Posts Populares

This Is Us – S02E02 – A Manny-Splendored Thing

O quão difícil é ser Jack Pearson?

Para variar, mais um episódio maravilhoso de This Is Us e como o nível de qualidade é diretamente proporcional ao de destruição emocional, esse foi mais um episódio destruidor sim, de maneira diferente do anterior, mas ainda sim destruidor. Ao longo do episódio fui me perguntando exatamente o quão difícil para Jack é ser Jack Pearson, o marido perfeito, o pai perfeito, o amigo perfeito, o funcionário perfeito, enquanto na verdade está se vivendo uma luta interna super intensa. Acho que esse episódio foi perfeito ao mostrar isso. Lá no início, nós nos apaixonamos por Jack pelo jeito incrível e apaixonado que ele sempre tratou Rebecca, pela forma como ele sempre lidou com a família, como ele sempre pareceu ter a solução para todos os problemas, mas vocês já pararam pra pensar que antes dessa temporada, nós só tivemos um episódio que mostrou a situação familiar em que ele vivia quando criança e adolescente e depois o que víamos ele passar de problemas era na relação com Rebecca? Pois é… parei pra refletir sobre isso nesse episódio. Na 1ª temporada, do meio para o final, foram dadas dicas que eu logo pesquei de que ele tinha um problema com o alcoolismo e isso foi afetando diretamente sua relação com Rebecca, mas em nenhum momento tínhamos visto isso do ponto de vista de Jack e foi justamente isso que foi destruidor nesse episódio, ver o quanto foi para Jack manter a aparência de que estava tudo bem enquanto ele sofria uma pressão enorme no trabalho, se esforçava para mostrar para Rebecca, Kate, Kevin e Randall que tava tudo bem e ele continuava sendo o mesmo paizão de sempre. No flashback da primeira vez que Rebecca colocou ele contra a parede em relação a bebida e ele prometeu que iria mudar e vem a cena em que as crianças estavam na cozinha com Kevin e Randall mais uma vez discutindo e Kate lá quietinha na dela e Jack respira fundo antes de entrar e muda a expressão ao se deparar com os filhos e a esposa, definiu para mim o grande esforço que ele sempre fez para nunca falhar e nem decepcionar sua família. E se é que isso é possível, isso me fez me apaixonar mais por esse homem maravilhoso. Vemos nesses mesmos flashbacks a tentativa frustrada dele de ir buscar ajuda no AA (Alcóolicos Anônimos) e indo ao clube de boxe para claramente descontar suas frustrações e passa pela sua lembrança quando ele serviu na Guerra do Vietnã, coisa que nunca foi muito bem explorada e talvez agora com esse foco em Jack podemos saber o quanto isso o abalou. E, claro, a coisa mais maravilhosa que nos revelou mais uma vez nesse episódio foi a relação maravilhosa que Jack e Kate sempre tiveram, mas vou dedicar um momento só pra falar disso porque merece.

Então sim, vamos falar dessa linda relação entre Kate e Jack, que na verdade acho que nem tem tanto o que falar, basta sentir a emoção e a sensibilidade das cenas entre eles. Se eu precisasse resumir esse episódio rapidamente, eu resumiria em 2 cenas: a de Kate segurando o rosto de seu pai entre suas mãos quando criança e dela fazendo o mesmo já quando adolescente quando ele revela sua vulnerabilidade e sofrimento. A família Pearson sempre se completou e se amou igualmente, mas não temos como negar que certas relações se destacam ali e uma delas é a relação de Kate e Jack que foi mais uma vez mostrada o quão importante era não só para ela, mas como para ele também. Quando Jack sai do AA, ele vai buscar força em sua filha que nem sabe o motivo dele estar ali, mas o apoia e o encoraja sem saber a seguir em frente e no flashback atual a primeira pessoa que ele procura para se abrir sobre o seu problema é com ela e novamente ela mostra a ele que está ali para dar suporte assim como ele para ela. Olha, esses dois foram os que mais me destruíram o episódio todinho, que dupla maravilhosa <3
E por falar em relações, ao mesmo tempo que Kate e Jack se dão super bem, não podemos dizer o mesmo de Rebecca e Kate né? Por mais que Rebecca busque mostrar apoio e querer marcar sua presença na vida da filha, a relação delas é complicada e confesso que chegou a me dar até uma certa raivinha da Kate pela forma como ela lidou com a mãe que não fez nada além de tentar apoiá-la, mas um lado meu entendeu um pouco o sentimento de Kate com a mãe quando ela finalmente se abriu e botou pra fora tudo que ela sentia em relação a ela. Se foi dolorido para mim, imagina para a Rebecca, mas o mais importante é que Bec entendeu o lado da filha e talvez esse tenha sido o ponto crucial para uma nova relação nascer dali. E vamos combinar que o leve pontapé de Toby em Rebecca também foi importante, inclusive Toby… sigo amando, mais um exemplar de homem da série.

Esse episódio, pra mim, mostrou muito a beleza das relações e em como o apoio incondicional de alguém importante para você é essencial para que você busque fôlego e siga em frente. Foi assim com Kevin quando olhou pra Sophie no momento humilhante dele de retorno ao O Babá e relembrou de quando ele era criança, foi ali que ele buscou força também quando ninguém tinha achado engraçado sua piada, foi assim com Kate e Jack e também com Beth e Randall, inclusive vamos combinar que Beth é um baita mulherão da porra! Ao meu ver, assim como Randall reflete muito de Jack nele, inclusive essa mania de perfeição e esse pânico em mostrar pra sua família as suas falhas, Beth reflete bastante de Rebecca também, mas talvez ainda melhor. Aquela cena que ela volta ao seu encontro e o beija daquele jeito maravilhoso deixando as filhas até sem graças (rs) é maravilhosa e claramente o que dá o restinho de força que Randall precisava para seguir em frente com a ideia da adoção. Hoje fica muito claro pra mim que Randall só é o que é pela mulher maravilhosa que tem ao seu lado. Outra relação que gostei de ver um pouco explorada foi a de Beth com Kevin, acho que deviam fazer mais cenas dos dois, foi bem divertida e o entrosamento entre eles é muito natural. E, só queria ressaltar que quando a gente vê as cenas passadas de como Randall e Kevin se “odiavam”, acompanhamos o longo trajeto deles até o momento atual, é lindo demais ver a relação deles como é bonita e cheia de amor hoje em dia. Que orgulho dos meus bebês! *-*

Eu perderia mais horas aqui falando da beleza dessa série e desse episódio, mas vamos ficando por aqui não é mesmo? Já já tem mais e vamos preparando nossos corações para mais uma boa dose de destruição emocional que a gente tanto ama. Não deixem de falar aí embaixo ó, o que vocês acharam do episódio 😉

gostou da matéria? deixe um comentário!

Caroline Azevedo

Seriadora de carteirinha. Shipper de plantão. Friendsmaníaca. Viciada em música. Feminista. Meu sonho é ser uma Sense8 e me dividir em várias partes para conhecer esse mundão afora, tudo ao mesmo tempo, agora.


Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu