Maravilhosamente incrível!

De um primeiro episódio suspeito, podendo tender tanto ao ruim como ao bom, a uma antologia que consagrou-se novamente. Ryan Murphy tem sabido, ao longo desses cinco episódios, entregar uma trama envolvente, repleta de suspense e cenas capazes de prender nossa atenção por minutos. Tão tal que ao final de cada novo episódio, você nem chega a se dar conta de que se passaram mais de 35 minutos. E após o 4º, que tem sido um dos mais bem avaliados da história da série, AHS trouxe um desfecho para o encurralamento de Shelby e Matt e, ao mesmo tempo, várias dúvidas, como: e agora, qual a continuação?

A primeira maravilha do episódio foi a introdução do personagem de Evan Peters, no papel de Edward Phillipe Mott. Mais uma vez Peters atua como o construtor do imóvel onde ocorre todo o horror. E tenho que escrever isso em caps lock: EU VIVI PARA VER EVAN FAZENDO UM PERSONAGEM GAY! E ainda mais com esse homem, seria meu sonho um ménage com ambos? Pois bem, sinto-o num papel intenso e assim como a série, Evan reinventou-se nesse novo personagem que, mesmo sendo tão mimado, exige uma certa peculiaridade no olhar e em atitudes. Papel que Peters está sabendo executar muito bem. No entanto, quero abrir vossos olhos para uma peculiaridade, perceberam o sobrenome Mott, comum a Dandy de Freak Show? E não foi a única referência que pude notar neste episódio.

imagem1

Os traços da época em que os Roanokes acenderam, também como outros aspectos das pessoas presentes na trama estão sendo retratados muito bem, e não que isso fosse uma falha de AHS, porém nessa temporada, assim como na 2ª, está sendo muito gostoso de ver. Frances Conroy debutou também neste episódio, e muito bem se me permitem dizer. Amei suas personagens nas duas primeiras temporadas e agora ela mostrou-nos uma técnica usando unguento que me remeteu a Misty Days em Coven. Outra coisa sinistra foi aquela anomalia que agarrou Flora, que me lembrou umas aberrações presentes nos teasers de Asylum. E como toda essa relação com porcos relacionam-se com a primeira temporada, resta saber qual a relação de Roanoke com Hotel.

imagem2

Mesmo com Gaga ausente, a qual nem sabemos o nome do personagem ainda, este continua sendo o melhor episódio da temporada até então. Muito suspense, momentos de se arrepiar todo, um conjunto de coisas que me deixam totalmente animado para o que está por vir, principalmente agora que saberemos sobre a reviravolta que irá acontecer no próximo episódio. Só queria acrescentar também que Sarah Paulson e Kathy Bates estão fazendo um trabalho glamuroso nesta temporada. Finalmente Bates está fazendo um papel à sua altura, com esse sotaque bastante marcante, e Angela Bassett acaba por sendo a mãe em apuros desta temporada. Só estou meio incerto quanto ao resto dos episódios, pois agora que eles saíram da casa, não sei bem o que irá acontecer agora. Será que os Roanokes irão perseguí-los? Sinceramente estou sentindo que há algo por trás de tudo isso e iremos ser pegos em cheio em breve. Mas tenho que dizer novamente que esse formato no qual a série está submetida, por mais que tenha encurtado os episódios, está sendo maravilhoso de assistir. Só queria poder ter mais episódios, pois está muito instigante.

imagem3

PS: Achei meio pombo o filho da Açougueira jogando-a na fogueira, pois queria que alguém morresse, ou seja, Flora.

PS2: Que coisa tosca quando o fogo passou no rosto de Edward, mostrando sua real feição.

Confiram a promo do próximo episódio:

REAÇÃO: PUTA QUE PARIU PORRAN, O DOCUMENTÁRIO ESTÁ SENDO GRAVADO NO HOTEL?????????? NÃO CONSIGO ACREDITAR QUE É ISSO! ANSIOSO PELO EPISÓDIOS 6!

No mais, não deixem de compartilhar conosco suas opiniões sobre o episódio, sintam-se à vontade para darem suas dicas e também comentários sobre a review. Até a próxima!

Antonio Netto
Antonio Netto

Estudante de Engenharia Química. Pernambucano engraçado, dono de uma gargalhada única e de um sotaque marcante. Apaixonado por comida, séries, química e cálculos. Até gosta de estudar mas, sempre que pode, está pelo mundo curtindo e falando da vida alheia.
Deixe-nos um comentário!
  • Bruno

    Fiquei extremamente surpreso e feliz com a aparição da Frances. Eu não sabia que ela iria participar e na hora que vi a personagem pausei pra ir pesquisar se ela era mesma. Ela é maravilhosa!
    Achei meio sem sentido o final da Açougueira. Meio simples demais. Pq o Ambrose não se revoltou antes, já que ela faz aquilo há anos? Fora isso, foi um episódio demais.
    Achei muito legal o rosto do Edward assombrado, ao contrário de ti.
    Agora que acabou o documentário acredito que irão visitar a casa e os verdadeiros fantasmas aparecerão. Imagina se a verdadeira Açougueira for a Jessica Lange? JESUS!
    Espero que a partir de agora tenha uma abertura oficial.
    Ah, o nome da personagem da Lady Gaga é Scathach.

    • Antonio Ferreira Netto

      Olá Bruno, quanto ao que não concordamos, eu creio que o tosco que tenha atribuído ao rosto de Edward não tenha sido algo ruim, apenas com apelo pro horror que é justamente a proposta de AHS. No mais, obrigado pelas informações e espero vê-lo nos comentários mais vezes. Espero que tenha gostado!

%d blogueiros gostam disto: