mais fortes da categoria pra mim, mas hoje não posso perdoar essa songchoice. Em meio a tantas músicas originais nessa temporada, a dela foi muito ofuscada. Achei bem ruim, principalmente aquela nota esticada no final. Totalmente desnecessário. Não posso negar que a voz dele é ótima, mas hoje não rolou.

Rick: Que pisão! Apesar daquele final exagerado, a música é maravilhosa e ele cantou muito bem na maior parte do tempo. Sinceramente, eu fiquei bem surpreso com Kevin, por essa performance ele merece muito continuar no programa.

Berget Lewis – “Clarity” by Zedd

Tati: Acho que Berget quis mostrar versatilidade, né? Trouxe uma música diferente do que vinha apresentado e poderia dar certo. Mas, gente errar a letra numa fase dessa é meio tenso. Ainda mais quando estamos falando de uma cantora mais experiente. Depois que ela se estabilizou, ela até cantou bem, mas para uma performance tão curta, esquecer a música é um tiro no pé.

Gerson: Eu senti Berget injustiçada pelos comentários dos jurados nas rodadas anteriores, mas também não deu pra defender o erro dela aqui. A songchoice era arriscada, mas o nervosismo a pegou e se enrolou toda. Nas partes que conseguiu cantar foi bem, mas depois da cagada já era carta fora do baralho.

Rick: Ai gente, como que Berget foi me esquecer a letra dessa música? Poxa vida… Ela cantou tão bem, mas ficou toda desconcertada depois que esqueceu a letra. É foda ver uma situação dessas, mas pelo menos ela conseguiu dar a volta por cima e cantou muito bem.

Slavko – “On The Floor” by JLo

Tati: Eu não acredito que esse Joke chegou tão longe, gente. Sério, a Nicole disse pra Stormzy que ele não possui uma voz poderosa (jura, gata?), mas que ele entretem. Não entretém não, filhinha! Ele é tão ruim, que nem isso faz e tem danças bem fracas. Enfim, mais uma performance esquecível, embora não tenha sido tão ruim como as outras que ele entregou até aqui, mas espero que ele não passe.

Gerson: Chegar até aqui com esse cara fazendo essas bostas que ele faz, ninguém merece. Hoje foi mais cagada que ele sempre faz. Vai rodar essa trança em outra vizinhança, pelo amor de Deus!

Rick:  I can’t gente hahahahaha O cara canta muito malzinho, e só ta ali pra dar o close mesmo… Acho que Nicole não será tão doidinha de arrastar esse cara pros lives né? Mas enfim, a gente solta umas risadas até aqui (e se ele for pros lives a gente só chora).

Matt Linnen – “Everybody’s Free” by Rozalla

Tati: Matt, meu filho, queria estar aí pra gente sair correndo pelas colinas, juntinhos e felizes. Enfim, a voz de Matt estava linda como sempre, mas achei que foi uma escolha muito errada. Apesar de ele ter tentado, acho que ele não conseguiu extrair tudo que poderia da musica e acabou que tivemos uma apresentação morna em alguns momentos. Não foi ruim, obviamente, mas foi um dos acts que menos gostei.

Gerson: Outro que me chama muita atenção na categoria é Matt, por sua voz maravilhosa. Eu adorei a música escolhida, achei a colocação da sua voz muito bem-feita. Considerando todos da categoria, achei sua apresentação a mais consistente, intercalando momentos de grandes notas com momentos de vulnerabilidade. Gostei demais!

Rick: Meu boy magia sapão me decepcionou um pouco… Não gostei da escolha da música, acho que não combinou com ele. Sinto falta dele com um violão, e umas canções mais voltadas pro seu nicho, tipo Impossible. Enfim, de toda forma ele merece continuar, pois ele tem potencial pra ser o grande nome dos Overs.

Talia Dean – “Do You Really Want To Hurt Me?” by Culture Club

Tati: Minha Talia esta vívissima! Finalmente senti a bichinha totalmente conectada com a música e sem muito nervosismo. É essa linha que gostaria que ela seguisse no programa e fico feliz que ela tenha sido tão segura numa fase como essa. A voz estava maravilhosa e aquela nota longa na metade da música foi perfeita. Enfim, a melhor apresentação da categoria pra mim.

Gerson: Não dá pra negar o apelo de Talia com o público. Não acho ela perfeita, mas gosto muito da sua voz e da sua maneira de cantar. O problema, hoje, foi o tanto de semitonada que ela deu. O figurino foi um problema também, mas deixa pra lá haahahhaha Considerando os demais, Talia ainda estaria no meu Top 3 da categoria.

Rick: Cantou muito bem, e escolheu uma música bem bacana. Eu acho Talia bem diferente, mas sei lá… Ela é boa, mas não consigo ver ela fazendo muita coisa nos live não. Enfim, quem sabe ela pode surpreender né?

Tracy leanne Jefford – “You’ll Lose A Good Thing” by Barbara Lynn

Tati: Tracy me agradou com seu início, mas fui desapegando com o tempo. Acredito que seja pela voz um pouco irritante às vezes. Inclusive, tem vez que acho isso um pouco forçado, como foi nessa apresentação, que não me cativou em nadinha. Pra mim foi uma das piores apresentações dela.

Gerson: Tem algo nessa mulher que me deixa confuso. Ela parece brasileira, tem um sotaque que me lembra o sotaque latino, tem uma aparência engraçada, e uma voz super cortante e estridente. Ela tem que tomar muito cuidado com as songchoices, como foi hoje. Fez algo mais básico que encaixou no seu timbre. Não foi o pior dela, mas achei dispensável.

Rick: Ela tem uma voz muito charmosa e bacana, mas não vejo nenhum potencial nela. A apresentação em si foi boa por conta da sua voz bem diferente, mas é difícil, de imaginar essa moça fazendo algo estrondoso nos lives com sua voz bem peculiar, que mesmo sendo boa, não permite ela sair muito da sua zona de conforto.

.

Depois das apresentações, Nicole, que estava linda por sinal toda selvuda, chamou um a um e deu o feedback dizendo se passaria ou não. Ela, como sempre, foi muito humana em seus comentários com os artistas e escolheu os seguintes acts:

Matt Linnen – Kevin Davy White- Tracy leanne Jefford

Concordei muito com as escolhas, embora eu ache que Matt e Kevin tenham timbres muito parecidos e precisam cantar músicas diferentes, para não soar a mesma coisa. Já Tracy, minha gente! Claramente uma intrusa pegando o lugar da melhor artista do time, que teve a melhor apresentação, a Talia. Pra mim, Nicole errou demais. Mas bora continuar a review, pois logo depois pegamos o avião pra San Francisco pra assistir a melhor categoria até então.

.

Girls | Sharon Osbourne

Holly Tandy – “Russian Roulette” by Rihanna

Tati: Princesinha Holly hoje veio mais básica e emocional e eu gostei bastante, viu? Percebi que ela estava bem conectada com a música e os vocais estavam bastante agradáveis. Não fui nada uau, mas foi aquela apresentação suficientemente boa.  Pra mim, Holly é uma das artistas mais consistentes até aqui e acredito que ela possa fazer bonito nos lives.

Gerson: Que hinooooo! Holly é uma das meninas mais completas desse ano, e ainda escolheu uma música ótima e muito difícil de cantar. Não por menos, ela arrasou! Vocalmente ótima, com atitude, passando a mensagem da música. Já posso comparar Holly com Louisa Johnson ou ainda não tá liberado?

Rick: Pisa menos meninaaaa!!! Minha relação com Holly está sendo de uma crescente absurda. Na sua audição eu não gostei dela, depois a cada performance ela foi me conquistando, até chegar nessa que sem sombra de dúvidas foi minha favorita. A voz dela é poderosa, muito bem controlada e muito madura para sua idade. Se eu quero essa menina indo longe, e quiçá vencendo esse programa? Quero sim! Arrasa nos lives molier. <3

Rai-Elle Williams – “Somebody That I Used To Know” by Gotye

Tati: Essa menina é incrível, socorrooo! Pegou uma música totalmente batida e colocou sua identidade até com um rapzinho. Gostei demais da parte mais lenta, com bons vocais e achei que o rap deixou a apresentação mais divertida, até um pouco diferente do que estamos acostumados. Enfim, amei! Uma rainhazinha que vai brilhar muito nesse programa.

Gerson: Não posso dizer que foi ruim, mas Rai-Elle descaracterizou muito a música. Aquele rap no meio totalmente desnecessário. Ela tem potencial, tá na cara, mas as escolhas erradas podem derrubá-la, como essa.

Rick: Um hino atemporal desses bicho? Eu gostei da ousadia de colocar um rap original na música, e achei que combinou bastante. Entretanto, vejo um problema da Rai nas notas graves, acho que ela tem uma certa dificuldade… Mas tirando isso, ela foi ótima, com umas entonações maravilhosas e melismas muito bem executados.

Alisah Bonaobra – “Lay Me Down” by Sam Smith

Tati: Cansadíssima de Lay Me Down e por já ter ouvido tantas versões fica difícil me apaixonar por uma nova, por mais que Alisah não tenha feito nada errado. A voz dela estava boa, mas senti total de zero coisas enquanto ela cantava. E esse meu problema com ela, é uma ótima vocalista, mas que apresenta sempre o mais do mesmo.

Gérson: Alisah arrasou com essa música! Mas, como Sharon falou, as escolhas de Alisah acabam se tornando muito unidimensional. Ela tem uma voz, isso nós já vimos. Agora ela tem que mostrar o que mais pode fazer. Pra mim, ela não tem o X Factor, mas pode vir a ter, com algum trabalho.

Rick: Gente, eu tenho um rancinho dela, mas também uma pena dela… A pobi ta ai toda rodada saindo e voltando, se esforça, canta bem, mas não vai pra frente. Enfim… Sobre a performance eu achei que estava indo bem, mas daí acabou caindo naquele marasmo exagerado de quem tenta cantar uma música do meu mozão Sam. (Eu estou sendo muito bonzinho, pois vocês sabem que eu pego pesado com quem canta Sam Smith né?). Dessa vez eu vou também criticar a backing vocal que avacalhou o negócio ali naquela nota aguda desordenada… Ficou muito feia, deuzolivre.

Grace Davies – “More Than You” Original Song

Tati: Essa menina merece um destaque especial só pelo fato de construir uma trajetória com um repertório único. Isso não é pra qualquer um, ainda mais que as músicas são ótimas. A songchoice é linda e eu estava gostando da apresentação até que Sharon a interrompeu pra falar sobre alguns vícios que ela possui na hora das transições entre notas. Concordo com Sharon, mas isso poderia ter sido falado ao final da apresentação. Na segunda tentativa, ela estava totalmente emocionada (e nervosa, eu acho) e eu me arrepiei todinha, apesar de não ter sido uma apresentação vocalmente perfeita.

Gerson: Grace tem uma habilidade incrível em escrever músicas. A voz dela também é maravilhosa. Agora, ela cantar as músicas que escreve, se emocionando durante as apresentações, isso pode derrubar ela. Ela precisa saber o momento certo de fazer cada coisa. Espero vê-la com músicas mais animadas também, mas ela é minha fave!

Rick:  Minha menina me decepcionou um pouco essa rodada… Primeiro que eu concordo com a critica que a Sharon, Grace às vezes força muito nessas firulas que ela faz. Segundo que ela se deixou levar muito pela emoção, e não ficou legal, sua voz não saia… Enfim, espero que minha menina se recupere totalmente nos lives, e mostre pra todo mundo que ela é muito talentosa e que merece ir longe nessa competição.

Georgina Panton – “In The Air Tonight” by Phil Collins

Tati: Uma songchoice bem errada viu? Pensava que GG viria com algo mais potente, pra chegar e arrepiar, mas essa música a limitou demais. Mesmo assim, como sempre, ela entregou ótimos vocais, mas a sensação que tive é que ela poderia ter entregado bem mais.

Gerson: A voz da Georgina me irritou muito nas outras fases. Eu achei sempre too much. Nessa apresentação, no entanto, ela conseguiu me ganhar. Colocou bem sua voz, passou a mensagem da música. Adorei a música, diga-se de passagem. É o suficiente pra ser Top 3? Acho que não, mas ok.

Rick: Eu esperava outras músicas para GG, mas enfim… Foi boa, mas não chegou ao nível de suas outras performances. Acho que aqui era hora de ela mostrar ainda mais ousadia, e não foi isso que tivemos, ela veio bem contida, o que pode acabar tendo a prejudicado.

Deanna – “Dive” by Ed Sheeran

Tati: Gente, Deanna fez esse drama todo pra isso? Detestei quase tudo. Dive é um hino e pra mim Deanna não soube valorizar, achei que foram firulas demais, mas emoção de menos. Ela disse que queria fugir da sua zona de conforto, mas escolheu uma música grande mais para o momento. Sem dúvidas, foi a girl que menos gostei.

Gerson: Mais uma decepção nessa fase da competição. Eu amei Deanna nas rodadas anteriores, tanto que ela era minha torcida pro Top 3 da categoria. Porém, acho que ela estava abalada pelos problemas de seu país, e não conseguiu mergulhar de cabeça na apresentação. Escolha musical erradíssima, cantando abaixo do tom, nervosismo… Tudo atrapalhou. Uma pena! Ah, adorei Sharon e Kelly dando carinho pra minha menina <3

Rick: Depois de todo drama card, eu esperava uma performance arrebatadora, e não foi isso que foi apresentado pra mim. Ela foi muito bem, mas foi tão comum quanto Alisah. Na verdade, eu acho que Deanna precisa se encontrar melhor como artista, eu não consigo defini-la nem como diva powerhouse, nem como pop, nem como alguém que só canta baladas (que no caso seria as divas né? Ops haha).

.

Depois da última apresentação, Sharon chamou as garotas uma a uma e escolheu os seguintes artistas, nessa ordem:

Rai-Elle – Holly – Grace

Que pisão de top3. Não por essa noite, em que não tivemos nenhuma apresentação sensacional, mas pelo conjunto da obra. Eu acredito que essas, de fato, sejam as melhores girls e por isso fiquei satisfeitíssima com o resultado, poi eu AMO as três.

Na segunda noite de programas, tivemos os grupos e os boys fazendo suas apresentações.

.

Groups | Simon Cowell

The CutKelvins – “Havana/Mi Gente” by Camila Cabello/J Balvin

Tati: Que mashup maravilhoso! Até que enfim eu amei real esse grupo. Até então, sempre ficava na dúvida, pois pra mim a menina é muto boa e os garotos são totalmente dispensáveis, mais pela primeira vez mais sintonia entre os três e gostei bastante. Eu acho a garota muito boa e pra mim ela destruiu nessa apresentação.

Gerson: AAAAAAAAAA, que grupo maravilhoso! Eu amo esses 3, amei em todas as fases, principalmente pela proposta. Mas hoje foi tudo errado. Escolha musical cagadíssima! STOP HAVANA 2k17! Só a menina ali cantou, enquanto os outros irmãos ficaram de banda de apoio, sendo que eles têm um grande talento também. Fiquei frustrado.

Rick: No inicio eu estava achando bem ok, mas ai eles subiram esse tom, e ficou sensacional, energia altíssima e uma interação bacana dos três. A escolha da música pra mim poderia ter sido melhor, mas de qualquer começaram o programa mandando bem.

Lemonade – “Praise You” by Hannah Grace

Tati:  O início estava agradabilíssimo, mas confesso que as partes mais altas me pareceram um pouco gritadas demais, ao ponto de me incomodar um pouco. De qualquer forma, é nítido que todas elas tem uma voz bem legal e que podem funcionar muito bem juntas, tantos que elas fizeram de tudo para demonstrar nisso nessa apresentação.

Gerson: Oxe, não dava nada pra essas meninas e foram bem! Festival de high notes e firulas, que não gosto, mas tudo bem. Não dá pra negar o talento delas, mas não sei se têm o espírito de girlband. Btw, odeio essas apresentações a capella. Me cansa demais!

Rick:  Minha nossa, que tiro foi esse? Chegaram na ousadia, e mostraram somente o poder de suas vozes e harmonias, e que arraso que foi viu… Acho que isso mostra o potencial delas, além do fato de não serem genéricas. Elas ainda podem melhorar, mas no nível em que já estão, ao meu ver elas seriam fortes candidatas nos lives, além de poder trazer algumas propostas bem interessantes.

New Girlband – “Misbehaving” by Labrinth

Tati: Elas são boas individualmente, já falamos aqui, mas em grupo elas precisam evoluir muito ainda e isso ficou nítido nas partes em conjunto. A escolha foi acertada, mas faltou mesmo um pouco de sintonia entre elas, pois algumas partes ficaram um pouco confusas. Mas justiça seja feita pela parte do rap, que foi bastante divertida e bem executada.

Gerson: O problema aqui é o excesso de pessoas. Olha como todas quiseram se destacar durante a apresentação. Isso acaba cansando o espectador. Acho elas muito boas, mas não sei se elas estão prontas como grupo pra seguir na competição.

Rick:  Apesar de umas confusões ali no meio da música, e de sentir uma delas meio perdida, elas mandaram muito bem. Escolha de música ótima, vozes e harmonias no ponto. Merecem continuar, vejo potencial nelas.

Jack & Joel – “Get The Party Started/Get Your Feak On” by Pink/Missy Elliot

Tati:  Eu amo esse grupo real e acho a voz de Joel uma delícia. Parece que eles quiseram vir com uma versão mais suave, pra mostrar um novo lado e eu gostei bastante, viu? Achei também que as divisões foram bem feitas e cada um pode brilhar dentro do seu estilo, diferente de outras duplas desse mesmo programa haha.

Gerson: AMEI A SONGCHOICE! Eles têm poder de animar e tal, mas tem alguns detalhes nessa apresentação que me incomodaram. O rap, sem nada a ver com a música, e um só cantando boa parte, não sei se funcionou pra mim. Como disse Simon, eles são mais entretenimento do que qualidade.

Rick: Apesar das escolhas de música bem inusitadas, eu gostei muito do mashup. A energia foi ótima, as vozes estavam no ponto e esse violão da uma diferenciada nesse estilo de dupla. Eu gostei bastante mesmo, mas caso eles avancem, será um desafio interessante trabalhar com eles nos lives.

Rak-Su – “Palm Tree” Original Song

Tati: Pra mim, é o grupo  mais bem preparado pra enfrentar os live shows e já amei de cara quando fiquei sabendo que eles viriam com música original. Eu só não esperava que seria tão gostosinha! Eu amei a vibe, socorro. Bem atual, muito estilo latina e achei isso sensacional. Eles são muito bons na parte do rap, só necessitam melhorar as harmonias e como a Cheryl disse, não custa nada implementar uma coreografia ali.

Gerson: QUE HINO DE BANDA! QUE HINO DE MÚSICA! Eu não me canso deles! Até agora nenhuma song original ruim. Hoje eles arrasaram demais, fazendo a melhor performance da categoria. Rolou até passinho. Eles têm qualidade vocal, têm swing, têm habilidade de criar músicas, têm presença de palco. O lugar deles nos Lives Shows é certo!

Rick:  Essa música foi bem mais aceitável que as das suas últimas apresentações. Eu particularmente me canso fácil desse estilo “festeiro” de grupo, mas os caras mandam muito bem na sinergia, e, além disso, passam um ar bem autêntico, coisa que eu acho difícil de achar em grupos nos realitys. A finalização da performance foi ótima, deu uma quebrada legal na música.

Sean & Conor Price – “What About Us” by Pink

Tati: Eu ainda não sei  o que sinto por esses irmãos, pois um deles tem uma voz incrível e outro nem tanto. Eles até funcionam bem juntos, mas sinto que eles são um pouco comuns. Eu até gostei da apresentação, mas por que só um deles cantou, hein? hahaha Enfim, dos seis grupos, não são meus preferidos, mas acredito que, caso vão pra frente, eles possam ser bem trabalhados.

Gerson: Adoro os irmãos. Acho eles muito fofinhos, atrás do sonho deles. Acho que eles ainda não se encontraram como uma dupla, mas estão no caminho. Adorei a songchoice de hoje, mas só um irmão cantou. Isso conta na avaliação né, pois teoricamente estamos avaliando um duo. Eles têm potencial, isso é fato.

Rick:  Um hino de música, amém por essa escolha, agora sobre os rapazes… O boyzinho principal cantou muito bem, e a apresentação teria sido bem melhor se só ele tivesse cantado, e o do violão tivesse ficado com a boquinha fechada, mas foi ele forçar aquela voz lá e acabou estragando tudo. No geral foi bom, mas peguei ranço do boyzinho do violão, pra que fazer isso com a música moço?

.

Depois de todas as apresentações, Simon revelou que levaria esses nomes:

The CutKelvins – Sean & Conor – Rak-Su 

Como já disse, pra mim, os grupos não estão tão preparados. Mas gostei das escolhas de Simon e acho que ele fez escolhas bastante estratégias. Senti falta de uma girlband e acho que ele sofrerá bastante com isso, já que o público já demonstrou gostar bastante desse tipo de manda. 

.

Boys | Louis Walsh

Aidan Martin – “One Last Time”  by Ariana Grande

Tati: Meu ruivinho, irei sempre defender! Aliás, quase sempre, pois apesar de eu amar a voz e o jeito mais intimista dele, não gostei tanto de dessa versão mais lenta de One Last Time. Além disso, achei que ele falhou em algumas partes, principalmente nas mais altas. Não foi ruim, mas ele já fez apresentações bem melhores.

Gerson: Oh menino, como tu escolhe uma música cheia de high note se tu não alcança essas notas? Cê tá doido? Achei as partes baixas agradáveis, mas quando ele quis subir a música, no refrão, deu ruim. A voz de Aidan também não me apetece muito não.

Rick: O inicio foi bom, mas depois Aidan começou exagerando muito nessas notas altas, ficou tudo muito apelativo e forçado, e eu não vejo sentido de fazer isso nessa música. Poderia ter sido bem melhor…

Sam Black – “Hard To Handle” by Otis Reading

Tati: Olha, gostei bastante da ousadia da dancinha e eu acho a voz de Sam uma delícia, mas poderia ficar melhor em uma song choice mais atual ou melhor pensada, viu? Eu gosto muito dessa música, mas ficou tudo um pouco deslocada, apesar de parecer que ele se divertiu pra valer. Enfim, foi a apresentação que menos gostei dele.

Gerson: Eu to berrando que Sam chegou aqui sem lutar pelas cadeiras HAHAHAHAHA Não vou mentir, adorei a apresentação. Teve dancinha, teve alto astral, teve vocais bons. Vamos só combinar que ele precisa escolher músicas mais recentes né.

Rick: O pobi… Foi bem ruim gente, desculpa. Ele é bonitinho e tudo mais, mas não da pra defender muito cantando e dançando desse jeito né. Foi bem ruim, não apresentou vocais bons e só foi engraçadinho mesmo.

Leon Mallett – “Dreams” by Gabrielle

Tati: Outro que, ao meu ver, foi prejudicado pela song choice. Eu gosto muito de Leon e acredito de verdade que ele tem um futuro legal daqui pra frente. Mas, gente, essa música não ajudou ele em nadinha, principalmente pela falta de letra em algumas partes. Sem dúvidas, foi a pior apresentação dele.

Gerson: Meu favorito da categoria, pode entrar. Não gostei muito da songchoice, mas Leon tem uma pegada muito jovem, muito teen, que pode fazer ele dar certo nesse mercado atual. Voz, presença de palco e qualidade ele tem. Só espero vê-lo com músicas mais corretas pra sua voz, como foi no 6CC.

Rick: Foi uma performance bem rápida, mas pra mim foi boa o suficiente pra deixar Aidan e Sam para trás. Um rapzinho ali, e umas firulinhas acolá, e Leon conseguiu se sair bem. Uma performance consistente que tem chances de leva-lo para os lives.

Jack Mason – “Clow” by Emeli Sande

Tati: Até que enfim uma songchoice acertada. Apesar de Jack não ser meu favorito, achei que a música ficou boa pra voz dele e ele soube usá-la em seu favor. Mas, como já disse, o timbre dele me incomoda um pouco e a voz me soa um pouco estridente em alguns momentos.

Gerson: Tinha nem que tá aqui né amiga. Cagou um hino de Emeli, e já pode dar adeus à competição, porque não tem espaço pra ti aqui. Ele e Benji foram os erros da categoria na temporada, claramente.

Rick: Como que alguém pega um hino de música dessas e deixa totalmente apática, irritante e sem beleza? Foi bem ruim, com exageros e interpretação zero. Sinceramente, só decepção com essa categoria dos boys, vem salvar isso aqui Spencer.

Spencer Sutherland – “Wasted Time” Original Song

Tati: Estou falando que esse povo está arrasando com músicas originais, minha gente? Que coisa maravilhosa, viu! Eu adorei a música, a melodia e principalmente a interpretação de Spencer!  Pra mim, ele é um artista que está bem preparado para arrasar nos lives: tem uma lindíssima e é bem emocional. Acredito que se Louis souber trabalhar com ele, provavelmente, teremos um frontrunner aqui.

Gerson: Olha, de longe Spencer é o melhor da categoria. O pacote completo. Hoje, com a original emocionante, ele arrasou na conexão, nos vocais, e na letra da música. Eu adorei sua apresentação, que foi a melhor da categoria pra mim.

Rick: Estou impactado! Que song maravilhosa, e que voz… Estou seco com Spencer, ele é muito original, tem uma voz lindíssima e potencial para explorar outros estilos. Acho que depois dessa performance, ele é com certeza o front runner dos boys e se bobear de toda a competição. Como eu disse no comentário passado, Spencer veio pra salvar essa categoria migos. <3

Lloyd Macey – “How Far I’ll Go” Moana

Tati: Eu ainda não sei o que dizer sobre essa versão de uma música que eu gosto tanto, ainda não sei dizer se amei ou odiei, pois no início meu causou certa estranheza, mas acabei me acostumando na segunda vez que vi. A voz de Lloyd é bastante agradável e ele sabe utilizá-la de uma maneira legal. Só é preciso tomar um pouco de cuidado para não escolher uma música chata demais, pois o combo com a voz dele pode deixar a apresentação um pouco sem graça.

Gerson: Eu não acredito que vamos ter um Ché Chesterman esse ano de novo!!!! Odiei ele estragando minha song da Moana. Imperdoável mesmo. Acho sua voz chata, entediante, assim como suas performances. Podia rodar, que eu não reclamaria.

Rick: Pegou minha música da minha deusa Alessia e transformou em uma balada chata, monótona, feia, sem vida… ODEIEI!!! Canta até que bem, mas essa versão ficou terrível! Sinceramente, volta Benji…

.

Depois das últimas apresentações, Louis escolheu os seguintes nomes:

Sam – Spencer  – Lloyd

Ainda sem entender os critérios de Louis, afinal, Sam foi muito ruim e não fez a 6cc. Mas vamos ignorar essa parte e focar em Spencer e Lloyd que, ao meu ver, podem render boas apresentações durante a competição.

.

CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Felizmente tivemos uma ótima fase de Judges’ Houses. E, de modo geral, não tivemos tantas injustiças como eu pensei que teríamos. Tirando uma discordância ou outra, eu estou bastante satisfeita com o top 12 e minha opinião sobre as categorias é a seguinte:

GIRLS:  Pra mim, é a melhor categoria de longe e eu vejo potencial nas três meninas. Sharon foi muito coerente em ter escolhido um time diversificado e que pode agradar a diversos gostos. Daqui, eu não consigo tirar uma favorita, amo as três, mas acredito que, em termos de popularidade, Holly esteja na frente.

BOYS: Essa é a segunda categoria que tem acts que eu mais gosto e eu estou com medo de Louis dar uma de louco e estragar meus meninos. Para minhas suas escolhas foram sensatas e espero MUITO que Spencer possa evoluir durante a competição. 

OVERS: Nicole tem dois ótimos cantores, Matt e Kevin, e uma artista bastante datada, a Tracy, que pra mim não deveria nem estar aqui. Mas, tudo bem, nem tudo é perfeito. Acredito que os dois artistas masculinos desse team possam render bastante, principalmente se Nicole souber escolher as músicas corretas para cada um deles. Meu favorito aqui é Matt, mas acho Kevin um artista incrível. 

GROUPS: Que osso, hein, Simon? Não vai ser fácil conduzir essas bandas! Não pelo talento de cada um deles, que é perceptível, mas por que, com exceção de Rak-su, vejo todos eles muito imaturos ainda.

E temos novidade! Este ano, o programa decidiu trazer 1 Wildcard pra cada categoria, dentre os 3 eliminados nas JH. Dessa forma, dos Overs podem voltar Talia, Slavko ou Berget; dos Boys podem voltar Leon, Jack ou Aidan; das Girls podem voltar Alisah, Deanna ou Georgina; e dos Groups podem voltar New Girl Band, Lemonade ou Jack & Joel. As votações serão feitas por telefone e pelo app oficial do programa. Outra novidade, é que parece que teremos apresentações e eliminações em cada dia de programa. Dessa forma, com mais participantes a dinâmica funciona. Vamos torcer!

Então é isso, pessoal! Animadíssima para os live shows e para ver como meus artistas vão evoluir. Espero que o programa nos reserve boas surpresas, estou torcendo! Espero que tenham gostado da review e eu volto novamente na final! Não deixem de eleger seus favoritos do WildCard e do Top 12!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu