25 de novembro de 2016
3% – S01E04 – Portão

Que comece a batalha!

Esse episódio foi uma verdadeira batalha, angustiante e de muita qualidade para o telespectador.

Tudo começou com uma nova prova. Agora, os candidatos restantes estavam presos dentro de um dormitório, sem água, sem comida e sem instruções. E agora, o que fazer? A única pista que tinham eram umas alavancas nos quartos e um painel com uma sequência numérica de 0 e 1. Coube ao Marco desvendar o mistério e comandar a prova, que era coletiva e recompensada com comida e água. Michele ajudou na distribuição dos alimentos, evitando uma confusão maior. Até aí tudo certo.

Marco é de uma família que tradicionalmente consegue chegar em Maralto e por isso, se acha superior aos outros, garantindo como certa sua entrada do “lado de lá”. Entretanto, desde o início da série ele sempre se mostrou um personagem sem graça e que pouco iria acrescentar à trama. Por isso, logo imaginei que ele não iria durar muito.

Voltando ao contexto, todos se deram muito bem nessa prova do trabalho coletivo, logo, todos deveriam passar. Porém, para Ezequiel não é bem assim que as coisas funcionam. Era necessário selecionar um grupo de candidatos para a próxima etapa. Então, Ezequiel resolveu dar mais comida aos candidatos e deixarem eles lá dentro para ver quem realmente merece continuar na luta.

1

Paralelamente a isso, Mateus, membro do conselho, continua exigindo que Aline consiga prova de algum crime de Ezequiel, para poder tirar o cargo do comandante do processo. Porém, ela acaba sendo pega* ao invadir a sala de Ezequiel, que enfurecido, se impõe contra o conselho e volta a se concentrar no processo que está acontecendo. Aline, por sua vez, continua confiante que está perto de atingir seu objetivo.

Eu estou adorando a forma com que a série mostra o drama de jovens que anseiam por uma vida melhor, sendo submetidos às manipulações dos mais favorecidos e também mostra que qualquer cargo hierárquico está submetido a uma disputa de poderes. A disputa entre Mateus e Ezequiel é apenas mais um enredo interessantíssimo que gira em torno dessa trama maravilhosa.

2

Os jovens ainda estão trancados no local apenas com os mantimentos que foram disponibilizados a eles. Agora, o que fazer? Apenas sentar e esperar? Tentar sair daquele lugar? Essas dúvidas ficaram no ar e começaram a enlouquecer todos. Marco juntou um bando de homens para tentar abrir o portão do dormitório, mas não deu certo. Quando percebeu que não teria como sair daquele lugar tão cedo, Marco e sua trupe começou a roubar comida das pessoas a força. Rafael, estava fazendo de tudo para sair dali, mas quando percebeu que Marco estava fora de si, logo foi contra o garoto. A morte de uma jovem pelas mãos de Marco foi a gota d’água para Rafael se estressar e perceber que aquilo estava indo longe demais.

As pessoas precisavam se defender do pessoal do Marco, então cada um fez o que pôde. Michele, Fernando e mais alguns, construíram uma barreira contra os agressores, enquanto Joana conseguiu fugir e chegar até Ezequiel, que mandou ela voltar e colocar ordem em todos.

Rafael, que se opôs a Marco, agora estava sendo perseguido e precisava de proteção. Então, falou algo no ouvido de Michele (que só descobrimos no final do episódio), que deixou o cara entrar para dentro da barreira que construíram. Porém, aquele barreira não aguentaria por muito tempo, então o caos foi formado. Muita agressão, muito sangue e muita dor. Quando Joana chegou, o estrago já estava feito: Marco e os que estavam o seguindo, acabaram sendo espancados.

Eis que o portão se abre… agora, apenas os que estavam de pé conseguiriam passar. Todos aqueles que agrediram as pessoas roubando comida, não tiveram forças para continuar. Marco, resistindo, tentou passar pelo portão enquanto ele se fechava. Porém, Ezequiel não teve dó e deixou o portão esmagar o garoto.

3

Esse episódio foi muito interessante, pois foi o primeiro que contou com uma considerável carga de ação. Além disso, conseguimos descobrir no final que Rafael é na verdade, Thiago, pois roubou a “identidade” do amigo para participar do processo pela segunda vez, em nome da oposição. Portanto, conseguimos fazer uma ligação com a parte que Rafael sussurra algo no ouvido de Michele. Com certeza ele falou a ela que ele também faz parte da oposição, o que faz eu gostar ainda mais dele e achá-lo um dos personagens mais promissores.

No fim das contas, os personagens mais fracos se foram. Ágata realmente não teve força física e psicológica para continuar, enquanto o ego de Marco o atrapalhou a continuar o feito da família.

Agora, restam 9% dos jovens que começaram. Os sobreviventes ao processo, agora terão de passar por uma nova fase: a fase do jardim. Mais uma vez o episódio termina nos deixando muito curiosos com a prova que está por vir (bela jogada para prender o telespectador). Então, a nós, só resta assistir os próximos episódios e continuar acompanhando a review do Panela. E você, o que achou do episódio? Deixe seu comentário e continue com a gente. Até a próxima, galera!

 

Lucas Prata
Lucas Prata

Capixaba, basqueteiro, Coldplayer e apaixonado por séries e filmes. Gosta tanto de escrever que tem um bloco de notas no celular só pra isso. As vezes é meio doido, mas quem não é, né?!
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: