Posts Populares

The X Factor UK – S14E18 – Live Show 2: Overs vs Groups

Chegou a hora dos Overs e dos Groups nos Live Shows!

Segunda noite de Live Shows, minha gente! Depois da eliminação precoce de Spencer, na primeira noite, chegamos ao confronto dos Overs e dos Groups. Se você perdeu algo da primeira noite, clica AQUI e confere!

Relembrando que nesta temporada, os Live Shows funcionarão de maneira diferente. Por conta de 4 WildCards, um de cada categoria, teremos o Top 16 e não Top 12. Os WildCards escolhidos pelo público na primeira noite foram Alisah Bonaobra, pelas Girls, e Leon Mallet, pelos Boys. Hoje, tivemos Jack and Joel, pelos Groups, e Talia Dean, pelos Overs. Aí entra a segunda mudança: agora temos apresentações e eliminações na mesma noite. No sábado 2 categorias se apresentam e 1 é eliminado, e no domingo a mesma coisa. As eliminações agora são diretas, sem a influência dos jurados, sendo eliminado diretamente o menos votado pelo público. O mais votado de cada noite concorrerá a um prêmio, em um sing off entre os mais votados.

Excepcionalmente, por ser o primeiro find de Live Shows, vamos ter eu e Tati, reviewers do Panelas, comentando junto com Ives e Thairo, que sempre participam conosco. Qualquer dúvida ou indignação, corre pros comentários!

[GROUPS] The Cutkelvins – “What About Us” by P!nk

Gerson: Ai gente, que triste. Meus Cutkelvins estão mortos. Pra mim, pareceu uma performance solo da menina. Os dois rapazes, parados lá, fingindo que estavam tocando, foram nulos na performance. Sinceramente, não senti nada de grupo neles. Já sinto falta das apresentações iniciais, onde todos participavam, cantavam, se jogavam. Agora pareceu replay das Judges’ Houses. Não sei nem como avaliar.

Tati: Eu amo a vibe “Chainsmokers” desse grupo! Acho uma proposta bem moderna e eles tem tudo para arrasar dentro e fora do programa. Amei de verdade a apresentação, a menina é incrível e salva muito os outros dois que não se destacam tanto. A música caiu muito bem na voz dela e acabou que tudo deu certo. Foi a performance deles que mais gostei até aqui.

Ives: MEU GRUPO TÁ VIVO AAAAAAAAAAAAA!!!!! Eu já havia deixado claro que eles são muito comerciais e que tem um potencial absurdo, mas não haviam alcançado ainda. A apresentação foi 99% maravilhosa, a única coisa que me incomodou foi como a produção exagerou no destaque da menina, mas de resto foi tudo incrível, eles estavam lindos, os vocais dela aceleradíssimos, a vibe, o visual, os dançarinos, tudo se encaixou perfeitamente, melhor performance deles by far.

Thairo: Preciso falar que o brilho que eu vi neles na Room Audition não consegui ver mais nas outras fases. Apesar de irem bem nas seguintes, nada que me impressionasse. Simon realmente fez a mudança de dar o destaque para a menina, entendo porque, mas acho que ficou meio estranho esse novo formato, ficou parecido com as performances DJ que não cante + artista e não sei se esse seria o melhor para eles. Senti falta dos agudos do irmão mais malhado, e não sei algo me incomodou na música por esse arranjo mais calmo e lento no início até explodir.

[OVERS] Kevin Davy White – “Stay” by Rihanna ft. Mikky Ekko

Gerson: Eu tava preparado pra criticar, nas primeiras notas. Tinha achado tudo errado, tudo ruim. Mas aí a música foi evoluindo e Kevin foi calando a minha boca. Até que soltou um notão falsetado ali que eu me tremi todo! Botou conexão, botou voz, brilhou! Kevin me surpreendeu com uma música que tinha tudo pra dar errado pra ele.

Tati: Aaaah, não faça isso comigo não, homi! Eu amo a voz de Kevin, gente! Uma das minhas preferidas juntas com Matt e Grace. Eu pensei que essa música não combinaria com a voz dele, mas ficou perfeita e eu senti cada palavra cantada por ele e parece que sua rouquidão deixou a música mais sentimental. E que nota aguda foi essa no final da música? Que hino! Enfim, amei de verdade!

Ives: Estou com sentimentos mistos, grande parte da performance, eu curti, mas pela primeira vez, o seu sotaque me incomodou horrores. Amo quando mudam a batida de uma música, ainda mais quando a mudança deixa a música ainda mais forte e achei o falsete um acerto. Meu problema mesmo fica com a dicção e o modo como ele estava sentado.

Thairo: Faltou sal, podia ter praticado mais da presença de palco e ter caminhado, ajoelhado, se jogado. Do meio pro final que foi melhorar mais, poderia já ter iniciado com um pouco mais de gás e ter terminado de uma forma mais grave também, gostei do agudo.

 

[OVERS] Talia Dean – “What Makes You Beautiful” by One Direction

Gerson: Só por Deus, que cagada! Talia tem uma baita voz, com muita personalidade, mas errou rude na songchoice. Uma música sem graça, que não combina com ela, e ainda em um arranjo completamente bizarro. Eu odiei, acho que nem as high notes e o timbre lindo dela ajudaram. Decepções nessa segunda noite.

Tati: Minha princesa de volta! <3 Mas voltam com ela pra cantar essa música? Jura que deixaram ela se sabotar assim? Como assim, Taila? Eu acho essa música pequena demais pra ela e acho que ela poderia cantar algo melhor e à sua altura. Odiei a apresentação, não pela voz dela, que sempre é ótima, mas pelo arranjo nada a ver, com uma música nada a ver pra ela.

Ives: Que dó, foi resgatada pelo público pra ser sabotada pela produção. Ela era a melhor Over, mas devido a bola fora que ela deu após a Judges’ Houses, fica bem claro que a produção quer ela fora. A música não combinou nada e o arranjo ficou horrível e ela me lembrou o tempo todo uma bruxa. Só um milagre ela se salvar.

Thairo: Tão feliz por terem trazido a Talia de volta, ela tem algo especial que me cativa e faz torcer por ela. Voltando para hoje, que merda de songchoice foi essa? Para passar essa vergonha, tanta música que cairia bem para você arrasar e pisar na Nicole minha linda, o tom estava baixo e parecia que tava cantando em um velório, que decepção, tá todo mundo tão meia boca hoje. Nem o final salvou, espero que você possa se mostrar melhor e consiga mais semanas.

[GROUPS] Jack & Joel – “New Rules” by Dua Lipa

Gerson: Primeiro a gente grita QUE HINO depois a gente analisa a apresentação. Vamos dizer que temos os joke acts da temporada? Que coisa horrível de assistir. Harmonias horríveis, vocais sem graça, um rap ali no meio, totalmente dispensável, e uma interpretação bem meia boca. Pra mim eles foram só energia, fizeram só festa, mas no geral foram um porre!

Tati: Dupla magia de volta e eu fiquei bem feliz, viu? Gosto muito, apesar de achar o que faz a segunda voz totalmente dispensável. Eu nunca sei o nome dos dois, mas o cantor principal é muito maravilhoso, voz legal de se ouvir e acho a entrega dele no palco muito boa. Já o outro, ao meu ver, está quase sempre perdido e isso ficou visível na apresentação. Enfim, no geral não gostei muito e isso precisa ser trabalhado, caso eles avancem na competição.

Ives: Minha dupla tá vivíssima!!! Gente, eu amei demais, tudo ficou muito legal e animado. Já aceitei que o programa venderá eles como joke acts, mas pelo menos serão o melhor joke que já teve no programa. A música ficou ótima, o rap se encaixou perfeitamente e a atmosfera ficou incrível, muito bom mesmo.

Thairo: Logo de cara já temos dois acertos: o foco nos dois e o de óculos cantando também; a songchoice sim correta e que representa eles. Falando nisso, o que aconteceu com o de óculos que hoje cantou tão ruim, ou antes eu não tinha percebido isso justamente pelo foco está no outro? O leadsinger realmente mandou bem e vejo ele fazendo sucesso.

[OVERS] Matt Linnen – “Scars To Your Beautiful” by Alessia Cara

Gerson: Eita! Que coisa maravilhosa! No início, achei que ia dar errado, já que a voz dele não combinava com a música. Mas aí ele começou a colocar seu coração na música, a interpretar de uma maneira tão singular, que foi impossível não se arrepiar. Ele acabou virando o jogo pra cima de mim e entregando uma apresentação que mostrou muito dele e do que ele é capaz!

Tati: Matt, eu te amo e não há nenhuma cicatrizinha nessa sua beleza maravilhosa! Mas achei essa apresentação fraca, amore. Eu acho que ele até tentou se conectar com a música e fez isso até bem, mas eu não consegui me sentir conectada e achei que no começo ele estava bem tenso. Mesmo melhorando ao longo da apresentação ainda assim achei uma das piores apresentações dele até aqui.

Ives: Eu amo essa musica, acho que passa uma mensagem fod# e o Matt cagou pra isso, só ficou lá dizendo palavras e se mexendo com a batida da música. Essa foi a primeira vez que eu não curti o novo arranjo, ficou forçado e não encaixou bem os vocais, pra mim foi ruim.

Thairo: Sou meio suspeito para falar desse homem com alguns botões da camisa aberta e esses olhões azuis me encarando e cantando com seu sotaque no “you are bIUtiful”, me surpreendeu com a songchoice. Foi o mais consistente até agora, teve alguns momentos de falha na voz, amei essas luzes no fundo, e gostei da apresentação no geral, só tem que tomar um pouco mais de cuidado nas próximas com o fôlego, mas nada que tenha atrapalhado.

[GROUPS] Sean & Conor Price – “Strong” by London Grammar

Gerson: Jesus, que cagada! HAHAHAHAHA Não sei se foi o nervosismo ou a songchoice, mas não funcionou aqui. Faltou parceria, faltou harmonia, faltou potência. Eu esperava mais, uma vez que eles têm muito potencial. Mas, infelizmente, não deu certo pra mim.

Tati: Eu tenho vontade processar todo mundo que estraga um hino do nivel de “Strong”. Gente, que coisa horrível foi essa? Desafinaram, não interpretaram a letra e ainda me soaram fora do ritmo em boa parte do tempo. Juro que achei a pior apresentação dos live shows até aqui.

Ives: Que horror, essa música é maravilhosa e tem uma letra linda, mas o debi e Loide tinha que estragar. Foi tudo muito ruim, eles desafinaram horrores e o rap foi horrível. Não tem o que comentar.

Thairo: Conor (o mais novo e leadsinger) parecia tá um pouco inseguro e nervoso, talvez pela pouca idade tenha afetado. Sean pela primeira vez roubou a cena, não conhecia a música e gostei dessa primeira impressão. Os dois quando cantando junto fizerem o trabalho direito e as vozes deles casam bem.

[OVERS] Tracyleanne Jefford – “Written in the Water” by Gin Wigmore

Gerson: Tem um problema com Tracy que me incomoda demais. Às vezes ela não sabe dosar sua voz, deixando-a soar muito estridente, muito gritada. Isso acaba atingindo níveis irritantes. E com essa música tivemos esses momentos acontecendo. Apesar de ela ter conseguido casar com a música e ter feito uma apresentação regular, a sua voz acabou sendo estridente demais no refrão. Se sair, não vou ficar triste.

Tati: Apesar de sua impopularidade, não tinha odiado Tracy até aqui. Pra mim, se tratava apenas de uma cantora um pouco ultrapassada, mas que cantava bem. Mas hoje a voz de Tracy conseguiu me irritar profundamente e achei tudo na apresentação datado demais e um pouco chato, o contrário do que uma música desse porte pede.

Ives: Ela não é ruim, mas nem devia estar aqui, ela é muito datada, mas não é nem um datada gritadeira não, é datada. Tudo nessa performance foi brega e a voz dela me incomoda horrores.

Thairo: Diferente dos outros dessa noite em que a maioria decepcionou ao vivo, ela veio numa expectativa diferente, para mim seria uma das piores da semana, não gostava dela, mas o que foi isso? SURPREENDEU, songchoice (que eu não conhecia) mas certíssima para ela, cantou bem, dançou bem, teve presença de palco… e eu não acredito que tô elogiando ela haha, arrasou.

[GROUPS] Rak-Su – “Mamacita” (Original Song)

Gerson: Eita! Lá vem meu grupo favorito da temporada, com mais uma música original! Adorei a energia deles, apesar de ter achado a música bem mais ou menos, dessa vez. Mas eles têm algo que outras pessoas não têm: Star Quality! Eles gritam por apelo comercial e dá muita vontade de ficar vendo eles se apresentando direto! Adorei, ainda mais que eles exploraram um pouco esse estilo latino, que tá em alta.

Tati: Eu super dançaria essa música e acho que hitaria demais, viu? Bem chicletinha chatinha, dessas que gruda na mente e quando você vê já tá remexendo tudo. Inclusive, acho que é essa a vibe que eles devem seguir dentro e fora do programa. Eu achei que eles evoluiriam no quesito presença de palco e os vocais não foram lá grandes coisas, mas acho que não é essa a principal proposta do grupo. Amei a apresentação e foi uma das minhas preferidas noite.

Ives: Eles fizeram o de sempre né? E é isso que me incomoda, todas as performances são iguais, de novo uma animada, com dois fazendo um rap, um sendo vocal e um apenas existindo, já tá chato.

Thairo: Pelo nome ficou parecendo uma tentativa de Despacito 2.0, gostei da entrada deles no painel com cores, porém não reconheci dois deles, o de amarelo e o de casaco preto, e fiquei: oxe? Achei que já tinha ocorrido igual Stereo Kicks em que uma pessoa na plateia invadiu e só foram perceber depois que tinham nove na perfomance haha. Achei bem meio boca, eles me ganharam apenas em “I’m Felling You”, e agora me perdem cada vez mais.

RESULTADOS E CONSIDERAÇÕES FINAIS

Depois de uma noite cheia de oscilações, chegou a hora de descobrirmos quem foi salvo pelo público e segue para o próximo Live Shows! Então foram salvos, nessa ordem:

KEVIN DAVY WHITE

SEAN & CONOR PRICE

RAK-SU

MATT LINNEN

THE CUTKELVINS

JACK & JOEL

Jesus, não dá pra defender o povo americano, com 2 duplas péssimas sendo salvas. Mas aqui, ter que decidir entre Talia e Tracy não seria muito difícil. Sendo justo, Tracy pisou em Talia hoje. Olhando pro futuro, vejo Talia indo melhor que Tracy na competição. Eu salvaria Tracy, porque não dá pra negar a cagada de Talia. O último act salvo foi…

TRACYLEANNE JEFFORD

Com isso, Talia Dean, que havia sido a WildCard da categoria, já se despede e vai pra casa, depois de uma performance sofrível. Vida que segue!

E foi hora de a gente descobrir quem ganhou a maioria dos votos do público e disputará o prêmio contra Grace Davis. O prêmio dessa semana era uma viagem pra New York, pra ver um show da turnê de P!nk. E o mais votado de hoje foi Rak-Su, que seguiu pra disputa contra Grace! Chegou a hora do primeiro Prize Fight!

Tanto Rak-Su quanto Grace cantaram as mesmas músicas que cantaram nos Live Shows, o que eu já achei uma merda. Poderiam ter trazido algo diferente, com mais emoção né. Mas enfim, abaixo você vê as duas apresentações.

E o vencedor do primeiro Prize Fight foi…

GRACE DAVIS

Com isso, encerramos a segunda noite da primeira semana de Live Shows. Alguns candidatos surpreenderam, outros decepcionaram, e teve aqueles que ficaram na mesma. Acredito que a eliminação do domingo foi mais justa que a de sábado, mas ainda assim foram candidatos que poderiam render muito mais ao programa do que outros.

O que vocês acharam? Concordam com as eliminações? Quem foi o favorito dessa noite, pra vocês? Votem na enquete abaixo, e até a próxima!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu