Posts Populares

13 Reasons Why – S02E13 – Bye [Season Finale]

“Eu te amo e te deixo partir!”

E cá estamos nós no último episódio de 13 Reasons Why. Será que somos fãs ou guerreiros?  Até porque sabemos que houve várias críticas sobre esta temporada, assim como tivemos alguns advogados de defesa da série.

Se houve necessidade ou não desta continuição? Já, já iremos responder juntos esta pergunta. Até porque a Season Finale foi importante para encerrar alguns ciclos e iniciar outros.

E por mais fanservice que este episódio tenha sido, ele abordou questões reflexivas, agoniantes e repulsivas. Além da chamada de atenção quanto nossa postura, para não sermos negligentes aos assuntos sérios. Por isso precisamos analisar com muita atenção tudo que foi apresentado.

Sendo assim, vamos a nossa review que teve gostinho de último capítulo de novela. Então #partiu.

1-A Justiça Tarda, Mas Não Falha (Apesar de Cega)

Assim como tivemos satisfação em ver Bryce preso, também tivemos desgosto. Afinal, o riquinho mimado pegou apenas terá 3 meses de condicional. Diferente de Justin que foi condenado a 6 meses. E por mais revoltante que tenha sido, a série mostrou um pouco da realidade. Ou seja, aquele que tiver mais recursos, terá regalias – é para sentir-se enojado com isso não é mesmo?

Mas apesar de um veredito desagradável, também foi importante enfatizar que a luta pelo combate ao abuso e assédio sexual feminino continua, e que ninguém estará de braços cruzados. Principalmente na era da internet que dá força total à voz daqueles que são injustiçado e violados. Então não importa as quedas e os obstáculos, a causa fica cada vez mais forte.

2-Errar é Humano, Mas Persistir no Erro é Burrice

Isso ficou muito claro com o retorno de Tyler ao colégio. E foi preciso que o rapaz dançasse conforme música e utilizasse discursos padronizados, para convencer ao colégio, e à todos, que estava apto para seguir com uma nova vida.

Mas do que adianta você mudar, seguir todos os protocolos se o mundo não está nem aí, e continuarem com seu puro descaso. Fato este muito perceptível com sua entrevista com a nova conselheira, que simplesmente fez uma cara de que duvidava de sua recuperação. Ou seja, mais uma vez é enfatizado que os adultos são os principais responsáveis pelo bullying no colégio.

E onde há descaso, há consequências irreversíveis. E foi o que aconteceu, Montgomery revoltado e com sede de vingança, praticou uma das agressões mais chocantes em toda temporada. E a cena foi tão impactante que levou alguns a largarem a série de mão.

Mas afinal, será que a produção pegou pesado demais? Segure esta pergunta, que daqui a pouco vamos respondê-la.

3-Todo Ciclo Tem Seu Fim

Lembra que falei que esta Season Finale teve cara de último capítulo de novela? E foi justamente isso que aconteceu com o encerramentos dos ciclos. Mas não pense que essa comparação é algo ruim, muito pelo contrário, ela soube trabalhar o momento de despedia e mensagens reflexivas em cada um deles.

E um dos ciclos que teve mais destaque foi o da missa da Hannah. Afinal era algo que precisava ser encerrado e de forma mútua. Além disso, foi a oportunidade de revermos nosso conceito sobre o amor ao próximo. Inclusive foi uma das frases que padre, que conduziu a missa, afirmou, que “um ato não define uma vida. E que o amor e a consideração continuam, mas a vida precisa seguir”.

E quem diria que Clay depois de duas temporadas agindo de forma emocional diria algo sensato – uma prova que todos podem mudar. E sem sombra de dúvida, seu discurso marcou com a frase “eu te amo, e te deixo partir”. Pregando aqui que o verdadeiro amor é o amor incondicional, que não é dependente, nem prende ninguém. Será que estamos praticando este amor?

E dando continuidade ao encerramento dos ciclos, temos o encontro de todos na cafeteria em que Hanna adorava. Uma forma de despedirem-se e compartilharem seus planos para o futuro.

E encerrando os ciclos com chave ouro, nada melhor do que finalizar o episódio no Baile de Formatura. Afinal, a festa é um símbolo de passagem e mudanças. E nada melhor que realizar neste momento, retrospectivas de tudo que viveram e resolver as pendências, com a de Jessie e Justin – inclusive, foi só  eu que fiquei com pena de Alex?

Também não podíamos esquecer do enocionado abraço coletivo na pista de dança, quando começou a tocar a música de Clay e Hannah. É neste momento qie nossa ficha caiu de que a série chegou ao fim… pelo menos ao assunto que a inspirou.

4-E o Problema Continua

Mas assim como ciclos se encerram e outros se iniciam, também existem aqueles que nunca se fecham. E este é caso da negligência do colégio ao bullying praticado pelos alunos.

Desta vez a vítima foi Tyler, que estava disposto a seguir o sistema imposto. Mas diante da violência sofrida, despertou novamente sua ira que estava adormecida. Diante disso ele só enxergava uma única saída, fazer justiça com as próprias mãos.

E como estava crente que não havia mais nada a perder, ele iria cometer um tiroteio em pleno baile de formatura. E apesar de Clay ser muito emotivo, temos que admitir que ele teve força e empatia suficiente, para abraçar a causa de evitar que outro aluno jogue fora sua vida. E foi com esta determinação que ele conseguiu convencer Tyler a desistir e fugir com Tony, antes que a polícia chegasse.

E assim terminamos com a seguinte pergunta: “E agora?”.

Diante de tudo isso que vimos, agora chegou a hora de analisarmos a segunda temporada em si.

E o primeiro ponto a ser analisado é: qual o objetivo principal desta segunda temporada? E o que ficou muito claro é que ela queria mudar a imagem polêmica que deixou em sua primeira temporada. Logo, ela queria deixar a figura de uma produção de entretenimento, para um objeto de estudo. E a prova disso é a abordagem pesada sobre o descaso dos adultos ser a principal causa do bullying nas escolas.

Lembra daquela pergunta que pedi para você segurar sobre a produção ter pego pesado com as cenas de violência? Então chegou a hora de conversamos sobre ela.

E a resposta é sim, ela pegou pesado, mas não foi em vão. Porque querendo ou não a série, quis despertar o senso crítico e de auto avaliação do público. Para que assim, possam entrar na luta contra  violência nas escolas e em geral.

Além disso, temos que admitir que a série não é para qualquer um, principalmente para quem está vivendo uma situação semelhante. Mas isso não quer dizer que ela não deva ser vista, mas o ideal é que assista acompanhada porque ela é um material de debates.

Sendo assim, 13 Reasons Why trouxe uma segunda temporada ciente do peso de suas abrodagen, e em provocar o público a defender a causa de valorização da vida, combate ao bullying, ao abuso e violência sexual.

E se você se incomodou com as cenas polêmicas, e até mesmo com os temas abordados, não se preocupe. Essa atitude nada mais é que seu senso moral falando alto e o sinalizando que esta realidade existe e precisa ser mudada – e que não podemos ficar de braços cruzados.

E assim finalizamos a nossa maratona de 13 Reasons Why. Com este misto de sentimentos e com vários assuntos a serem abordados em torno da segunda temporada.

Sendo assim, já aproveita e compartilhe sua opinião de tudo aquilo que lhe incomodou ou até mesmo outros detalhes que não foram mencionados aqui. Por mais que a série tenha acabado, o debate continua. Então já deixe seu comentário aqui embaixo e vamos conversar.

Até a próxima review 😉

gostou da matéria? deixe um comentário!

Dandy Souza

Um libriano amante de um bom suspense casado com o belo terror psicológico, porque a vida precisa de emoções. Seu lema: "toda obra tem sua moral, então fique atento aos detalhes". Twitter: @dandysouza81

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu